Google+ Badge

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

OS QUERUBINS E A ESPADA INFLAMADA, PROTETORES DO CAMINHO DA ÁRVORE DA VIDA NO JARDIM SECRETO...

Continuando nossas meditações sobre este mito fascinante do Éden vamos penetrar um pouco no mistério dos querubins protetores logo após a tal queda dos humanos.


Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente,
O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado.
E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida.


Gênesis 3:22-24

Os querubins são conhecidos na mitologia por simbolizarem seres híbridos. São entidades ditas angélicas mas com formatos mistos entre humano e animal.

Neste sentido os deuses egípcios por exemplo, com suas feições mistas entre humano e animal seriam querubins.

Vejamos outros textos onde estas entidades aparecem de forma mais descritiva:


Olhei, e eis que um vento tempestuoso vinha do norte, uma grande nuvem, com um fogo revolvendo-se nela, e um resplendor ao redor, e no meio dela havia uma coisa, como de cor de âmbar, que saía do meio do fogo.
E do meio dela saía a semelhança de quatro seres viventes. E esta era a sua aparência: tinham a semelhança de homem.
E cada um tinha quatro rostos, como também cada um deles quatro asas.
E os seus pés eram pés direitos; e as plantas dos seus pés como a planta do pé de uma bezerra, e luziam como a cor de cobre polido.
E tinham mãos de homem debaixo das suas asas, aos quatro lados; e assim todos quatro tinham seus rostos e suas asas.
Uniam-se as suas asas uma à outra; não se viravam quando andavam, e cada qual andava continuamente em frente.
E a semelhança dos seus rostos era como o rosto de homem; e do lado direito todos os quatro tinham rosto de leão, e do lado esquerdo todos os quatro tinham rosto de boi; e também tinham rosto de águia todos os quatro.
Assim eram os seus rostos. As suas asas estavam estendidas por cima; cada qual tinha duas asas juntas uma a outra, e duas cobriam os corpos deles.
E cada qual andava para adiante de si; para onde o espírito havia de ir, iam; não se viravam quando andavam.
E, quanto à semelhança dos seres viventes, o seu aspecto era como ardentes brasas de fogo, com uma aparência de lâmpadas; o fogo subia e descia por entre os seres viventes, e o fogo resplandecia, e do fogo saíam relâmpagos;
E os seres viventes corriam, e voltavam, à semelhança de um clarão de relâmpago.
¶ E vi os seres viventes; e eis que havia uma roda sobre a terra junto aos seres viventes, uma para cada um dos quatro rostos.
O aspecto das rodas, e a obra delas, era como a cor de berilo; e as quatro tinham uma mesma semelhança; e o seu aspecto, e a sua obra, era como se estivera uma roda no meio de outra roda.
Andando elas, andavam pelos seus quatro lados; não se viravam quando andavam.
E os seus aros eram tão altos, que faziam medo; e estas quatro tinham as suas cambotas cheias de olhos ao redor.
E, andando os seres viventes, andavam as rodas ao lado deles; e, elevando-se os seres viventes da terra, elevavam-se também as rodas.
Para onde o espírito queria ir, eles iam; para onde o espírito tinha de ir; e as rodas se elevavam defronte deles, porque o espírito do ser vivente estava nas rodas.
Andando eles, andavam elas e, parando eles, paravam elas e, elevando-se eles da terra, elevavam-se também as rodas defronte deles; porque o espírito do ser vivente estava nas rodas.
E sobre as cabeças dos seres viventes havia uma semelhança de firmamento, com a aparência de cristal terrível, estendido por cima, sobre as suas cabeças.
E debaixo do firmamento estavam as suas asas direitas uma em direção à outra; cada um tinha duas, que lhe cobriam o corpo de um lado; e cada um tinha outras duas asas, que os cobriam do outro lado.
E, andando eles, ouvi o ruído das suas asas, como o ruído de muitas águas, como a voz do Onipotente, um tumulto como o estrépito de um exército; parando eles, abaixavam as suas asas.
E ouviu-se uma voz vinda do firmamento, que estava por cima das suas cabeças; parando eles, abaixavam as suas asas.
E por cima do firmamento, que estava por cima das suas cabeças, havia algo semelhante a um trono que parecia de pedra de safira; e sobre esta espécie de trono havia uma figura semelhante a de um homem, na parte de cima, sobre ele.
E vi-a como a cor de âmbar, como a aparência do fogo pelo interior dele ao redor, desde o aspecto dos seus lombos, e daí para cima; e, desde o aspecto dos seus lombos e daí para baixo, vi como a semelhança de fogo, e um resplendor ao redor dele.
Como o aspecto do arco que aparece na nuvem no dia da chuva, assim era o aspecto do resplendor em redor. Este era o aspecto da semelhança da glória do Senhor; e, vendo isto, caí sobre o meu rosto, e ouvi a voz de quem falava.


Ezequiel 1:4-28

Neste texto de Ezequiel os querubins não são chamados assim, mas de ANIMAIS VIVENTES, entretanto a convenção tradicional os associa diretamente aos querubins.

Se observarmos toda a visão de Ezequiel estes seres parecem mais partes, engrenagens de uma enorme Merkabah, ou Vimana celeste que conduz Aquele que Ezequiel identifica como...O SENHOR...

Entretanto em outro texto estes seres aparecem como entidades vivas...


E havia diante do trono um como mar de vidro, semelhante ao cristal. E no meio do trono, e ao redor do trono, quatro animais cheios de olhos, por diante e por detrás.
E o primeiro animal era semelhante a um leão, e o segundo animal semelhante a um bezerro, e tinha o terceiro animal o rosto como de homem, e o quarto animal era semelhante a uma águia voando.
¶ E os quatro animais tinham, cada um de per si, seis asas, e ao redor, e por dentro, estavam cheios de olhos; e não descansam nem de dia nem de noite, dizendo: Santo, Santo, Santo, é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, que era, e que é, e que há de vir.


Apocalipse 4:6-8

Imagens destas entidades foram forjadas em cima da arca da aliança, talvez o mais famoso artefato místico e mítico da História(seu grande rival pelo posto é o Santo graal) pelos artífices escolhidos por Moisés para fazê-la...


Também farão uma arca de madeira de acácia; o seu comprimento será de dois côvados e meio, e a sua largura de um côvado e meio, e de um côvado e meio a sua altura.
E cobri-la-á de ouro puro; por dentro e por fora a cobrirás; e farás sobre ela uma coroa de ouro ao redor;
E fundirás para ela quatro argolas de ouro, e as porás nos quatro cantos dela, duas argolas num lado dela, e duas argolas noutro lado.
E farás varas de madeira de acácia, e as cobrirás com ouro.
E colocarás as varas nas argolas, aos lados da arca, para se levar com elas a arca.
As varas estarão nas argolas da arca, não se tirarão dela.
Depois porás na arca o testemunho, que eu te darei.
Também farás um propiciatório de ouro puro; o seu comprimento será de dois côvados e meio, e a sua largura de um côvado e meio.
Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório.
Farás um querubim na extremidade de uma parte, e o outro querubim na extremidade da outra parte; de uma só peça com o propiciatório, fareis os querubins nas duas extremidades dele.
Os querubins estenderão as suas asas por cima, cobrindo com elas o propiciatório; as faces deles uma defronte da outra; as faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório.
E porás o propiciatório em cima da arca, depois que houveres posto na arca o testemunho que eu te darei.
E ali virei a ti, e falarei contigo de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre a arca do testemunho), tudo o que eu te ordenar para os filhos de Israel.


Êxodo 25:10-22

Analisando tais textos chegamos a algumas conclusões:

1. Tanto em Ezequiel quanto na Arca da Aliança os querubins parecem ser imagens forjadas em equipamentos...um de voo, a tal Merkabah com a qual se manifesta o Senhor a Ezequiel, e uma como se fosse um comunicador sobre a arca...o Senhor falaria com Moisés e o povo... por entre os querubins da arca.

Portanto, literalmente se vistos tais textos, estamos diante de objetos, de mecanismos usados por entidades supra humanas para se locomoverem, se manifestarem e falarem com os humanos. Nada divino diríamos. Mas como sabemos, as leituras de tais textos são muito mais profundas do que a mera literalidade.

2. No texto de Apocalipse os tais animais viventes são descritos como se fossem entidades vivas que louvam constantemente diante do Senhor. 

Sinceramente não sei porque o Deus todo poderoso necessitaria de tanta bajulação, mais perfeita para um ser de ego monstruoso do que para o Senhor de toda a vida, assim, mais uma vez um outro tipo de leitura que não a literal me parece mais condizente com a grandeza real de Deus no texto.

3. Os querubins em realidade protegem o Oriente, não o caminho para a árvore da vida, esta tem em torno de si uma espada flamejante e animada que a circunda em velocidade assustadora não permitindo que nada, nem ninguém chegue até ela. 

Os querubins portanto parecem proteger a entrada do jardim secreto enquanto a espada o caminho da árvore da vida.

Esta espada sempre é associada à Palavra Divina, ao poder desta palavra em penetrar até as mais profundas divisões humanas dos corpos que nos formam, ao poder de criar, ao poder de recriar e proteger nossas vidas e daqueles pelos quais a invocamos e se mostram dignos  e realmente necessitados de sua ajuda.

Aqui contudo ela esta bloqueando o caminho da vida , da árvore da vida para os humanos que não se mostrarem dignos. 

Ela aqui é uma verdade de iniciação! 

Uma verdade de revelação que somente obtém o que for digno...

Seu maior símbolo no mito bíblico é a famosa  'espada do Espírito' do guerreiro da luz, do livro de Efésios citada por Paulo, e fora da Bíblia não existe maior símbolo ou mais famoso que EXCALIBUR! 

A espada real e sagrada do poder, força, vontade, verdade e justiça divinos doadas aos reis pelo mundo supra dimensional de AVALON e estando a favor destes enquanto se mostrassem dignos. Reza uma lenda que ela foi tomada dos druidas por César que a levou para Roma, enquanto lá esteve e o império foi forte e pujante tudo prosperou, mas assim que se mostrou indigno o poder de Excalibur se voltou contra ele destruindo-o finalmente. Mas então foi levada para as ilhas britânicas pela última legião e pelo último descendente imperial e acabou virando o mito que conhecemos associada intimamente à dama do lago, a Merlin e a Arthur, Camelot e seus cavaleiros da Távola redonda.


Voltando aos querubins...

Como disse, tais seres híbridos já aparecem na mitologia egípcia e não só nela mas na hindu e outras mais e principalmente na mais antiga das conhecidas civilizações antigas: A SUMÉRIA...




O que seriam exatamente os querubins?

Talvez um outro texto de Ezequiel, associado pelos estudiosos à Lúcifer antes de sua queda defina isto:

Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor DEUS: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura.
Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados.
Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas.
Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti.
Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas.
Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti.
Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem.
Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; em grande espanto te tornaste, e nunca mais subsistirá.


Ezequiel 28:12-19


Reparem que Ezequiel fala com o soberano humano de Tiro mas a certa altura este soberano passa a exemplificar um ser oculto, o verdadeiro poder oculto por trás das atitudes do soberano. 
A primeira coisa que descobrimos é que esta entidade ESTAVA NO ÉDEN e o texto diz: PARA COBRIR...como vimos, A serpente do jardim é associada a Lúcifer pelos estudiosos assim como este querubim, portanto o termo COBRIR, a meu ver descrever uma espécie de proteção, que este ser deveria exercer sobre o jardim secreto e toda a montanha sagrada onde o jardim estava.

O termo 'cobrir' também pode definir o que depois aconteceu na questão da árvore do conhecimento do bem e do mal pois se entendermos tal serpente como mera tentadora estaria aqui a tal iniquidade que foi achada nela quando da queda humana. Assim tanto este querubim, quanto o homem foram lançados fora do jardim conjuntamente. Um por corromper e o outro por ser corrompido.

Mas como disse em outros textos, estamos diante de textos difíceis, textos que se aceitos literalmente mais depõe contra o conceito de Deus do que favorecem.

Vistos literalmente todos estes textos apresentam uma divindade egocêntrica, ciosa de seu poder como se alguém pudesse de fato tirá-lo dela, dependente de mecanismos para se locomover, dependente de bajulação perene para se sentir bem, algo ou alguém que você tem que andar como se caminhasse sobre cacos pois um escorregão e ela já te descarta impiedosamente...enfim, estamos diante de tudo menos de alguma coisa que pudéssemos entender como: 

ONISCIENTE, ONIPRESENTE, ONIPOTENTE, ETERNA, IMUTÁVEL, ILIMITADA, TRANSCENDENTE...


Não admira os gnósticos verem nela um demiurgo criador e não a verdadeira divindade e pior; este demiurgo é o verdadeiro decaído, o verdadeiro alienado de toda esta história!

Mas será que seria realmente justo com o texto fazer este tipo de leitura ou ele merece algo mais profundo?

Então entendo que outras leituras como já cansei de falar nos textos anteriores devam ser feitas. Leituras que sejam mais justas tanto com a visão de Deus quanto com o ser humano em geral, e até com este ser, supostamente responsável por nossa queda.

O querubim ungido definitivamente estava no jardim para proteger, cobrir...

Sua função era cuidar do jardim...



Internamente o querubim ungido me parece associado ao nosso terceiro olho, aquele que em algum momento de nossa evolução deixou de cobrir, de nos proteger, de nos lembrar das coisas sagradas, do louvor incessante ao sagrado em nós que é um símbolo em verdade da constante comunhão, unicidade entre o divino e o humano. O louvor contínuo dos querubins, dos animais viventes diante do senhor portanto, longe de ser um símbolo de bajulação é um símbolo da continuidade da relação entre a criação e o criador...o ato de louvor contínuo é assim um símbolo de UNICIDADE entre Deus e todas as formas de vida.

Eles cobrindo a arca da aliança simbolizam a mesma função exercida pelo querubim ungido no Éden, COBRIR, PROTEGER, a arca era supostamente um mecanismo que simbolizava a presença divina no arraial israelita e era também o canal de comunicação entre Deus e seu povo.

Desta forma a arca da aliança também é um símbolo do terceiro olho nos humanos, o local protegido pelos querubins, o local onde nos comunicamos com o sagrado e ele se manifesta em nós.

Entretanto será que os estudiosos estão certos em associar Lúcifer a este querubim ungido?


Será que não poderíamos aqui fazer uma outra leitura?

Se o profeta fala ao rei de Tiro como se fosse este querubim será que em verdade o rei de Tiro não simboliza o próprio... ADÃO?

E este querubim ungido nada mais seja que o ser humano em um estado anterior ao encarne físico, densificado na matéria extrema?

Será que a descrição do corpo glorioso do querubim, daquilo que lhe cobria, não define o corpo dimensional do humano original naquele lugar paradisíaco?

Pois Gênesis nos diz que cuidar do jardim era uma atribuição HUMANA, não angélica, portanto seria este querubim de fato o homem e a mulher?


Penso que esta leitura seria até mais interessante e justa do que se víssemos nela Lúcifer como fazem os teólogos.

O querubim criado para proteger e cuidar do jardim, o ser celeste que era o ser humano de então cai, queda-se, e dai é lançado FORA do jardim...toda a cena descrita pelo profeta LEMBRA a expulsão dos humanos do Éden, não de Lúcifer.

E o que acontece após esta expulsão?

DOIS QUERUBINS SÃO COLOCADOS NO ORIENTE, NA ENTRADA DO JARDIM PARA PROTEGÊ-LO E UMA ESPADA FLAMEJANTE CIRCUNDA SEM CESSAR A ÁRVORE DA VIDA IMPEDINDO O ACESSO ATÉ ELA.


Cai o homem e duas outras entidades descritas como querubins, assumem seu lugar para cuidar, zelar e cobrir do jardim secreto e mais, uma espada flamejante lhes assessora no processo.

Vimos na visão de Ezequiel que estes seres aparecem com faces quadruplas: Humano, Leão, Boi e Águia...e em Apocalipse ao contrário, cada um deles tem uma feição destes 4 seres sendo cobertos por olhos por todo o corpo.

Seja qual for a realidade 'física' destes seres estamos mais diante de uma imagem representativa de mistérios ocultos que coisas literais.

Os querubim simbolizam toda a criação: no rosto do humano, no rosto do leão, no rosto do boi, no rosto da águia podemos ver os 4 pontos cardeais e os 4 principais símbolos zodiacais: aquário(homem), boi(touro), leão(leão) e águia(escorpião, visto em antigas tradições também quer como águia ou como serpente) ou seja; todos os seres vivos, de todas as dimensões existentes!

Independente de serem 4 seres com 4 rostos ou 4 seres cada um com um tipo de rosto, a imagem que eles representam é do tudo, de toda a criação universal e os olhos na frente e por trás um símbolo flagrante do que quero exemplificar...


O TERCEIRO OLHO, OU OLHO DE HÓRUS, O OLHO DE SHIVA, O OLHO DE DEUS...

Os querubins são o Olho divino em ação tanto no humano quanto em todas as coisas...onisciente, onipresente, onipotente, eterno, imutável, ilimitado...

No humano ele esta atrofiado após a queda e dois querubins guardam a entrada do jardim(o terceiro olho) e uma espada flamejante o caminho da árvore da vida( a unicidade com Deus) neste...

A partir de então o retorno ao jardim secreto torna-se cada vez mais difícil e iniciações sagradas, senhas secretas, são necessárias para que o humano passe pelos querubins, entre no jardim e mais a frente, vença a espada flamejante e chegue finalmente à árvore da vida. 

O antigo querubim ungido, expulso do jardim, se o humano for, terá portanto um longo caminho de volta.


A Merkabah, a carruagem vista por Ezequiel portanto é um símbolo da própria Merkabah humana, do corpo glorioso que nos possibilita viajarmos entre dimensões e finalmente o lugar mais secreto de Deus em nós mesmos.

Muitos veem aqui uma nave alienígena, bem, literalmente eu concordaria com eles, não há muito o que discutir, mas nos mundos interiores que é realmente onde acontecem os encontros e as visões como estas de Ezequiel, a realidade é bem outra; ali elas são símbolos de verdades abstratas que a mente humana não consegue apreender literalmente por isto há a necessidade do símbolo, da figura, da alegoria, da analogia, da metáfora...

Hoje em dia não só cristãos fundamentalistas fazem leituras literais dos textos bíblicos mas ateus fazem o mesmo e defensores de teorias aliens idem, claro que cada um com propósito diverso um do outro, mas sinceramente creio que tais textos tenham mais sentido como descrevi aqui, como verdades interiores tanto no homem quanto nos mundos e dimensões espirituais do que coisas exteriores.

Deus não necessita de louvor contínuo de ninguém mas o louvor contínuo é um SÍMBOLO, uma METÁFORA, uma FIGURA, uma ANALOGIA, uma ALEGORIA da UNICIDADE entre todas as formas de vida(simbolizadas nas feições dos querubins) e o divino, e isto é corroborado pelos olhos que cobrem tais criaturas, como o olho divino, o olho de Hórus, o olho de Shiva...o olho que tudo vê...


Os querubins guardam a entrada, cobrem o jardim protegendo-o ou seja, o terceiro olho e a espada revolve em torno da árvore da vida no jardim ou seja, no coronário, impedindo os indignos de acessarem sua divindade sem total transformação...

Assim um mago trevoso consegue ATÉ passar pelos querubins e adentrar o jardim mas dana-se na hora de passar pela espada sagrada de fogo flamejante que circunda a árvore da vida. 

Dai que um mago trevoso poder ser realmente extremamente poderoso, poder até se travestir em 'anjo de luz' e enganar a muitos(o despertar de forma equivocada do terceiro olho) mas não consegue jamais ter acesso à árvore da vida ou...
À UNICIDADE COM DEUS pois para isto há que se ter dentro do coração uma qualidade básica que lhes falta...


O VERDADEIRO AMOR!!!

A UNIÃO SAGRADO DO DEUS E DA DEUSA EM NÓS ATRAVÉS DO AMOR PLENO!!!

A CHAVE SECRETA PARA A ÁRVORE DA VIDA!!!


Paz e Bem!

Valter Taliesin

VÍDEOS SAGRADOS

Musicas dos anjos - Musica new age













FONTE YOUTUBE







FONTE GOOGLE IMAGENS

Nenhum comentário:

Postar um comentário