Google+ Badge

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Deuses(as) Urânicos(as) e Ctônicos(as)!

Praticamente em todas as mitologias antigas vemos a presença de seres divinos ligados aos Céus(urânicos) e à Terra(ctônicos).

Tais entidades, hipostases sagradas do Grande Uno manifesto como Pai/Mãe, regeram por milênios a vida dos povos até a chegada do monoteismo monocromático puro(entretanto algumas correntes exposam que originalmente a humanidade seria monoteista só se tornando politeista qdo se afastou da fonte original de ensinos) a partir do ano 325 d.c, com seu paladino prior o Cristianismo e fortalecido com o advento do Islamismo após 600 d.c.
As duas correntes tendo sua origem no Judaismo implantado por Moisés a partir de 1440.c mais ou menos segundo certas correntes de estudiosos.

Contudo algumas divindades se confundiam em seus atributos tanto celestes qto terrestres.

Osiris por exemplo; era identificado tanto com a constelação de Orion(portanto urânico)qto como o Senhor do Submundo , do mundo dos mortos.

Zeus era o senhor dos raios e dos céus mas ao mesmo tempo tinha sua origem em uma caverna de Creta.

Cronos ou Saturno era o Senhor do tempo mas tb o Senhor da era de ouro, governante do paraiso grego , portanto presente no submundo espiritual ou um reino dos mortos encravado no interior da terra.
Sendo que tal região ficava para o nossos lado, em direção às Américas.

Geralmente as Grandes Deusas Mães eram ctônicas como Gaia,Réia,Demeter, Cibele,Asherá. Outras como Isis eram associadas aos céus, no caso dela a Sirius, mas como esposa de Osiris devia ser tb Senhora do Submundo.
Na mesma situação dela temos Hathor,Diana/Artemis,Senhoras da Lua mas tb ligadas à natureza terrestre, aos animais etc...Nuit por sua vez era no próprio nome uma deusa urânica já que era a manifestação do céu.

Quetzalcoatl/Kukulkan nas Américas tanto era ctônico(Serpente, Senhor do Submundo)qto urânico(emplumada ,Pássaro, Senhor de Vênus).

Odin e Thor tb mesclavam suas atribuições; o mesmo Odin Senhor das altas esferas recebera seu conhecimento de Yggdrasill a árvore no centro do mundo.
Thor apesar de Deus do trovão era filho de Odin com a Deusa da Terra.

Por fim o Shiva hindu era tanto Senhor da Natureza qto o Gde dançarino cósmico recriador do Universo.

Era enfim um mundo fantástico, onde cd manifestação natural era encarada ou como manifestação divina(no caso monoteista) ou como hipostases divinas(no caso politeista)!

Muitos inclusive alegam que as guerras religiosas na verdade começaram com o advento do monoteismo e suas exclusividades em relação a Deus Y ou X...não sei; guerras sempre existiram , povos sempre se conquistaram e isto vem e é bem anterior ao advento do monoteismo!

O que difere contudo é que para os politeistas os deuses e deusas de outras nações não seriam falsos deuses ou demônios como depois passou a ser entendido pelo monoteismo mas divindades rivais!

Eu particularmente sou monoteista ou seja;crêio num Único Transcendente de onde tudo promana mas que inicialmente se manifesta a nós( e entendo o ato da manifestação como devéras importante) como Pai/Mãe.

Entretanto tb aceito tranquilamente que desta Unidade original(Divindade Transcendente) e depois paternidade/maternidade manifesta(Divindade Emanente) tenha-se originado miríades de sêres ligados as forças criativas da vida ou hipostases das mesmas(Divindade Imanente) em escala descendente e que quer por imaturidade da humanidade em entendê-las apenas como manifestações multifacetadas do Gde Uno, quer por facilidade de assimilação gradual deste Uno em primeiro se ver tds as partes ou Deus em manifestação primeiro para depois se chegar a Origem, ou até no caso; de ter-se uma origem monoteista, uma religião original e....um afastamento gradual de uma antiga revelação...tornado para eles divindades particularizadas,muitas delas rivais, muitas ligadas tanto a luz qto as trevas.

Mas hj em dia é gostoso ver a humanidade ou pelo menos parte dela tentando com sinceridade ver o Divino com olhos mais inclusivos e menos dogmáticos quer em crenças onde Ele ou Ela é visto em suas multifacetudes manifestas quer visto como é;em sua Origem ou seja; A Origem Una de tds as coisas!

Não crêio que são visões incompatíveis mas complementares qdo compreendidas como metáforas,analogias, figuras, simbologias de algo que nossa compreensão apenas resvala e que pd ser vivenciada na plena liberdade do Sêr seja de que forma for se existir quer no pagão quer no monoteista ...a sinceridade da busca e o respeito pelo Divino,pela Vida e pelo Outro e suas escolhas acima de td!

Abs.

Valter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário