Google+ Badge

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

A DANÇA, A RODA, E A FESTA DE NENHUM LUGAR...DE LUGAR NENHUM





Voltando de momentos sagrados de meditação onde recebi insights maravilhosos sobre estas frase da musica dos Titãs e também da musica dos Seco e Molhados que postei... uma em protesto a um certo fascismo que vejo tomar conta de alguns que por conta de erros dos atuais mandatários sonham com uma volta à 'lei e a ordem' da ditadura... mostrando que NADA é descartado quando a alma clama por luz.

EU NÃO SOU BRASILEIRO, EU NÃO SOU ESTRANGEIRO...
EU NÃO SOU BRASILEIRO , EU NÃO SOU ESTRANGEIRO...
NÃO SOU DE NENHUM LUGAR, SOU DE LUGAR NENHUM!!!!
EU NÃO ESTOU NEM AQUI, EU NÃO ESTOU NEM AI!!!
NENHUMA PÁTRIA ME PARIU!!!"
Titãs comigo assinando embaixo

Não sei se quando os Titãs criaram esta musica pensaram no que vou falar agora mas conhecendo a espiritualidade de alguns membros da Banda(Nando Reis) ou o profundo conhecimento de filosofia e poesia (Arnaldo Antunes) de outros e um grande cabedal cultural de todos entendo que sim, que sabiam o que escreviam...

Estas letras são altamente iniciáticas...um punk/rock literalmente do bem....

Apresentam um cidadão que é um cidadão mais que universal...sagrado, multi dimensional...que não esta NEM AQUI E NEM ALI...que não é de LUGAR NENHUM E DE NENHUM LUGAR....não é brasileiro(nem de São Paulo, carioca, português ou japonês)nem estrangeiro, e isto não é uma afronta ao país em que nasceram mesmo quando dizem...NENHUM PÁTRIA ME PARIU, afinal foi os conceitos de raça, povo, nação, pátria o mais amado pelas piores ideologias que dominaram os séculos passados e nos ameaçam até hoje basta lembrarmos 5 nomes diferentes mas de aplicações totalitaristas de conceitos ditatoriais quer raciais ou sociais que destruíram milhões de vidas e quase o mundo todo...HITLER, STÁLIN, MUSSOLINI, HIROITO E MAO...

Os Titãs propõem no mínimo uma cidadania terrestre, mas acenam muito mais longe...acenam para o universalismo, e mais; o multidimensionalismo, e mais longe ainda; para a divindade una e indivisível no cerne de cada ser...que não é brasileiro, nem estrangeiro, de pátria nenhuma, de lugar nenhum, de nenhum lugar e que não esta nem aqui e nem ali mas em todos os lugares ao mesmo tempo e em lugar nenhum especificamente.,,é uno com toda a expressão de vida, a riqueza de ser-se UM NO AUM!!!

Amor e Luz

Valter Taliesin





Mais uma musica que aparentemente não tem muito a dizer mas que nas entre linhas, nas entre palavras diz MUITA coisa.

Este VIRA em ritmo português da banda Secos e Molhados que Ney Matogrosso era vocalista nos 70 cantam simplesmente um louvor à Mãe e a Cernunnos...vejam...

'Bailam corujas e pirilampos entre os sacis e as fadas e lá no fundo azul da noite da floresta a lua iluminou a dança, a roda e a festa...
VIRA VIRA VIRA
VIRIA VIRA VIRA HOMEM VIRA VIRA
VIRA VIRA LOBISOMEM VIRA VIRA!!!
Secos e molhados(ou Ney 'Matofino' antes da fama de Matogrosso rs)

Bailam corujas e Pirilampos,,,coruja é um símbolo da Mãe tanto vista como Lilith quanto como Palas Atena e de própria SOFIA a sabedoria divina. Os pirilampos são os vagalumes, aqueles pequenos insetos que tem o bum bum luminoso, quer imagem maior do brilho simbólico do sagrado na criação do que um pirilampo? Enquanto as corujas simbolizam Sofia os pirilampos, a luz, O Logos, a Palavra...assim em linguagem comum, numa musica popular vemos veladamente o louvor ao Deus e a Deusa...

Os sacis e as fadas, os seres da natureza que encarnam a terra(saci) e os vegetais(as fadas)... enquanto corujas e pirilampos acenam para o imanente sagrado em todas as coisas, sacis e fadas para o emanente em toda criação...

E lá no fundo azul na noite da floresta a lua iluminou a dança a roda e a festa...é o puro Beltane de luz, o puro Beltane onde espírito e matéria se unem por meio DO EROS DIVINO o hieros gamos da Deusa e do Deus...a lua símbolo desta sagrada união, a deusa tríplice com seu brilho sem igual inunda toda o cenário afloresta o reino de Cernnunos, o Deus, com a energia do encontro tântrico supremo...

E neste cenário vira vira vira homem e vira vira lobisomem...ou seja; humano e animal, se tornam um, uma plena unificação entre totem e humano...lobo e homem, homem e lobo um só na plenitude da dança de ISIS NATURA...entre nosso lado divino e nosso lado matéria animal...

Uma festa completa e sensacional de toda vida...

Maravilhoso....

OBS...SÓ ESQUECI DO GATO PRETO QUE CRUZOU A ESTRADA E PASSOU POR DEBAIXO DA ESCADA DESAFIANDO TODAS AS CONCEPÇÕES DE AZAR DOS HUMANOS...GATO PRETO NUNCA FOI SIMBOLO DE AZAR MAS ERAM OS TOTENS DAS SACERDOTISAS DA GRANDE MÃE NATURA , AS BRUXAS, POR ISTO FORAM ESTIGMATIZADOS...

Valter Talieisin





Quantas lambanças você fez já neste novo ano?

Se não lembrou de nenhuma PARABÉNS estais no caminho certo!

Não devemos ser cegos para nossas falhas...NUNCA...mas viver em função de acertos e erros, de produtividade, de aparentes é a pior praga que a humanidade inventou depois do tal do 'pecado original'....

Não basta errar tem que se martirizar!

Não basta pisar na bola tem que luxar a perna e pior, NÃO TEM GELOL(lembram quem tem mais de 30?)

Não basta cometer desatinos tem que vivenciá-los noite e dia sem cessar...

Errou?

Reconheça, perdoe-se e siga!

Erraram contigo?

Perceba isto, perdoe e siga!

A questão nunca foi errar mas estagnar, parar na lamúria, no choro, na auto martirização, e ficar ali marcando touca(perdendo tempo)...

Os erros são para serem percebidos e reconhecidos quando cometidos, perdoados e depois esquecidos!!!

Os acertos seguem pelo mesmo caminho!

Contar também os pontos 'average' sem cessar é caminho traçado para a derrocada suprema!

Todo excesso e polarização é fruto de uma consciência não desperta ou no mínimo enferma!

Precisamos nos libertar destes extremos e dos apegos aos mesmos.

PRECISAMOS DE LIBERDADE!

Plena, pura, genuína!

Precisamos tanto do Sol quanto da chuva...

Somos humanidade vivendo em meio a dualidades e polaridades e se não acharmos o meio termo, o caminho do meio vamos nos estrepar!!!

O caminho do meio é o que caminho do equilíbrio, não é o morno que não é nem frio nem quente mas o bem temperado, o bem ajambrado, o bem ajeitado!

Precisamos de leveza para caminharmos...

Precisamos de coração e mente absolutamente calmos e serenos para enfrentarmos a euforia das vitórias e o baque das derrotas...e porque? para transformar uma e outra em experiências de vida nada mais!

Cada dia , cada instante em que nos encontramos frente aos espelhos da sala dos espelhos do Akâsha ou mundo do Livro da Vida, temos que ter absolutamente os pratos da balança em equilíbrio para não nos sentirmos reprovados...no mundo de Duat a alma chegava ante Osíris acompanhada de Anúbis e Thot pesava na balança(Mâat) seu coração num prato e no outro uma pena de avestruz , simbolo da lei divina, da verdade e da justiça... se houvesse no mínimo equilíbrio(o ideal era o coração ser mais leve) a alma entrava no mundo sagrado se não era devorada pelos monstros abissais que nada mais são que os próprios demônios criados pela culpa ou pela soberba de cada um!

Esta é uma história cujo símbolo é bem claro...

É O NOSSO PRÓPRIO GRAU DE CONSCIÊNCIA simbolizados pelo coração sede da Sabedoria, de Sofia em nós e o grande campo quântico de interatividade tanto do ego quanto da alma quem determina nosso destino na roda evolutiva da vida...Ser devorado pelos monstros não é aniquilação total mas um símbolo de que a pessoa foi devorada pelo próprio carma que criou...precisará renascer de novo, sem lembranças das experiências que lhe determinaram a volta mas com a responsabilidade de tornar-se mais leve que uma pluma para que da próxima vez seja aceito permanentemente no mundo das deidades.

Enfim, vamos viver a vida com a cabeça voltada para o alto(centro do Ser) onde nenhuma culpa ou orgulho, nenhum extremo nos atinge!

Amor e Luz

Valter Taliesin

MAIS VÍDEOS

DE TITÃS E SECOS & MOLHADOS











FONTE YOUTUBE








Fonte Google Imagens



quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

O DESERTO E A CAVERNA...Metáforas da hora escura da alma...



Provas, limitações, dificuldades, entraves...

Nesta vida encontramos todos os tipos de experiências que podem criar um novo contexto para nós.

Estava aqui caçando algo para meditar quando me deparei com o seguinte versículo bíblico em uma página:


Eu te conheci no deserto, na terra muito seca. Oséias 13:5


A divindade hebraica falando ao seu povo diz com todas as letras a situação desesperadora em que se encontravam os israelitas quando Ele lhes foi ao encontro.

DESERTO...

Todas as grandes provas emblemáticas da Bíblia ou pelo menos a grande maioria delas deram-se no deserto.

O deserto físico contudo é um símbolo de algo mais profundo, interno, o deserto da alma, aquilo que São João da Cruz chamava de...A NOITE ESCURA DA ALMA.

TERRA MUITO SECA...

O deserto não tem água ou quase não a tem, também há escassez de viveres e de verde. É uma terra desolada onde no mito espíritos malignos povoam-na.

EU TE CONHECI...

Pois é neste deserto, nesta terra seca que dá-se o verdadeiro encontro entre a divindade e os israelitas.

SER CONHECIDO POR DEUS...

O que seria isto?

Significa que dentro de suas dificuldades, de suas limitações atuais, das coisas que você considera desprezíveis em sua vida, é em meio a tudo isto, destas coisas que acontece o encontro com o sagrado.

A terra seca parece improdutiva, nada dá, mas é nesta situação aparentemente impossível que o encontro acontece.

A DIVINDADE GOSTA DE PESSOAS QUE NÃO SE MEÇAM PELO QUE SÃO, ESTÃO OU POSSUEM MAS QUE SIMPLESMENTE ESTEJAM DISPONÍVEIS À ELA...

Aquele, aquilo que era visto como Deus externo, fora de si, que nos encontrava em desertos literais da vida vai na medida em que o homem se aproxima do sagrado revelando-se uma verdade...INTERNA.

Deixamos de ver nas situações literais meramente a vivência material e passamos a perceber o suspiro do eterno em nós, nos nossos relacionamentos, em nossas situações, em nossos espaços, em nossos tempos.

Este suspiro, esta voz mansa e suave, é o encontro divino no Ser, a partir do ser na alma dos humanos.

Vejamos um exemplo bíblico de um encontro no deserto entre alguém e este senso de sagrado.


E Acabe fez saber a Jezabel tudo quanto Elias havia feito, e como totalmente matara todos os profetas à espada.
Então Jezabel mandou um mensageiro a Elias, a dizer-lhe: Assim me façam os deuses, e outro tanto, se de certo amanhã a estas horas não puser a tua vida como a de um deles.
O que vendo ele, se levantou e, para escapar com vida, se foi, e chegando a Berseba, que é de Judá, deixou ali o seu servo.
Ele, porém, foi ao deserto, caminho de um dia, e foi sentar-se debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte, e disse: Já basta, ó Senhor; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais.
E deitou-se, e dormiu debaixo do zimbro; e eis que então um anjo o tocou, e lhe disse: Levanta-te, come.
E olhou, e eis que à sua cabeceira estava um pão cozido sobre as brasas, e uma botija de água; e comeu, e bebeu, e tornou a deitar-se.
E o anjo do Senhor tornou segunda vez, e o tocou, e disse: Levanta-te e come, porque te será muito longo o caminho.
Levantou-se, pois, e comeu e bebeu; e com a força daquela comida caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus.
E ali entrou numa caverna e passou ali a noite; e eis que a palavra do Senhor veio a ele, e lhe disse: Que fazes aqui Elias?
E ele disse: Tenho sido muito zeloso pelo Senhor Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada, e só eu fiquei, e buscam a minha vida para ma tirarem.
E Deus lhe disse: Sai para fora, e põe-te neste monte perante o Senhor. E eis que passava o Senhor, como também um grande e forte vento que fendia os montes e quebrava as penhas diante do Senhor; porém o Senhor não estava no vento; e depois do vento um terremoto; também o Senhor não estava no terremoto;
E depois do terremoto um fogo; porém também o Senhor não estava no fogo; e depois do fogo uma voz mansa e delicada.
E sucedeu que, ouvindo-a Elias, envolveu o seu rosto na sua capa, e saiu para fora, e pôs-se à entrada da caverna; e eis que veio a ele uma voz, que dizia: Que fazes aqui, Elias?
E ele disse: Eu tenho sido em extremo zeloso pelo Senhor Deus dos Exércitos, porque os filhos de Israel deixaram a tua aliança, derrubaram os teus altares, e mataram os teus profetas à espada, e só eu fiquei; e buscam a minha vida para ma tirarem.
E o Senhor lhe disse: Vai, volta pelo teu caminho para o deserto de Damasco; e, chegando lá, unge a Hazael rei sobre a Síria.
Também a Jeú, filho de Ninsi, ungirás rei de Israel; e também a Eliseu, filho de Safate de Abel-Meolá, ungirás profeta em teu lugar.
E há de ser que o que escapar da espada de Hazael, matá-lo-á Jeú; e o que escapar da espada de Jeú, matá-lo-á Eliseu.
Também deixei ficar em Israel sete mil: todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda a boca que não o beijou.
Partiu, pois, Elias dali, e achou a Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele, e ele estava com a duodécima; e Elias passou por ele, e lançou a sua capa sobre ele.
Então deixou ele os bois, e correu após Elias; e disse: Deixa-me beijar a meu pai e a minha mãe, e então te seguirei. E ele lhe disse: Vai, e volta; pois, que te fiz eu?
Voltou, pois, de o seguir, e tomou a junta de bois, e os matou, e com os aparelhos dos bois cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram; então se levantou e seguiu a Elias, e o servia.

1 Reis 19:1-21



Elias estava fugindo da rainha insana Jezabel mulher do rei Acab de Israel, a qual pintava e bordava no reino e o rei assinava embaixo...
Achava-se só, deprimido, abatido e acovardado...então Elias escondeu-se numa caverna e lá ficou esperando o fim iminente...

Deus então lhe chega e diz que saia para fora da caverna pois terá um encontro com o Senhor...interessante que parece que o texto faz distinção entre Deus e Senhor já que Deus lhe fala DENTRO da caverna que o Senhor passará fora da caverna.

Ora se Deus e Senhor aqui fossem a mesma entidade porque não falar com ele dentro da caverna mesmo já que lá começara a falar?

Quem era Deus aqui e quem era o Senhor?

A impressão que temos é que Deus refere-se ao Eu interno do profeta, ele estava dentro de uma caverna literal que simbolizava a caverna espiritual em que se enfiará e ouviu a voz divina dento de si mandando-o sair para fora da caverna porque o Senhor queria falar com ele.

Este Senhor parece ser uma entidade à parte do profeta e diferente do Deus que lhe falara antes não? Veremos se é isto mesmo.

A voz mansa e delicada pode até acenar para uma 'Senhora' de repente e não um Senhor né?

Seja como for o Deus em si revela que uma entidade epifânica, uma emanação do sagrado quer lhe falar externamente. O Deus em si poderia falar com ele mas Elias precisava ter uma prova do espetacular, do numinoso fora de si para criar coragem de novo será isto?...Como um São Tomé ele queria ver para crer...e ao sair da caverna ele vê 3 tipos de fenômenos aparentemente naturais mas identificados com origem supranatural...um vendaval...um terremoto...um fogo...

Aqueles que interpretam de modo literal e ufológico vêem aqui uma manifestação deste gênero e na voz mansa e suave do Senhor a voz de um astronauta através de um aparelho sonoro MAS...esquecem-se de que DENTRO da caverna Deus havia falado com ele...Deus havia se manifestado e mandado que ele saísse para fora pois o Senhor iria ter um encontro com ele.

Se fosse tudo tão literal assim, tudo tão preto no branco assim para explicar-se tudo meramente como um fenômeno ufológico...

QUEM SERIA O DEUS QUE FALOU DENTRO DA CAVERNA ENTÃO?

Portanto a meu ver estamos diante de um texto cabalístico que como uma cebola tem diversas camadas de interpretação.

A caverna aqui pode ser literal? 

Sim, mas mais que isto é o estado interno de prostração em que se encontrava o profeta, a voz de Deus falando com ele é para mim num outro nível de leitura seu eu maior, sua presença Eu sou... o sair da caverna para ver o Senhor é o ato do profeta em desprender-se da depressão, da tristeza em que estava e saindo deste estado ver e perceber primeiro vários fenômenos paranormais e supranaturais e que se manifestaram como 'vento', 'terremoto' e 'fogo' os quais lhe avivaram a memória do poder que estava disponível a si para fazer seu trabalho e depois a voz mansa e delicada traz a noção inicial, de que NADA externo a si tinha mais poder, mais capacidade de atuação nele do que...

 A VOZ DIVINA, A PALAVRA DE DEUS, QUE SEMPRE FALARÁ COM ELE NO OCULTO DO SER.

Portanto Deus e Senhor aqui para mim são um único e mesmo ser, a impressão inicial de que são entidades à parte, uma interna e outra externa caem por terra quando o texto diz que em nenhum dos fenômenos espetaculares estava o tal Senhor mas na voz mansa e suave... e porque esta voz seria diferente da outra voz divina se AMBAS eram a Voz de Deus?

Pode realmente ter havido as duas coisas ou seja; depois de um contato interno com o sagrado ver e ouvir-se uma manifestação externa e epifânica? 

SIM! 

Mas esta voz MANSA E SUAVE me parece a mesma voz que falará antes, portanto a impressão que tenho é que mais que uma caverna física - ainda que numa ele pudesse estar- de um deserto físico, o profeta esta numa caverna escura de prostração interna e uma situação tão terrificante que é descrita como um deserto e teve que sair deste estado para compreender claramente o que A Voz Divina que sempre lhe falará queria comunicar-lhe agora...

Quantas vezes nós ouvimos durante anos e anos a voz divina em nós mas quanto chegam momentos tenebrosos parece ou que não a escutamos mais ou se escutamos parece que o efeito não é o mesmo de outrora? 

Assim para Elias o espetaculoso é meramente a forma que o sensorial, os elementos internos sensíveis do profeta às visões etc...encontra para que ele ESCUTE DE VERDADE a Voz que antes lhe falará mas não encontrara dentro dele nesta fase caverna resposta efetiva.

A MESMA VOZ DE SEMPRE MAS O PROFETA QUE A ESCUTA APÓS SAIR DA CAVERNA É UM OUTRO PROFETA, NÃO SÓ DIFERENTE DAQUELE QUE ENTRARA NA CAVERNA DEPRIMIDO MAS ATÉ MESMO DAQUELE QUE ANTES ATUARA PELO SAGRADO EM TODA ISRAEL ANTES DE SER CONFRONTADO E AMEDRONTADO PELA RAINHA INSANA.

Foi um encontro definitivo e transcendente que já preparava Elias para o processo de ASCENSÃO que logo depois iria vivenciar quando toda sua estrutura seria transmutada e ele ascenderia ao reinos superiores do Ser como uma entidade divina conhecida nos meios judaicos como Arcanjo SANDALPHON o gêmeo divino de METATRON que por sua vez teria sido o profeta Enoque...um seria chamado de 'a pequena face de Deus'...Elias/Saldalphon e considerado o Anjo da Terra ou da dimensão Malkuth ou o reino...o outro, Enoque/Metatron, de 'a grande face de Deus'  o Anjo da Presença ou da dimensão Kether ou trono divino.

A voz sagrada portanto é a Shequináh a Glória divina, a Sofia divina que fala ao profeta a partir de seu interior. Numa cultura onde o patriarcalismo e monoteísmo imperavam chamá-la de 'Senhora' seria desproposital afinal era a Glória DO SENHOR e portanto indivisível do Senhor e pronto não precisava  chamá-la de Senhora na visão deles pois isto criava uma cisão desnecessária na deidade...

É esta Glória, esta Shekinah que depois vem e como um carro de fogo, uma Merkabah sagrada eleva Elias para sua nova vida como Arcanjo Sandalphon...

Assim o 'Senhor' adora nos encontrar nos desertos da vida, nos momentos mais estranhos e excruciantes e ao revelar-se, revelar que ELE E ELA SÃO A MESMA COISA...A VOZ OU A PALAVRA...E DEUS... E QUE NÓS E ELE/ELA SOMOS TAMBÉM UMA COISA SÓ.

Sua Voz é a Voz do sagrado em nós falando os mistérios dos dias passados, presente e futuros!

Amor e Luz!

Valter Taliesin


VÍDEOS SAGRADOS

PINK FLOYD














FONTE YOUTUBE





FONTE GOOGLE IMAGENS...

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

MISTERIUM MYSTIKOS... INTERNOS E EXTERNOS..



As esferas em que estamos lidando atualmente são também ondas de manifestação.

Esfera nos transmite a ideia de algo estratificado, limitado enquanto onda nos passa a ideia de algo que vem e vai indefinidamente.

Mas a vida é exatamente isto.

Uma onda infinita de probabilidades e esferas de possibilidades!

Tanto o limitado da esfera quanto o ir e vir das ondas no fundo não passam de pura ilusão!

É a expressão do mundo quântico em que vivemos ...ponto e onda!

E no fundo tanto o ponto quanto a onda são a mesma expressão e manifestação!

Formamos esferas ou mundos paralelos de possibilidades sempre que interagimos no mundo, sempre que usamos nosso livre arbítrio.

E estas mesmas manifestações funcionam qual ondas, num ir e vir de escolhas e manifestações.

Nem as esferas são estáticas nem as ondas são erráticas, mas uma coesão e perfeição paradoxal poderosa parece vigorar entre observador e observado na criação de nossos mundos interiores com expressões exteriores.

Mas o que é interior e exterior mesmo num mundo assim?

Percebem onde nos leva o mistério?

As questões e perguntas que surgem?

E como as respostas parecem cada vez mais insuficientes?

DEUS assim deixa de ser um mistério local, um mistério de uma pessoa, de uma família, de um grupo, de uma nação, de uma raça, de um planeta somente e passa a ser a própria manutenção misteriosa da vida..é tanto uma esfera de compreensão localizada do mistério, um universo de conhecimentos e conceitos quanto a onda que vai e vem, dizendo e as vezes até se contradizendo e redizendo o dito, reinventando-se e criando novas interfaces de relação.

Nenhuma das duas formas de vermos as coisas é mais divina que a outra, nem a esfera do universo pessoal e grupal de cada um nem a onda aparentemente sem controle e sem definição...

O que temos é Deus olhando e interpretando Deus!

Deus em nós e através de nós, as esferas ou universos de manifestação observando e interagindo com a onda infinita, o oceano infinito de divindade!

Deus imanente observando Deus emanente e transcendente...mas será que algo ou alguém além dos universos de esferas e universos em manifestação foi o primeiro e de fato é o ÚNICO observador?

Isto é bom do mistério... as respostas continuarão a serem variadas sobre esta questão enquanto não aprendermos a VIVER e SER mais que falar e fazer.

Amor e Luz

Valter Taliesin


A teia de Indra é um dos mais intrigantes e fascinantes conceitos de universos interligados, de formas de expressão de vida que as religiões já propôs.

Indra é a grande divindade manifesta no emanente, o senhor do céu visível uma espécie de grande pan hindu e seu reino é representado como uma grande teia de luz onde universos e universos de vida se manifestam e interagem entre si aumentando e criando novas interfaces infinitas de manifestações.

Se quisermos comparar a divindade a algo do mundo material neste conceito podemos imaginar uma grande aranha tecendo os fios de perfeita sincronia, sutileza e beleza e quando vem a presa e nela se prende podemos ver nitidamente uma metáfora do samsara explicitado.

Aquela presa é um exemplo de si , de mim, de nós quando nos prendemos na grande teia da vida e nos enrolamos cada vez mais nos carmas e carmas negativos e positivos, dualidade pura de manifestações.

Aqui Deus ou a divindade surge tão tremenda que criaram-se a imagem ou do demiurgo ou do Satan para explicar-se ou explicitar-se o sofrimento no meio do qual nos vemos presos e enredados.

SIM, Indra é de certa forma o conceito hindu do demiurgo gnóstico, como o é do grande Pan grego dos mistérios e como a grande aranha da vida que coordena o samsara da teia não fugiria de comparações com o Satan cristão ainda que na iconografia de comparações entre religiões seja mais visto como São Miguel.

Mas estamos falando de conceitos objetivos em cima de um universo subjetivo e neste ponto só podemos tentar compreender o melhor possível não a inteireza do mistério.

Este permanecerá um mistério velado até que aprendamos ver além dos véus de Isis, além das teias de Indra, além das manifestações da vida e MAIS; além dos conceitos de bem e mal tão caros a nós e que nos fazem fazer da vida manifesta um tormento e de um ideal mundo divino um céu idílico e pior; abaixo do véu deste mundo de Indra um verdadeiro inferno.

Quando aprendermos ver o UM em tudo, virá a libertação!

Amor e Luz!

Valter Taliesin



E haverá um tempo como nunca houve outro igual, onde finalmente sentaremos calmos, serenos e tranquilos e partilharemos o pão e beberemos o vinho em perfeita comunhão entre o humano e o divino em nós. Sem barreiras de nenhum tipo e de nenhuma ideologia e filosofia. Somente amando e sendo amados em Cristo no Cristo vivo dentro de nós, aquele que Jesus tão bem nos revelou e que não carrega nome algum que não O NOVO NOME que cada um terá no sagrado diante do oceano da vida.

E neste tempo finalmente se levantarão os deuses criadores de novos universos e palmilharão novos planetas, novos sistemas estelares, novos enxames de constelações e galáxias, ultrapassarão universos e dimensões e tornarão o mistério que carregam na alma algo universal.

Cristo Jesus o Cristo cósmico e cada Cristo manifesto na terra a partir do centro do Ser espalharão a novidade de vida por mundos ainda presos nas ilusão, agora não mais como mensageiros do sofrimento mas como mestres e mestras de luz nas alturas celestes velando pelos novos mundos.

Um novo tempo esta agora nascendo dentro de cada um de nós e manifestando-se cada dia, cada momento de nossas vidas através de nossos pensamentos, emoções, desejos e sentimentos consagrados na luz deste Cristo Interno e sagrado em nós.

Um novo tempo que mostrará finalmente para que tanto sofrimento e tanta dor neste mundo, porque nos fixamos tanto na ilusão e no passageiro, porque abrimos mão da luz infinita sem nem olharmos para trás(dentro) com saudade e dúvida.

Um novo tempo que trará não o que deveríamos ter sido mas algo ainda maior e mais eterno e infinito pois teremos unido em nós os contrários e os opostos de todos os mundos, teremos entendido finalmente que o Paraíso nunca foi perdido mas oculto no mistério do que chamamos Queda...oculto dentro de cada um de nós e quando se manifestar de novo não será mais um reino de inocência mas um reino de deuses e sacerdotes segundo a ordem de Melquizedeque!

E as cores do mundo refletirão as cores de nossas almas e as energias do mundo serão as energias requalificadas e transmutadas pelo amor divino, pela vontade divina e pela sabedoria divina em cada um de nós.

E seremos UM SÓ e não haverá mais divisão alguma, e manifestaremos noite e dia esta sagrada marca de divino, não a marca do caído mais mas a marca do renascido, do transmutado, do ascendido , do divinizado.

E FINALMENTE HAVERÁ PAZ E AMOR EM TODA A TERRA...FOREVER!

Amor e Luz

Valter Taliesin


VÍDEOS SAGRADOS

LESIEM














FONTE YOUTUBE








FONTE GOOGLE IMAGENS