Google+ Badge

quarta-feira, 30 de abril de 2014

O BAILE DA VIDA...Criação, destruição, recriação...

Olhando estou as esferas que se formam dentro e fora de mim...
É como mundos, universos que se formam a cada interação de vida que tenho.
Cada interação de vida entre mim e o que me rodeia.

Poderíamos descrever a vida como interação.
Um baile perpétuo de toque, de frases, de vozes. de encontros e desencontros,
de entradas e saídas, de medos e coragem, amores e desamores em igual medida.

Estas esferas cada uma delas tem sua cor, seu tom, seu jeito de voltear como se
houvesse um eixo para que isto ocorresse. São plena e potencialmente dimensões
do Ser. Percebo nitidamente que sou criador e destruidor e enfim recriador de universos.

Sim sou Shiva e Shakti fazendo, desfazendo e refazendo o mundo como se neste bailar
eu pudesse tocar e revelar todas as divindades ocultas em mim e nos outros, como se 
pudesse claramente dizer o porque de todas as coisas, de todo o manifestar.

Este manifestar plenamente visto e sentido em cada uma das esferas, este manifestar-se
nada oculto mas profundamente misterioso, nada isolado, mas com um que de especial,
de próprio de EM CADA UM sem que com isto deixem de ser UM plena e plenificante!

Cada um destes mundos, destes universos, destas dimensões de ser surgidas desta
profundeza e imaculada luz que é minha alma, esta aura de novidade que os permeia
que os formosei-a é um atestado ao mundo desgovernado que vivemos que PODEMOS!

Podemos sim, sermos criadores de vida, co-criadores com  Deus de novas realidades do  ser,
realidades estas que trazem um pouco de cada um de nós, um pouco de cada um com 
quem viemos a ter contato.


Este é o mistério mais interessante de cada uma destas esferas.
Elas nascem de mim, nascem de dentro do meu ser mas em cada uma delas tem um pouco
do mistérios da vida de outras pessoas, de outros co-criadores.

E o mesmo se dá em suas criações, nas coisas que cada um deles manifestam pois este 
baile de pura luz entre os seres cientes não é particularidade de um só mas uma troca
constante de energias entre um e outros.

Em cada esfera um encanto se faz, um mistério se desenrola, sinais de novas vidas se
propagam criando um ir e vir de fatos, possibilidades, magias cujo cerne das coisas seremos
sempre nós, eu, você cada um de nós, co-criadores de mundos!

Hoje não é momento de duvidarmos...
Podemos criar sephiroths ou Qlipots...
Mundos de luz ou mundo de caos, o que iremos criar hoje?

O que faremos com este imenso poder divino latente e pulsante dentro de nós querendo 
sair, se manifestar, se expressar, remodelar vidas, remodelar imagens, remodelar aquilo
que carece do toque criativo de seres que nasceram para criar?

Aqui e agora somos UM...
Aqui e agora refazemos nossas vidas...
Aqui e agora estamos a refazer o mundo...

Dia a dia, momento a momento, segundo a segundo, estamos nós a criarmos paralelismos
em cada interação que fazermos, em cada ir e vir que encetamos, em cada palavra solta no
ar mesmo a mais despretensiosa, cada pensamento mesmo o oculto e claro, cada ato!

Pensar o mundo...
Falar o mundo...
Fazer o mundo...

Pensar a vida...
Falar a vida...
Fazer a vida...

Pensarmos a nós mesmos...
Falarmos a nós mesmos...
Fazermos a nós mesmos...

Estamos aqui e agora para isto...
Nascemos para este propósito...
Se recuarmos disto é ainda assim criarmos, nem que seja o caos.

Shiva e Shakti dançam em nós e através de nós a dança da vida.
Dançam como se o infinito e a eternidade fosse isto, dançar.
Dançam porque na dança a música e a magia se fazem uma e só coisa perene.

Valter


VÍDEOS SAGRADOS











FONTE YOUTUBE

FONTE DE IMAGENS GOOGLE

terça-feira, 29 de abril de 2014

LORD KRISHNA...E as 7 energias do Amor divino...



KRISHNA...

Dentre as figuras divinas indianas a de Krishna é a mais popular no ocidente, principalmente a partir dos anos 60 quando diversos ocidentais adotaram filosofias indianas ou orientais como a do movimento Hare Krishna e passaram a divulgar por aqui seus ensinamentos, fora o crescente número de gurus indianos desta e de outras vertentes que aqui aportaram.


Krishna como manifestação do sagrado hoje em dia só perde em popularidade universal para a figura de Jesus Cristo(Buda nem sempre é visto assim).


Entretanto certas similaridades em ambas as mitologias tem trazido ao debate a hipótese de se não estamos diante de uma mesma entidade mítica que com o passar do tempo foi sendo divulgada e assimilada em diversos lugares do mundo já que as similaridades extrapolam aos dois e envolvem entidades como Osíris, Hórus, Mitra, Dioniso, Hércules, Buda dentre outros.


O grande legado da figura avatárica de Krishna fora sua vida é o Bhagavad Gita, um texto dentro de um outro texto, um imenso interregno, um capítulo dentro da obra maior do Mahabharata que traz o diálogo dele com Arjuna seu discípulo e guerreiro que diante da grande obra que é a guerra de libertação que esta por enfrentar reluta em lutar contra muitos irmãos, amigos e mestres que cerram fileira no exército opositor.
Krishna que aqui conduz o carro de guerra de Arjuna faz com que este veja então a importância de cada humano cumprir o seu carma pessoal através da observância do dharma divino e que exatamente porque infringiram este último e criaram carma negativo seus parentes do exército rival devem ser enfrentados e vencidos.
É um texto tão poderoso que como a Bíblia exige-se que seja lido em camadas, analisado através de vários tipos de leituras desde a mais literal até as mais herméticas e profundamente espirituais.
O certo é que aqui, neste texto, em certo momento, Krishna identifica-se plenamente à divindade e revela-se a Arjuna de forma que não reste nenhuma dúvida para este que não só sua missão é divina quanto tem Deus de seu lado. E detalhe; como entidade neutra no combate Krishna dá aos contendores o direito de escolherem o que querem dele para si, os rivais liderados por Duryodhana preferem o imenso exército de Krishna, o mais poderoso de então enquanto Arjurna prefere a pessoa dele.
Esta escolha, profundamente espiritual e amorosa, de forma absolutamente entregue(lembre-se que apesar de tudo Krishna ainda não se revelou em toda sua glória) mostra a profunda diferença de visão de Arjurna para seus rivais. E o resultado não poderia ser outro, com Krishna de seu lado ele e seus irmãos vencem a guerra.


Krishna é puro amor divino contudo!


Sua missão avatárica neste mundo é revelar-se o amor divino, a encarnação deste amor. Aliás, os avatares são exatamente figuras advindas de Vishnu(o que não invalida que existam figuras divinas advindas de Shiva ou Brahma mas mostra a preponderância destas figuras advindas de Vishnu na mitologia hindu) um conceito semelhante ao Filho da trindade cristã e portanto a centralidade do amor aqui é essencial. 
Brahma é a grande Sabedoria criativa enquanto Shiva é a grande Vontade destruidora e recriadora. Vishnu é o grande Amor que mantém as coisas coesas e unidas em Deus.


Num mundo onde o amor tem sido tão vilipendiado e mau entendido reler figuras como Krishna para os dias atuais me parece deveras salutar e essencial. Sobretudo para demonstrar o fio de ouro que une esta revelação divina(o amor) em praticamente todas as grandes tradições religiosas só mudando o nome, lugares e tempos.
Não podemos contudo nos esquecer do Krishna mais jovem, voluntarioso que como Rama tem que combater um terrível rival e como Jesus é rodeado por seguidoras, por mulheres(as Gopis, em especial Radha) que lhe devotam a vida, conhecidas como 'pastoras'; e depois 8 mulheres se sobressaem e assim como com Jesus e Madalena uma mais que as outras: Rukmini mais outras 7 esposas, com destaque também para Satyabhama e Jambavati, compõem  seu harém....obviamente que as leituras mais piedosas do grande Deus apresentam-nas, assim como às mulheres que seguiram o Cristo, como 'devotas' e o termo esposa é meramente metafórico desta relação espiritual entre ele e elas.


Seja como for percebemos em Krishna um grande amante da energia feminina representada nestas 8 figuras femininas. Assim como ele é o oitavo avatar de Vishnu elas representam sua shakti ou energia divina(Rukmini) manifesta por 7 formas, ou raios diferentes, sendo dois deles tão destacados quanto Rukmini: Satyabhama e Jambavati.

Krishna e suas esposas ou devotas em um nível superior são o grande Sol central e seus raios iluminando a partir do centro de cada ser vivo o processo evolutivo de todos os universos.
Krishna o grande Sol central manifestando-se como a encarnação do segundo raio do Amor e face divina ..Vishnu(o atributo divino para esta ronda evolutiva preponderante é o AMOR sendo que os demais se manifestam através dele)  entretanto contém em si as demais pessoas da grande trimurti, expressando o raio da Poder/Vontade divinos em Amor(A própria Rukmini que é tanto a origem das outras sete energias quanto a primeira delas), da Sabedoria/Iluminação divinos em Amor(Satyabhama) e da Inteligência/Bondade divinos em Amor(Jambavati)...eis aqui portanto a grande trindade expressa no próprio avatar:
 Em Rukmini podemos ver metaforicamente a face de Shiva e sua Shakti, Parvati... a Vontade eo Poder que destrói e recria o mundo; em Satyabhama a de Vishnu e sua Shakti, Lakshmi a Sabedoria e Iluminação que tudo mantém e eleva e em Jambavati a de Brahma e sua Shakti, Sarasvati  a Inteligência Bondosa e criativa que emana de si liberalmente toda a vida...depois temos a energia da Paz/Harmonia através do conflito divinos na quarta esposa similar a face divina Varuna o grande Oceano original; a do Conhecimento/Justiça divinos similar a face divina Indra o céu infinito na quinta; a da Devoção/compaixão divinas similar a face divina Agni, o fogo interior que anima todos os seres vivos na sexta  e a da Liberdade/Transformação divinas, similar a Surya o grande Sol, fonte de vida e das rondas evolutivas na sétima.


Portanto na próxima vez que você ver a figura de krishna esqueça seus preconceitos religiosos, esqueça os maus gurus que ousaram falar em nome dele, as seitas esdrúxulas que pregam idiotices como se fossem sua verdade pois como todo grande enviado do sagrado ele teve sua palavra deturpada e pisoteada por indignos.
Leia e releia com o coração aberto suas histórias e seus ensinos e perceberá que NADA difere a grandeza e profundeza de seus ditos de seu correlacionados, inclusive da magistral das magistrais figuras salvadoras...JESUS CRISTO.

Amor e Luz

Valter




VÍDEOS SAGRADOS







FONTE YOUTUBE





FONTE DE IMAGENS GOOGLE




segunda-feira, 28 de abril de 2014

RAMA...AMAR...Os mistérios do amor no mito de Sita e Rama...



Rama...

Na língua portuguesa Rama é a pura energia do amor ao inverso.


Rama = Amar

4 letras formam o nome divino assim como 4 é o número da criação universal, da manifestação do universo material pois este é largura, longitude, altitude e tempo sendo a quinta dimensão a profundidade que é o próprio divino revelado, a própria face divina, o coração do grande Sol central que Rama revela em si!

Rama e amar na numerologia pitagórica tem ambos o valor 6.

E é um número mestre avatárico 33/6 !

Portanto em nossa língua tanto Rama a face divina, quanto o ato de amar são completa e totalmente divinos, sagrados, revelações do Uno para nós.

6 é considerado um número ligado eminentemente à energia do amor. No tarô por exemplo, é o número da carta dos amantes, dos dois caminhos...um homem entre duas mulheres...Adão entre Lilith e Eva, quem ele escolherá?

No amor não há perigos mas nas escolhas humanas diante dele sempre existem perigos pois temos que escolher com coração e mente sintonizados como um só para que não escolhamos de forma errada.
6 também é o sexto raio do amor devocional, da compaixão, da paixão, da entrega total. 

Na provável 'história real' Rama foi o grande líder do povo ariano que à cerca de 6 ou 7 mil anos - algumas versões mais 'realistas' dizem 3500 anos - deixou as profundas florestas europeias com o seu povo e conquistaram a Índia das mãos das raças dravidianas, reinos de povos de pele escura enquanto os arianos eram brancos.

Com o tempo de grande líder desta imigração e conquista Rama tornou-se um grande mito divino, uma encarnação divina do grande Vishnu...

Assim como Shiva e sua Shakti, Rama e Sita formaram um dos mais belos casais divinos da mitologia hindu e hoje com a expansão desta cultura no ocidente são seres tremendamente conhecidos aqui também.
Mas voltando à analogia do nome de Rama na língua portuguesa com o amor.

Quando você recita algum mantra sobre Rama em português você esta dizendo constantemente:

AMAR AMAR AMAR AMAR AMAR AMAR AMAR AMAR AMAR AMAR!!!

O substantivo divino assim se torna em adjetivo sagrado e Deus se revela de forma insuspeita nos corações amantes do divino.

É uma verdadeira Bakhti Yoga!

Deus, como dizia Joseph Campbell, o grande antropólogo, é um só mas tem nas religiões deste mundo inúmeras facetas, inúmeras metáforas e tolo é o homem e a mulher que levar na literalidade qualquer uma delas.

Estas facetas, estas faces, estas máscaras de Deus não servem para enganar, para iludir mas para velar algo que de outra forma seria incompreensível para a mente humana comum e traria ainda mais malefícios do que até as próprias máscaras ou má compreensão delas tem trazido ou seja; ruim com elas, muito pior seria sem elas.

Com estas máscaras ainda temos um filtro, podemos, sem perder  o juízo de vez entender os mistérios divinos que nos são revelados exatamente através destes filtros, destas entidades sagradas, destes canais divinos que como Rama são o amor divino encarnados na terra.

O Rama homem pode ter sido um enquanto o Rama divino bem pode ter sido outro, ou simplesmente ambos são um só e o humano não passe da máscara de uma máscara, uma encarnação de um mistério por si só já metafórico.

No amar encontramos Rama e Rama é o amar.

Sua história com Sita, sua busca por ela quando sequestrada revelam um pouco da profundeza deste amar...
Sita mais que qualquer coisa é a deusa sequestrada, o sagrado feminino que o patriarcalismo mais exacerbado sequestra, viola e afasta de Deus.

Rama, o amar divino em pessoa sabe que Deus sem Sita ou seja; o divino sem sua glória, o Pai sem a Mãe é um ser na compreensão e vivenciação fragmentado...

Deus é uno mas enquanto manifestação criativa é Pai e Mãe, inseparáveis. 

Quando Ravana sequestrou Sita, ambos, ela e Rama estavam exilados na floresta o que nos revela que a querela com o sagrado feminino já vinha de longe. Apesar de ainda não separados Deus/Deusa já passavam pelo processo lento mas tremendo de masculinização do sagrado. Ravana surge assim como o demônio que acelera este processo.


A luta de Rama contra ele na verdade se estende até hoje. Até hoje Sita, a deusa filha da deusa da terra(Binah a mãe negra), a face do reino...Sofia, de Malkuth, de Shekinah, continua sequestrada e Ravana o grande emissário da divisão e fração do divino no mundo ainda precisa ser vencido pela amor, pelo amar incondicional de Rama por seu complemento.

Deus fracionado é o maior dos pecados dos últimos 6 mil anos, quiça dos humanos em todos os tempos!
Deus fracionado é simplesmente a própria humanidade fracionada!

Um dos gêneros dominando o outro! 

Se um dia existiu algo como matriarcalismo então tivemos o mesmo erro por perspectiva diversa.
O grande ideal de Deus em nós e além de nós é o universalismo(muitas emanações divinas) unidas em amor no Pai/Mãe da vida eterna e infinitamente como UM.

Não é a preponderância nem de um nem de outro mas a Síntese através do casamento alquímico dentro de cada ser humano pois antes de tudo é AQUI dentro de nós, dentro de nosso Ser que o divino foi separado e é aqui que ele deve se reencontrar novamente em amor!

Rama ama Sita...Sita ama Rama!

E é este amor enfim que no fim deve preponderar sobre todos os opostos, todas as faces, todas as máscaras, todas as separações, todas as filosofia e ideologias, todas as religiões, todo o ir e vir da vida.

Amor e Luz

Valter


VÍDEOS SAGRADOS...

TAYLOR DAVIS











FONTE YOUTUBE




FONTE DE IMAGENS GOOGLE





CRISE E CRIATIVIDADE...




 



"As águas passam...eu permaneço"

Valter

"Centrei meu pensamento no Centro do meu universo.
Ali não há tempo nem espaço só Luz, ali fiquei sentindo a
gloriosa Presença é agradecido de Ser mais EU.
Não permiti ou permito me tirarem deste centro.
Aqui Eu Sou em grande e perfeita Plenitude e todo meu mundo
gira em torno do sagrado em Mim."

Valter



"Encontrar significado para certos dramas da vida tem sido uma complicação assombrosa para cada um de nós. Tanto no micro mundo quanto no macro mundo explicações soam não só contraditórias mas de um vazio absurdos.
O que nos resta num quadro assim?
DEUS EM NÓS!
Os dramas tremendos e terríveis do mundo se explicam(mas são difíceis de se assimilarem) por algo externo a Deus: nosso ego exacerbado e acumulando a milhares e milhares de anos 'brasas'(Carma negativo) sobre as nossas cabeças.
A solução para cada um deles é um retorno à Deus. Um voltar para dentro de si mesmo, naquele ponto sagrado onde o mistério acontece e tentarmos dia a dia curarmos nossas vidas e através da cura delas o mundo.
Quanto tempo levará?
O tempo de vencermos nossa solidão interna, aceitarmos nossa diversidade externa e entendermos definitivamente que a unidade do amor é o que unificará tudo e todos dentro e fora de nós...NADA MAIS!"

Amor e Luz

Valter

 
"Fugir de definições personalísticas talvez seja a mais difícil tarefa de todos nós servidores da luz.
O prazer insuspeito que sentimos em nos definir como isto ou aquilo, a energia que despendemos em defender nossa egomania já diz tudo.
SILENCIAR diante do que consideramos afronta, debate, ataque soa-nos como atestado de covardia.
Claro, tem momentos que certamente devemos falar.
Momentos estes que se nada dissermos cooperaremos para que o mal se estabeleça mais ferozmente no mundo MAS na maior parte do tempo gastamos energias e sonhos em coisas absolutamente improdutivas, somente tentando nos definir à contento(?) para pessoas que no fundo não estão realmente interessadas nisto, só em 'vencer-nos' no bate e boca, mais nada. Não existe interesse real em conhecer-nos, conhecer nossos pontos de vista e vice e versa. Só o desejo de sobrepujar e 'vencer'.
Teve um tempo que sentia um prazer feroz em vencer este tipo de querela e confesso que raramente perdi, para falar a verdade, que me lembre(e aqui estão alguns amigos que participaram de comunidades comigo que SABEM muito bem disto) sempre via que as pessoas ou me apoiavam ou ficavam divididas nunca me via em minoria com frequência e mesmo quando isto acontecia adorava quando o tempo me dava razão, e geralmente ele dava porque APESAR deste prazer pelo debate e pelo vencer o debate se existia e existe algo que sempre me conduziu foi uma máxima:
SÓ DEBATA O QUE VOCÊ REALMENTE SENTE E SABE...NADA MAIS!
Entretanto hoje percebo algo diferente. Ainda fraquejo e me vejo debatendo, raramente diga-se, mas ainda assim me vejo as vezes debatendo, discutindo, e percebo que o que fica depois disto não é mais o prazer e contentamento de outrora; mas um vazio sem sentido!
Então do que tenho me alimentado?
Do máximo de SILENCIO que puder fugindo ao máximo de querelas fúteis. Mas JAMAIS me furtando de dizer o que penso, como penso e como entendo devam ser as coisas. Só me atendo contudo ao direito de dizer e depois...CALAR, ou não aceitar provocações de continuar insistindo no óbvio."

Paz e Bem

Valter

 
"Dizem que a sabedoria vem com o tempo...
Discordo, a Sabedoria transcende ao Tempo e
penetra neste através da alma, mais especificamente
do coração do ser, interagindo com este, influenciando-o
progressivamente.
O que vem com o tempo não é a Sabedoria mas a
experiência da alma em lidar com algo transcendente -
a Sabedoria - no Espaço/Tempo, e é este(tempo) que leva
como um rio os momentos de interação, integração e relação.
Por outro lado sensorialmente uma alma presa à ignorância
com  o passar do tempo, com as experiências da vida,
pode adquirir uma certa maestria em lidar com as coisas,
dai sensorialmente parece que a sabedoria nasceu
com o passar do tempo... Não, apenas finalmente ela abriu
uma brecha no espaço/tempo e permitiu que a eterna
Sabedoria por ela penetrasse e influísse finalmente em
sua vida.
A Sabedoria é infinita e eterna, o Tempo é passageiro e
experiencial...a primeira NÃO PODE surgir do que é puramente
ilusório. O real é o Ser, o irreal as experiências deste através
do ego no espaço/tempo."

Valter

"O momento atual é de reflexão ...
Sobre quereres e poderes...
O que queremos e o que podemos.
Parecem semelhantes, irmãos gêmeos,
todavia como se mostram tão diferentes
quando chega a hora de atuarem juntos
em nosso benefício!
Bom seria se achássemos logo o meio termo,
a causa e o efeito disto nas nossas vidas pois
como diz Saint Germain...'o tempo urge'...
Urge e traz consigo desilusões de muitos sonhos
desfeitos e perdidos nas brumas cada vez mais
trevosas do tempo que se vai.
Estes são momentos tremendos de Kaly Yuga
onde um bom pensamento, uma boa ideia, leva
tempo e muita maturação para acontecer mas o
oposto, o mau pensamento, a má ideia acontecem
nas nossas vidas num vapt vupt tremendo bastando
para isto uma pequena e tênue sintonia vibracional.
RESISTÊNCIA...
Eis o nome da grande armada da luz nestes dias.
PERSISTÊNCIA eis sua gêmea pois qualquer vacilo
por menor que seja, é a derrocada total.

Força, Poder e Vitória...

Valter

 
"Apesar deste momento tremendo de Kaly Yuga, e eu diria, por causa dele inclusive, estamos vendo nascer uma nova humanidade e nem digo só especificamente dos recentes encarnes mas verdadeiras transmutações de dentro para fora em muitos humanos...os tais odres novos para o vinho novo estão surgindo inclusive através da transmutação dos odres velhos.
Este momento tremendo de dor é assim o GRANDE MOMENTUM transmutador e alquímico onde a humanidade futura esta sendo forjada.
Deus cada vez deixa de ser um conceito distante, do além, ou de uma divindade antropomorfizada e ligada a totens somente para ser visto como algo dentro, profundo no ser humano e que se percebido, pode mudar e moldar totalmente nossas vidas a partir deste centro.
Raros contudo ainda são os humanos que realmente podem ser ditos vitoriosos neste processo e que estão neste momento 'surfando' através das ondas das energias divina neste imenso oceano turbulento de fim de ciclo e ronda.
Uma era realmente para gigantes!

Força, Poder, Vitória

Valter
  

"Estranho termos medo da felicidade mas é isto o que algumas pessoas realmente tem...medo de serem felizes.
Já se acostumaram com o sofrimento, já se acostumaram com 'ralar' para ter as coisas, ter o amor de suas vidas, assim quando se veem repentinamente diante de algo, ou alguém que verdadeiramente as fazem alegres e a se sentirem amadas e amantes, relutam em acreditar, em aceitar, em permitir que aquela pessoa realmente faça parte de suas vidas ou que aquilo que esta diante de si realmente agora é dela.
-Ah! Mas foi tão fácil!
-Tudo que é fácil é suspeito!
Mas como assim criatura?
E os anos que você orou, ralou, se dedicou, vibrou para atrair uma pessoa como esta que você sente ter tudo a ver consigo e te passa coisas boas?
Os anos em que você observou coisas lindas como esta e agora esta ai se materializando diante de si?
Porque agora, neste instante, neste momento de sua vitória, voltas às costas, dizes não e voltas a agir como o sofredor, sofredora de sempre, achando que esta é a sina realmente de quem quer coisas boas?
E ai deixas o resultado de ANOS E ANOS de luta, de busca pelo que é bom ir embora, escorrer de suas mãos tudo porque não leste nas entre linhas, nas entre palavras do universo Deus lhe dizendo: filha(o) é agora!
Pense nisto com carinho, não estou a dizer que deves aceitar tudo e todos que se apresentam diante de si, mas se depois de anos de luta, de desamor, de desencontros, te encontras diante de alguém que verdadeiramente te faz vibrar, que você sintoniza num grau superlativo, que te alegra a alma e a vida, se te encontras diante de algo que bate com tudo o que sempre almejaste...
ESTA É A RESPOSTA DO UNIVERSO PARA TI...
TOME POSSE!

Valter

 
"Não podemos 'diversificar' o amor...
Não quando o mesmo assume um rosto
específico dentro de nossas mentes e corações.
E consequentemente quando sentimos reciprocidade
deste rosto para conosco, para o que sentimos.
'Diversificar' o amor neste caso não é ser livre para amar
quem se quer do jeito que se quer é ser escravo do inconsequente,
escravo da falta de percepção em perceber o momento de 'aquietar
o facho' e deixar-se ser de alguém e permitir que alguém seja seu.
Entregar-se realmente NUNCA foi fácil, e tem pessoas que por fazer
uma vez e achar que quebraram o chifre tornam-se arredias para
algo novo. Inventam um tal de 'amar diferente', todo mundo igual,
colocam no bolo até a pessoa que dizem amar como namorado, namorada, noivo, noiva, marido, mulher, mas o que no fundo
realmente sentem é o medo da percepção de que AQUELA PESSOAL É ESPECIAL, não é igual as outras que  também amam.
Esta percepção só vem quando nos abrimos para o que sentimos quando pensamos nesta pessoa, quando sentimos sua energia e vibração, quando ouvimos sua voz, quando a vemos etc...
Ninguém tem bola de cristal com certeza, mas temos bom senso, temos Deus conosco e tenho certeza que agindo assim tudo dará certo.
E se não der?
Oras bolas, se não der levanta, sacode a poeira, e dê a volta por cima pois SE NÃO HOUVE RECIPROCIDADE OU SE EM ALGUM MOMENTO ELA CESSOU ENTÃO AQUELA PESSOA REALMENTE FOI UMA ILUSÃO!
Abra-se então para o novo, deixe ir embora o que não deu certo e continue na sintonia do amor...
Todavia tens outras opções; ter medo e aceitar qualquer coisa como amor, continuar na sua 'diversidade' amorosa entendo que tudo e todos merecem fazer 'a festa' consigo, fechar-se completamente e nada mais querer com ninguém, enfim...escolhas escolhas escolhas...e depois...consequências consequências consequência..."

Amor e Luz

Valter

VÍDEO SAGRADOS

"Os conceitos errôneos sobre o sagrado que fizeram divisões, e fratricídios violentos dominarem o mundo não só devem morrer mas de fato NÃO SÃO e nunca foram o sagrado...nunca existiram de fato como SER...neste sentido acho que este vídeo tem TUDO a ver...mas só NESTE sentido."

Valter












FONTE YOUTUBE




FONTE DE IMAGENS GOOGLE