Google+ Badge

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

O ESSENCIAL E O QUE PASSA...

A diferença, hiato, verdadeiro abismo entre predica e prática faz com que a maioria dos doutrinadores deste mundo tenham um calcanhar de Aquiles extremamente saliente.

A solução a meu ver é simplesmente NÃO ESCONDER seus defeitos, mas também mostrar que o que se diz é uma busca EM E DE si mesmo, ainda que a meu ver muitos possam estar mais avançados do que os que leem ou escutam suas predicas.

Se assim entendêssemos deixaríamos de ver cegos guiando outros cegos e passaríamos a ver pessoas que USAM O SAGRADO COLÍRIO da lucidez espiritual e social doando de bom grado o mesmo aos irmãos e irmãs de jornada.

Pouco a pouco esta sinceridade de ser atrairia O SER real para a vida do predicante e esta dificuldade entre falar e fazer deixaria de existir.

Sinceridade e Integridade portanto não é ausência de falhas mas ausência de petulância e de esnobismo ao se apresentar o sagrado Caminho para os demais que estão alguns degraus atrás.

Alex(Valter)


Russell vai na ferida...

Quanta besteira nós ouvimos e vemos sendo feitas em nome de religiões, ideologias, partidos políticos, times de futebol, raças, nacionalidades, costumes e convenções sociais?

Quantas pessoas que "sabem" absolutamente tudo sobre todas as coisas?

Pessoas que NUNCA duvidaram do que acreditam e quando o fazem se tornam tão fanáticas no novo credo ou dogma quanto eram no antigo aponto de demonizá-lo inclusive?

Portanto não houve uma mudança real, de vibração, houve uma mudança de maquiagem, de máscara somente.

Por outro lado os sábios, ou aqueles que sabem pesar dentro e fora de si os prós e contras da vida, que sabem ler nas entre linhas entre o certo e o errado e enxergar o meio termo do bom senso entre ambos, estes geralmente se questionam demais, além da conta, deixam o barco passar, deixar o poder para os corruptos, os púlpitos para os empolados, as cátedras para os esnobes, as presidências das empresas para os gananciosos, as direções do mundo nas mãos do obtusos e vendidos.

Ambos estão errados!

Neste sentido não ha diferença alguma entre sábio e tolo!

INFELIZMENTE!

Alex(Valter)


Mudanças são essenciais se queremos enxergar o mesmo problema, a mesma questão por um angulo diferente, totalmente novo.

Não mudar por mudar, mas mudar quando percebemos que a coisa estagnou; a vida, o casamento, a família, o grupo, a religião, a sociedade etc... já não transforma mais chumbo em ouro, já não há mais a sagrada operação alquímica.

Não é uma 'obrigação em mudar mas uma NECESSIDADE quando se percebe que o contrário será a morte lenta da pessoa, do casal, da família, do grupo, da espiritualidade e da sociedade.

A metáfora da lagarta e da borboleta cai como uma luva aqui.

MUDANÇAS SÃO INEVITÁVEIS QUANDO TUDO O QUE PRECISAVA SER APRENDIDO JÁ FOI E NOVOS CAMINHOS ACENAM DIANTE DE NÓS.

isto não significa que devamos jogar casamentos fora, famílias fora, ou mesmo mudar de religião por mudar ou de país ou estilo de vida MAS abrirmos a mente e o coração para percebermos o que o sagrado quer de nós a partir dali.

Na AMPLA maioria dos casos as mudanças querem trazer RENOVO não destruição!


Basta termos sensibilidade em ver e disposição em vivenciá-las...

Alex(Valter)

Einstein sabia usar uma frase DE e COM efeito como poucos...

Esta é uma delas.

Hoje sabemos que o universo NÃO É infinito(pelo menos enquanto expansão agora enquanto potencialidade expansiva dai são outros quinhentos) e que nem mesmo possa ser o único existente e que talvez inúmeros universos formem um grande conglomerado deles o qual definimos como dimensão e que mesmo elas possam ser no mínimo mais de 7 e alguns já chegaram até a conta de 11 e outros pensam que mesmo elas possam ser potencialmente também inumeráveis...

Portanto tanto universo quanto a estupidez humana PODEM SIM serem finitos enquanto expansivos.

Mas Einstein usa de um recurso que o próprio Cristo por exemplo usava...exagerar numa exposição para definir um conceito...

Cristo disse: 

"MAIS FÁCIL É PASSAR UM CAMELO PELO BURACO DA AGULHA DO QUE UM RICO ENTRAR NO CÉU."

Em nenhum momento ele diz que rico não entra no céu mas por este, digamos, exagero de linguagem ele mostra o quanto é difícil para os humanos separarem joio do trigo, o quanto o apego às posses mundanas dificultam a vida espiritual.

Tanto é verdade que diante do desconsolo mostrado pelos ouvintes, por ouvirem suas palavras ele completou:

"MAS O QUE É IMPOSSÍVEL AO HOMEM É POSSÍVEL PARA DEUS." ...mostrando que nada é impossível quando o ser humano deixa o divino morante em si tomar as rédeas de sua vida...até mesmo se rico for, ou estúpido, voltando à frase de Einstein.

Assim Einstein pega o conceito de infinitude do Universo para fazer o mesmo com a estupidez humana.

Esta nas mãos dos humanos mostrar que ele exagerou um pouco rs....


Alex(Valter)

Voltaire é uma das pessoas mais detestadas pelos religiosos fanáticos porque pôs em xeque muitas de suas afirmações fanáticas e com isto ganhou epítetos como de ateu, herege, anticristo e outras coisinhas mais. Entretanto foi uma das pessoas mais lúcidas além de geniais que já passaram por esta terra e querendo ele ou os seus acusadores ou não, um dos melhores exemplos de 'filhos de Deus' que já tivemos.

A religião sem auto crítica é ditadura e fanatismo e uma das coisas que morrem mais cedo em sociedades e grupos assim é a tal da TOLERÂNCIA.

Tolerar significa; mesmo que aquilo me incomode, me irrite, eu deixo que o outro siga seu caminho do jeito que bem entender.

Para ser tolerante eu não tenho que GOSTAR do outro ou do que ele faz mas tenho que RESPEITAR...ponto.

E mais, ninguém é perfeito, erramos o tempo todo principalmente quando achamos que NÃO ERRAMOS!

Não tolerar o outro e tolerar-se a si mesmo é hipocrisia, tolerar os outros e não se tolerar é um absurdo, não tolerar o outro e não tolerar a si mesmo é idiotice...e a grande maioria dos humanos atualmente estão em uma ou em outra destas três vibrações.

Alex(Valter)


O homem morreu em 1911, um ano antes do naufrágio do Titanic e três da primeira grande guerra mas agora a exatos 103 anos de sua morte NUNCA suas palavras foram tão eloquentes, verdadeiras e um retrato do que vemos neste mundo(principalmente num certo país tropical 'abençoado' por Deus e bonito por natureza) como agora.

A mídia finge se importar com os rumos que nossa sociedade toma e a opinião pública finge se indignar com os rumos tortos que nosso mundo segue mas no fundo o que estamos a ver é um espetáculo circense dos mais baixos, um mambembe na pior acepção que esta palavra possa ter e uma ópera bufa!

Nem circo, nem ópera , nem o teatro mambembe são ruins em si muito pelo contrário, mas palhaçadas e amadorismos na condução de países, na análise dos fatos que acontecem no mundo e na percepção de quem os vê das duas uma:

Ou denota uma sociedade absolutamente cínica ou completamente como diz Einstein na outra frase postada por mim...estúpida.

Alex(Valter)


A criança interior é o que chamam!

Esta criança é a que no fundo Saramago evoca aqui.

Ela esta ali, à espreita, observando o que o adulto(a) que nos tornamos esta a fazer.

Não envergonhar a criança que um dia fomos é como se Saramago(agnóstico declarado aliás) dissesse como o Cristo:

"Quem não se tornar como uma criança não pode entrar no reino dos céus"

O adulto de hoje portanto deve ter segundo Cristo e Saramago a mesma pureza de intenções daquela criança que um dia foi e que mora ainda dentre dele.

É esta visão pura e integral de nós mesmos e da vida em si que nos fará "orgulhosos", no bom sentido, de quem nos tornamos.

Alex(Valter)


Destruir ilusões era uma das especialidades dos escritos de Nietzsche e não só as dos outros mas as dele mesmo, seu fim em um apoteótico e ao mesmo instante patético colapso mental atesta isto, mostra uma alma inquieta e uma mente não conformista até o fim ao ponto da cisão. Isto não é uma crítica ao grande filósofo mas uma triste constatação diante do inevitável que foi seu fim, ainda mais que ao correr em direção àquele cavalo açoitado o filósofo demonstrou mais humanismo e caridade cristã que a grande maioria dos ditos cristãos e religiosos da vida.

Entretanto tem de haver e há, um meio termo entre a busca pela Verdade e a libertação das ilusões que não cause a cisão mental deste jeito...penso que seja encarar a vida com seriedade e a existência como uma grande comédia.

Nietzsche tinha uma humor ácido as vezes em seus escritos mas parece que não vivia este mundo de ilusões com humor e como uma farsa o que poderia ter sido a válvula de escape para ele...assim poderia escrever as potentes críticas que fazia a tudo e todos mas separar o joio do trigo em si.

A vida é a essência que nos anima, a existência o ato de caminharmos pela vida interagindo uns com os outros percebendo-se vivo. Um pouco de humor, de comédia de rir-se de tudo e todos inclusive de si mesmo as vezes pode ser o lenitivo que cura a verdadeira cegueira existencial...não podemos mudar o mundo mas podemos nos mudar, basta mudarmos a PERCEPÇÃO!

Talvez foi o que faltou ao grande filósofo e grande crítico social. Rir mais de si mesmo, não levar-se tão a sério nem muito menos o mundo em torno de si...poderia ter salvado o cavalo e sua mente junto se tivesse tal postura. E dai desfiado o veio crítico e continuado a falar as tais verdades sérias nos seus escritos sem prejuízos maiores.

Alex(Valter)


Esta frase praticamente completa o que falei sobre Nietzsche...

Não permitir que o comportamento dos outros nos tire a paz...

Se vocês repararem no modo como o Dalai Lama encara a vida(e quando digo isto aqui espero que ele continue agindo assim e não me faça pagar mico rs) é exatamente o que disse no post da frase de Nietzsche...

Separar joio do trigo...

O essencial da ilusão, implica muito mais em ver o que é ilusão do que é essencial como fez Nietzsche tão bem... implica em viver o essencial e encarar a ilusão como ela é...ilusão...

Quando Nietzsche viu aquele cavalo sendo açoitado aquele ato maldoso tirou-lhe a paz e com ela o juízo...

O que poderia ele fazer por exemplo sem perder sua paz?

Primeiro pesar os prós e contras, nem sempre por acharmos que algo é errado temos CACIFE interior para intervirmos e dizermos isto com todas as letras. E se o fizermos temos que pesar as consequências...PODE OU NÃO HAVER REAÇÃO OPOSTA, e se houver reação se estaremos ou não preparados interiormente para ela sem que nos percamos no vendaval de loucura do outro.

É aqui que entra a frase do Dalai...quando pesamos os prós e contras de nossa reação aos atos insanos deste mundo, quando nos centramos no EU MAIOR percebemos como agir, quando agir, de que forma agir sem que nossa paz interior vá pelo ralo.

Podemos até MORRER pela Verdade, mas jamais perdermos nossa paz interior por causa dela pois isto seria o mesmo que NEGAR a Verdade.

Alex(Valter)


Por fim...

Crer ou filosofar eis a questão!

Pois é, penso que se analisarmos acuradamente a frase do marquês nem uma coisa nem outra. Não sei o que ele pensou quando disse isto, nem sei em que contexto. Analisar uma frase fora de contexto é fogo mas podemos sim expressar uma visão global, universal dos temas propostos por ele independente do sentido de que tenha dito sem que isto seja uma crítica ao dito ou uma aceitação da mesma.

Se não vejamos:

As religiões e as crenças são fixas ou seja; são dogmáticas, doutrinárias, tradicionais...tem regras e leis internas que gerem os fieis, portanto pertencer a uma religião aceitar uma crença é em maior ou menor grau fixar-se em um degrau da evolução pessoal, criar em torno de si ou um porto seguro ou um antro de crendices e fanatismos.

Dependerá do fiel!

Apesar de fixa a crença pode tanto fazer o santo quanto o fanático, o guru quanto o embusteiro...

A forma como ela é encarada determina o que irá ser com a vida do tal fiel mas em sua totalidade ela continuará fixa, imóvel em suas tradições, doutrinas e dogmas.

As filosofias tem por origem a análise racional, intuitiva das verdades que possamos captar no mundo e em nós. Neste sentido elas nada tem de fixo pois a contestação é a maior arma da filosofia. Filosofar já é em si colocar em xeque todas as verdades ditas até então e tentar olhar tudo por um outro prisma. É per si um ato revolucionário.

Mas será que tudo e todos devam ser mesmo contestados?

Será que tudo deva ser colocado em xeque?

A priori sim, a máxima do verdadeiro guru é:

" Não acredite em NADA do que eu digo...vá e prove por si mesmo"...

E é EXATAMENTE aqui que queria chegar.

Aqui esta o meio termo entre religião e crenças versus filosofia...

Nem tanto fixo, nem tanto mutável mas provável...vivencial...esta deve ser a verdadeira religião e a verdadeira filosofia.

As opiniões humanas dominadas pela religião são fixas: é assim que creio é assim que deve ser e pronto...

As opiniões humanas dominadas pelas teorias filosóficas são perturbadas por natureza pois não há alicerce embaixo do eterno questionamento e raros são os filósofos que creem: questionar tudo e todos e minha visão de vida diz o filósofo, é assim que vejo a vida e pronto.

Ambos contudo deveriam gastar tempo ouvindo mais seu interior, do que somente crendo ou questionando intermitentemente e deveriam testar em suas vidas a praticidade das coisas lidas, ouvidas, vivenciadas, se produzem em si mudanças eficazes e fazem de si mesmos melhores seres humanos para si e para a comunidade humana em geral...religião ou filosofia que não faz isto...É LIXO...ponto.

Alex(Valter)




VÍDEOS SAGRADOS


STEVE HALPERN

SHAMBHALLA

CRYSTAL SUITE

The Om Zone

Higher Ground

Insite the great Pyramid

Tibetan gould

Inner journey

Ancient echoes(feat. Georgia Kelly)

Fonte Youtube





Fonte de imagens Google



Nenhum comentário:

Postar um comentário