Google+ Badge

segunda-feira, 9 de abril de 2012

A MÍTICA DO 9 E DO 11 E OS TEMPLÁRIOS























Fonte Google imagens






9 FORAM OS CAVALEIROS ORIGINAIS QUE FUNDARAM A ORDEM...


POR 9 ANOS ELES ESCAVARAM NO MONTE DO TEMPLO(1118 à 1127)...


CADA CAVALEIRO EQUIVALIA EM VALENTIA A 3 ADVERSÁRIOS...


A SOMA DE CADA UM DOS ANOS IMPORTANTES PARA OS TEMPLÁRIOS É 11(1118...1127...1307...) OU 9 (1314)...






Podemos perceber que o numeral 9 é um elemento muito importante dentro da mítica templária...


Porque?


Na numerologia o número 9 representa a universalidade dentre outras coisas....


Mas não somente o 9 o numeral 11 aparece de forma interessante em 3 das datas mais importantes da História templária...o início das escavações no monte do templo e o fim destas e o ano em que a ordem foi extinta...a última data equivale a 9 e é o ano em que Jacques de Molay foi queimado na fogueira...


Se o 9 equivale a universalidade 11 é tido como o número do iniciado, do mestre por excelência...


Desta forma como poderíamos interpretar a presença de tais números entre os cavaleiros?


Comecemos pelo 9...


Como dissemos 9 é um número associado dentre outras coisas a universalidade e como bem sabemos uma das coisas que a ordem se propunha a ser era universal...


De fato o interesse era que a mesma defendesse a terra santa dos inimigos e protegesse os peregrinos exotericamente falando quanto esotericamente se tornar-se uma fonte de poder espiritual que transforma-se o mundo todo...


Hugues de Payns e seus cavaleiros de fato tinham ambições muito maiores do que supõe nossa vã filosofia...


Ninguém engendra tal simbolismo numérico a toa...


9 cavaleiros, 9 anos escavando e torna isto algo de destaque em sua história sem um objetivo por trás disto...


9 também fala de fraternidade e a ordem templária era o que de mais evidente e poderoso existia em termos disto...


O segredo entre eles , a fidelidade , os laços fraternos que os uniam eram notórios...


A triunidade também é expressa pelo número 9...afinal nele encontramos o 3 potencializado 3 vezes ...


Cada cavaleiro equivaleria a 3 inimigos o que perfazem 9 vezes o 3 ou 3 vezes o 9...


9  é a enéada e simboliza a busca por evolução por perfeição do ser humano buscante de Deus...


Um texto interessantíssimo sobre os mistérios do número 9 é este aqui...


http://bemzen.uol.com.br/noticias/ver/2011/02/03/1093-o-misterio-do-9


Vejam...



O mistério do 9: Desvende o número cabalístico da Numerologia, a perfeição como meta




Nosso Universus completa nove anos. Parabéns! A ele, à sua equipe e principalmente a nós, que podemos usufrui-lo. Nove anos não é um aniversário qualquer.

Segundo os estudos numerológicos, aquele que atinge a enêada, está bem próximo de atingir a manifestação divina nos três planos fundamentais para nós, seres humanos: o mundo do espírito, o mundo da alma e o mundo da matéria. A numeração decimal é baseada sobre o número nove. Nove é o zero de um ciclo superior de numeração. Ele é, portanto, o começo e o fim, o alfa e o ômega.

Pitágoras, o maior estudioso dos números de que se tem notícia, afirmava que tudo no universo está sujeito a ciclos progressivos prognosticáveis e que as formas de se medir esses ciclos são os números de 1 a 9. Nove significa novo e, assim sendo, marca o final de um ciclo e o início de outro. Ao atingir o nove estamos prontos para devolver ao universo alguma parte daquilo que se aprendeu através dos oito passos anteriores do ciclo. Uma vez que o nove é o último dígito simples, indica realização, perfeição e consecução, as sementes para novos inícios e o fundamento para futuro crescimento no ciclo seguinte ou mais elevado. A lei do ciclo não permite desperdícios e exige que aquilo que é aplicado se expresse como resultado. Quando isso é feito prontamente, a realização experimentada sob o nove traz somente alegria com o dom da vida, e a liberdade para entrar desimpedido no ciclo seguinte.
Quem atinge o ponto onde está situado o nove, está no topo da expressão da vida e sabe voltar-se para indicar o caminho aos outros. Lida com conceitos amplos, é paciente, reconhece que o verdadeiro caminho da felicidade é servir e será sempre bem-sucedido mesmo que esbarre em algumas adversidades. É com certeza, o número do mestre e representa a imagem daquele que já alcançou o lugar onde outros tentam chegar.
O nove possui a perfeição como meta. Quanto mais evolui, mais provas, desafios e contrariedades estará apto a enfrentar. Empenha-se em viver uma vida ideal e inspira os outros a fazerem o mesmo. A sua ampla filosofia toca e clareia a vida de muitos. Reconhece como ninguém que a evolução ocorre somente em longos ciclos de tempo. Nascido para servir, deseja fazer do mundo um lugar melhor para se viver.

Tem sede de conhecimento espiritual e uma ânsia por liberdade e sabedoria que transcende suas necessidades pessoais. Deseja viver uma vida ideal de acordo com suas inspirações e aspirações. Devido ao seu alcance responsivo para com o mundo, torna-se sinalizador para os outros.

Representa a integralidade da criação - 4 é o mundo material, a pedra cúbica; 5 representa o homem espiritual em evolução, que o habita; 4+5 = 9.

A forma espiroidal do nove o faz aparentar-se com o círculo (ou espiral fechada) que é o zero: é um dos aspectos do Ouroboros, a serpente que morde a própria cauda, e é a representação de qualquer círculo.
O nove subentende, conclui e aperfeiçoa o oito pela unidade (8+1 = 9). Os oito trigramas chineses provêm de um centro (a unidade) e são distribuídos no espaço segundo a disposição do quadrado mágico 3 ao quadrado: são os nove espaços ou céus chineses.

A cosmogonia e a teogonia druídicas estão inteiramente resumidas nas tríades dos bardos antigos, em número de 81 tríades - 81= 9 x 9. Os três círculos fundamentais de que trata essa doutrina (Gwenwed, Abred, Keugant) têm, como valor numérico respectivo: 9, 27 (9 x 3) e 81 (9 x 9).
O livro do "Tao-te-King" tem 81 capítulos.

Diversas tradições falam de nove céus sucessivos ou concêntricos.
A Árvore da Vida, estudada na Cabala, descreve os Sephirot de 1 a 9 como emanações sucessivas de Deus, o Incriado (Ain Soph). A nona Sephira é Yesod, o Fundamento, a Base. A décima Sephira é Malcouth, a Terra, representada pelo homem.

A Cabala ligou o número nove à Lua, regente da evolução material. Todos os homens mantêm uma relação com a criação e a geração. No que concerne ao nove, ele está ligado á gestação que dura nove meses nas mulheres, isto é, 10 lunações.

Gérard de Nerval, em "Les iluminés ou les précurseurs du socialisme", cita que "o número nove é particularmente gerador e místico; multiplica-o por si mesmo e encontrareis sempre 9..."
Na agricultura biodinâmica, o ciclo completo da preparação do composto dura nove meses.

Os ciclos de nove dias sempre tiveram um significado particular: daí as novenas. Depois da morte de um Papa, celebram-se missas pelo repouso de sua alma durante nove dias, com nove absolvições, que representa o tempo de gestação antes do nascimento espiritual.

Nove é o número da inspiração e, por conseguinte, o número das realizações harmoniosas, sobretudo nas artes. Assim, as Musas da Mitologia grega, filhas de Zeus e Mnemósine, são nove: Clio, Calíope, Melpómene, Talia, Euterpe, Erato, Terpsícore, Polínia, Urânia, que presidem, respectivamente à História, Eloqüência e Poesia heróica, à Tragédia, à Comédia, à Música, à Poesia Amorosa, à Dança, à Poesia lírica e à Astronomia.

No Evangelho há nove beatitudes. O nove simboliza a plenitude dos dons, a recompensa dos sofrimentos, a passagem do oito para o nove - da necessidade do que é material para a liberdade. É um número de poder espiritual. E, uma leitura atenta da Bíblia permite registrar, exatamente 360 vezes a expressão "não temas" - ou seja, pelo menos uma palavra tranqüilizadora para cada dia do ano (3 + 6 + 0 = 9).
Assim é o nosso Universus. Parabéns! Fazemos votos que entre no próximo ciclo com o pé direito. Estamos todos torcendo.

Norma Estrella é numeróloga e coordenadora do Espaço Alternativo Lena Luz
E-mail: rossana@infolink.com.br







Assim analisando todo o simbolismo e mistério contido no 9 exposto no excelente texto acima e relacionando-o aos templários podemos entender o porque de Payns escolher além de si mesmo mais 8 cavaleiros e empreender suas escavações(somente os 9 durante este tempo) por exatos 9 anos no monte do templo...


Um texto excelente agora focando estritamente na ordem  e sua suposta Gnose se encontra em...http://www.slideshare.net/jnr2706/a-ordem-dos-cavaleiros-do-templo 




Quanto ao 11 sabemos que na numerologia convencional ele é tido como um número mestre, um número que define algo, alguém ou uma época com maéstrica e portanto é profundamente importante na  conjuntura dos fatos que estão sendo analisados...


No caso em questão são 3 datas templárias...a de sua suposta fundação, a de quando passou a realmente influir nos destinos do mundo e a de sua extinção....duas gloriosas e uma catastrófica...


Alguns textos que circulam na internet principalmente depois do 11/09 enfocam não só a importância destes dois números quanto o conteúdo nefasto ou trágico que os mesmos por serem universais e mestres contêm...


Vejam este site... 


http://grandemaeterra.blogspot.com.br/2011/11/o-misterio-do-numero-11-misticismo.html




Em suma, 11 e 9 podem traduzir-se por sua maestria e universalidade em números desencadeadores ou melhor dizendo simbolizariam a manifestação do carma entre os humanos....bom ou mau...


Desta forma analisando a História templária o 11 e o 9 não só sinalizam para o poder universal e mestre da ordem mas também quando de sua dissolução para algo grave que o carma coletivo da mesma parece ter desencadeado sobre os cavaleiros...


Será que as acusações tinham fundamento?


Ou será que simplesmente eles relaxaram na consecução 
de seus objetivos, de sua razão de ser?


Como diz a frase favorita do SPIDERMAN...


'Grandes poderes trazem grandes responsabilidades...'


Se a espiritualidade escolhe algo ou alguém para executar uma missão na terra e outorga-lhe poderes para tanto é porque a pessoa ou organização já contem em si o germe, o potencial deste poder...contudo se nós não alcançamos nossas metas existe um preço  e este pode advir e ser exemplificado com o que aconteceu com a ordem...


De fato  não somos uma agulha em um palheiro cuja escolha pela espiritualidade decorra de aleatoriedade...


Nosso potencial é conhecido e reconhecido como tal e somos escolhidos para tarefas segundo  esta eleição interior, as escolhas de nosso interior, o poder, o talento que temos dentro de nós....se executarmos nossas tarefas segundo esta eleição tudo flui beneficamente para nós e para todo o processo... se negligenciarmos  ou se fizermos o oposto os resultados podem se tornar não só imprevisíveis quanto nefastos também...


Isto não é predestinação arbitrária mas escolha segundo o talento, a potencialidade de cada um...


Na verdade quem escolhe e determina o que vira sou eu, é você, nem mesmo nossas potencialidades podem escolher por nós mas apenas sinalizar o óbvio que é.... 



SE VOCÊ MANIFESTAR O SEU MELHOR O MELHOR ADVIRÁ DISTO...


E talvez a ordem tenha com o tempo negligenciado esta máxima e se deixado seduzir por coisas que fugiam de sua eleição e fundação...


Dai todo o potencial maéstrico positivo do 11  se tornou no nefasto 1307... 


Bem espero que tenha dado para entendermos um pouco do mistério destes dois número e sua relação com os poderosos cavaleiros templários...



















          Fonte  Google imagens





OM TAT SAT 




Um vídeo poderoso...FUNDAMENTUM... LESIEM... uma canção que para mim tem tudo a ver com o assunto tratado acima já que falamos do fundamento dos cavaleiros templários simbolizados nos números 9 e 11...








FONTE YOUTUBE




Abraços...


Pax e Lux




VALTER TALIESIN...

Nenhum comentário:

Postar um comentário