Google+ Badge

sexta-feira, 1 de maio de 2015

TOCANDO EM MEMÓRIAS... Necessidades, vantagens e perigos...


Nosso passado é um tabu para nós mesmos.

Quantas coisas não estão ali guardadas, coisas represadas que as vezes influem em nossa vida atual e muitas vezes conscientemente nem lembramos mais delas?

E no entanto, muitas vezes, são tais lembranças, mais que outras que recorrentes são, que realmente determinam as coisas nas nossas vidas, nossas respostas ou reações aos acontecimentos.

Tendemos a pensar que o que mais influi em nossas vidas são os pensamentos recorrentes; bem, não nego que os tais tenham poder de influir sobre nós, mas quantas pessoas paramos para pensar que muitas vezes a mente usa um gatilho secreto que oculta e depois aciona o que realmente nos machucou e tocou mais que qualquer outra coisa?

Uma frase dita, um olhar atravessado, um fato, um encontro que perderam-se nas brumas de nossas lembranças, mas que invisivelmente exercem até hoje um controle absurdo sobre o que pensamos, escolhemos, falamos e fazemos? E o que pensamos, que parece o motivador de tudo, não é mais que mera consequência daquilo que se oculta por trás.

Nossa mente surge assim como uma verdadeira camada de cebolas, onde o aparente, apesar de mais visível, e lembrável, não é contudo mais determinante, e sim é aquilo que este encobre, e assim sucessivamente.

Exatamente por causa disto, usa-se o hipnotismo para regressões, para se voltar àqueles pontos de nossa mente, de nossas lembranças onde não alcançamos em vigília facilmente.

Lugares, pessoas, frases ditas, experiências que na hora tiveram tal poder de nos tocar que durante toda a nossa vida posterior carregamos seus efeitos.

Como disse, a hipnose é um meio recorrente para se tocar estas imagens mentais poderosas, estes ocultos e obscuros que sem que nós saibamos controla muitas de nossas reações.

Entretanto o problema da hipnose é que ela funciona por auto sugestão. Há um hipnotizador mas ele guia o paciente para que seja hipnotizado. Existe muita discussão se de fato tais pessoais são sugestionáveis ou se se auto sugestionam ao hipnotismo já que muitas pessoas por melhores que sejam os hipnotizadores não são hipnotizáveis. Um método infalível não causaria tal discussão não é mesmo?

Por outro lado, para aqueles sugestionáveis ou auto sugestionáveis ao hipnotismo surge um outro debate. Até que ponto esta a pessoa vivenciando realmente lembranças de sua vida ou esta sendo sugestionada, direcionada para que assim seja por motivos muito particulares do hipnotizador? 
Seria possível um ente externo implantar memórias que realmente nunca existiram dentro de tais pessoas, ou em verdade apenas ajuda as mesmas a criarem suas falsas memórias baseadas em traumas mais profundos ainda que mascaram, ao invés de trazer à tona os reais problemas?

Não negamos que possam existir hipnotizadores sinceros, capazes e honestos, mas nos perguntamos sempre; e o hipnotizado? 
Até onde realmente esta entrando dentro de si, de seus problemas, de suas lembranças ou esta a criar imagens ilusórias e não lembrar fatos de sua vida?

Assim penso que em primeiro lugar, para tocarmos nossas lembranças há que se seguir alguns passos essenciais para que os reais problemas sejam alcançados:

1. A PESSOA TEM QUE QUERER MUDAR, TEM QUE QUERER DESCOBRIR A FONTE DE SUES PROBLEMAS.

Sem isto não existe como!

Não deve existir mera curiosidade em conhecer o que não se lembra mas principalmente a necessidade e o desejo de mudar-se, de melhorar, de criar atitudes que difiram das respostas habituais e contenham em si o germe de sua cura!

SEM QUERER CURAR-SE NÃO HÁ CURA!

Esta Verdade é absoluta e não relativa!

2. A PESSOA TEM QUE SE PREPARAR PARA O IMPONDERÁVEL.

Como disse, nem sempre o evidente é o real motivo de nossos problemas e muitas vezes acreditamos que alguma coisa oculta o é  só que criamos, por desconhecer tal coisa, ou o que ela seja, imagens ilusórias de motivos.

Assim deve a pessoa estar absolutamente livre de qualquer expectativa, ou condicionamento para que o que realmente esta ali oculto surja sem nenhum tipo de disfarces ou máscaras, pois muitas vezes o que esta ali, oculto, nada tem a ver com nenhum tipo de imagem, nenhum tipo de percepção que possamos ter e quando vem à tona, surpreende.

3. A PESSOA TEM QUE PROCURAR UM PROFISSIONAL COMPETENTE, RESPONSÁVEL, DE RECONHECIDA IDONEIDADE PARA ENTREGAR ALGO TÃO DELICADO QUANTO SUA MENTE E SUAS PERCEPÇÕES.

Como disse, estamos falando de coisas que podem mudar nossas vidas, para bem ou mais mal ainda!

Se a pessoa cair na mão de um manipulador se tornará presa de algo ainda mais nocivo do que todas as lembranças nocivas ou não trabalhadas que possa ter dentro de si!

Num caso assim é realmente a questão da empatia entre paciente e profissional que talvez defina alguma coisa.

Não quero tecer aqui regras do que poderia definir como encontrar x ou y tipo de profissional mas digamos que pelo fruto se conhece a árvore. Examine exaustivamente a vida deste. Quanto mais conhecido provavelmente mais material há para que se conheça seus passos. Examine sua metodologia. Veja o que outros profissionais falam desta, veja o que outros pacientes dele relatam, mas sobretudo examine suas próprias impressões sobre a pessoa em questão. Pense seriamente que estais a entregar simplesmente sua vida, ela toda, na mão de um desconhecido, e mais; sua mente, personalidade talvez alma, e isto é tremendamente sério.

4. A PESSOA TEM QUE PERCEBER QUE REALMENTE PRECISA DE ALGO ASSIM, QUE TUDO JÁ TENTOU E NADA MELHOROU, NÃO PODE SER MERA CURIOSIDADE OU MOTIVAÇÃO MOMENTÂNEA, NEM MUITO MENOS BUSCA MISTICA.

Tem pessoas que tem curiosidade, muita curiosidade, e o ditado diz que "a curiosidade matou o gato"!

Não podemos nos mover por curiosidades desta ou de outras vidas, SIM, boa parte dos profissionais desta área são adeptos de crença em vidas passadas e assim prometem que seus pacientes poderão acessar as tais, que talvez em algumas delas, nas lembranças sobre elas, esteja a solução de seus problemas. Assim curiosidade NÃO É um necessidade palpável para se assumir tal risco.

Necessidade momentânea também não.

As vezes passamos por dificuldades que requerem um certo esforço de nossa parte mas não é nada entranhado em nós, nada que requeira tal medida extrema! 

Sim, medida extrema! 

Assim deva ser encarado um processo destes. Nem como panaceia, nem como um chá das 17 horas! 

É algo extremo para coisas extremas! 

Simples assim!

Necessidade mística nem pensar!

Existem gurus que prometem isto!

Não quero aqui julgá-los, mas qual a importância de verdadeiramente um buscador espiritual acessar tais coisas se realmente acredita que sua entrega ao divino é algo real e factual?

Se acreditas que verdadeiramente estais entregue na mão do sagrado, porque recorrer a tais expedientes extremos quando basta somente exercer sua fé, diariamente para que as coisas fluam e entender que seu contato com Deus dentro de si é a única realidade que realmente interessa ser acessada e que CURA TODAS AS DEMAIS!?

Neste cenário, meditação e oração surgem como os dois veículos mais importantes para contato com o divino em si e eles tocarão qualquer memória que precise e possa ser curada, desta ou se tiver...de outras vidas, para que sua vida possam então fluir em harmonia.

Um bom guru, um bom líder espiritual, te guiará a um processo que te conscientizará cada vez mais que SOIS O CAMINHO QUE BUSCAS, que dentro de ti esta o sagrado e que somente sendo sincero nesta busca e permitindo progressivamente que Ele se revele os resultados que tu queres serão possíveis.

Assim, fico nestes 4 itens que acho vitais sobre este assunto. Mais não penso ser necessário enfocar pois estes 4 a meu ver estão de bom tamanho.

Voltando a discorrer sobre nossas memórias.

Nem sempre são memórias ruins que nos entravam a vida. Muitas vezes fatos de nosso passado que foram bons, mas que seja por qual motivo for, não tiveram sequência em nossas vidas, é que são os determinantes de nossas angustias presentes. Assim pelo mero fato de não assimilarmos o ir e vir das coisas transformamos algo que deveria ser uma lembrança boa e prazerosa em algo nefasto. Quando isto é consciente é mais fácil de tratar, mas quando esta oculto sob camadas de outras questões é que é o problema.

Num cenário assim o anjo bom e o mau são absolutamente cinza!

Tu não sabes o que de fato é que esta a entravar teu caminho!

Uma religião que durante muito tempo é importante em nossa vida pode ser um futuro desagregador dela caso não a queiramos mais e mesmo assim, no profundo de nosso ser. suas doutrinas, dogmas, etc...continuem invisivelmente atuando, ditando o que pensamos, falamos ou fazemos!

Desta forma algo que nos foi bom durante um tempo passa a ser o motivador de nossas dores atuais. Algo que de repente, para outra pessoa naquele momento seja tudo de bom, para nós, ocultamente, por não querermos conscientemente vivenciar mas estarmos inconscientemente condicionados a responder da forma aprendida, condicionada, esta a nos causar todo o entrave do mundo.

Nisto percebemos a dualidade das coisas!

Nestes momentos percebemos que existem sim absolutos mas que as estradas que os humanos erigem sobre eles são é que são relativas!

O problema obviamente não esta na religião x ou y mas na forma como encaramos as mesmas e no quanto nos deixamos influir por tudo o que ali vivenciamos e pelo tempo que nos submetemos a ela.

Pessoas há que saem de religião x ou y, se tornam descrentes de tudo e todos e acham que estão livres. Mas quando tu conversa com elas, escuta o que estão a dizer, tu percebes que elas continuam lá, presas, àquelas crenças, amarradas àquele passado, só que agora de protagonistas tornaram-se antagonistas, mas as crenças que atuam em suas vidas...SÃO A MESMA...só mudou a forma de se envolverem com elas!

Quando deixamos algo que não mais nos interessa e que nos foi útil durante um tempo de nossas vidas, de forma saudável...agradecemos ao universo, à Deus por tal experiência e seguimos adiante...abertos ao que vier agora. Não demonizamos nosso passado, nossa vivência. Simplesmente deixamos ir, agradecidos pelo que foi e abertos pelo que virá.

Se mudamos nossa forma de crer em Deus, se simplesmente não aceitamos mais uma divindade personalística ou nenhum tipo de conceito de divino, isto não se torna em uma nova cruzada para libertar os ignorantes, apenas deixa-se ir e abraça-se o novo. Esta novo com o tempo se revelará de fato o que tem que ser em nossas vidas. Se Deus for um Realidade ou a ÚNICA REALIDADE que existe, se houver dentro de nós sinceridade de ser, fatalmente um dia encontraremos novamente o senso de divindade, agora despido da religiosidade de outrora mas vivo com cores mais claras, mais impactantes a nossa forma de ver futura. Caso estejam certos os ateus, simplesmente a não percepção do divino se tornará mais evidente e clara dentro de si. O que de minha parte eu duvido muito que aconteça mas respeito quem pensa ser possível, pois a meu ver não esta em questão a existência ou não de Deus, ou do Divino mas simplesmente nossa percepção do mundo, nossa percepção de como este divino se manifesta. 
Este divino que assume máscaras na percepção humana sobre Ele só pode ser realmente vivenciado e percebido quando deixamos de lado toda e qualquer ilusão de que Deus seja isto ou aquilo e falamos com sinceridade...

EIS-ME AQUI!

Se houver sinceridade e verdade na nossa busca entre as brumas de crenças e descrenças, de compreensões sobre as diversas facetas da Verdade veremos a Luz da Presença que nos conduzira incólumes, curando e tratando nossos traumas passados, tocando amorosamente nossas memórias, trazendo lembranças ocultas, revelando suas feridas e curando-as poderosamente. Esta sinceridade é que definirá o grau da experiência, esta integridade no Ser e no fazer é que definirá o quanto percebemos do que nos move, o que precisa ou não ser curado, transformado, renovado ou avidado!

Tocar nossas memórias, quer para vivenciá-las de novo sob nova ótica, quer para curá-las, quer para agradecer por elas é uma das maiores bençãos que recebem aqueles que verdadeiramente estão em Deus, e progressivamente se tornam UNOS com Ele a ponto de que tais memórias um dia se tornem no imenso mosaico de luz que teceram no mundo, mesmo no período da mais profunda escuridão.

Tocar nossas memórias é não viver no passado mas curar o que precisa ser curado, aproveitar o que precisa ser aproveitado para que nosso presente seja mais rico e frutífero ainda para que um futuro que ainda inexiste possa um dia vir ser um presente ainda mais abençoado!

Que assim seja com todos nós!

Em amor e luz

Valter Taliesin

Paz e Bem

VÍDEOS 

BON JOVI - MIRACLE

GUNS N' ROSES - PATIENCE

THE CULT - LOVE

 THE SCORPIONS - WIND OF CHANGE

 RED HOT CHILI PEPPERS - SNOW(HEY OH)

ALICE IN CHAINS - VOICES


R.E.M. - THE ONE I LOVE

FONTE YOUTUBE









FONTE DE IMAGENS GOOGLE

Nenhum comentário:

Postar um comentário