Google+ Badge

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

FÉ E CONHECIMENTO NADA ANTAGÔNICOS MAS SIM COMPLEMENTARES NO PROCESSO DE ASCENSÃO HUMANA AO SEU ESTADO ORIGINAL.




“Não acredite em qualquer coisa simplesmente porque já tinha ouvido isso. Não acredite em algo simplesmente porque é falado por muitos.Não acredite em algo simplesmente porque é encontrado escrito em livros religiosos. Não acredite em qualquer coisa devido meramente à autoridade dos seus professores e anciãos. Não acredite em tradições porque foram proferidas por muitas gerações. Mas, após observação e análise, quando você achar que qualquer coisa está de acordo com a razão e é propício para o bem e benefício de um e todos, então aceite-o e viva de acordo com isso.” – Buddha

FÉ...CONHECIMENTO...EXPERIMENTAÇÃO...

Falar de espiritualidade somente pode ser assimilado a contento quando quem fala experimentou em si mesma(o) aquilo que seus lábios pronunciaram. Difícil passar em imagens e cores vividas algo alheio a sua própria experimentação. Assim a vida espiritual tornasse duplamente misteriosa; por um lado é algo misterioso, tão profundo que somente mediante aquilo que definimos como fé deva ser alcançada. Por outro lado é algo que precisa ser vivenciado, assimilado, conhecido pela pessoa para que possa esta se tornar uma testemunha eficaz desta vida espiritual no mundo. Uma é ligada diretamente à intuição, a fé; o outro, o conhecimento, completamente à razão.
O gnosticismo dava prioridade a este conhecimento espiritual experiencial...este conhecer de Deus não somente através de suas palavras mas do poder transformador delas em si mesma(o). Já o cristianismo mais tradicional, aquilo que costumamos chamar de ortodoxia privilegiou sempre mais a fé, o crer nas palavras sagradas como oriundas de Deus. Aparentemente a um certo ponto as duas correntes aceitam em maior ou menor grau o que é destaque na outra e quando há um equilíbrio entre as duas visões podemos dizer que verdadeiramente o adepto atingiu o ponto de ebulição da transformação.
Enquanto correntes que privilegiavam mais ou menos tanto um quanto outro destes pontos tanto gnosticismo quanto ortodoxia foram criando arremedos do que verdadeiramente poderíamos identificar como sagrado eficaz e real. 
Um ao indiscriminadamente privilegiar o conhecimento, criou uma necessidade visceral de fenômenos em seus seguidores, em constantemente estar em contato com o mundo supranatural e trazer o que de lá se recebia. Os falsos profetas nascem exatamente neste ponto; onde a necessidade de fenômenos e a insuportável relação com o ordinário cria um abismo dentro do coração do adepto pois apenas a confiança da alma no Mestre interior não vale mais a pena, e a necessidade de que novas revelações do mundo espiritual sejam feitas torna-se viciante. 
O outro por sua vez ao privilegiar meramente a fé ou esta em maior destaque ao conhecimento permite que o conhecimento seja visto meramente como algo intelectual, como algo que seja apenas compreendido pelo ler, pelo conhecer das letras e a necessidade de que se aceite aqueles textos como verdade  inequívoca ou seja; ao mesmo tempo que a alma, o adepto é convidado a desenvolver seu intelecto como se aparentemente a razão tivesse tanta importância quanto a intuição nesta busca descobre-se que este conhecimento é um jogo de cartas marcadas...tem-se um grupo de textos considerados "a voz de Deus" e deve-se estudá-los, desenvolver o conhecimento sobre eles mas JAMAIS questioná-los...ou pelo menos a interpretação corrente deles.



Veja bem; dissemos acima que a fé que supostamente a ortodoxia defende é ligada à intuição e o conhecimento que supostamente o gnosticismo defende é ligado à razão entretanto na busca tanto de um quanto de outro o ideal é que ambos sejam vistos pelos dois prismas cerebrais...um verdadeiro ser crístico teria em alta conta tanto um quanto o outro tanto o conhecimento quanto a fé...tanto a razão quanto a intuição.
Esta AQUI exatamente aqui a resolução do conflito de eras entre a ortodoxia e as suas supostas heresias cristãs!
Quando a ortodoxia perdeu de vista a necessidade da experiência pessoal, do contato íntimo entre buscador e buscado, sem a necessidade explícita de guia externo(porque implícita sempre há já que um guru externo pode ser um facilitador de caminhos) e passou a privilegiar a palavra como; A Palavra, e tudo o que difere da interpretação consensual dela como anátema... e por sua vez o gnosticismo, perdendo-se em revelações, sonhos, visões, mirações e contatos com anjos etc...(hoje em dia talvez podemos colocar nesta categoria os etês), ali começou a verdadeira ruptura dos ensinos do Cristo sobre si mesmo, sua mensagem e sobre Deus.
Entendo que deve haver um equilíbrio entre fé e conhecimento...um é manco sem o outro, assim como intuição e razão devam ser partes da mesma moeda e por isto ambas(os) terem o mesmo equilíbrio e o mesmo peso!
A frase atribuída a Buda colocada aqui no cabeçalho deste texto demonstra a meu ver a importância deste equilíbrio. Tanto o buscador deve tomar cuidado com as tradições cristalizadas, as doutrinas engessadas e os dogmas obtusos  quanto também do pueril que muitos manifestam, defendendo indiscriminadamente um olhar anarquista sobre o sagrado. Existem regras para manifestarmos Deus no mundo e elas são extremamente importantes para isto:

1. INTEGRIDADE.
Sem a inteireza do e no Ser de nada adianta conhecer todos os livros sacros, ter sonhos e visões mirabolantes, observar todas as regras disciplinares das religiões se não há vida em si; se não há entrega pessoal e sinceridade nesta.
A integridade é o ato de ESTAR-SE INTEIRO NO QUE SE FAZ!
Sem isto é perca de tempo! A pessoa tem a aparência de que esta vivo, quer se siga as regras doutrinais de uma Igreja ou viva vendo anjos em todos os cantos e criando novas seitas, mas esta de fato...morta!

2. AMOR.
Não existe verdadeira espiritualidade sem amor pelo sagrado em si e nos demais seres!
Este senso de carinho, de afeto pela vida e as formas como ela se manifesta é determinante para que tudo vá a bom termo!
Se amor o mundo não tem molas...não se move!

3. DISCIPLINA.
A disciplina prepara o corpo e todos os órgãos corporais(e aqui falamos de corpo...físico, etérico, astral e mental) para obedecerem o anelo da alma em si e não aos ditames de grupo X ou Y especificamente. 
Portanto tudo o que é feito para aprimoramento mental, físico, sentimental etc...para que a pessoa trilhe o Caminho, temos que ter em mente que esta disciplina visa disciplinar; mente, coração e corpo para ouvirem a alma e manifestarem seu desejo e sede em manifestar Deus no mundo. Este Deus que desde sempre a alma percebe morante em si, ainda que turvada pelo ego, não consegue luzir a contento.
Meditação, oração, jejum, recitação de mantras, etc... poderiam ser elencados como facetas mais populares e conhecidas desta disciplina que a alma deseja e anele para ser observado por aquele onde esta e atua no mundo.
 Com certeza há mais coisas que poderíamos falar destas regras interiores, que a alma entende e assimila para si, para manifestar a contento Deus na Terra. Mas penso que enfocando estes três itens, estas três palavras, teremos uma abrangência de tudo o que poderia ser dito...sem integridade, sem inteireza, sem amor flamejante e observância dedicada(disciplina) da pessoa para manifestar o divino em e através de si pouco se da ser ela um ortodoxo, um gnóstico ou seja lá o nome que se dê!



" HOMEM CONHECE-TE A TI MESMO "

Esta frase capitular do oráculo délfico traduz com clareza como que a busca do conhecimento que estamos a falar aqui é essencial para a vida humana.

O verdadeiro conhecimento Gnóstico e a verdadeira Fé da Ortodoxa é UMA e SÓ coisa quando vista por este prisma!

É um anelo profundo e um abrir-se diário ao manifestar de Deus a partir do centro do Ser!

Conhecer-se a si mesmo não é meramente perceber-se sensorialmente mas àqueles recônditos da alma onde nada nem ninguém pode enxergar ou chegar a não ser a própria pessoa.

Ali estão os segredos mais turvos e as luzes mais dignificantes de cada um!

Ali descobrimos mais como humanidade que somos, ou seja; sobre o coletivo da raça e também o humano que podemos ser; sobre o potencial evolutivo de cada um.

DEUS NÃO PODE SER CONHECIDO ANTES QUE O SER HUMANO CONHEÇA A SI MESMO!

Entretanto por sua infinita graça e misericórdia ele se revela através de seus avatares, através da Hierarquia espiritual, através de humanos ungidos, que olharam além do véu, através do Espírito divino dentro de cada um de nós, através de seu Cristo que veio revelar uma faceta brilhante de sua Face e até através de toda a criação que nos circunda. Basta pararmos e ouvirmos.

Portanto ainda imperfeitos, ainda buscando o auto conhecimento, e muitas vezes, ainda no charco de lodo fétido deste mundo louco, presos a vícios atrozes, podemos SIM ter um encontro com Deus. Um encontro que se revela transformador conforme o grau de nossa fé no momento deste encontro. Alguns tem tal transformação, de envergadura tão intensa que o manifestar de Deus é como um sopro de luz recriando instantaneamente a personalidade e o estado atual daquele humano é tão dispare em relação ao seu estado anterior que nada sobrou para aqueles que o conheciam. Mas na maioria dos casos o processo é gradual...geralmente com autos e baixos.

Perceberam? 

Fé e Conhecimento devem atuar JUNTOS!

Através da Fé o humano acorda, desperta para sua necessidade de Deus e através do conhecimento ele vai descobrindo mais e mais sobre este Deus e sobre si mesmo a ponto de perceber o fio único do mistério dentro de si.



Sobre a Fé, diz o seu texto capitular mais famoso, importante e auto definidor dos bíblicos:

" A FÉ É O FIRME FUNDAMENTO DAQUILO QUE ESPERAMOS E UM MEIO DE DEMONSTRARMOS REALIDADES NÃO VISTAS." Hebreus. 11.1

Viram?

A fé é o fundamento...a base daquilo que desejamos, esperamos, anelamos...intuímos...

E um meio, um caminho, uma via, um portal, para demonstrarmos, revelarmos, manifestarmos realidades que os olhos carnais não observam!

Portanto a Fé neste texto fantástico é vista tanto quanto algo subjetivo quanto objetivo!

Subjetivamente ela é um sentimento, algo que brota dentro de nós e que num crescendo, num amadurecer, num manifestar constante ou imediato se torna concreto, vivo em nós e a base de todas as coisas. Depois objetivamente ela se torna como que um portal dimensional onde podemos entrar a hora que quisermos, conforme o grau de experiência desta Fé, claro, e passamos a interagir com outras dimensões do Ser e mais; passamos a manifestar nesta esfera, nesta dimensão em que estamos estas realidades que de outra forma não seriam vistas, percebidas.

Quanto mais possante é a Fé mais a probabilidade desta viagem por mundos diferenciados ser mais diversificada e frutífera para nossa própria vida aqui nesta dimensão!

Agora vejamos um texto importante bíblico sobre o Conhecimento.



" CONHEÇAMOS E PROSSIGAMOS EM CONHECER AO SENHOR " Oseias 6.3

Veja que o convite aqui é para um ato constante!

Primeiro tu deves conhecer ao Senhor ou seja; tu tens que crer que "Deus existe e é galardoador dos que o buscam" como diz um outro verso bíblico. Galardoar é premiar o que implica que a medida que há o reconhecimento tácito da existência de Deus dentro do ser pela alma Deus se compromete a revelar-se mais e mais para ela.

Portanto este Conhecimento inicial de que fala o texto é este reconhecer da necessidade de Deus e que Ele é uma realidade viva!

Depois não para por ai...Conhecer a Deus é um ato para toda a vida terrestre e mais além!

É um ato inicial de Fé que se transforma num processo contínuo de Gnose!

Dia a dia, mês a mês, ano a ano vai o humano prosseguindo e crescendo neste Conhecimento até atingir alturas inimagináveis. 




Assim vamos percebendo que a vida espiritual e a vida como um todo é um Mistério a ser tanto vivido(Fé) quanto destrinchado(Conhecimento) ...

Viver e Conhecer...dai vem o verdadeiro Experienciar...

Não negando o que falamos acima sobre Conhecimento e Experimentação mas complementando o quanto pudermos, dentro da compreensão que alcançamos, entendemos finalmente que a verdadeira Experimentação ela tanto é resultado de uma Fé ativa quanto de um Conhecimento constante em e sobre Deus, e sobre como se manifesta a vida no mundo, em especial...Nós...

Experimentamos o relacionar com Deus quando nos desarmamos das coisas que nos limitam: o medo, os vícios, o rancor, as mágoas, as tristezas crônicas - existe o entristecer-se por algo ou coisas que foram feitas e o afundar-se na tristeza sem ver rumo novo para nada e muitas vezes um verdadeiro gostar deste estado; o primeiro é normal já o segundo completamente involutivo - exagerando assim coisas que não deveriam ser tão destacadas e empanando coisas que deveriam ter maior destaque em nossas vidas devemos perceber o momento de parar, de travar este processo e nos libertarmos de todas estas limitações.

Esta na hora de fazermos isto! Este é o grande momento para tanto!

Aqueles de nós que verdadeiramente quiser libertação, quiser conhecer o divino, penetrar em seus mistérios através dos portais da fé, ter um constante relacionar com Ele, VAI SIM, obter resposta para seu anelo!

ASSIM É!

Chegou o momento de tu conheceres a ti mesmo e perceberes que Tu e ELE é o mesmo Mistério do Ser!

E então verdadeiramente tudo se fará novo!

Em amor e Luz!

Valter Ludwig Taliesin

Paz e Bem!


VÍDEOS SAGRADOS

DOCUMENTÁRIOS  E FILMES SOBRE ESPIRITUALIDADE

OS VÍDEOS NECESSARIAMENTE NÃO SÃO NOSSA OPINIÃO SOBRE OS TEMAS MAS ENTENDO QUE SE MOSTRAM INTERESSANTES PARA MEDITAÇÃO E ESTUDO SOBRE OS MESMOS.


O JÁ CLÁSSICO FILME: QUEM SOMOS NÓS?


NATIVOS AMERICANOS - CULTURA E ESPIRITUALIDADE

FÍSICA QUÂNTICA E ESPIRITUALIDADE - O SALTO QUÂNTICO DA CONSCIÊNCIA

AS SETE LEIS ESPIRITUAIS DO SUCESSO

O LIVRO O PODER DA CABALA SONORIZADO


FACE TO FACE CLÁSSICA ENTREVISTA COM CARL GUSTAV JUNG


FONTE YOUTUBE





FONTE DE IMAGENS GOOGLE

Um comentário: