Google+ Badge

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

CASAIS DIVINOS: ARTHUR E MORGANA

A morte de Arthur





Fonte : Google imagens






Arthur Pendragon é o mais famoso rei da mitologia mundial.




Fonte:  Google imagens

Os estudiosos ainda se debruçam para saber se o mítico monarca foi ou não um personagem real. E se o foi quem ou o que ele foi.


As idéias vão desde que o personagem nunca tenha existido até que possa ter sido um grande lord, um grande duque que substituiu o poder romano quando em 410 DC este abandonou sua província na Bretanha deslocando suas legiões para defenderem Roma dos constantes ataques de forças bárbaras.


O império romano no Ocidente estava nos seus estertores e duraria pouco mais de 50 anos.


Algumas das versões da lenda localizam na saída das forças romanas da Bretanha o nascimento de Merlim uma das figuras centrais(e não coadjuvante)do ciclo arturiano, inclusive tendo seu próprio núcleo de mitos e lendas, Merlim é um personagem tão grandioso quanto Arthur.


Uns 40 anos após o nascimento de Merlim nasce Arthur em torno de 450 DC, destinado a ser o maior dos reis da História mundial.


É extremamente significativo portanto que o maior dos reis da terra tenha seu pé muito mais fincando na lenda e na mítica do que numa realidade tridimensional e histórica.


Morgana Le Fey por sua vez nasce em torno de 440 a 445 DC sendo de 5 a 10 anos mais velha que o irmão. Morgana é dentre todos o mais ambíguo dos personagens do ciclo arturiano.





Fonte: Google imagens

Tão grandiosa no mito quanto Arthur e Merlim, Morgana evoca em si a figura da religião das fadas, da Grande Mãe, dos antigos celtas.


Pagã até a raiz do cabelo(até mais que Merlim que em algumas versões do mito aparece como um Bispo cristão) Morgana em muitas das vertentes aparece como vilã, inimiga figadal de Arthur e Merlim e de todo o conceito de Camelot.


Mas creio que isto é mais um reflexo posterior do que verdade.


Eu particularmente prefiro as versões do mito onde ela aparece como uma grande sacerdotisa do culto da mãe, amiga de Arthur e tão vítima quanto ele do cruel destino que se abate sobre os dois irmãos.


Devemos entender sobretudo que muito do mito destes personagens quer tenham sido reais ou lendários é calcado em cima dos escritos posteriores de clérigos cristãos que escreveram entre os séculos 6 e 13 de nossa era, baseados em tradições orais dos antigos bretões.


Arthur e Morgana nunca formaram um casal de fato nas lendas , eram irmãos, entretanto na história que fala de como eles fizeram sexo entre si e geraram Mordred podemos estar diante de fatos que talvez foram deturpados posteriormente na criação do mito.


Morgana talvez fosse a grande sacerdotisa de Avalon por ocasião da geração de Mordred e talvez nem irmã de Arthur fosse.


Como os futuros redatores cristãos do mito queriam por todos os meios denegrir a imagem do culto ancestral dos druidas e da grande Mãe podem ter inventando esta ligação de sangue entre os dois personagens.


Por outro lado como vimos na mítica dos deuses egípcios e na tradição dos faraós, não seria incomum naqueles tempos  a relação sexual entre irmãos para manterem o sangue 'puro' entre a realeza ou algo do gênero e se somarmos a isto o fato de que segundo algumas vertentes da lenda, Arthur exercia o papel do Deus da natureza, o cornudo e Morgana o de Deusa Mãe quando fizeram sexo, isto só reforçaria o fato de que não seria de todo incomum esta relação entre eles mesmo sendo irmãos.


A demonização de Mordred aliás deve seguir o mesmo caminho.


Filho do rei supremo e da rainha das fadas(um dos títulos de Morgana ), Mordred tinha tudo para ser um personagem mítico ainda mais glorioso que o pai.


Entretanto os velhos costumes, o velho culto perdia espaço para o Cristianismo no coração do povo exatamente no tempo em que as histórias dizem que estes personagens estavam vivendo.


Assim como encarar um filho nascido da relação entre dois irmãos, sendo um deles a rainha das fadas ou seja; uma personagem tida como bruxa diabólica senão como sendo uma artimanha de Satan para manchar a honra do maior dos reis?


Desta forma Morgana é transmutada como uma bruxa má, de índole perversa que por meio de artifícios diabólicos,leva o rei da Bretanha para sua cama para desta relação 'pecaminosa' gerar uma espécie de anti cristo daqueles tempos.


Até Shakespeare deve ter invejado esta tragédia...


Irmão é irmã geram um filho num ritual pagão que depois se torna na Nêmesis do próprio pai.


Por outro lado a figura de Arthur tem muita similaridade com um rei tão grandioso e mítico quando ele para a cultura judaica e ocidental e que viveu 1400 anos antes dele em Israel.....o Rei David.


No mito de David sua Morgana chama-se Bath Sheba e era sua amante que se tornou posteriormente  sua mulher e rainha.


A vantagem contudo é que o filho dos dois(um deles) seria Salomão e este se tornaria tão grandioso quando o pai, mas como estamos tratando de mitos bíblicos o filho imediatamente gerado do coito entre os dois por ocasião do adultério morreu ao nascer.

A nêmesis de David contudo é um outro filho seu, Absalom , seu filho mais querido,que como Mordred faz de tudo para destronar o pai e se Mordred é a nêmesis de Arthur porque nasceu do coito proibido do rei com sua irmã,Absalom o é  de David porque seu pai tem que ser castigado por ter adulterado com Bath Sheba e ordenado a morte de seu marido no processo e qual a forma melhor de se fazer isto do que o filho preferido rebelar-se contra o pai ?


Assim como Arthur tinha seus cavaleiros e sua tavola redonda, David tinha seus valentes e seu castelo em Jerusalém e se entre os de Arthur brilhava dentre outros a figura de Lancelot, nos de David se destacava Joab, seu sobrinho e comandante supremo de suas forças.


Se Arthur teve sua Guinevere que acabou lhe traindo com Lancelot, David teve Mical sua primeira mulher que não o traiu com Joab, mas depois que David se tornou inimigo de Saul, pai de Mical, esta foi dada em casamento a outro.


Com a morte de Saul, David vai atrás de sua primeira esposa e a toma à força do segundo marido.


Entretanto Mical nunca mais sentiria por ele o que sentira quando eram jovens(talvez lhe culpasse pela morte do pai), se tornando amargurada e tudo indica nunca esquecendo o outro homem que afinal tinha lhe sido um bom marido, enquanto que com David agora tinha que repartir o leito com miríades de rivais.


Tanto Arthur como David surgem como o protótipo perfeito dos reis divinos, dos ungidos, sendo que Arthur incorpora em si tanto a mítica pagã, quanto cristã posterior sobre este tema.


David por sua vez é o rei mítico por excelência da cultura judaico cristã.


Seja como for não podemos  afiançar que Arthur seja uma lenda posterior de cristãos celtas calcada na figura do rei bíblico até porque se existem certas similaridades existem por outro lado MUITAS particularidades também em ambos os mitos .


Voltando a Morgana e Arthur, ambos não formaram um casal convencional mas arrisco dizer que Morgana era muito mais candidata a título de alma gêmea de Arthur que Guinevere.


A figura da rainha apesar de amada pelo marido e também o amando surge contudo eclipsada pelo romance avassalador que esta tem com Lancelot que destrói completamente a utopia de Camelot.


Guinevere desta forma pode ser encarada com um potencial destruidor até maior que Morgana se encararmos as versões onde a senhora de Ávalon é vilã como factuais,  pois enquanto Morgana tem seu auge no nascimento de Mordred, Guinevere mina a autoridade do rei acasalando-se com seu principal cavaleiro e amigo. E não é uma traição comum...


Guinevere e Lancelot se amam de fato e são para todos os efeitos almas gêmeas se observarmos todas as nuances do mito.


Na verdade quem surge como verdadeiro estranho no ninho nesta relação é o rei não seu cavaleiro.


Guinevere e Lancelot estariam destinados um ao outro se o rei não tivesse cruzado seus caminhos e o pai de Guinevere não tivesse desta forma se comprometido a casar a filha com o novo rei.


Não significa que Guinevere não tenha de fato de alguma forma amado Arthur , mas este amor sempre foi empanado ,nublado, pelo imã de alma que a unia a Lancelot.


Em algumas versões do mito Lancelot e Guinevere se apaixonam depois desta ter se casado com Arthur mas em outras eles se apaixonam antes e sofrem silenciosamente quanto esta é dada em casamento ao rei.


Talvez quem sabe, isto tenha sido um recurso narrativo que alguns escritores encontraram para atenuar o adultério da rainha...ou talvez  nenhum talvez explique estas coisas.  


É este relacionamento e não o posterior ataque de Mordred a Camelot que destruirá de fato o reino mítico.


Após o desastre,Guinevere recolhe-se a um convento, Lancelot parte pelo mundo em peregrinação para purgar-se do mal que fizera ao rei e Arthur cai em profunda depressão e prostração sendo que Mordred então só faz dar o golpe de 'misericórdia'.



Morgana contudo nas boas versões do mito tem um final magistral.


Ferido gravemente na grande batalha que trava contra o filho o grande rei depois de mandar Bedovar lançar excalibur de volta ao lago vê surgir ao longe um grande barco , dentro dele donzelas entre as quais sua irmã, a rainha de avalon, a senhora das fadas. Elas recolhem o rei ferido e o levam para Ávalon, onde diz a lenda estaria até hoje esperando a hora propícia para novamente retornar quando a Inglaterra dele necessitar.


Nesta versão do mito portanto não só Arthur mas também Morgana sofrem com a traição do filho.


Ambos são vítimas de um destino funesto que se abate sobre Camelot e Morgana faz de tudo para reverter o poder desta sina sobre eles.


Marion Zimmer Bradley escreveu a mais famosa das recentes versões sobre o mito de Arthur, AS BRUMAS DE ÁVALON, dando especial destaque as figuras femininas pois a escritora ,feminista e wicanna(pelo menos quando escreveu tal obra havendo relatos de que depois disto teria se convertido ao Cristianismo próximo de sua morte)foca principalmente na figura de Morgana como protagonista, sua heroína máxima e exemplo vivo de mulher.



Fonte: Google imagens


Marion Zimmer Bradley


Fonte: Google imagens

Talvez tenha sido uma enorme prova Arthur e Morgana terem nascido irmãos para estas duas almas nobres e enamoradas.


Tinham muito mais a ver como amantes, como um casal, do que como irmãos.

E o destino neste sentido conspirou contra eles.

Morgana nunca encontrou um homem que lhe correspondesse a altura(Merlim seria muito velho para ela e alma gêmea de Viviane não dela) e Arthur teve que encarar o casamento com uma mulher que de fato e de direito seria de outro mesmo havendo carinho e amor entre eles.

Morgana nos mitos onde aparece como vilã  foi inimiga também de Merlim, mas na maioria dos mitos a figura desta rival feminina que finalmente conquista e destrói o grande mago varia muito de Morgana, passando por Viviane e indo até Nimue.

Alguns vêem nas 3 uma só pessoa...outros(nas correntes da lenda onde elas não são vilãs) uma representação da deusa tríplice sendo Viviane a senhora, Morgana  a mulher e Nimuê a jovem....Viviane a amante querida, Morgana a filha que ele nunca teve e Nimue a discípula dedicada.

O fato é que todas elas parecem indicar um fim de vida melancólico para Merlim que enganado por uma delas(e varia em cada versão qual delas ou se realmente alguém o traiu) dorme até hoje em sua caverna de cristal.

As fichas maiores em sendo correta a versão da traição, vão para Nimue que como disse, seria uma espécie de discípula de Merlim que após aprender com ele todos os mistérios da magia o trai.

Arthur e Morgana serviriam hoje principalmente nos grupos neo pagãos para ressuscitarem o conceito de casal sagrado, que devem gerar a criança divina(Mordred) e entregá-la ao cuidado da senhora de Ávalon(Viviane antes de Morgana), pois esta criança estaria destinada a trazer e restaurar toda a glória que estava se esvaindo do paganismo de Ávalon.

Entretanto segundo a visão do livro de Bradley ao saber que dormiu com o próprio irmão(ele como rei da natureza, o deus, estava mascarado quando dormiu com ela e como não se encontravam de há muito, mesmo que estivessem com os rostos descobertos dificilmente se reconheceriam), Morgana não perdoa Viviane por isto e foge de Ávalon indo ter seu filho na corte da tia, Morgause, irmã de Viviane(ambas eram irmã de Ilgraine mãe de Morgana e Arthur) casada com o meio insano rei Lot, que nesta vertente do mito assume o manto de vilã que Morgana ostenta em outras vertentes.

Viviane(Anjelica Huston)...Morgana(Juliana Margulies)...Morgause(Joan Allen)
na maxi-série já clássica e de enorme sucesso baseada na obra de Bradley....
AS BRUMAS DE ÁVALON...

Fonte Google imagens

Este é seu erro fatal....Longe das influências benéficas e mágicas de Ávalon, Mordred cresce sob a influência vilanesca de Morgause que lhe imprime na alma a ambição e a maldade que futuramente irá encarnar.

Sendo assim enquanto o messianismo judaico cristão termina na morte de cruz do Cristo com a postergação de seu reino para um retorno futuro e indefinido do mesmo(ou de uma futura vinda do messias para os judeus que não aceitam o Cristo como seu messias) o 'messianismo' celta termina com seu messias transformado em um monstro moral de proporções apocalípticas.

Assim Viviane vê definitivamente toda a possível reação do paganismo, sua revitalização, ruir completamente devido a atitude impensada de Morgana. Mas também de certa forma se penitencia por não ter sido sincera com a sobrinha e aberto o jogo do que a Deusa queria que ela fizesse.

Este relacionamento estranho entre irmão e irmã, mas ligados pelo mito da revitalização da terra e do culto da Deusa e do Deus soava estranho até para os ouvidos pagãos de Morgana.

E assim as trevas da idade média caíram sobre a Bretanha e todo o mundo  ocidental quando após a queda de Roma, Camelot o reino utópico de Arthur também ruiu na terra das fadas!

Bom fico por aqui...


Vide agora uma lista interessante dos 10 livros mais importantes escritos sobre Arthur, Morgana, Merlim e cia no século 20...

10 livros sobre o Rei Arthur publicados no Século XX

1 - As crônicas do Rei Arthur, de Bernard Cornwell: As Crônicas de Artur são freqüentemente consideradas o melhor trabalho de Cornwell, sendo aclamado tanto por suas qualidades narrativas quanto pela exatidão em retratar a vida da época. O próprio Cornwell já disse que, dentre todos os seus trabalhos, esses três livros são seus favoritos;

2 - As brumas de Avalon, de Marion Zimmer Bradley: É ambientada durante a vida do lendário Rei Arthur e seus cavaleiros e tem por escopo narrar a já conhecida lenda arturiana a partir de uma outra perspectiva. Quem protagoniza a história, nesta versão, são as personagens femininas, tais como Guinevere, Morgana e Morgause, o que acabou resultando na reelaboração de todo o universo mítico da trama;



3 - A espada na pedra, de T. H. White: O autor tornou-se um dos escritores cultuados da literatura inglesa do século XX, graças à sua primorosa versão da saga do rei Arthur. Formada por cinco volumes lançados a partir do final dos anos 30, a série O Único e Eterno Rei vendeu milhões de exemplares e deu origem a um desenho animado da Disney;

4 - O ciclo Pendragon, de Stephen R. Lawhead: A série é uma obra de ficção que se passa no sexto e quinto séculos, e tenta apresentar a lendas arturianas num cenário histórico ao apresentar a história com uma realidade que o leitor possa se conectar;

5 - A vinda do Rei: O primeiro livro de Merlin, de Nicolai Tolstoi: Situado na Europa do século 6, após a morte de Arthur, o romance narra parte da vida de Merlin. O livro cobre a vida de Merlin, da infância à idade adulta, assim como conflitos britânicos e Saxões, culminando com uma batalha em Dineirth no País de Gales;

6 - Albion, de Patrick McCormack: Através de flashbacks e narrações de alguns deles, os detalhes do passado são revelados, concentrando-se nos períodos antes e depois das grandes vitórias de Arthur sobre os saxões.  O enredo gira em torno do "Cálice de Soberania", uma taça que Arthur consegue em circunstâncias misteriosas e que leva a sua aclamação como Amherawdyr (Imperador) da Grã-Bretanha;

7 - Rei Arthur e seus cavaleiros da távola redonda, de Roger Lancelyn Green: Uma versão da lenda arturiana destinada ao publico infantil em 1953. A mais recente versão foi publicada em 2008 com ilustrações de Lotte Reiniger;

8 - As crônicas de Merlin, de Mary Stewart: É uma série de 5 livros que se inicia com a publicação de A caverna de Cristal que aborda o sexto ano de Merlin até sua adolescência;

9 - Rei Arthur, de Frank Thompson: O jovem Arthur recebe uma missão aparentemente impossível: derrotar um conquistador saxão sedento de sangue e seu exército, doze vezes maior. Mesmo em desvantagem,Arthur está determinado a cumprir seu dever para com o Império Romano, sua família e a Bretanha.

10 - Crônicas Camulod, de Jack Whyte: Esta série de romances históricos apresenta o conto do Rei Arthur contra o cenário romano-Bretão. Esta versão da lenda popular evita o uso da magia para explicar a ascensão de Arthur ao poder e apoia a teoria que o Rei estava destinado a combater a anarquia deixado pela partida romana da Grã-Bretanha em 410 dC;



Vide também alguns sites interessantes sobre o tema...

Sobre Arthur...http://pt.wikipedia.org/wiki/Rei_Artur


Fonte: Google imagens

Sobre Morgana...http://pt.wikipedia.org/wiki/Fada_Morgana


Fonte: Google imagens



Um vídeo legal sobre o tema....Arthur e Morgana personagens da série, Merlim do HBO family


Abraços 

Pax e Lux

VALTER TALIESIN




Nenhum comentário:

Postar um comentário