Google+ Badge

terça-feira, 23 de agosto de 2011

A MUSICA DOS(AS) ( DEUSES(AS)



(Fonte Youtube)






A arte da música existe desde que o ser humano sentiu dentro de si o belo, o numinoso o esplendoroso.


Não sabemos quando ou quem foi a primeira pessoa que cantou ou confeccionou o primeiro instrumento musical mas sabemos o poder que uma nota, uma palavra cantada ou tocada tem em nossas almas.


Segundo a Bíblia o primeiro humano a confeccionar um instrumento foi JUBAL um dos descendentes de Caim. Lá se diz que ele é o pai(patrono) dos que tocam Liras e Charamelas(Gênesis.4.21)


Mas isto obviamente não nos autoriza a dizer que foi ele o inventor da arte musical  apenas destes dois instrumentos citados, isto se botarmos veracidade no texto sacro.


Mas conceitualmente a Lira é talvez o instrumento mais associado ao culto aos deuses que quaisquer outros instrumentos.


Vejamos o que dizem alguns sites pesquisados sobre o assunto:




A LIRA



A lira é um instrumento de cordas conhecido pela sua vasta utilização durante a antiguidade. As récitas poéticas dos antigos gregos eram acompanhados pelo seu som, ainda que o instrumento não tivesse origem helênica. O gênero de instrumento a que pertence a lira terá tido o seu alvorecer na Ásia, inferindo-se que terá entrado na Grécia através da Trácia ou da Lídia. Enquanto que os primeiros intérpretes, heróicos, e aqueles a quem se reconhecem melhoramentos no instrumento eram das colônias da Iónia, da Eólia ou da costa adjacente ao império Lídio, os mestres propostos pela mitologia grega eram Trácios: Orfeu, Museu e Tamíris.
A estrutura de uma lira consiste num corpo oco - caixa de ressonância - do qual partem, verticalmente, dois braços (montantes), que, por vezes, também são ocos. Junto ao topo, os braços ficam ligados a uma barra - o jugo - que liga as cordas até outra saliência de madeira transversal - o cavalete - disposta junto à caixa de ressonância e que lhe transmite as vibrações das cordas. As cordas são percutidas com a ajuda de um plectro. O número de cordas variava, geralmente entre seis e oito.
As cordas eram feitas de tripa ou de tendões de boi ou carneiro. Há quem afirme que os braços primitivos deste instrumento eram feitos com chifres de cabra.
No Império Bizantino e na Grécia moderna, liras são instrumentos tocados com arco. Na música tradicional grega viva, há três tipos predominantes de lira: a lira cretense, a lira de Constantinopla (polítiki lyra) e a lira do Ponto (pontiakí lyra). São instrumentos pouco menores do que um violino, com três cordas, que se tocam apoiados no colo. As liras desempenham papel de instrumentos de solo na música grega.

Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Lira_(instrumento_musical)

Percebemos aqui pelo texto em questão postado que a Lira tornou-se um instrumento mundialmente conhecido através dos gregos mas sua origem estaria na Ásia ou seja; a tradição bíblica que coloca a mesma tendo surgido nas regiões asiáticas, mais precisamente a leste da Suméria(e ai me pergunto....India? China? outro lugar?) que foi para onde Caim se dirigiu após sair do convívio com os seus, parece ter fundamento pelo menos em termos geográficos.

Claro, estou tratando de todo este assunto no contexto MITOLÓGICO, sem levar em questão ou não a existencial LITERAL de um homem chamado Jubal ou de que todo o contexto bíblico seja ou não veraz.

O que me interessa aqui neste momento é a beleza , a poesia, a poética da mitologia inserida nos relatos o que não faz com que os mesmos sejam lendários ou verdadeiros mas sim METAFÓRICOS e repletos de vida supranatural.

A Lira me parece um instrumento similar a Harpa um dos instrumentos mais amados pelos poetas e pelos bardos em todos os tempos.

David se não o maior, um dos 5 maiores personagens bíblicos de todos os tempos era um exímio tocador de Lira ou Harpa a ponto que o som que emitia de suas cordas afastava o espírito mau que atormentava a vida do rei Saul após deste ter sido retirado o Espírito de YHVH(I.Samuel.16.14-23) espírito mau aliás que segundo o texto procedia do próprio YHVH....o que para alguns denota o senhorio do Deus bíblico tanto sobre o lado Luz quanto o lado Trevoso da Força( sobre o tema da relação de YHVH com o lado trevoso da força vide ainda...I Reis.22.19-23 ,Jó.1.6-12 e ainda IISamuel.24.1 em diante e I.Crônicas.21.1 em diante onde A 'IRA' DE YHVH é associada a 'SATAN' como sinônimos e  para coroar tudo Isaías 45.7 onde é dito taxativamente que tanto a Luz e o Bem quanto as Trevas e o Mal... Nele tem origem).

YHVH surge aqui mais próximo do conceito do GITA hindu sobre Deus do que do conceito dos fundamentalistas de hoje em dia que tentam disassociá-lo a todo custo completamente do outro lado da Força.

Mas voltemos a música que é nosso verdadeiro interesse hoje e deixemos as querelas teológicas para quem gosta deste balaio rs....

David solava sua harpa ou Lira como vimos sempre que o tal espírito mau vindo da parte de YHVH atormentava o rei rebelde Saul e diz o texto que ao ouvir a musica executada por David o espírito se retirava e Saul se sentia bem.

O que se infere do texto assim é o poder curativo da música executada por David.

A beleza e a essência do que ele cantava e tocava afastava o negativo e realçava o positivo em torno do rei abandonado por Deus e assim este se sentia bem.

A musica desta forma surge aqui como terapêutica e não tenho dúvidas que nos centros de cura da antiguidade ela fosse usada como tal.




Delícia de canção do MADREDEUS....

(Fonte Youtube)





Madredeus
Fui ao mar
E não vi nada
Nem sequer
Vi onde estava
Só ouvia
A solidão
Da cantiga
Qu'eu cantava

E senti-me só no escuro...

Ah..
Ah..
Ah..

-Onde está a alegria, que eu sonhava alcançar...

E lembrei porque partira...
Era o mar e a minha Lira

E senti-me só no esuro...

ah...
ah...
ah..

(Fonte: http://letras.kboing.com.br/#!/madredeus/a-lira/)


Vejamos agora o que  diz um texto sobre a Harpa...



A HARPA


A harpa, juntamente com a flauta, é um dos instrumentos mais antigos. Teria se originado dos arcos de caça que faziam barulho ao roçarem na corda. Ela é sempre triangular, lembrando um arco de caça. Tem-se conhecimento através de fábulas épicas, poesias e trabalhos de arte, que as harpas existiam séculos antes de Cristo, na Babilônia e Mesopotâmia. Foram encontrados desenhos de harpas na tumba do Faraó Egípcio Ramsés III (1198-1166 a.C.), em esculturas da Grécia antiga, em cavernas do Iraque que datam desde 2900 a.C e textos religiosos judaico-cristãos afirmam que a harpa e a flauta existiam antes mesmo do Dilúvio.[1] A harpa é constituída pelo corpo, pedais e cordas
Durante o crescimento do islamismo, durante o século VIII, a harpa viajou do norte da África até a Espanha e rapidamente se espalhou pela Europa. Em torno de 1720 foi inventada a harpa com pedais, um desenvolvimento muito importante para o instrumento. Acredita-se que tenha sido inventada por Celestin Hochbrücker, tendo sido aperfeiçoada mais tarde pelo francês Érard em 1810. Actualmente a harpa sinfônica tem 46 ou 47 cordas paralelas e sete pedais, sendo quatro do pé direito e três do pé esquerdo e tem a extensão de seis oitavas.
Entre os maiores harpistas, pode-se citar Nicolas Bochsa (Montmedy France 1789 - Sydney Australia 1856) e Harpo Marx (November 23, 1893 – September 28, 1964), Gabriel Cavalcante (November 25, 1903 - December 24, 1983), Loreena McKennitt e Órla Fallon(do Celtic Woman).


A harpa rudimentar já era conhecida pelos caldeus , egípcios, gregos e romanos e até hoje, representa um importante papel na cultura de alguns povos africanos da região do Saara, especialmente os Bwiti.

A beleza de uma harpa tocada com talento e genuína inspiração é uma experiência incomensurável...


Atualmente talvez a figura mais proeminente com este instrumento seja a grande sacerdotisa da musica Loreena Mckennitt...suas canções tem o poder de nos transportar  para mundos de pura magia,beleza e de pura fantasia.




Loreena solando harpa em...THE LADY OF SHALLOT
(Fonte Youtube)


Percebam a poesia, a beleza, a profundidade de letra e musica desta canção...IMPRESSIONANTE!





Letra de...THE LADY OF SHALLOT





De ambos os lados do rio se encontram

Longos campos de cevada e de centeio,
Que cobrem a planície e encontram o céu;
E pelo campo a estrada corre
Para a Camelot de muitas torres;
E as pessoas vão para cima e para baixo,
Contemplando onde os lírios flutuam,
Há uma ilha mais abaixo,
A ilha de Shalott.


Salgueiros embranquecem, álamos tremem,
Ligeiras brisas, crepúsculo e calafrio
Pela onda que corre eternamente
Pela ilha no rio
Boiando até Camelot.
Quatro paredes cinzentas, e quatro torres cinzentas,
Negligenciam um espaço de flores,
E a ilha silenciosa cobre de sombras
A Lady de Shalott.


Somente ceifeiros, ceifando cedo,
Por entre a cevada suportada
Ouve-se uma canção que ecoa alegremente
Do rio que venta claramente
Até a elevada Camelot;
E ao luar, o ceifeiro cansado,
Empilhando maços em planaltos arejados,
Escutando, sussurra "esta é fada"
A Lady de Shalott".


Lá ela tece dia e noite
Uma teia mágica com cores vistosas,
Ela ouviu um sussurro dizendo,
Que a maldição cairá sobre ela se continuar a
Olhar para baixo, para Camelot.
Ela não sabe o que a maldição pode ser,
E assim ela tece continuamente,
E outro pouco cuidado tem ela,
A Lady de Shalott.


E movendo-se através de um espelho claro
Que pende diante dela todo o ano,
Sombras do mundo aparecem.
Lá ela vê a estrada se aproximar
Ventando sobre Camelot;
E às vezes através do azul espelho
Os cavaleiros vêm cavalgando dois a dois.
Ela não tem nenhum cavaleiro leal e verdadeiro,
A Lady de Shalott.


Mas em sua teia, ela ainda contempla
As mágicas visões do espelho,
Frequentemente pelas noites silenciosas
Um funeral, com plumagens e luzes,
E a música foi para Camelot;
E quando a Lua pendia do alto,
Dois jovens amantes tardiamente se casam.
"Estou meio enjoada das sombras", disse
A Lady de Shalott.


Em uma disparada do pequeno quarto dela,
Ele cavalgou por entre os maços de cevada,
O sol veio ofuscante por entre as folhas,
E ardeu por sobre as canelas despudoradas
Do ousado Sir Lancelot.
Um cavaleiro de cruz-vermelha, eternamente ajoelhado
Para uma senhora em seu escudo,
Que brilhava no campo amarelo,
Ao lado da remota Shalott.

Sua clara sobrancelha brilhou à luz do sol;
Em cascos polidos, seu cavalo de guerra trilhou;
Debaixo de seu capacete fluiam
Seus cachos negros como carvão enquanto cavalgava,
Conforme cavalgava para Camelot.
Da margem e do rio
Ele apareceu no espelho cristalino,
"Tirra lirra", pelo rio
Cantou Sir Lancelot.

Ela deixou a teia, ela deixou o tear,
Ela deu três passos pelo quarto,
Ela viu o lírio aquático florescer,
Ela viu o elmo e a plumagem,
Ela olhou para Camelot.
Para fora voou a teia, flutuando para longe;
O espelho rachou de lado a lado;
"A maldição caiu sobre mim", chorou
A Lady de Shalott.

O tempestuoso vento leste forçando,
Os pálidos bosques amarelos estavam minguando,
O amplo riacho em suas margens reclamando.
O baixo céu chovendo fortemente
Por sobre a dominada Camelot;
Ela desceu e encontrou um barco
Sob um flutuante salgueiro partido,
E em volta da proa, ela escreveu
A Lady de Shalott.

E descendo o extenso e turvo rio
Como algum vidente ousado em transe,
Vendo toda sua própria miséria -
Com um semblante paralizado
Ela olhou para Camelot.
E ao fim do dia
Ela soltou as correntes e deitou-se;
O amplo riacho levou-a para longe,
A Lady de Shalott.

Ouvido um hino, pesaroso, sagrado,
Cantado ruidosamente, cantou humildemente,
Até que o sangue dela fosse lentamente congelando,
E seus olhos ficassem completamente escurecidos,
Voltada para a elevada Camelot.
Antes que com a maré ela alcançasse
A primeira casa da costa,
Cantando sua canção, ela morreu,
A Lady de Shalott.

Sob a torre e a sacada,
Do muro do jardim e da galeria,
Um vulto cintilante, ela flutuou,
Uma palidez morta dentre elevadas casas,
Silencio pairando em Camelot.
Do distante cais, eles vieram,
Cavaleiro e burguês, lorde e dama,
E em volta da proa, eles leram o nome dela,
A Lady de Shalott.

Quem é esta? O que faz aqui?
Com o palácio iluminado nas proximidades
Morreu o som da real celebração;
E eles se cruzaram por medo,
Todos os Cavaleiros de Camelot;
Mas Lancelot refletiu por um tempo,
Ele disse, "ela tem uma face adorável;
Deus em Sua clemência empresta graça a ela,
À Lady de Shalott".

(Fonte:http://letras.terra.com.br/loreena-mckennitt/25250/traducao.html)








A CÍTARA



A cítara é um instrumento de cordas, usado sobretudo na música folclórica, mais comummente em países de língua alemã nos Alpes e na Europa do Leste.
O instrumento consiste numa série de cordas esticadas dentro ou sobre uma caixa de ressonância. Existem versões que só têm cordas livres, e versões em que algumas cordas estão esticadas sobre uma manga com trastos. Como vários outros instrumentos de corda, existe em versões acústicas e eléctricas. Desconfia-se que o nome cítara deriva de um instrumento da Grécia antiga chamada Kithara.
Na classificação de instrumentos de Hornbostel–Sachs, cítaras é também o nome dado a qualquer tipo de instrumentos que contém cordas esticadas dentro de uma caixa de ressonância, como por exemplo, saltério, psaltério, Saltério dos Apalaches, guqin, guzheng, koto, kantele, gayageum, đàn tranh, kanun, autoharpa, santoor, saltério chines, piano, cravo, santur, swarmandal, entre outros. Neste caso pode-se chamar de família das cítaras.
Diferente da cítara, o sitar possui suas cordas esticadas além da caixa de ressonância, ou seja, num braço.

(Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%ADtara)


Ouçamos uma canção executada por cítara e sorvamos a  beleza espetacular de cada momento e o enlevo que isto nos causa...


Alberto Marsicano tocando sua Cítara indiana




(Fonte Youtube)


Marsicano é realmente um músico impar....


Percebemos então que Lira, Harpa e Cítara são instrumentações irmãs com sonoridades muito semelhantes mas também com particularidades bem distintas.





Entretanto estes 3 instrumentos ao longo dos milênios tem feito a alegria dos homens e o regozijo dos deuses com musicos talentosos tirando deles acordes que ficaram na memória mitológica dos povos.

Mas não nos esqueçamos do outro instrumento que Jubal teria criado ou seria patrono... a CHARAMELA...



A FLAUTA


Sim, pelos designativos que encontramos sobre este instrumento Jubal é o criador dos dois mais antigos e famosos instrumentos que os humanos conhecem a lira(harpa , Cítara etc...) e a flauta. 

Vejamos o que diz uma fonte sobre o assunto....


A charamela é um instrumento musical de sopro. Originário da Idade Média, é construído em madeira, possui uma palheta simples e pode ser considerado o antecessor do clarinete.
Em 1690, Johann Cristoph Denner, charamelista alemão, acrescentou à sua charamela uma chave para o polegar da mão esq e lhe trouxe mais possibilidades sonoras. Surgiu assim o clarinete clássico. Introduzido nas orquestras em 1750, foi um dos últimos instrumentos de sopro na formação orquestral moderna.
A charamela não deve ser confundida com o shawm, instrumento do mesmo período, que possui uma palheta dupla (geralmente considerado o antecessor do oboé).

(Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Charamela)

Como vimos na fonte acima a Charamela esta anos luz de Jubal, segundo esta fonte ela foi criada na idade média.

Entretanto o tradutor bíblico deve ter traduzido o termo FLAUTA por charamela pois na verdade da flauta poderiamos dizer que vieram os demais instrumentos de sopro.

Assim poderiamos imaginar Jubal ou seja lá quem foi o primeiro criador deste instrumento criando a partir de quem sabe um osso de animal a primeira flauta que o tradutor bíblico aqui talvez inebriado pelo som das charamelas da idade média preferiu usar este termo.

Assim a dita charamela é uma evolução da flauta ancestral de Jubal assim como esta é uma antecessora do nosso conhecido clarinete.

Vejamos o que a mesma fonte diz sobre a flauta....



A mais antiga flauta já descoberta pode ser um fragmento do fêmur de um jovem urso-das-cavernas, com dois a quatro furos, encontrado em Divje Babe na Eslovênia e teria cerca de 43 mil anos. A autenticidade desse fato, porém, é muitas vezes contestada.[2][3] Em 2008, outra flauta com fabricada há pelo menos 35 mil anos foi descoberta na caverna Hohle Fels, perto de Ulm, Alemanha.[4] A flauta de cinco furos tem um bocal em forma de V e é feita a partir de um osso de asa de abutre. Os pesquisadores envolvidos na descoberta publicaram oficialmente suas descobertas na revista Nature, em agosto de 2009.[5] A descoberta é também a mais antiga já confirmada referente a qualquer instrumento musical na história.[6] A flauta, uma das várias encontradas, foi descoberta na caverna Hohle Fels ao lado do Vênus de Hohle Fels e a uma pequena distância da mais antiga escultura humana conhecida.[7] Ao anunciar a descoberta, os cientistas sugeriram que as "descobertas demonstram a presença de uma tradição musical bem estabelecida na época em que os seres humanos modernos colonizaram a Europa".[8] Os cientistas também sugeriram que a descoberta da flauta pode ajudar a explicar "o comportamento provável e o abismo cognitivo entre" o homem-de-neandertal e os primeiros homens modernos.[6]

Referências

  1. Flauta.com. Como Tocar Flauta?. Acesso em 11 de setembro de 2009
  2. Tenenbaum, David (junho 2000). Neanderthal jam. The Why Files. University of Wisconsin, Board of Regents. Página visitada em 14 de março de 2006.
  3. Flute History, UCLA. Acessado em junho de 2007.
  4. BBC: 'Oldest musical instrument' found
  5. Nicholas J. Conard, Maria Malina, and Susanne C. Münzel (August 2009). "New Flutes Document the Earliest Musical Tradition in Southwestern Germany". Nature 460 (7256): 737–40. DOI:10.1038/nature08169. ISSN 0028-0836. PMID 19553935.
  6. a b 'Oldest musical instrument' found. BBC news (25 de junho de 2009). Página visitada em 26 de junho de 2009.
  7. Music for cavemen. MSNBC (24 de junho de 2009). Página visitada em 26 de junho de 2009.
  8. Flutes Offer Clues to Stone-Age Music. The New York Times (2009-06-24). Página visitada em 2009-06-26.

[editar] Ver também


Flautas

Enfim pela fonte em questão fica difícil relacionar a flauta com Jubal a não ser que imaginemos que estas ditas flautas encontradas não sejam as mais antigas e que as flautas da Ásia ainda esperam ser encontradas ....mas como disse antes, estamos tratando de MITOS e o mais importante do mito é a METÁFORA que exemplifica o inexplicável .... ou pelo menos aquilo que esta encoberto pelas brumas do tempo e do mistério.

Vejamos agora uma bela canção executada por flauta...CAVALGADA CÓSMICA


(Fonte Youtube)


 Que maravilha não?

Muitos outros instrumentos foram ao longo dos tempos agregados às festas e cultos dos humanos, fazendo a sonoridade de nossas alegrias e tristezas até mesmo de nossas guerras.

O Som retumbante dos tambores de guerra eram um dos sons mais assustadores que as cidades da antiguidade poderiam escutar enquanto a corneta de chifres era o som que convocava o povo para agir ou reagir ante os confrontos que ensanguentaram o solo de Gaia por milhares de gerações.

Vejamos uma musica marcial que desperta sentimentos conflitantes dentro de nós quando ouvida apesar de sabermos que é um chamado à guerra, a beleza dos acordes e as gestas heróicas que imaginamos por trás da mesma mudam completamente o sentimento negativo que poderiamos ter diante de tal canção...

O TEMA DO ULTIMOS DOS MOICANOS... composto por Trevor Jones para o filme dirigido por Michael Mann sendo estrelado por Daniel Day Lewis e Madeleine Stowe e que se tornou um dos temas de cinema mais famosos de todos os tempos.

(Fonte Youtube)



Agora uma canção que penetra no conceito mais profundo de sacrifício e heroismo e que desperta em nós sentimentos e vontades similares....

O Tema de GLADIADOR estrelado por Russell Crowe,Oliver Reed,Richard Harris,Djimon Hounsou,Connie Nielsen,Derek Jacobs e Joaquim Phoenix e dirigido por Ridley Scott na bela voz de Lisa Gerrard e os acordes do maestro Hans Zimmer.

(Fonte Youtube)


Nem precisou colocar a letra aqui pois a tradução desta belíssima canção de gladiador aparece no vídeo....


Agora uma musica que demonstra o conflito interior do ser humano, a luta entre o Bem e o Mal dentro de uma  nobre, aprendiz de artes marciais e sua batalha íntima para escolher qual caminho seguir...
 brilhantemente executadas por Tan Dun e Yo Yo Ma para o filme O TIGRE E O DRAGÃO de Ang Lee....estrelado por Ziyi Zhang,Chow Yun Fat, Michelle Yeoh, Chang Chen e Cheng Pei Pei.

(Fonte Youtube)


E claro , não poderiamos deixar de mostrar um dos grandes temas universais que interage com a musica como nunca....O AMOR...

E para isto evocamos o tema do maior romance literário/cinematográfico de todos os tempos....

E O VENTO LEVOU de Victor Flemming com os imortais acordes de Max Steiner embalando o quarteto de ouro... Vivien Leigh(Scarlet),Clark Gable(Rheth),Olivia de Havilandd(Melanie) e Leslie Howard(Ashley).

(Fonte Youtube)


E o amor continua potente com a belissima trilha do grande rival de E o Vento levou como coqueluche romântica do cinema de todas as eras....


TITANIC do mago James Cameron com trilha do maestro James Horner(e aquela música que todo mundo amou e depois odiou na voz de Celine Dion rs...)e estrelado por Kate Winslet,Leonardo DiCaprio,Glória Stuart,Billy Zane,Kathy Battes e Bill Paxton.


(Fonte Youtube)

E agora o mais imortal dos sentimentos humanos... a busca por SI mesmo, por Deus/Deusa, de onde viemos, para onde vamos, o que somos...

Escolhi esta canção que traduz poderosamente a busca humana pelo sagrado...na devoção

FUNDAMENTUM uma das mais belas canções gótico/gregorianas que já ouvi nas maviosas vozes do LESIEM.

(Fonte Youtube)




Esta letra tem que ser postada em toda a sua força no original....em latim






Fundamentum

Lesiëm


Romulus Dominus
Romulus Dominus
Remus Romulus Divinus Duramentum
Remus Romulus Divinus Fratercaedes
Sanctus Dominus Exitus Paludamentum
Masculus Dominus Similis Non Fundamentum
Romulus Dominus Maximus Reconcillio
Romulus Dominus Maximus Non Fundamentum
Remus Romulus Divinus Duramentum
Remus Romulus Divinus Fratercaedes
Sanctus Dominus Exitus Paludamentum
Masculus Dominus Similis Non Fundamentum
Romulus Dominus Maximus Reconcillio
Romulus Dominus Maximus Non Fundamentum
Romulus Dominus


Uma que mostra ao mesmo instante o mistério da existência e toda a saga evolutiva do homem até o nascimento da criança estrela...


Assim falou Zaratustra de Richard Strauss tema de 2001 UMA ODISSÉIA NO ESPAÇO é uma das obras primas da musica clássica e mundial e caiu como uma luva neste filme magistral de mestre Stanlwy Kubrick em roteiro dele e do grande Arthur C. Clark tendo no elenco Keir Dullea e Gary Lockwood.


(Fonte Youtube)


Uma que busca mostrar o que define um indivíduo como ciente, pensante e com direito a perenidade a eternidade...
Este é o momento climax do filme e a meu ver o que classificou-o definitivamente como uma obra prima...o confronto e depois o discurso final de Roy para Deckard.. a musica é do grande Vangelis o filme do não menos grande Ridley Scott e o elenco só feras lideradas por Harrison Ford como Rutger Hauer,Sean Young, Daryl Hannah e Edward James Olmos.


(Fonte Youtube)


Este apesar de focar um empreendimento aparentemente humano e materialista o descobrimento da América tem contudo a tragicidade e a grandeza em si dos grandes temas universais de busca, de procura, de descoberta, de aventura... de novos horizontes, do encontro do humano com estes horizontes que lhe definirão os rumos a seguir de civilização e evolução.
O filme é bom mas não ficou tão célebre apesar de ter Ridley Scott na direção e um elenco potente com Gerard Depardieu,Sigourney Weaver e Armand Assanté dentre outros... mas a trilha sonora de Vangelis se tornou mitica e perpetuou-se além da obra cinematográfica.

(Fonte Youtube)


Esta aqui poderia até fazer parte dos românticos porque a musica se tornou durante anos um dos temas principais dos casórios mundo afora...ma o tema do filme fala de dois corredores um ateu e outro crente que correm ambos para defenderem suas conviccções, um para ressaltar o humano em si e o outro para exaltar Deus que via nele e na humanidade...


CARRUAGENS DE FOGO,filme muito bom de Hugh Hudson estrelado por Ben Cross,Ian Charleson ,Ian Holm,John Gielgud, Alice Kridge e Brad Davis tem nos acordes imortais de Vangelis sua perenidade mais que em sua qualidade cinematográfica(apesar de ter ganho o oscar de melhor filme) exatamente o que aconteceu com 1492.


(Fonte Youtube)



E por fim outra que define esta busca em termos tanto íntimos como cósmicos...
BEATLES em Across the Universe                                                          (Fonte Youtube)




Tradução de Across The Universe




Através do Universo

Palavras flutuam como uma chuva sem fim dentro de um copo de papel
Elas se mexem selvagemente enquanto deslizam pelo universo .
Piscinas de mágoas, ondas de alegrias estão passando por minha mente
Me possuindo e acariciando


Glória ao mestre


Nada vai mudar meu mundo
Nada vai mudar meu mundo
Nada vai mudar meu mundo
Nada vai mudar meu mundo


Imagens de luzes quebradas que dançam na minha frente como milhões de olhos
Eles me chamam para ir pelo universo
Pensamentos se movem como um vento incansavel dentro de uma caixa de correio
Elas tropeçam cegamente enquanto fazem seu caminho pelo universo


Glória ao mestre

Nada vai mudar meu mundo
Nada vai mudar meu mundo
Nada vai mudar meu mundo
Nada vai mudar meu mundo

Sons de risos, sombras de amor estão tocando meus ouvidos abertos
Incitando e me convidando.
Ilimitado amor eterno, que brilha em minha volta como milhões de sóis,
E me chamam para ir pelo universo

Glória ao mestre

Nada vai mudar meu mundo
Nada vai mudar meu mundo
Nada vai mudar meu mundo
Nada vai mudar meu mundo

Glória ao mestre
Glória ao mestre
Glória ao mestre
Glória ao mestre
Glória ao mestre
Glória ao mestre




Entretanto para fechar o texto não poderia NUNCA deixar de falar do maior dos instrumentos que existem para o humano expressar o que lhe acomete a alma, a mente e o coração....



A VOZ HUMANA

Só de ouvir o Lesiem logo acima dá para se ter uma ideía do poder da voz humana ou se escutarmos Loreena McKennitt, Sarah Brightman,Elvis Presley,Enya,Ella Fitzgerald,Billie Holliday,Frank Sinatra,Andrea Bocelli,Sarah Vaughnn,Luciano Pavarotti, Maria Callas,Barbra Streisand,Plácido Domingo, José Carréras e muitos outros grandes intérpretes da canção mundial; mas escolhi colocar aqui dois momentos distintos do encontro entre voz e instrumentos que considero entre os mais antológicos e belos já feitos...

Primeiro o encontro entre o violinista e as vocalistas da banda de YANNI .....

em TRIBUTO

Agora o mesmo Yanni regendo a mesma canção cantada...


pelo tenor americano de origem brasileira NATHAN PACHECO.

(Fonte de ambos Youtube)

Seja em que versão for....é uma maravilha não?


Também não poderia deixar de mostrar a voz humana e o instrumental em toda sua plenitude no maior clássico de rock já feito....

LED ZEPPELIN a suprema banda... a guitarra mágica de Page e a voz magistral de Plant e cia executam a mais imortal das canções do rock... STAIRWAY TO HEAVEN....

(Fonte Youtube)


Tradução de Stairway to Heaven




Escadaria Para o Paraíso

Há uma senhora que tem certeza que tudo o que brilha é ouro
E ela está comprando uma escadaria para o paraíso
Quando ela chega lá ela descobre que se as lojas estiverem todas fechadas
Com apenas uma palavra ela consegue o que veio buscar


E ela está comprando uma escadaria para o paraíso


Há um sinal na parede mas ela quer ter certeza
Porque você sabe que às vezes as palavras têm duplo sentido
Em uma árvore a beira do riacho há um rouxinol que canta
Às vezes todos os nossos pensamentos estão errados.


Oh,Isto me faz pensar
Isso me faz pensar


Há algo que sinto quando olho para o oeste
E meu espírito chora ao partir
Em meus pensamentos tenho visto anéis de fumaça atravessando as árvores
E as vozes daqueles que ficam parados olhando

Isto me faz pensar
Isto realmente me faz pensar

E um sussurro avisa que em breve se todos entoarmos a canção
Então o flautista nos levará à razão
E um novo dia irá nascer para aqueles que suportarem
E a floresta irá ecoar com gargalhadas

Se houver um alvoroço em sua horta, não fique assustada
É apenas limpeza de primaveril da rainha de maio
Sim, há dois caminhos que você pode seguir, mas na longa estrada
Há sempre tempo de mudar o caminho que você segue

E isso me faz pensar

Sua cabeça lateja e não vai parar
Caso você não saiba, o flautista te chama para você se juntar a ele
Querida senhora, pode ouvir o vento soprar?
E você sabia que sua escadaria repousa no vento sussurrante

E enquanto corremos soltos pela estrada
Com nossas sombras mais altas que nossas almas, lá caminha uma senhora que todos conhecemos
Que brilha luz branca e quer mostrar
Como tudo ainda vira ouro e se você ouvir com atenção

A canção irá finalmente chegar a você
Quando todos são um e um é o todo
Ser uma rocha e não rolar
E ela está comprando uma escadaria para o paraíso...
(Fonte:http://letras.terra.com.br/led-zeppelin/64052/traducao.html)


Percebam a riqueza não só melódica,sonora e ritmica desta canção do Zeppelin mas sobretudo o hermetismo e poética da letra que inclusive ja comentei aqui em texto exclusivo...
E assim, desta forma percebemos o quanto a musica faz parte de nossas relações mais íntimas, de nossos momentos mais marcantes, de nossa mais cara realidade.

E ao percebermos que o mais sacro dos livros ocidentais associa a primeira manifestação musical à geração perdida de Caim nos pomos a imaginar....será por isto que o texto faz tal associação?

Será que por se sentirem mais distantes da Divindade que seus outros irmãos esta geração de 'perdidos' encontrou primeiro na musica uma forma de acalentar a alma e acalmar o fogo que lhe remoia interiormente?

Claro falamos como disse antes de MITOLOGIA, o interesse básico do texto é mostrar que a música esta entranhada na alma humana desde priscas eras e se a primeira pessoa que a manifestou foi considerada de uma geração perdida só podemos imaginar que a tragicidade humana se torna ainda mais realçada a cada acorde musical que ouvimos....

Seja como for com Jubal ou sem Jubal a música se tornou o maior veículo de expressão dos sentimentos humanos que existem quer com os 'perdidos' quer 'achados' rs...

Basta ver que na própria Biblia...que dois livros são dedicados especialmente a cânticos....O Cântares e os Salmos....

Assim, que a musica nossa de cada dia possa embalar nossa peregrinação nesta Terra até o momento em que ou iremos embora daqui ou este mundo se transformará de um vale de lágrimas em um oásis de bençãos, de um mundo de provas em um mundo ascenso...

Como dizia o personagem de Yul Brynner em Os Dez Mandamentos....

QUE ESTEJA ESCRITO....E QUE SE CUMPRA!!!

E por falar em OS DEZ MANDAMENTOS...encerramos esta viagem musical com

o tema de Elmer Bernstein para o grande clássico dirigido por Cecil B. de Mille e estrelado além de Yul Brynner como Ramsés 2,por Anne Baxter, Yvonne de Carlo, Edward G. Robinson,Vincent Price,Debrah Pagett,John Derek,John Carradine,Nina Foch,Ciedrick Hardwick e o grande Charlton Heston como Moisés.

(Fonte Youtube)



Para todos vocês, que as mais belas e divinas canções possam embalar vossas vidas nesta Terra e....MAIS ALÉM!

Um forte abraço....


Pax e Lux



VALTER TALIESIN






















Nenhum comentário:

Postar um comentário