Google+ Badge

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

A MONTANHA PRIMORDIAL: O monte dos 'deuses' do Jardim secreto.


Sumeru...Olimpo...Montanha do Jardim do Paraíso...

Os mitos sobre uma montanha de deuses primordiais, ou de um lugar onde estava um luxuriante jardim onde estes criaram os humanos são muitos para que possamos descartá-los como mera fantasia. Entretanto as perguntas que não querem calar é:

Estamos falando de um lugar ou lugares literais?

Este lugar ou lugares são de nossa esfera espaço/temporal?

Estes deuses são entidades angélicas ou manifestações personalizadas das forças primordiais?

O nome ELOHIM traz algum indício sobre quem seriam tais deuses?

A montanha primordial seria símbolo de algo interno em nós?

Se assim for há como retornarmos para ela?

E se sim, PORQUE realmente de lá saímos?

Isto para ficarmos em algumas perguntas só que não querem calar.

À medida que penetramos neste mistério mais e mais perguntas vão surgindo, mais e mais perguntas vão tomando conta de nossas mentes, mais e mais percebemos que os mitos sobre o jardim secreto e sua localização, sobre o ELOHIM que o criou - esta multiplicidade divina misteriosa e fabulosa que parece surgir em diversas tradições com nomes diferentes, geralmente como uma pluralidade personificada dos atributos divinos, das forças da natureza e para alguns...de seres quer de outras esferas do ser ou de outras paragens planetárias - vão tomando forma de símbolos, de coisas referentes ao nosso remoto passado e talvez até a coisas de outras esferas do ser.

Mas vamos TENTAR responder a estas 7 perguntas acima, nem que seja de forma sintética pois a profundidade do mito exigiria muito mais que um mero texto de algumas palavras.

Percebam o primeiro nome citado, SUMERU...que é o nome da montanha dos deuses nas tradições indianas...este lembra DEMAIS o nome da primeira civilização reconhecida pela arqueologia...

A SUMÉRIA!

A Suméria é encontrada na Bíblia logo depois do dilúvio e seu império é reconhecido como tendo se iniciado pelas conquistas e construções do mítico NINROD, uma figura fabulosa que mistura em torno de si lendas e fatos que parecem atestar para a existência de alguém realmente com tal nome e posição de comando na região. 

Vejamos o textos bíblico que nos acena para este homem ou mito de herói fundador que fundou o grande império sumério:

Estas, pois, são as gerações dos filhos de Noé: Sem, Cão e Jafé; e nasceram-lhes filhos depois do dilúvio.
Os filhos de Jafé são: Gomer, Magogue, Madai, Javã, Tubal, Meseque e Tiras.
E os filhos de Gomer são: Asquenaz, Rifate e Togarma.
E os filhos de Javã são: Elisá, Társis, Quitim e Dodanim.
Por estes foram repartidas as ilhas dos gentios nas suas terras, cada qual segundo a sua língua, segundo as suas famílias, entre as suas nações.
¶ E os filhos de Cão são: Cuxe, Mizraim, Pute e Canaã.
E os filhos de Cuxe são: Sebá, Havilá, Sabtá, Raamá e Sabtecá; e os filhos de Raamá: Sebá e Dedã.
E Cuxe gerou a Ninrode; este começou a ser poderoso na terra. 9
E este foi poderoso caçador diante da face do Senhor; por isso se diz: Como Ninrode, poderoso caçador diante do Senhor.
E o princípio do seu reino foi Babel, Ereque, Acade e Calné, na terra de Sinar.
Desta mesma terra saiu à Assíria e edificou a Nínive, Reobote-Ir, Calá,
E Resen, entre Nínive e Calá (esta é a grande cidade).


Gênesis 10:1-12

Notem que este Ninrod é filho de Cuxe um dos filhos de Noé que na tradição bíblica, praticamente na aurora do novo mundo assume a posição maldita de Caim do velho mundo, ou seja; SE houve um dilúvio universal provocado por Deus(ou os deuses na versão suméria) que destruiu a dita raça maldita de Caim que se misturou à deuses rebeldes dando origem a uma raça de semideuses que foram os responsáveis diretos pelo dilúvio(os textos parecem velar nesta história do dilúvio um tremenda guerra com armas inimagináveis entre estes ' filhos dos deuses' ou dos anjos, OS NEPHILINS que segundo o texto apócrifo de Noé devoravam a terra e a humanidade). O que para mim é um eufemismo para definir tirania, para definir seres que atingiram uma alta tecnologia por sua privilegiada posição de mentes semi divinas(ou alien para alguns) que criaram cidades poderosas(hoje conhecidas como cidades dos gigantes), ciclópicas, e que talvez tenham até usado de tecnologia nem ainda atingida por nós. O confronto entre eles pelo domínio do mundo talvez seja o verdadeiro responsável pelo dito dilúvio.

Seja como for, nem bem termina o dilúvio e a verdadeira índole que guerreia dentro do ser humano se manifesta no episódio entre pai e filho que determina a existência de um 'novo Caim' no novo mundo:

Vejamos:

E os filhos de Noé, que da arca saíram, foram Sem, Cão e Jafé; e Cão é o pai de Canaã.
Estes três foram os filhos de Noé; e destes se povoou toda a terra.
E começou Noé a ser lavrador da terra, e plantou uma vinha.
E bebeu do vinho, e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda.
E viu Cão, o pai de Canaã, a nudez do seu pai, e fê-lo saber a ambos seus irmãos no lado de fora.
Então tomaram Sem e Jafé uma capa, e puseram-na sobre ambos os seus ombros, e indo virados para trás, cobriram a nudez do seu pai, e os seus rostos estavam virados, de maneira que não viram a nudez do seu pai.
¶ E despertou Noé do seu vinho, e soube o que seu filho menor lhe fizera.
E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos.
E disse: Bendito seja o Senhor Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo.
Alargue Deus a Jafé, e habite nas tendas de Sem; e seja-lhe Canaã por servo.
¶ E viveu Noé, depois do dilúvio, trezentos e cinqüenta anos.
E foram todos os dias de Noé novecentos e cinqüenta anos, e morreu.


Gênesis 9:18-29

Antes de continuar o comentário vejamos o texto dos gigantes do apócrifo de Enoque.

E aconteceu depois que os filhos dos homens se multiplicaram naqueles dias, nasceram-lhe filhas, elegantes e belas.
2 E quando os anjos, (3) os filhos dos céus, viram-nas, enamoraram-se delas, dizendo uns para os outros: Vinde, selecionemos para nós mesmos esposas da progênie dos homens, e geremos filhos. 
(3) No texto aramaico lê-se "Sentinelas" (J.T. Milik, Aramaic Fragments of Qumran Cave 4 [Oxford: Clarendon Press, 1976], p. 167).
3 Então seu líder Samyaza disse-lhes: Eu temo que talvez possais indispor-vos na realização deste empreendimento;
4 E que só eu sofrerei por tão grave crime. 
5 Mas eles responderam-lhe e disseram: Nós todos juramos;
6 E amarraram-se por mútuos juramentos, que nós não mudaremos nossa intenção mas executamos nosso empreendimento projetado.
7 Então eles juraram todos juntos, e todos se amarraram (ou uniram) por mútuo juramento. Todo seu número era duzentos, os quais descendiam de Ardis, (4) o qual é o topo do monte Armon. 
(4) de Ardis. Ou, "nos dias de Jared" (R.H. Charles, ed. and trans., The Book of Enoch [Oxford: Clarendon Press, 1893, p. 63).
8 Aquele monte portanto foi chamado Armon, porque eles tinham jurado sobre ele, (5) e amarraram-se por mútuo juramento. 
(5) Mt. Armon, ou Monte Hermon deriva seu nome do hebreu herem, uma maldição (Charles, p. 63).
9 Estes são os nomes de seus chefes: Samyaza, que era o seu líder, Urakabarameel, Akibeel, Tamiel, Ramuel, Danel, Azkeel, Saraknyal, Asael, Armers, Batraal, Anane, Zavebe, Samsaveel, Ertael, Turel, Yomyael, Arazyal. Estes eram os prefeitos dos duzentos anjos, e os restantes estavam todos com eles. (6) 
(6) O texto aramaico preserva uma lista anterior dos nomes destes Guardiães ou Sentinelas: Semihazah; Artqoph; Ramtel; Kokabel; Ramel; Danieal; Zeqiel; Baraqel; Asael; Hermoni; Matarel; Ananel; Stawel; Samsiel; Sahriel; Tummiel; Turiel; Yomiel; Yhaddiel (Milik, p. 151).
10 Então eles tomaram esposas, cada um escolhendo por si mesmo; as quais eles começaram a abordar, e com as quais eles coabitaram, ensinando-lhes sortilégios, encantamentos,e a divisão de raízes e árvores. 
11 E as mulheres conceberam e geraram gigantes, (7). 
(7) O texto grego varia consideravelmente do etíope aqui. Um manuscrito grego acrescenta a esta secção, "E elas [as mulheres] geraram a eles [as Sentinelas] três raças: os grandes gigantes. Os gigantes trouxeram [alguns dizem “mataram"] os Naphelim, e os Naphelim trouxeram [ou "mataram"] os Elioud. E eles sobreviveram, crescendo em poder de acordo com a sua grandeza." Veja o registro no Livro dos Jubileus.
12 Cuja estatura era de trezentos cúbitos. Estes devoravam tudo o que o labor dos homens produzia e tornou-se impossível alimentá-los;
13 Então eles voltaram-se contra os homens, a fim de devorá-los; 
14 E começaram a ferir pássaros, animais, répteis e peixes, para comer sua carne, um depois do outro, (8) e para beber seu sangue. 
(8) Sua carne, um depois do outro. Ou, "de uma outra carne". R.H. Charles nota que esta frase pode referir-se à 
destruição de uma classe de gigantes por outra. (Charles, p. 65).
15Então a terra reprovou os injustos. 

Capítulo 8 

1 Além disso, Azazyel ensinou os homens a fazerem espadas, facas, escudos, armaduras (ou peitorais), a fabricação de espelhos e a manufatura de braceletes e ornamentos, o uso de pinturas, o embelezamento das sobrancelhas, o uso de todo tipo selecionado de pedras valiosas, e toda sorte de corantes, para que o mundo fosse alterado.
2 A impiedade foi aumentada, a fornicação multiplicada; e eles transgrediram e corromperam todos os seus caminhos. 
3 Amazarak ensinou todos os sortilégios, e divisores de raízes:
4 Armers ensinou a solução de sortilégios; 
5 Barkayal ensinou os observadores das estrelas, (9) 
(9) Observadores das estrelas. Astrólogos (Charles, p. 67). 
6 Akibeel ensinou sinais; 
7 Tamiel ensinou astronomia; 
8 E Asaradel ensinou o movimento da lua, 
9 E os homens, sendo destruídos, clamaram, e suas vozes romperam os céus. 

Este texto encontra uma pequena síntese no livro de Gênesis que se não fosse a existência deste texto de Enoque seria mais obscuro ainda do que já é.

E aconteceu que, como os homens começaram a multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas,
Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram.
¶ Então disse o Senhor: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos.
¶ Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama.
E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.
¶ Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração.
E disse o Senhor: Destruirei o homem que criei de sobre a face da terra, desde o homem até ao animal, até ao réptil, e até à ave dos céus; porque me arrependo de os haver feito.
¶ Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor.
Estas são as gerações de Noé. Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus.
E gerou Noé três filhos: Sem, Cão e Jafé.
¶ A terra, porém, estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a terra de violência.
E viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra.


Gênesis 6:1-12

Estamos aqui diante de 4 textos reveladores sobre mitos que podem estar relacionados com nossas origens.

Comecemos pelos dois últimos.

O texto de Gênesis sobre a prole mista de humanos e supra humanos definem o destino do mundo de então. Tais uniões segundo o texto, criaram segundo algumas versões, um tipo de ser, definido como filhos dos filhos de Deus com as filhas do homens que foi o motivador do que veio a seguir. Na Bíblia eles são descritos como os varões de fama, um eufemismo para heróis que ficaram marcados na História do mundo...tanto para bem como para mau...Veremos que no texto de Enoque isto vai mais além e eles se revelam não nos heróis da nossa imaginação mas em seres de enorme poder que foram os causadores da destruição do mundo de então.

Nos textos hindus, nas guerras entre deuses, vemos o uso de armas que parecem estar muito acima daquilo que interpretamos por comuns nos embates que deveriam ocorrer em épocas tão remotas. Isto pode ser um indício que a relação de armamentos listados no livro de Enoque, que os seres divinos ensinaram os humanos usar nada mais foi do que um simples aperitivo do que pode ter vindo a seguir.  À medida que iam nascendo os tais filhos, cada geração parecia mais poderosa e violenta que a outra.

A sequência dos filhos do manuscrito grego lembra o mito dos deuses.

Urano foi destronado por Cronos que foi destronado por Zeus em guerras titânicas!

Urano pode, segundo minha interpretação representar os Gigantes, Cronos os Nephilin e Zeus os Elioud.

Se assim for, o contexto tanto de 'trouxeram' quanto de 'mataram' condiz ao mito pois cada deus que destrona o pai no mito grego são ao mesmo tempo gerados e mortos por estes pais, mas como deuses que são depois conseguem por algum estratagema reviverem e virarem o jogo contra os pais destronando-os. Cronos castrando o pai, Zeus fazendo com que o pai Cronos devolva do estômago toda a prole de filhos que havia devorado(Zeus sobrevive porque a mãe Réia dá ao marido uma pedra envolta em mantas como se fosse o filho para ele devorar) e depois junto com os irmãos fazendo guerra ao pai e aos demais titãs. O fato é que mesmo depois das substituições das gerações divinas. A raça que perde o controle não deixa de existir, apenas perde o controle sobre os humanos da terra nada mais.

Esta mesma sequência de deuses ou de gerações de deuses que substituem uns aos outros através de guerra e batalhas aparecem ainda em outras mitologias como a egípcia e a suméria.

O texto grego dá a entender que a última geração tornou-se ainda pior que as anteriores no trato com os humanos a ponto de os céus ouvirem o clamor destes!

Dai cai sobre toda a terra a destruição!

Se lembrarmos dos contos gregos, sobre os deuses e suas relações com os humanos veremos que muitos destes deuses tinham apetites digamos, nada divinos, e conta-se que Zeus condenou Prometeu, um titã das divindades da geração anterior, a sofrer durante milênios uma pena cruel por ter doado o 'fogo' aos humanos.

O que seria este fogo?

Eis ai uma boa pergunta!

Seria o fogo comum que os humanos não conheciam ou não sabiam como usar?

Uma tecnologia avançada e proibida que fez com que a guerra tomasse conta do mundo e destruísse o mundo de então?

Ou algo interno, dentro dos humanos e Prometeu surge aqui como a serpente do paraíso grega, um Ea posterior igual ao do mito sumério enquanto Zeus encarna Enlil?

Estranho associar tais relatos com o Gênesis. No Gênesis percebe-se que há uma sucessão realmente de entidades pois fala que no principio havia Gigantes e depois também quando os filhos de Deus coabitaram com as filhas dos homens ou seja; veladamente o texto parece falar de raças diferentes de entidades sobre a terra. Mas lá da-se a entender que o clamor ouvido pela divindade é da decadência total da civilização de então. Portanto 'o devorar' dos gigantes, dos nephilim e dos elioud sobre os humanos parece referir-se a degradação moral, social e espiritual que estes causam em toda a sociedade humana. Assim tanto os textos das versões de Enoque, quanto das versões de Gênesis devem ser vistos como eufemismo de que algo realmente grandioso aconteceu no passado remoto da terra, que grandes civilizações implementadas por entidade alienígenas(sejam deuses ou forças da natureza, sejam anjos, sejam seres de outras dimensões, galáxias ou planetas) que devoraram tudo o que havia de bom e original na humanidade de então, descaracterizando de tal forma o humano existente e pior; o meio ambiente e que trouxe a destruição para todos.

Do resultado de tal catástrofe poucos sobraram.

Na Bíblia apenas uma família sobra depois do dilúvio e vemos que um dos filhos de Noé já começa com o pé esquerdo(apesar de eu achar que mais errado foi Noé que encheu a cara e ficou peladão dando vexame). O texto dá a entender que Cam amaldiçoado pelo pai serviria seus irmãos mas entretanto isto parece ter acontecido com o tempo, com o passar das civilizações. Em realidade penso que o texto tenta simplesmente explicar o que se passou com as gerações dos impérios mundiais um sobre o outro pois o que vemos em realidade é que os descendentes de Cam foram os primeiros que criaram grandes civilizações no mundo...Egípcios, indianos e sumérios são todos descendentes de Cam. Depois vemos que os semitas assumem controle da civilização inclusive substituindo os camitas nas cidades antigas sumérias e também no Egito com a invasão dos hicsos. No Egito depois os camitas reassumem o poder mas na Suméria a mudança foi permanente. Por fim vem os jafetitas! Primeiro com a civilização ariana que domina os camitas da antiga Índia, a origem deles é detectada nas montanhas da Pérsia por alguns e por outros como advindos de regiões da Europa. Com o tempo a primazia da civilização européia sobre a camita conjunto a poderosa influência espiritual dos filhos de Sem veio assinalar o predomínio político e econômico dos jafetitas e espiritual ou religioso dos semitas sobre os camitas que passaram a 'servir' ou seja; depender socialmente, economicamente, politicamente e espiritualmente dos outros dois ramos humanos.

Percebam que antes havia 3 gerações de semideuses que destruíram a unidade tanto genética quanto social humana. Agora vemos 3 raças de humanos, uma sucedendo a outra exatamente como a raça dos semideuses e uma 'devorando' a outra ou seja; tornando a outra subserviente a si e até mais poderosa, deteriorada e violenta que a anterior. Com o tempo os semitas passam a depender economicamente e socialmente do poder dos jafetitas quando impérios como o persa, o grego e o romano subsequentemente dominam o mundo. Os semitas vieram reagir somente através das conquistas árabes depois de 600 DC mas logo uma raça de jafetistas , os turcos, que se converteram ao conceito espiritual/religioso deste novo grupo de semitas domina-os e se tornam senhores das regiões onde o islã semita original se espalhou, assumem o controle político e civilizatório assim como os jafetistas gregos e romanos anteriormente fizeram com a tradição judaica e o ramo desta, o cristianismo.

MAS como vimos, ANTES a civilização camita deu origem às 3 civilizações mais antigas que temos notícia...A Suméria, O Egito e a Índia! E como os orientais são listados pelos estudiosos como camitas percebemos que Chineses, japoneses e coreanos que criaram grandes civilizações corroboram o poder da raça de Cam antes das duas anteriores. Lendas e mitos de que a raça negra foi a primeira das raças a assumir o predomínio do mundo também parecem aferir que os descendentes de Cam foram os primeiros senhores do mundo, pois além da raça amarela e dos originais brancos morenos sumérios e egípcios, os negros seriam também descendentes de Cam.

Por fim vale salientar que a tal 'maldição' de Noé se for vista estritamente no texto, recai sobre CANAÃ, seu neto, filho de Cam(pai de uma raça branca de cabelos pretos ou morenos) e não sobre os demais filhos destes. Canaã foi pai dos antigos habitantes da palestina e das terras siro fenícias. Ou seja; para ser caracterizada como 'maldição' só ESTE filho de Cam deveria 'servir' aos demais descendentes de Noé não os outros. Talvez esteja aqui a explicação do porque até hoje temos 'descendentes de Cam' na crista da onda no ciclo do poder mundial e o porque as civilizações mais importantes de nosso passado sejam descendentes deles pois nem elas, NEM OS NEGROS, tem nada a ver com a tal maldição de Noé estritamente.
O que levou muita gente a crer que em verdade foi Canaã que viu o avô nu contou ao pai e este tratou de espalhar para o resto!

Voltando a NINROD, ele, diz o texto, foi o 'PRIMEIRO CAÇADOR DIANTE DO SENHOR'... palavras intrigantes...pensemos o que seria isto... Ninrod foi o introdutor do consumo de carne pelos humanos antes vegetarianos? Ninrod foi um conquistador, e o temor caçador define isto? 

Parece que a sequência do texto opta pela segunda visão. Ninrod foi um grande conquistador e civilizador. e o princípio de seu império foi a terra de Sinaar ou Sinear, em outras palavras...SUMÉRIA!

Babel foi erigida por ele, e a famosa torre da tal confusão de línguas( que parece em leituras modernas mais um portal dimensional que qualquer outra coisa) dizem, foi erigida por ele.

Sua rainha foi SEMÍRAMIS E SEU FILHO TAMMUZ...

A trindade NINROD, SEMÍRAMIS E TAMMUZ foi adorada em Suméria como uma família divina e muitos estudiosos interpretam aqui a origem de cultos a este tipo de trindade em outras culturas da mesma época ou um pouco posterior aos sumérios...OSÍRIS, ISIS E HÓRUS no Egito...SHIVA, PAVARTI E GANESHA na Índia...e desaguou na futura sagrada família do cristianismo onde só um ente é considerado divino mas é digna toda ela de devoção por parte da maioria dos cristãos que não são protestantes e evangélicos os quais só aceitam devoção a Jesus...JOSÉ, MARIA E JESUS.

Demos tantas voltas para dizer o seguinte: 

O monte que parece sugerir o texto como sendo primordial dos deuses, é chamado na cultura indiana como SUMERU...A SUMÉRIA é tida como a primeira civilização reconhecida pela ciência. Portanto pelo menos pós dilúvio esta era uma realidade:

A Suméria era a mãe das civilizações, o monte primordial, de onde vieram os deuses e os humanos.

Neste sentido estamos diante de um lugar realmente literal...o monte sumeru pode ser uma referência tanto a civilização suméria mãe das demais civilizações, como da torre de Babel, o monte artificial erigido por estes e que causou tanta confusão posterior.

Os mitos antigos parecem nos levar para uma nascente de tradições em um passado longínquo depois do dilúvio onde todas as tradições atuais nasceram ou foram disseminadas a partir de Sinear ou Suméria, após a famosa 'confusão' das línguas.

Mas as tradições do monte primordial são mais antigas ainda que a antiga Suméria. Elas vem de muito antes do diluvio.

No livro de Enoque vimos que os anjos ou deuses, ou sei lá o que, desceram no monte Hermon, ou tinham sua morada neste monte quando decidiram coabitar com as filhas dos homens.

Portanto o monte Hermom como um contexto de monte primordial transcende a Suméria!

E como vemos nestes versículo bíblico abaixo ele significa benção não maldição como quer dar a entender muitos que o associam a uma palavra hebraica que entendem ser a origem do nome.

Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união!
É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desceu sobre a barba, a barba de Arão, que desceu sobre a gola das suas vestes;
como o orvalho de Hermom, que desce sobre os montes de Sião; porque ali o Senhor ordenou a bênção, a vida para sempre.

Salmos 133:1-3

Alguns estudiosos entendem que o famoso 'monte da transfiguração', onde Jesus se transfigurou e com ele apareceram Moisés e Elias, era o monte Hermon, se assim for mais um ponto importante que define este monte como MUITO especial.

Interessante que segundo outros estudiosos, ali existia um importante centro essênio naqueles tempos dai me pergunto: Será que no texto da transfiguração existe mais coisas do que Jesus e seus 3 discípulos sobre um monte numa noite fria sendo transfigurado e revelando-se como Deus não foi um processo de iniciação que ocorreu DENTRO deste centro essênio?!

Perguntar não ofende! Rs...

Quer dizer, às mentes mais abertas não... já outras...

O Hermom que estava ao norte do território de Israel pode ter simbolizado realmente um lugar divino na terra, talvez o lugar primordial. 

Em Isaías o texto dá a entender que era no Norte que estava o próprio trono de Deus, quando o texto usa a localização norte tanto geográfica do monte quanto do horizonte celestial unindo terra e céu num mesmo ponto:

Até as faias se alegram sobre ti, e os cedros do Líbano, dizendo: Desde que tu caíste ninguém sobe contra nós para nos cortar.
O inferno desde o profundo se turbou por ti, para te sair ao encontro na tua vinda; despertou por ti os mortos, e todos os chefes da terra, e fez levantar dos seus tronos a todos os reis das nações.
Estes todos responderão, e te dirão: Tu também adoeceste como nós, e foste semelhante a nós.
Já foi derrubada na sepultura a tua soberba com o som das tuas violas; os vermes debaixo de ti se estenderão, e os bichos te cobrirão.
Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!
E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte.
Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo.


Isaías 14:8-14

Percebemos primeiro que esta estrela rebelde(Lúcifer, Ishtar - matrona de Babilônia- ou Vênus) é associada a um rei humano e este rei humano governa sobre...BABEL ou Babilônia, descendente da antiga Suméria. 

É como se o texto dissesse:

 "Você que construiu Suméria como um monte divino, esta torre de confusão, você que se insurgiu contra o verdadeiro monte original... você tem desejo e interesse de vir ao norte e conquistar o monte divino e estabelecer nele seu trono...mas tu não conseguirás isto". 

A associação com o Hermom como este monte ao Norte de Babel(e mais especificamente de Israel, que é de onde falava o profeta, onde ele estava quando profetizou), podemos fazer quando o escritor fala que os cedros do Líbano, desde a queda desta estrela estão em paz...O Hermom ficava nesta região, entre Líbano, Israel e Síria.

Sabemos que do Éden original fluía um rio que desaguava no jardim do Éden e de lá saia como 4 braços!

Será que este rio nascia no Hermon?

Será que dali partia este rio original que depois se dividia antes do dilúvio, num contexto de mundo totalmente diferente do nosso, em 4 rios...Nilo(ou Jordão), Ganges(ou Indo ou Sarasvati), Tigre e Eufrates regando uma enorme região que seria conhecida como Jardim do Éden?

Quando digo que o jardim ficava no topo deste monte falo de forma eufemística pois o monte é o LUGAR DE PODER que governa o Jardim mas nada impede de que possamos ver tal jardim sobre um monte literal, mais ao sul do monte de onde surgia o rio e em que estaria o jardim.

Mas procurei desde o início ver tais textos por outro tipo de leitura. Leitura que não impede todavia que outras sejam feitas e que no nosso passado remoto tenha existido uma grande e poderosa civilização tão evoluída a qual quando se afastou do contexto espiritual original se deteriorou e criou um estado de caos tão grande no mundo que ocasionou guerras e estas o cataclismo conhecido como dilúvio!

O mundo espiritual pode ter usado esta civilização ante diluviana como uma metáfora do próprio interior humano, para mostrar que o jardim, a queda, Adão , Eva e Lilith, o Senhor Deus etc...antes de qualquer coisa simbolizam realidades interiores nossas e que a partir desde mundo interior vem o que construímos no exterior, primeiro num plano dimensional diferenciado do atual ainda que geograficamente localizado na região supracitada conhecido como jardim do Éden, depois num contexto de queda na matéria mais densa e  por fim nesta tremenda civilização que se auto destruiu.

O mundo externo é portanto reflexo do interno na minha visão!

O verdadeiro monte primordial de Deus no fundo é o próprio Adam Kadmon, o próprio ser humano original, nele e dele nasce o Éden, a dimensão do ser em que estava antes de cair, nele e dele nasce a caverna dos tesouros depois da queda, nele e dele nasce o lugar oculto no centro do monte onde esta a chave que abrirá o portal para o retorno ao jardim secreto. Nele e dele faz parte tanto os querubins protetores, quanto a espada inflamada que impede seu acesso ao caminho da árvore da vida. Nele e dele estão contidas as senhas secretas que podem dar-lhe acesso livre aos querubins, domar a espada flamejante e finalmente voltar a comer do fruto da árvore da vida.

Toda a História do Gênesis pode ser resquício de histórias literais, de pessoas literais que serviram de imagem e modelo para uma história diferente, mítica, metafórica, espiritual, analógica, figurada etc... das verdades interiores do ser humano e da dimensão divina.

Você olha é pode ver só a linguagem literal e nela ficar sem ver os códigos e senhas por trás dela...o texto assim se conforma ao estado evolutivo espiritual interior de cada um, e quanto mais profundo o relacionamento do humano com o mundo espiritual mais profundas e diferenciadas são as leituras que fazemos, mais profundamente vemos através dos textos que este quer dizer muito mais do que diz literalmente.

Você pode ver Ninrod somente como um homem comum que se tornou imperador do primeiro império pós dilúvio ou vê-lo também em outra leitura como ÓRION o caçador celestial diante do Senhor de onde vem a raça de deuses civilizadores da terra e mais profundamente como o lado sombrio humano, interno dos humanos que criam no externo o domínio, a violência, o desejo de poder sobre tudo e todos refletido nos impérios deste mundo.

Você pode ver Suméria e a torre de Babel como uma criação humana entretanto dirigida por divindades civilizadoras(que depois guerrearam entre si uma permanecendo fiel ao cronograma original e outra se insurgindo contra ele) de Órion simbolizadas na figura de Ninrod ou pode ver que tudo isto nasce dentro dos humanos, da busca deles ascenderem novamente ao estado divino mas por meios que não são digamos, os corretos. O monte Sumeru pode ser apenas uma ilusão tentando criar o monte original onde este não existe.
É a busca da orgulhosa estrela, o mago trevoso tentando dentro de si encontrar o caminho da árvore da vida após conseguir passar pelos querubins mas perdendo a batalha diante da espada flamejante.
A estrela brilhante, tão prometedora mas que se quebra por causa de seu orgulho e de seu desejo de, subindo até as estrelas do céu voltar para o monte divino, mas segundo seus termos, não segundo o caminho iniciático.

Assim literalidade terrestre, realidade celeste e metáfora interna podem se fundir na compreensão do mito.

Em suma... no plano terrestre o monte primordial, seja o Sumeru, o Hermon ou qualquer outro monte terrestre no contexto celestial é o monte de Deus, a dimensão original de onde viemos e por fim, somos nós mesmos , o templo divino, a morada de Deus!

O monte primordial esta aqui e agora em você e é você!

O jardim secreto esta nele e o caminho da árvore da vida idem e portanto você como o monte primordial tem dentro de si tanto a caverna dos tesouros, símbolo de suas vidas na terra procurando a ascensão, quanto o lugar secreto dentro da montanha onde esta a chave para a mesma que é o amor, a energia sexual divina, o encontro do Deus e da Deusa em nós, quanto o jardim a que deves retornar e quando voltares a se alimentar da árvore da vida verdadeiramente uno te tornarás à divindade não por subterfúgios e montes postiços, mas por ti mesmo, monte original entregue de corpo, alma e espírito consagrado ao divino.

Om Shanti Shanti Shanti

Valter Taliesin

VIDEOS SAGRADOS

TCHAIKOVSKI

Concerto para violino

Cello concerto número 1

Paz de Deus

A valsa das flores

Concerto fantasia para piano

Valsa Allegro

FONTE YOUTUBE






FONTE DE IMAGENS GOOGLE

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

A CABALA DA VIDA: O grande código do Jardim Secreto...

CABALA...

Cabala ou Kabbalah, Qabbãlä significa RECEBER e receber o que?

A TRADIÇÃO!

No caso específico em que tratamos, a tradição dos antigos hebreus codificada no Gênesis.

A cabala é o grande código da vida impresso nas páginas da Torah, e no caso em questão veremos a mesma codificada, impressa, no primeiro capítulo do Gênesis.



Vejamos então:

No princípio criou Deus o céu e a terra.
E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.
¶ E disse Deus: Haja luz; e houve luz.
E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas.
E Deus chamou à luz Dia; e às trevas chamou Noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.
¶ E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas.
E fez Deus a expansão, e fez separação entre as águas que estavam debaixo da expansão e as águas que estavam sobre a expansão; e assim foi.
E chamou Deus à expansão Céus, e foi a tarde e a manhã, o dia segundo.
¶ E disse Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca; e assim foi.
E chamou Deus à porção seca Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mares; e viu Deus que era bom.
E disse Deus: Produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente está nela sobre a terra; e assim foi.
E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie, e a árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.
E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro.
¶ E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos.
E sejam para luminares na expansão dos céus, para iluminar a terra; e assim foi.
E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas.
E Deus os pôs na expansão dos céus para iluminar a terra,
E para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas; e viu Deus que era bom.
E foi a tarde e a manhã, o dia quarto.
¶ E disse Deus: Produzam as águas abundantemente répteis de alma vivente; e voem as aves sobre a face da expansão dos céus.
E Deus criou as grandes baleias, e todo o réptil de alma vivente que as águas abundantemente produziram conforme as suas espécies; e toda a ave de asas conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.
E Deus os abençoou, dizendo: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei as águas nos mares; e as aves se multipliquem na terra.
E foi a tarde e a manhã, o dia quinto.
¶ E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis e feras da terra conforme a sua espécie; e assim foi.
E fez Deus as feras da terra conforme a sua espécie, e o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil da terra conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.
¶ E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.
E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.
¶ E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento.
E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento; e assim foi.
¶ E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto.

Gênesis 1:1-31

Assim os céus, a terra e todo o seu exército foram acabados.
E havendo Deus acabado no dia sétimo a obra que fizera, descansou no sétimo dia de toda a sua obra, que tinha feito.
E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera.

Gênesis 2:1-3


Analisemos o texto:

I. 6 foram os dias criativos como 6 é a quantidade da relação, da relatividade, dos relacionamentos.

II. 1 é o dia de descanso como um é Deus!

III. 6 são os Super universos de manifestação e 1 é o Super universo divino !



Estamos portanto diante de 7 Super universos, 7 céus cujo sétimo apesar de aparecer no texto como o último é em realidade o primeiro pois é 'o descanso de Deus' ou seja; o lugar onde esta a própria Presença!

Percebam que o homem surge no dia sexto, se acompanharmos a sequência literal do Gênesis teremos a impressão que o homem foi o último a ser criado mas se analisarmos o código cabalístico de Gênesis veremos que o homem é criado no sexto Super Universo, no sexto céu, o mais próximo do Super universo onde A  Presença se faz mais presente em plenitude!

Portanto no código cabalístico analisamos a criação de perspectiva inversa...cada dia criativo é um super universo, uma dimensão do ser e ela é vista de trás para frente ou melhor dizendo, de cima para baixo, ou mais hermeticamente ainda, do centro para fora. Assim o elemento último que surge é a luz ou seja; na densidade material da terra original vem à luz toda a vida presente nos dias criativos anteriores(posteriores na leitura literal). Elas se manifestam cada uma de suas dimensões do ser para a densidade na matéria mais densa.

Como conceito de expressão de Deus a luz é tanto a primeira como a última coisa que surge é o ALFA E O ÔMEGA, o primeiro e o último!



Visto por qualquer ângulo de leitura a Luz É o primeiro Ente universal! 

Ela esta tanto no primeiro dia criativo ou primeiro super universo ascendente quanto esta no descanso divino, o sétimo super universo ascendente e primeiro descendente.

A leitura sequencial de Gênesis nos fala portanto da perspectiva do humano encarnado em relação a Deus e o código cabalístico inverso nos fala da perspectiva de Deus sobre sua criação.

Ou seja; pela visão humana ela é a árvore do conhecimento do bem e do mal que tanto almejou e agora tem que trilhar entre escolhas e escolha. Da perspectiva divina a árvore da vida, de onde tudo procede desde Si mesmo. até o mais ínfimo dos seres.

O descanso de Deus é perene ou seja, o descanso de Deus fala-nos de sua imutabilidade, de sua infinidade, de sua eternidade, dai porque esta tanto no início quanto no fim da criação divina através do seu grande símbolo de manifestação: A LUZ, O Cristo cósmico, O Messias, O Alpha e Ômega...o Deus unigênito manifesto do seio do Pai/Mãe da vida e que contém em si e a partir de si todas as dimensões do ser e todas as formas que a vida toma, entre elas a principal: ADAM KADMON no sexto mistério, do sexto super universo ascendente e segundo descendente.

O ser humano nasce no sexto céu ou segundo super universo descendente. É criado como um Ser à imagem e semelhança de Deus a partir de seu trono, de sua grande Merkabah, seu super universo de pura luz...O DESCANSO...



A queda da-se para baixo no sentido do espiritual para o material. Não é uma queda consciencial somente, localizada num lugar no espaço/tempo, mas uma densificação progressiva na matéria, do mais sutil ao mais denso. O ser humano ao cair desce das esferas sagradas do segundo super universo descendente, do sexto ascendente para a densidade da matéria profunda no sétimo super universo descendente, na primeira dimensão ascendente.

Dizemos que vivemos em um universo de terceira dimensão...em verdade vivemos em um super universo que contém em si 3 dimensões...o universo mais denso, o nosso portanto, é um universo que coexiste em 3 dimensões do ser.

Sendo assim podemos falar de 7 Super universos ou céus mas concernentes as dimensões do ser já temos portanto 9 e não 7 somente...



Existe mais?

A luz ou Alpha e Ômega expressa tanto no primeiro super universo ascendente quanto no primeiro super universo descendente é em si uma dimensão do Ser...a Luz portanto é por si mesma a décima dimensão do Ser.

E no centro da Luz o que há?

Há o ponto de manifestação do ser divino...Há a décima primeira dimensão do Ser...misteriosa essência da própria luz soberana que inunda todo o sétimo super universo e é ela mesma um mistério à parte neste super universo. Portanto o sétimo super universo ascendente e primeiro descendente também contém em si 3 dimensões do ser...ele, a Luz que nele 'descansa' e o centro de manifestação da Luz(conhecida por ilha paraíso no livro de Urantia) ...

Neste ponto esta contido o mistério da trindade ou de AIN, AIN SOPH E AIN SOPH AUR...PAI, MÃE E FILHO...A FILHA SERIA TODAS AS 11 DIMENSÕES CONJUNTAS, A GRANDE ÁRVORE DA VIDA NOS 7 SUPER UNIVERSOS.



Estas 11 dimensões do Ser são as Sefirot ou seja; o esquema cabalístico conhecido como árvore da vida!

A primeira corresponde à Luz, Alpha e Ômega, é Kether a coroa, a segunda corresponde ao sétimo super universo em si e é Chokmah a Sabedoria, a terceira corresponde ao sexto super universo em si e corresponde a Binah o Entendimento, onde o ser humano original surge, se manifesta do útero da Mãe Suprema, a quarta é a misteriosa D'aath, a Sefirah oculta e representa o ponto central da luz, o grande mistério que nos leva até o grande Imanifesto: AIN, AIN SOPH E AIN SOPH AUR. Depois temos o quinto super universo em Chesed, o quarto em Geburath, o terceiro em Tiphareth(o centro da árvore, dai dizer-se que o paraíso terrestre esta no terceiro céu),o segundo em Netzah e o primeiro em Hod...mas como vimos, tanto o primeiro super universo descendente e sétimo ascendente, quanto o primeiro super universo ascendente e sétimo descendente contém 3 dimensões do ser...o primeiro 3 dimensões do espírito ou da luz, o segundo 3 dimensões da matéria ou trevas...Assim em Yesod esta uma outra dimensão deste sétimo super universo descendente e Malkth em uma outra dimensão.

7 Super universos, 11 dimensões do Ser nestes 7 super universos e 4  mundos(Olamot), ou planos, envolvendo todo este mistério...



1. ATZILUTH ou manifestação, emanação, que são os mundos divinos ou espirituais por excelência e envolvem as sefiroth Kether, Chokmah, Binah e Daath...o mistério de Deus, a Luz da manifestação e os dois primeiros super universos descendentes.

2. BERYAH ou criação, que são os mundos divinos onde o que é espiritual começa a criar usando a matéria, esta ainda em estado bem sutil, e corresponde as sefirot de Chesed ou quinto super universo descendente, Geburath ou quarto super universo descendente e Tiphareth ou terceiro super universo descendente. É o plano mental.

3. YETSYRÁ ou formação, que é onde o que é imaginado no mundo da criação toma forma e corresponde respectivamente a Netzah ou segundo super universo descendente, Hod ou primeiro super universo descendente e terceira dimensão do ser deste e Yesod ou segunda dimensão do ser deste primeiro super universo ascendente. É o plano emocional.

4. ASSYÁ ou mundo da ação, o mundo físico mais denso onde se dá todo o drama da encarnação presente e onde houve pela primeira vez o HAJA LUZ e a LUZ contida no sétimo mistério, no sétimo super universo ascendente se fez visível no sétimo mistério e super universo descendente antes de qualquer conceituação ou luminar visível.



4 portanto é o número que representa toda a criação desde o mundo espiritual até a matéria mais densa. Seu símbolo é a cruz dentro de um quadrado ou a manifestação, o sacrifício da Luz em prol da vida derivativa de si.

7 é o número da perfeição, da plenitude...7 super universos ou céus portanto nos falam da completitude em si mesma de toda a criação...da perfeição suprema de todo o criado, dai que o dia sétimo ou sétimo super universo é o descanso e símbolo supremo desta perfeição criativa cuja expressão mais densa esta no sétimo super universo descendente.

11 é o número da maestria, do grande arquiteto do universo ou seja; o número do criador, daquele que cria, que primeiro se manifesta no plano espiritual, imagina e cria no mundo da criação, da forma às coisas no mundo da formação e dá corpo a estas coisas no mundo da ação. 

É Deus conhecido como ELOHIM ou múltiplos de si mesmo...pode tal nome referir-se tanto ao Criador único e seus atributos, quanto referir-se a tais atributos ou faces divinas(os sete super universos, os sete anjos da Presença) como entidades em si, como manifestações do uno, ou ainda um grupo inumerável de seres que participam em nome do uno e de suas faces de todo o processo de criação universal.



Percebam que 9 vezes o texto diz: E DISSE DEUS, PARA CRIAR TODAS AS COISAS e mais duas: LHES DISSE, quando ordena aos humanos frutificarem e multiplicarem-se(ordem que também envolve todos os animais terrestres) dominando(sendo administradores da vida) a terra... e DIZENDO, quando se refere a frutificação e multiplicação entre os animais marinhos e as aves do céu...enfim, fazendo o que ele fez por elas, cada um por sua espécie....se reproduzindo, criando outras vidas.

O 11 é o grande número de ELOHIM, o grande número que o identifica como G.A.D.U. o criador supremo!!!

Podemos ver aqui inclusive uma manifestação dos 4 elementos originais. Humanos e animais surgem do fogo ou do sexto céu ascendente, ou da imagem, ADAM KADMON...Entretanto há um mistério presente aqui. O homem e os animais terrestres, aquáticos e aéreos surgidos da terra, água e ar simbolizam as 3 dimensões que formam o primeiro super universo ascendente.

O fogo portanto apesar de presente também no mundo tridimensional é um elemento original do sexto mistério, do sexto super universo ascendente e é ele que anima as fagulhas de vida criadas do ar, da água e da terra, é o que penetra nos seres, o fôlego de vida, a alma...seria em si uma espécie de quarta dimensão para nosso mundo, o tempo, e mais ainda; o veículo da ascensão deste. O que implica que TODA forma de vida tem potencial em si para ascender, para ir ao encontro do ALTÍSSIMO...

O ADAM KADMON, criado no sexto céu ou super universo é um Ser que contém em si o mistério de toda vida!

Na leitura literal o homem é o último ser criado, aparece como um coroamento de todo o processo, é uma forma de destacar a qualidade da expressão do Ser, coisa que o ser humano o é, para bem ou mau, em plena potência em relação aos outros seres. Mas como conceito de manifestação, na leitura do código impresso no texto, TODOS os seres vivos estavam contidos em ADAM KADMON quando de sua manifestação no segundo super universo descendente, um integrante do mundo espiritual tanto quanto o sétimo super universo, quanto o mistério da Luz e de seu ponto original de expressão.

Assim quando mais abaixo no capítulo 2 é dito que o homem nomeou todos os animais é uma forma velada do Gênesis dizer que em realidade toda a criação estava contida em potência no homem original, que ele como espelho, Imago Dei do criador continha em si a IDEIA de toda a criação!



Vejamos:

Havendo, pois, o Senhor Deus formado da terra todo o animal do campo, e toda a ave dos céus, os trouxe a Adão, para este ver como lhes chamaria; e tudo o que Adão chamou a toda a alma vivente, isso foi o seu nome.

Gênesis 2:19

Portanto o nomear os animais é um código que revela que no ADAM KADMON original estava contida toda a criação universal e esta Imago Dei expressa no mundo toda esta criação nomeando-as ou seja; doando a todos os seres vivos o fogo primordial, as almas, o elemento evolutivo supremo para que TODA a corrente evolutiva tenha condições de evoluir rumo ao Criador.

Mas este Adam Kadmon contém em si um outro elemento que pertence à esfera do primeiro universo descendente...O ÉTER...um símbolo do Espírito divino...que é um mistério do sétimo céu ascendente no humano. Aquilo que chamamos de PRESENÇA DO EU SOU...O fogo portanto simbolizaria aqui a Alma ou Mônadas de almas, mas o Espírito...é de outra esfera, de pura LUZ...é o Logos em nós.



O Éter é o Logos e o Fogo as Mônadas de almas!

Percebam então o mistério; O ÉTER ou ESPÍRITO, A PRESENÇA EU SOU, é um elemento do sétimo céu ascendente presente no protótipo celeste de ADAM KADMON no sexto céu ascendente...

Como veríamos a evolução?

Todos os seres vivos teriam condições de, advindos de suas mônadas de almas particulares a partir do sexto mistério do Ser ascensionar rumo ao sagrado depois da queda. 

Neste processo o ser partiria do elemento mais elementar da natureza, passando por todos os reinos naturais e num crescente evolutivo atingiria por fim o mistério último da encarnação que seria o sexto céu ascendente onde então finalmente unir-se-ia definitivamente ao ser ascenso, ao elemento do sétimo céu ascendente ou seja: À PRESENÇA DO EU SOU...

Assim nesta leitura do código o ser humano e qualquer outro ser vivo universal possuem almas imortais mas não eternas...a eternidade só será ou não obtida se o ser atingir seu ponto de partida, o sexto céu ascendente, o reino das mônadas, as imagens contidas de toda criação em ADAM KADMON, onde então unir-se-a finalmente  à PRESENÇA DO EU SOU e ai sim, será uno com DEUS, será eterno, participante do imenso oceano infinito de Deus.

Portanto da forma como vejo, os seres vivos tem em si O LIVRE ARBÍTRIO de quererem ou não o dom supremo de Deus que é a vida eterna através da união com a Presença do Eu Sou potencialmente presente em tudo e todos. Deus a meu ver NÃO OBRIGA ninguém a querer evoluir. Se um ser preferir o caos, o elemento indiferenciado, simbolizado no primeiro versículo do texto através da terra sem forma e vazia num profundo e trevoso caos aquoso(como um grande útero) onde a única coisa que se houve é o som do Espírito de Deus(ou seja; uma prova de que o divino apesar de ser um mistério supremo do sétimo céu ascendente esta presente em todas as esferas do ser inclusive no caos original indiferenciado do primeiro céu ascendente, como um vento veemente pairando sobre tudo e todos como se incubasse este caos para fazer nele ou dele surgir a vida). 

Então se este ser preferir a involução à evolução, Deus respeitará sua vontade e este ser voltará sim para Deus mas através do caos indiferenciado, perdendo sua identidade de SER para um não ser elemental básico e como nada se perde na criação, ele será elemento construtor de futuros universos. 

Mas se tal ser opta por evoluir, ele se une a Deus através, não do caos, mas da ordem, e a ordem implica hierarquia, e a hierarquia implica seres que evoluem rumo a um objetivo definido. E este objetivo é a união com Deus finalmente no sexto mistério com o elemento do sétimo mistério(A presença do Eu Sou) e o derradeiro ascender supremo para o centro onde tudo é Deus, o sétimo céu!!! 



ALI TUDO É UM!!!

Quando a Luz através do elemento fogo, surge neste caos aquoso(através do movimento do vento incubador do Espírito divino neste grande útero), vemos que há separação entre trevas e luz, o fogo portanto é o quarto elemento que faltava onde havia terra(sem forma e vazia), água(caos aquoso) e ar(o som do Espírito criativo)...a Luz Suprema, o Alfa e Ômega espiritual do primeiro mistério surge neste sétimo mistério descendente como a Luz mais material do fogo...do fogo primordial que animou em todo o cenário deste grande útero a vida potencial ali presente.

O que temos depois é uma descrição ascendente da manifestação do mistério descendente da Luz ou Logos do Sétimo céu...a Luz surge no caos original e tudo começa ordenar e criar!

Cada dia passa a ser então uma descrição, uma materialização de todo o plano e projeto Adam Kadmon e assim olhando por esta perspectiva tudo começa a partir da luz, do fogo desta, mais material, pulsando dentro do caos original e progressivamente tudo formando, materializando, até que seres vivos e animados começam gradativamente a tomar conta do espaço culminando com o ser humano já então em estado decaído das esferas celestes mas nesta perspectiva de visão evoluindo novamente para o Centro.

Tudo depende da leitura que se faça, uma leitura literal só nos revela uma lenda, um mito que para muitos soa risível, mas embutido nestas letras tão simples podemos ver o mistério DO UM se tornando MÚLTIPLOS e do TODO se expressando como TUDO através de ADAM KADMON a IMAGO DEI, nascido do ÚTERO SAGRADO DE BINAH o sexto céu, do primeiro mundo espiritual...ATZILUTH...

Sendo assim o que encontramos por exemplo, naquele que é conhecido como segundo relato da criação e por muitos como o relato javista(o primeiro seria o eloísta)?

Yahveh Elohim, o Elohim original e múltiplo particulariza-se no Yahveh que contém em si o nome do homem - YaH e da mulher - eVeH. É esta uma descrição resumida da criação e principalmente aquilo que ficou conhecido como separação dos sexos ou a dualidade original se expressando no mundo.

No primeiro relato Deus cria ADAM KADMON como macho e fêmea, homem e mulher, no segundo relato Ele separa em dois o ser original.



Vejamos as diferenças:

E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.
E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.


Gênesis 1:26-28

Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar;
E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão.
E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada.
Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.

Gênesis 2:21-24

Como já foi dito em outros textos escritos desta série, existem várias interpretações deste mito; um explica por exemplo, que houve uma criação original onde homem e mulher foram criados conjuntos...esta mulher seria a mulher original(Lilith) e depois nasce uma cisão entre ela e o homem e esta parte, abandonando-o. Dai é criada da costela de Adão uma outra mulher, feita da costela para simbolizar uma união e uma dependência um do outro mais plena e esta mulher(Eva) assume o lugar da outra que agora se torna um demônio. 
Outra visão simplesmente vê aqui a descrição do primeiro humano como hermafrodita e depois sendo separado em duas entidades sexuais distintas. Nesta visão, a cisão Adão e Lilith pode ter sido uma espécie de conflito interior deste humano original, entre suas duas partes constitutivas que de uma unidade original passa a conflituar levando finalmente a divisão dos sexos(mas um resíduo do feminino pulsa dentro do homem e um resíduo do masculino pulsa dentro da mulher conhecidos atualmente como feminino e masculino interior). Portanto Eva seria simplesmente Lilith separada de Adão... nada mais.

Por isto como entendemos quando o texto diz que Deus viu tudo o que havia feito e que seria muito bom? Como encaixar nisto a teoria do hermafrodita que se divide em dois ou de dois humanos originais que criados conjuntos conflituam entre si, neste contexto de BOM da criação?



SIMPLES!

A bondade não implica em perfeição mas na busca da mesma!

A bondade fala de um universo em busca da perfeição, em busca da evolução, em busca de Deus!

Por isto que tudo que Deus criou era bom!

Porque tudo continha em si o potencial de crescer, de evoluir ou não! De interagir ou não! De permanecer ou até retroceder para o caos original...de expandir-se, crescer na ordem universal, na hierarquia da vida rumo a unificação final com o divino, a luz do Eu Sou ou optar por simplesmente deixar de ser e unificar-se as trevas eternas que nada mais são que o canteiro de obras, o útero sagrado do Espírito divino ali também presente.

Por fim resta-nos dizer que o mistério numérico aqui ainda é mais profundo ainda!

Na realidade em cada um dos sete super universos existe uma árvore da vida ou seja, um mistério de 7 contido dentro de 1!

Assim o nosso sétimo céu ascendente seria o primeiro céu ascendente de uma realidade ainda maior sobre ele e assim sucessivamente até chegar-se ao ponto original de manifestação.

Portanto dentro de cada 7 haveria outros 7 contendo suas 11 dimensões e seus 4 mundos de expressão!!!



Ou seja:

No princípio criou ELOHIM os céus e a terra.

O que é este princípio?

O centro, o ponto central de manifestação de ELOHIM!

Mas Elohim é múltiplo ou seja, do ponto central flui a multiplicidade do todo ou o tudo!

O Todo é o potencial pleno de Ser, o Tudo é este Ser em constante expansão!



Assim numericamente temos:

1. O 1 ou um ponto que forma um círculo de manifestação!

2. Este círculo ou centro de manifestação contém em si o 4 da expressão dos mundos através da sagrada cruz branca desta manifestação!

3. Este 4 contém em si o mistério do 7 da perfeição e completitude divina criativa simbolizada nos sete céus ou super universos manifestos!

4. Nesta cadeia de 7 super universos há 11 dimensões do ser que representam em si o poder criativo do criador, o mestre supremo do universo!

Somando-se este percentuais o que temos?

5. O 1, o ponto de manifestação, emanação divina manifesta a vida como uma sequência de ondas de vida, ou círculos concêntricos.

6. Desde o primeiro circulo em diante contém-se os mesmos 4 mundos de expressão, 7 super universos repartidos em cada um destes mundos e 11 dimensões neles.

7. Teríamos assim 28 mundos de expressão, somando-se temos 2+8= 10 = 1 Ou seja; toda a expressão retorna ao UM ORIGINAL e a criação é este um com o 0 do ilimitado atrás de si ou 10! Deus é 1 o universal é 10!

8. Teríamos assim 49 super universos ou seja; o número de rondas evolutivas que diz o esoterismo, existe na criação...4+9 =13 = 4...Portanto o 49 torna-se no 13 ou seja; o centro ou ponto central manifesto através dos 12 signos zodiacais que simbolizam 12 raios de expressão dos mundos de expressão pois em seguida o que encontramos? 

O 4 dos mundos de expressão...

Os 7 super universos portanto somados nesta manifestação de árvore dentro de árvore traduz os 4 mundos de expressão de Deus, o símbolo de toda a criação!

9. Teríamos 77 dimensões do ser dentro deste mistério sagrado da expressão divina! 7+7 = 14 = 5 !!!

Estamos aqui diante do número da perfeição superlativada por 7 ou seja; por si mesmo!

Encontramos o 14, este é um número interessante pois expressa no tarô a Arte criativa enquanto o 7 expressa o carro evolutivo, o 4 o imperador do domínio universal e o 1 o mago ou o grande mestre criador.

14 também simboliza como vemos, a soma de dois 7 ou seja; do masculino e do feminino  plenos em si mesmos. Da dualidade que se torna uma unidade...esta unidade é expressa aqui não como Deus o ponto de origem, o 1, mas como 5...o número do Cristo Cósmico, de Adam Kadmon, da Imago Dei, do Unigênito de Deus...o próprio simbolo da evolução universal...do humano com os braços abertos como uma estrela de 5 pontas(a estrela de 6 pontas simboliza este mesmo humano sendo criado no sexto dia ou seja; no sexto super universo ascendente, bem como todos os seis super universos cujo ponto central é o sétimo).
E mais, existem 10 Sefiroth reveladas e 1 velada. Aquilo que é traduzido como 'caminho de retorno' da alma ao Ser é chamado de caminhos da sabedoria...e são em número de 22, ligando as sefiroth ou seja; um múltiplo do 11, das 11 Sefiroth, incluso a oculta...estes 22 caminhos somados as 10 sefirot reveladas dão 32...3+2=5...o número sagrado do homem universal, do Cristo Cósmico...se somarmos ai a sefirat oculta teremos 33 o número da iniciação suprema!!! E 3+3=6 o número do sexto mistério, do mundo original de ADAM KADMON, o mundo das mônadas sagradas!



Em suma; as árvores contidas dentro de árvores até completarem um esquema de 7 nos revelam que em verdade a partir do centro de manifestação a probabilidade de mundos de expressão, de Super universos e de dimensões são...INFINITAS...SEMPRE CRESCENTES...ou seja; não interessa quantos mundos de expressão existem no momento, quantos super universos, quantas dimensões...haverá sempre a possibilidade de expansão, de manifestação de novas árvores dentro de árvores! Pois estes número acima contém o poder em si de simbolizar mais que um estado estático, um estado dinâmico, sempre expansivo descendente para novas formas de criação surgirem, e sempre ascendente para as mesmas regressarem e por fim se unificarem com DEUS!!!

É realmente um mistério vasto, profundo, inimaginável para nossa mente e imaginar que este processo será sempre em duas mãos ou seja; descendente e ascendente nos mostra que aquele Ser que deseja deixar de ser poderá realmente ter seu desejo satisfeito pois não evoluirá rumo ao UM, à unificação com A Presença Eu Sou em si mas se tornará na matéria básica da criação de novos mundos de expressão, de novos super universos, de novas dimensões no infinito caos original ou útero trevoso onde paira eternamente o Espírito do Criador criando, destruindo e recriando os mundos, os super universos, as dimensões!

Deus, ELOHIM, se revela próximo, tão próximo de nós neste texto a ponto de dizer...EU ESTOU EM TI...e por outro lado demonstra uma vastidão, uma infinitude tão imensa que só podemos realmente estar NELE quando fizermos nós mesmos o caminho de retorno...ou seja; 



O ESTAR DE DEUS EM NÓS E EM TODAS AS COISAS É UMA REALIDADE, MAS O TORNAR-SE UNO COM DEUS É UM ATO DE VONTADE DA CRIAÇÃO EM BUSCA DESTA UNIDADE QUE ESTA SEMPRE PRESENTE!

Deus esta aqui e agora, em meio a esta crueza dolorosa que forjamos para nós através de nossas escolhas, mas Ele só se manifesta em e para quem realmente deseja ser UM com Ele!!! 

Tentamos aqui passar o máximo que pudemos apreender da Cabala da vida neste texto. Sabemos que só ARRANHAMOS a sola do mistério se tanto. Mais e melhores comentários poderão ser feitos. E novas coisas descobertas, até por nós mesmos em futuro próximo, pois no estágio em que estamos SEMPRE estaremos a descobrir um pouco mais do velado quando nos abrirmos mais e mais a isto!





OM SHANTI SHANTI SHANTI

Valter Taliesin 


VÍDEOS SAGRADOS

David Arkenstone - Celtic gardem - álbum



Arvo Part - Kanon Pokajanen - álbum


Áureo Corrá - Laize Om - álbum



Diane Arkenstone - Aquária - álbum



Marcus Viana - Sete vidas, amores e guerras - álbum



Fortuna - Shalom Aleichem - álbum



Fonte Youtube







FONTE DE IMAGENS GOOGLE