Google+ Badge

segunda-feira, 7 de março de 2011

A desinibida do Tribunal...

Da série.... crônicas da vida de um funcionário público...rs!




Era uma sexta feira gloriosa...


Nove horas da manhã, primavera... e já um delicioso dourado solar iluminava os céus de um azul profundo com desfiles brancos que mais pareciam ovelhas saltitantes que nuvens.
Uma brisa fresquinha de vez enquando passava refrigerando a vida de todos os passantes e dando alento para quem de repente pudesse ter tido uma noite de sono mau dormida.... 



....QUANDO ELA SURGIU....

Saindo de uma estreita vielinha, nem de rua da para chamar, lá vinha ela toda garbosa, rebolativa e cheirosa...mestra na arte de encantar e seduzir, exemplo maior da mulher sexy, femme fatale,vamp ou seja lá os nomes que adoram os humanos dar para suas mais mortíferas e inebriantes fêmeas!
Caminhava ela entaõ com a graça de quem tudo quer mas não é de ninguém aqueles passinhos repletos de autodomínio , aquele bamboleio cheio de promessas mas distante de compromissos.
Passou pela banca de jornal e revistas, chegou no farol, mexeu nos cabelos bastos e não dava pinta nenhuma que notava que todos os marmanjos e garotas que gostam de outras garotas babavam diante de sua visão cinematográfica.
Morena clara, com os cabelos tingidos de loiro artificial, entretanto não ficara disforme, falsa, como outras que se vê por ai.....interessante como o tom dourado próprio de quem nasceu assim nela contudo caia como uma luva.
Mulher com cara de menina não transparecia os 25 anos que tinha mas muito menos,.

Corpo perfeito , pernas que pareciam pilares de segurança e beleza marmórea de tão brancas , mas não um branco mortiço sem vida, mas que vibrava a cada pisada que a diva dava em seu caminhar serpenteante... quando o dito farol abriu...


E lá vai ela toda toda quando ao meu lado um cabra macho do nordeste me confidência ao pé do ouvido de bate pronto todo babando e com aquele jeitão de ser despachado, inconfundível do pessoal nordestino....'Ochênti istchu é mulè ou é miração'?

Eu dei um risinho nervoso e começei a caminhar rápido tanto para fugir da voz altíssisma e inconveniente do 'confidente' quanto para não perder de vista o espetáculo que a diva dava em cada lugar que passava; como é legal ,interessante estudarmos as nossas reações e as reações de outrém diante de uma figura que tem carisma saltando pelos poros....como as pessoas se traem nesta horas....COMO nos traimos rs!!!

Chegamos no Tribunal e ela adentrou o recinto como se fosse dona do ambiente, olhando de um lado ao outro como se esperasse algum serviçal para lhe servir, passou pelo detector de metais que apitou mas nem deu bola e quando o segurança inquiriu se poderia abrir a bolsa o fez como se fosse um favor ao tal não uma obrigação sua.

Dali saiu e foi a agência bancária rapidinho e eu só seguindo com o olhar toda a cena de cinema....

NUNCA MAIS A VI depois disto!

E me perguntava....onde estará aquela garota?

Passaram-se os anos e 10 anos depois estava eu entrando em um restaurante na Liberdade quando após pegar a refeição pesada por kilo me sentei em uma mesa, o dito estava cheio então logo em seguida uma mulher de meia idade sentou em frente a mim pedindo licença afobada, dei a tal licença muito a contragosto já que gosto de comer sozinho ou com conhecidos mas não podia dizer não ou me levantar para ir a outro lugar diante do quadro SUPERLOTADO que estava o dito local...continuei comendo e a certa altura já no fim da refeição levantei os olhos para ver quem era minha companhia...e na hora a reconheci...ERA ELA!

10 anos depois ali, ao vivo e a côres....

E... gente. como o tempo tinha sido inclemente com a musa sedutora...

Só a reconheci porque durante muito tempo trabalhou ali e portanto 10 anos depois alguns traços ainda restavam da garota que conheci mas...



estava tão envelhecida que aparentava muito mais que os 35 anos que teria...

Pedi licença e levantei-me olhando meio de soslaio,tentando entender o que poderia ter acontecido além do tempo fatal que pudesse ter acabado tanto com o brilho antigo daquela ninfa...

E neste mar de pensamentos sobre a vida alheia sai do recinto e olhei para uma vitrine e vi nela um rosto diferente do que estava habituado e percebi que nem eu mesmo tinha percebido o quanto para mim o tempo e as mazelas da vida tinham também conferido traços diferentes dos 10 anos passados.

E imerso neste pensamentos a vi passando por mim caminhando normal, sem gingado, sem rebolado, sem 'musica', só uma mulher , um ser humano caminhando na vida, rumo ao destino que continuará forjando para si mesma e liberta da necessidade de seduzir por seduzir,livre pra ser apenas SI mesmo!



Esta é a verdadeira maravilha da vida...SERMOS NÓS MESMOS...o resto é só fantasia e jogo de cena!




Abraços...


Pax e Lux




Valter Holístico...

Nenhum comentário:

Postar um comentário