Google+ Badge

quarta-feira, 15 de junho de 2011

LILITH...e as Grandes Mães Negras

O mistério das grandes Madonas negras


Chartres....Mont-Serrat..Aparecida...são 3 dos maiores centros de culto católico à Mãe(se bem que segundo a arqueologia o culto à mãe em muitos de tais centros -nos dois primeiros deste exemplo vemos isto- vem do período neolítico) e alguns dos muitos associados ao contexto mãe negra desta mesma entidade.


Para a ortodoxia católica tal personagem(A Mãe) é sempre associado a Virgem Maria mãe do Cristo que se não é uma Deusa no sentido pleno da palavra é detentora contudo de tal grau de veneração que rivaliza com os cultos ao Pai , ao Filho e ao Espírito quiça talvez até transcendendo-os sendo seus centros de culto além dos 3 citados acima mais Lourdes,Fátima,Guadalupe, Medjugorje etc...aqueles com o maior número de romeiros e devotos do catolicismo fora a Basílica de São Pedro em Roma e isto provavelmente por ser em sua HUMANIDADE... santificada como Rainha dos céus e dos Anjos bem como intercessora dos humanos junto ao Cristo... desta forma bem mais próxima do humano que seu divinizado Filho e as outras duas pessoas da Trindade.


Maria surge assim como uma ponte entre o Humano e o Divino e vamos ser sinceros...o retorno velado ao Eterno Feminino sagrado que encontrou na má compreensão ocidental do YHVH hebreu seu fim teológico oficial.


Entretanto como hoje cada vez mais se sabe ao investigarmos os conceitos cabalísticos e israelitas sobre o Divino, Deus para os tais em ultima instância transcende gêneros mas em sua manifestação o faz com atributos que tanto incluem o que se entende por qualidades masculinas quanto femininas.


Desta forma não seria errôneo por exemplo se ao invés de Pai do Céu alguém se referisse a Ele como Mãe do Céu.


É o vício machista ocidental que nos faz vermos um MACHO viril no trono das alturas mais que o bom senso e a razão!


Aliás; propriamente dizendo... o bom senso e a razão deveriam vê-lo  muito além, como disse antes, dos gêneros mas se temos necessidade de visualizarmos a Divindade e sua manifestação em contextos genéricos e humanos não podemos ver apenas uma parte só deste humano neste Divino! 


Assim ao longo de Eras e Eras o Masculino e o Feminino conviveram plenamente unos no seio da Divindade manifesta criativamente no Mundo e o conceito de Mãe negra geratriz e o Deus de luz gerador é provavelmente o mais antigo deles.


Interessante por outro lado que a Ciência atualmente credita ao continente africano o surgimento do homo sapiens e diz com todas as letras que a primeira mulher ou Eva ,em suma; Mãe da Humanidade.....ERA NEGRA......literalmente!


A Madona Negra é encontrada em diversas civilizações do mundo antigo como a Divindade misteriosa e primordial de onde vieram todos os outros deuses e deusas e toda vida....geralmente associada à Terra e também ao seu satélite a Lua ou a sua irmã mais próxima Vênus a divindade primordial nestas sociedades é soberana!


Na Grécia antiga antes do advento dos deuses Titânicos e Olímpicos...reinava Gaia(ou Cibele na Ásia Menor) a mãe de todas as coisas, a Terra negra em sua profundeza abissal e colossal.


No tempo dos titãs Réia assumiu seu lugar e no dos olimpianos Hera,Deméter,Afrodite, Ártemis,Tétis e Atena representaram diversas facetas da Mãe Original.


Entre os Celtas Morrighan(que manifestava-se triplamente como Morrighan a Grande Mãe e suas duas facetas... Nemahim e Macha) é o referencial de Grande Mãe Divina sendo tanto associada a Vida(sexualidade) quanto a morte e a guerra e apesar de não estar referendada oficialmente como Mãe negra tem contudo todos os atributos da mesma .
Brigith era outra Grande Deusa Mãe  associada a Sabedoria dentre outros atributos.


No Egito primeiro Nuit a abóbada celeste depois Isis a deusa Lunar,terminando em Hathor a grande procriadora(seu símbolo era a Vaca) manifestaram com mais sacralidade o mistério da mãe negra.


Na ìndia havia em primeiro lugar o conceito transcendente e altamente filosófico do Divino como Parabrahman depois Brahman sua conceitualização de Emanência e por fim Atman que é o Deus Imanente e Vivo em cada Sêr.
Entretanto com o tempo Brahman ou o Grande Manifesto tomou a forma de uma Trindade...Brahma,Vishnu e Shiva que dependendo da corrente destaca um ou outro como mais significativo(Brahmanistas,Vishnuístas e Shivaistas) e que tem cada um sua consorte sagrada(Saravasti,Lakshmi,Pavarti)...dentre elas se destaca para meu texto e tema a Deusa Pavarti ou Shakti esposa de Shiva e que é o conceito Grande Mãe Negra mais eloquente da civilização hindu em sua forma de Kali.


Na antiga Suméria, mãe da atual civilização humana dos ultimos 6 mil anos, Ninhursag era a grande deusa mãe primordial associada com Ki a esposa de Anu o deus do céu e ambos progenitores de toda a prole divina. Ela também era considerada como criadora da humanidade a qual teria feito os homens da terra negra juntamente com Ea o deus do mar filho de Anu e dela.
Depois destacou-se Ishtar ou Vênus num contexto mais lumificante  e bem mais erótico da grande deusa.
Mas para nosso conceito de Mãe Negra talvez nenhuma destas deusas seja mais significativa que Lilith quer suméricas quer de outras civilizações.


LILITH


A figura de Lilith tem sido demonizada a milênios como a grande rainha dos infernos, dos íncubos e súcubos bem como dos seres vampirescos e elementais.


Nesta qualidade infernal ela seria a esposa de Lúcifer o grande rei Infernal bem como em uma manifestação posterior como Diana a grande deusa lunar romana irmã,amante e co-regente dos grandes mistérios com Apolo(Lúcifer) o deus solar(Luz) e o senhor do oráculo de Delfos(Intraterreno ou Trevas).


Mas as teorias sobre quem originalmente era Lilith não param aqui.


Segundo lendas hebraicas com raízes provavelmente caldaicas e suméricas Lilith seria  simplesmente ....A MULHER ORIGINAL.


Criada do humo negro da Terra conjuntamente com Adão....


Sendo assim na tradição hebraica ou uma parte significativa dela, Lilith seria a mulher original  criada em Gênesis 1 quando Deus diz...' Façamos o homem a nossa imagem e semelhança e depois se diz....MACHO E FÊMEA os criou!'


Eles vêem uma diferenca objetiva e significativa entre este relato da criação e o posterior do capítulo 2 pois no primeiro, homem e mulher sob o designativo genérico de HOMEM são criados macho e fêmea...desta forma enquanto alguns vêem aqui um ser hermafrodita posteriormante separado em duas partes outros vêem uma criação original de um casal em conjunto.


Lilith por ser criada conjuntamente com Adão tem para si o sentido da igualdade em absolutamente tudo e assim quando Adão tenta subjugá-la sexualmente ela o contesta e diz que devera haver equilíbrio entre eles(a posição sexual 'em cima de'....é a origem de toda a querela entre os dois) não predomínio de um sobre o outro.


Isto sôa negativo para Adão e diante do impasse criado ela vai embora deixando Adão desolado.


Dai segundo esta corrente do judaismo, Deus cria Eva das costelas de Adão para que a mesma possa por esta ligação simbiótica com o homem ser, digamos, mais submissa( o que como veremos no episódio da Árvore e do fruto parece não deu muito certo... rs) enquanto Lilith movida de inveja e ódio ao novo casal se torna consorte do príncipe das trevas e é alçada por este como soberana das trevas.


A partir dai os relatos mostram como Lilith usando agora suas prerrogativas demôniacas torna-se um tormento para Adão e Eva coabitando inclusive em sonhos com Adão e gerando deste toda a sorte de elementais e demônios possíveis.


É uma lenda interessante mas extremamente machista!


O que se depreende da mesma é que apesar de ser criada em igualdade com o homem a mulher deve lhe ser submissa e mais; que as mulheres que vieram depois não são filhas da mulher original criada em pé de igualdade com Adão mas da posterior, que veio de sua costela e lhe seria submissa.


Lilith se torna assim sinônimo de tudo o que possa existir de nocivo em termos humanos!


Outra coisa que depreendemos da lenda é que os demônios tem diversas origens e muitos deles tem origem humana como o caso de Lilith.


Outras lendas judaicas por exemplo fazem de Caim o primeiro assassino e muitos de seus descendentes como Tubal Caim e sua irmã Naamá(um rejuvenescido conceito de Lilith aliás) como entidades diabólicas.


Entretanto na Babilônia e na antiga suméria Lilith era associada à coruja e portanto trazia em si um significado oculto de Sabedoria.


Sendo assim será que Lilith era este contexto trevoso negativo que a ortodoxia hebraica evoca ou vemos em sua história bem mais nas entrelinhas do que querem dizer tais lendas?


Como Mãe Negra é certo Lilith estar associada à morte mas como mulher original sua ligação com a vida era basilar e seu conceito de igualdade e liberdade  sugere sua veiculação com a Terra em seu estado virginal e bruto.. Gaia/Cibele...antes de tornar-se 'domesticada' pelo homem ou seja; uma Eva, uma Réia ou Deméter.


A lenda obviamente não nos autoriza a inferir isto já que tem em si o pressuposto da soberania masculina mas olhando pelo prisma da racionalidade e da sensibilidade uma mulher que almeja ser reconhecida como PARCEIRA do homem e não sua serva submissa estaria certa ou errada?


Será que a lenda não é assim mera manifestação arraigada do preconceito machista contra a figura da mulher na sociedade israelita antiga que um relato mitico acertivo sobre esta figura singular?


Podemos aliás vermos tanto Lilith quanto Eva como metáforas(e realmente crêio eu, é a melhor forma de vê-las) de dois tipos de mulher....a mulher que manifesta seu pleno potencial e a mulher que se submete as vontades do macho.


Desta forma podemos olhar Lilith quer entendamos o homem primordial como um hermafrodita ou um casal criado conjuntamente como o lado virgem, negro, selvagem, misterioso da natureza humana e que assusta e amedronta o lado mais racional, mais pragmático enquanto Eva surge como este lado agora domesticado, civilizado, refreado , assimilado, num homem que por medo do desconhecido e misterioso feminino pleno deseja e almeja a submissão deste feminino entendendo que isto lhe sera vantajoso e com isto  ironicamente, com a guarda aberta se sentindo o rei da cocada se vê acometido pela maior das tragédias humanas que é a Queda.
Sua mulher 'submissa', ou seu lado 'domesticado' o traiu e se viu envolto pelas teias de aranha da Serpente tentadora.
Mesmo se entender-se que Lilith também associa-se ao Mal a diferença é abissal entre ela e Eva...enquanto Lilith se o fez, fez por livre e expontânea vontade...Eva é vitima de um engôdo e de seus desejos.
Lilith é senhora de si, Eva é tão submissa que se submete ao primeiro ser envolvente que vê pela frente!


Mas como disse antes, na visão sumérica Lilith era associada a coruja e a coruja é o simbolo máximo da sabedoria ou da deusa sabedoria entre os animais, mitologicamente falando, como podemos ver na mitologia da deusa da sabedoria grega Palas Atena.


Assim como poderiamos ver Lilith diante deste contexto?


LILITH E SOPHIA


Sophia é o nome gnóstico para a sabedoria e era tida como consorte do Cristo ou Logos Divino.
Sophia também pode ser representada como uma posterior representação de Shekinah a nuvem de glória divina que enchia o santuário de YHVH em Israel e com sua óbvia associação ao Cristo passou a ser associada a Maria Madalena que para muitas seitas gnósticas era uma hipostase da sabedoria na Terra.
Maria não seria assim uma mera discipula mas a consorte do Cristo. Se isto implicava uma conotação marital plena ou simbólica e metafórica entre as duas entidades sagradas não sabemos mas trás a lume que entre a morte de Cristo e o estabelecimento oficial do Cristianismo  como religião dominante no Império romano no século 4 através de Constantino muitas aguas 'hereges' rolaram na seara cristã e Maria Madalena era uma das grandes protagonistas na ampla maioria delas conjuntamente ao Cristo e a Virgem Mãe.


Lilith como mãe negra é não só a Terra virgem, negra geratriz da vida mas também a rainha dos mistérios arcanos.
Sua associação com Sophia portanto surge naturalmente....
Assim como A Deusa pode ser entendida como a Luz...a Shekináh divina e autora da vida também pode ser vista como Trevas,como a autora da morte.
Na realidade é o que depreendemos no mito do Éden ...
Diante da Serpente e da árvore a lumificante Eva manifesta a Lilith primeva mesmo que seja de uma forma não plena e livre e torna-se o canal da mortalidade para a humanidade.


Em suma; o que o mito do Éden nos trás?


QUE A MULHER SAGRADA....A MÃE ORIGINAL É TANTO DOADORA DA VIDA COMO DA MORTE !


Assim como A Mãe Negra abarca em si os conceitos luminosos e trevosos(e não nos esqueçamos que a Luz originalmente surgiu das ou nas trevas não o oposto) Lilith abarca em si a Sabedoria da Luz e a Liberdade irrestrita e irrefreável das Trevas que miticamente seduziu originariamente Lúcifer o contexto Trevas e Luz masculino!


Talvez por isto logo adiante a lenda demonize também Naamá e a transforme em uma nova Lilith e desta forma Lilith se torna a Grande madona Negra e Eva e Naamá suas duas hipostases contrárias mas complementares assim como Caim e Tubal Caim hipostases do Anjo caído em contraste com Abel e Seth o Lado Luz da moeda masculina!


Lilith portanto me parece mais atual do que nunca!


Nunca este arquétipo esteve tão vivo como nos dias atuais bem como suas duas contrafaces antediluvianas... Eva e Naamá e todas as deusas Mães e as posteriores faces lumificantes e trevosas que em seguida vieram, desaguando por fim nas manifestas e sacras Virgem Maria( A Luz lumificante em sua manifestação feminina mais famosa) e Maria Madalena(Cujo passado nebuloso e para muitos duvidoso mas principalmente todo o mistério e oculto que ronda sua figura nos meios cristãos alternativos pós assumpção de Cristo... podem vir simbolizar um contexto trevas mas este no bom sentido; deste tipo de mistério, encantamento e ocultamento  da sabedoria primordial).


Lilith hoje em dia manifestasse nas passeatas, nos palanques de campanha política, na frente de cargos públicos, ministérios e governos,nas tvs, nos jornais e revistas, nas telas de cinema,nas ondas do rádio, na determinação de moda e tendências,nas ciências, nas artes,nos tribunais, na educação, na saúde,religião e em diversas áreas humanas onde até pouco mais de 100 anos atrás apenas os descendentes masculinos de Adão e Eva tinham vez.


Agora vemos nestes palcos exclusivos até então aos machos da espécie as filhas de Eva e Lilith cada vez mais ativas e senhoras de si.


Parece que no fim das contas....




LILITH VENCEU!!!


E eu acho isto ....MUITO BOM!


Abraços...


Pax e Lux


Valter Holístico






Em tempo...um bom livro sobre o assunto é Os Pilares de Tubal Caim e a tradição Luciferiana de Michael Howard e Nigel Jackson ...outro também interessante é O livro de Lilith da psicologa e analista junguiana Bárbara Black Koltuv e por fim o site da editôra católica Paulinas onde temos um texto esclarecedor sobre Maria e seus lugares de culto e os cultos antigos a Grande Mãe...http://www.paulinas.org.br/diafeliz/maria.aspx?Data=22/12/2004&DiaMariaID=74





2 comentários:

  1. Excelente trabalho Valter, eu desconhecia completamente o assunto. Um abraço e muita paz.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado minha amiga...realmente é um tema não só desconhecido quanto deturpado por muita gente...

    Abraços querida...muita paz para ti tb!

    ResponderExcluir