Google+ Badge

terça-feira, 21 de agosto de 2012

DUBIEDADE...Aquilo que falamos que pensamos e sentimos sem de fato termos dentro de nós a certeza do que queremos...

As pessoas ultimamente tem trabalhado muito na hipótese de que o romantismo acabou.

Entendo...

Mas porque será que isto se deu?

Não seria porque passamos a falar o que de fato nunca sentimos nem muito menos pensamos sobre as relações e as pessoas?

A facilidade com que se usa a palavra EU TE AMO hoje só é louvável se mirarmos o amor universal, entretanto quantos casais usam esta palavra sagrada quando de fato dentro de si os sentimentos e pensamentos miram no oposto ou no mínimo no duvidoso?

Para realmente amarmos alguém temos que estar dispostos a repartir o céu e o inferno daquela pessoa e ela o nosso...

NÃO EXISTE MEIO TERMO...

Qualquer outra coisa diferente disto demonstra um coração fraco e uma mente dúbia ou vice versa!

Não estou falando aqui de pessoas realmente livres que gostam de ter suas vidas sem laços e vínculos afetivos extremos com ninguém. Eles estão certos na opção que fizeram e ponto. Estou falando daqueles que se iludem e iludem os outros dizendo que estão de fato a procura de um parceiro ou de uma parceira para TODAS as horas da vida mas que na hora H tiram 'brilhantemente' o seu time de campo.

Estou falando dos que acham o sexo prazeroso mas o dia a dia enfadonho, estou falando daqueles que fogem da raia quando a parte Perséfone da vida se manifesta em lugar da de Coré...

É DISTO QUE FALO...

Perséfone para quem não sabe é a rainha dos infernos, esposa de Hades e senhora dos mortos.

Quando em terra, junto com sua mãe ela era Coré a deusa primaveril, agrícola, da vegetação e amava ardorosamente Dioniso o deus dos mistérios e das libações...filha de Deméter a terra produtiva e do grande Zeus o deus dos céus e amante de um deus como Dioniso e sendo a deusa que era Coré só via luz no seu caminho até que seu tio Hades o senhor dos mortos e dos infernos lhe botou os olhos e se apaixonou perdidamente por ela e a raptou para o reino do submundo. 

Deméter enraivecida foi até Zeus exigindo a devolução da filha e diante da demora de Zeus em confrontar o irmão resolveu fazer greve e dai a terra deixou de produzir e a fome dominou o mundo. Isto levou o pai dos deuses a ir até Hades e exigir Coré de volta mas este usou de um estratagema; na hora da despedida deu a Coré um fruto do submundo para comer com isto ela descobriu para desconsolo de sua mãe que estaria a partir dali irremediavelmente ligada ao submundo.

A partir de então ela passa metade de sua vida anual com a mãe Deméter e o amante Dioniso na superfície entre os prazeres da vida e da felicidade e outra metade com o rei infernal em seus domínios e toda a energia que ali vigora....assim hoje ela  tanto Coré a rainha agrícola da primavera quanto a senhora dos mortos e dos infernos.

Desta forma tem muito(a) parceiro(a) que aceita com PRAZER a face Coré da vida mas quando chega Perséfone a coisa muda de figura. E assim de promessas em promessas, de juras de amor em juras de amor vão se trocando de 'amores' como trocamos de cuecas ou calcinha no caso das mulheres.

A FILA ANDA DIZEM...VERDADE...MAS ESTA FILA DEVERIA ANDAR PARA QUEM DE FATO MEREÇA QUE ANDE... QUEM COMETEU DESLIZES QUE TENHAM VIOLADO DE TAL FORMA A RELAÇÃO QUE A MESMA TENHA SE TORNADO INSUSTENTÁVEL...NÃO ANDAR POR ANDAR OU SÓ PORQUE A ÉPOCA DAS VACAS MAGRAS CHEGOU....

Ninguém é obrigado a viver com ninguém e vez ou outra os sentimentos mudarem num casal vejo até compreensível mas se estas mudanças ou são constantes ou só acontecem quando chega o lado Perséfone da vida não seria o caso da pessoa em questão se auto avaliar e ver se não esta sendo no mínimo pragmática demais?

Para não dizer fria, insensível e volúvel?

Se não então deixemos de hipocrisia e paremos de jurar o que não estamos dispostos a cumprir e a dizer o que de fato não sentimos e pensamos de verdade ou se pensamos é tão temporão quanto a brisa fresca que passa e vai embora.

Sejamos então sinceros conosco e com os outros e entendamos que na verdade queremos apenas nos sentir bem com uma pessoa e não AMAR DE FATO esta pessoa pois amar definitivamente NÃO É  só se sentir bem mas FAZER O BEM mesmo que isto implique enfrentar um momento onde nem sempre é fácil se sentir bem com a pessoa que supomos amar...

É a luz de Coré e as trevas de Perséfone juntas coexistindo dentro de nós e do relacionamento!

Não falo obviamente daquelas coisas graves que não canso de repetir, podem colocar um relacionamento em xeque. Descaso, desinteresse, falta de amor de uma das partes, violência doméstica ou traição no caso daqueles que presam a fidelidade conjugal. Falo daqueles momentos onde se precisa de fato estar JUNTO para atravessar-se o profundo e longo vale da vida...

O TAL DO NA SAÚDE E NA DOENÇA ....RIQUEZA E POBREZA VELHO DE GUERRA E ETC...QUE TODOS ENTENDEM TER VIRADO APENAS CLICHÊ DE CERIMÔNIA DE CASAMENTO....

Se não soubermos enfrentar os altos e baixos da vida com as pessoas que dizemos amar deixemos as máscaras de lado e façamos como muitos fazem por ai...abramos o jogo antes do jogo começar e ponto.

O engraçado é que muitos criticam tais pessoas dizendo que elas são isto ou aquilo mas na hora H quando a vida aperta o cinto agem iguaizinhas a elas com uma grande diferença e triste diferença....

NÃO AVISARAM ANTES....NÃO FORAM SINCERAS NEM CONSIGO NEM COM O OUTRO!

Não estou falando isto especificamente direcionado a nada nem a ninguém mas refletindo tão somente num quadro que percebo cada dia mais e mais comum no nosso mundo.

Um quadro que de fato assusta quem tem desejo de coisas mais firmes e concretas.

AS PALAVRAS QUE ENCHEM OS OLHOS E O CORAÇÃO DE ESPERANÇA MAS SÃO VAZIAS DE REAL VONTADE DE SE FAZEREM EXISTIR E SER...

Em tempo...temos percebido esta dubiedade absurdamente dominando todos os setores dos relacionamentos humanos não só o amoroso...resolvi focar nele porque este era um dos últimos redutos onde as pessoas pareciam querer e exigir algo que de fato queriam tanto dar quanto receber em todas as situações da vida na política, artes, economia e até religiosidade isto já era algo bem visível a muito tempo...

Abraços...

Paz e Luz

VALTER TALIESIN


OM TAT SAT


VÍDEO SAGRADO...MARCAS DE ONTEM...COM ADRIANA MEZZADRI E CENAS DA NOVELA O CLONE...ESTA MUSICA REFLETE BEM O TIPO DE AMOR QUE FALO E QUE SÓ EXISTE NO CORAÇÃO DE QUEM VÊ CORÉ E PERSÉFONE UNAS NA VIDA A DOIS...



Fonte Youtube

















                  FONTE GOOGLE IMAGENS






Nenhum comentário:

Postar um comentário