Google+ Badge

sábado, 4 de fevereiro de 2012

ILUMINAÇÃO...





      Fonte Google imagens


Estamos diante de momentos no mínimo interessantes da História humana.

Por milhares de anos os humanos ouviram falar de iluminação, de maestria divina, de avatares divinos, de ungidos de Deus,de sinais e prodígios celestes e sempre almejou que estas coisas se tornassem corrente entre nós.

A maioria dos humanos aparte suas falhas e defeitos sempre tiveram no fundo da alma um anelo secreto de que o reino dos céus se fizesse literal em meio a nossa sociedade.

Entretanto todos os grandes mestres do passado foram sucintos em dizer que isto jamais poderá ser feito sem uma mudança consciencial humana radical...

Uma mudança a partir do interior do ser...

Uma mudança que entendo esta muito próxima de acontecer!

Nietzsche por sua vez duvidava disto...

Ele não entendia ser possível existir algo no homem que fosse sagrado, santo, perfeito e diferente do seu usual...

Para ele era impossível a verdade surgir de algo que não do mesmo lugar e fonte da inverdade e vice e versa...para ele tanto uma coisa como a outra em sua opinião tinha seu valor intrínseco...

Pelo menos é o que ele discorre em Além do Bem e do Mal segundo artigo do primeiro capítulo...

Primeiro ele discorre sobre a crença dos metafísicos...

"Como poderia algo nascer do seu oposto?
 Por exemplo, a verdade do erro?
 Ou a vontade de verdade da vontade do engano?
 Ou a ação desinteressada do egoismo?
 Ou a pura e radiante contemplação do sábio da  
 concupiscência?
 Semelhante gênese é impossível; quem com ela
 sonha é um tolo, ou algo pior; as coisas de
 valor mais elevado devem ter uma origem que 
 seja outra, própria - não podem derivar desse 
 fugaz, enganador, sedutor, mesquinho mundo,
 desse turbilhão de insânia e cobiça!
 Devem vir do seio do ser ,do intransitório,
 da ' coisa em si' - nisto e em mais nada 
 deve estar sua causa"

Depois ele expõe a sua visão sobre o assunto...

"- Este modo de julgar constitui o típico 
 preconceito pelo qual podem ser reconhecidos
 os metafísicos de todos os tempos; tal 
 espécie de valoração esta por trás de todos 
 os seus procedimentos lógicos; é a partir
 desta sua 'crença' que eles procuram alcançar
 seu 'saber' , alcançar algo que no fim é 
 batizado solenemente de 'verdade'.
 A crença fundamental dos metafísicos é a 
 crença na oposição de valores. nem aos mais
 cuidadosos entre eles ocorreu duvidar aqui, 
 no limiar onde mais era necessário: mesmo
 quando haviam jurado para si próprios de 
 omnibus dubitandum(de tudo duvidar).
 Pois pode-se duvidar, primeiro, que existam 
 absolutamente opostos; segundo, que as 
 valorações e oposições de valor populares,
 nas quais os metafísicos imprimiram seu selo,
 sejam mais que avaliações de fachada, 
 perspectivas provisórias,, talvez inclusive
 vistas de um ângulo, de baixo para cima 
 talvez, 'perspectivas de rã', para usar uma
 expressão familiar aos pintores.
 Com todo o valor que possa merecer o que é
 verdadeiro, veraz, desinteressado: é possível
 que se deva atribuir à aparência, à vontade 
 de engano,ao egoismo e à cobiça um valor mais
 alto e mais fundamental para a vida.
 É até mesmo possível que aquilo que constitui
 o valor destas coisas boas e honradas
 consista exatamente no fato de serem 
 insidiosamente aparentadas, atadas, unidas,
 e talvez até essencialmente iguais, a essas
 coisas ruins aparentemente opostas.
 Talvez!-
 Mas quem se mostra disposto a ocupar-se de 
 tais perigosos 'talvezes'?
 Para isto será preciso esperar o advento de 
 espécie de filósofos, que tenham gosto e
 pendor diversos, contrários aos daqueles que
 até agora existiram - filósofos do perigoso
 'talvez' a todo custo - E, falando com toda
 a seriedade eu vejo esses filósofos 
 surgirem."


Bem, em minha humilde opinião o que existia entre Nietzsche e os metafísicos que ele criticava era um problema de visão...

Nietzsche olhava a bipolaridade da vida pensando que via a unidade e estes a unidade além da bipolaridade...

Nietzsche não entendia ou não queria entender que estes não negavam um mundo bipolar ou que as coisas quer boas ou más tivessem a mesma essência mas enxergavam um ponto de origem onde a pureza do Ser era vivida em unidade e em Verdade...

Dai porque para eles a Verdade se originava em um ponto sagrado do ser diferente da inverdade etc...

Contudo eles nunca disseram que ambas não tem a mesma essência, de forma alguma, já que todos eles apregoavam que TUDO... absolutamente TUDO... é Deus e veio de Deus...

Para eles a inverdade era da mesma essência que a verdade  só que DISTORCIDA...

Em outras palavras; o poder do mago da luz e do mago trevoso é o mesmo ou seja; tem a mesma origem que é o poder divino que tudo impregna mas a INTENÇÃO de ambos é que importa no usufruto do mesmo.

Neste sentido a inverdade nada mais é do que a negação da verdade não algo oposto inferior mas algo oposto por negatividade...

Assim o Diabo não seria um oposto a Deus por exemplo e inferior por causa disto mas meramente uma negação da unidade de Deus, uma maya que deve ser vencida se quisermos acessar o divino.

Estes filósofos que Nietzsche espera chegar... dos 'talvezes' já existiam e o grande filósofo nunca percebeu, basta uma leve olhada nas descrições que o YHVH dos hebreus faz de si na Toráh ,Cristo do Pai nos evangelhos e Krishna de si no Gita para vermos isto...em ambos podemos ver os opostos atuando e se completando mas também acenando para uma unidade intrínseca na origem de ambos.

Ambos se vistos com a literalidade da letra assustam mas quando enxergados da perspectiva analítica, analógica, simbólica e figurada se tornam aquilo que são...A MANIFESTAÇÃO DO DEUS UNO DE FORMA ASSIMILÁVEL, INTELIGÍVEL PARA OS SERES HUMANOS...

Não é de admirar que infelizmente creio eu, para desgosto de Nietzsche se estivesse vivo, os Nazis emprestaram muito de sua filosofia do super homem para criar suas distorções.

Esta dificuldade que ele tinha em entender que o fato de os metafísicos dizerem que a verdade surge de um ponto sagrado do Ser diferente da inverdade não era uma aceitação destes do dualismo mas de que a manifestação dual se dá quando o homem distorce a verdade na inverdade,a felicidade na infelicidade,a unidade na separatividade e por ai se vai...

Esta dificuldade dele em não perceber que os metafísicos não negavam que verdade e inverdade tivessem a mesma essência mas que as intenções humanas, o livre arbítrio humano definia o que era uma ou outra fez com que ele criticasse os metafísicos.

Assim para os metafísicos na verdade TUDO é Deus e nada é aparte de Deus ....NEM O MAL....porque?

PORQUE O MAL É A DISTORÇÃO DO BEM!

POIS EM SUA ORIGEM TUDO É BEM!

Assim até o mal não esta aparte de Deus pois é sua energia DISTORCIDA, CONSPURCADA, não é algo aparte só porque é ruim....mas algo ADULTERADO, MODIFICADO...

Por isso a missão do Cristo em reconciliar EM SI todas as coisas em Deus!

Ao mostrar o caminho da iluminação os avatares,os mestres e mestras de todas as correntes acenavam para o Cristo cósmico, o Deus manifesto como Criação e imanente nos seres cientes que se buscado com sinceridade reconcilia todas as coisas, todos os contrários em Deus...pois afinal como disse... TUDO É DEUS!

DEUS É AMOR, DEUS É O BEM...mas o desamor e o Mal não são apartes dele mas são... sua vida, sua energia conspurcada e dividida pelos seres cientes  que com seus livre arbítrios interagem com estas.

A iluminação portanto é entendermos que Bem e Mal, Luz e Trevas, tudo é Deus e tudo é energia divina entretanto devem ser sintetizadas no recesso do Ser para que voltem a sua forma única de expressão que é Vida,Amor, e Luz pois as trevas na verdade são a ausência desta luz por nossa livre escolha...

Ao iluminar-se o ser humano toma não só consciência da dualidade da manifestação que se dá devido a interação dos seres cientes EM LIVRE ARBÍTRIO com a energia original divina mas descobre no recesso do ser o ponto de origem desta energia...O DEUS INTERNO negado por Nietzsche mas MUITO PRESENTE e que passa assim a gerir a vida do iluminado fazendo com que todos os opostos e todos os contrários sejam sintetizados nele e tudo se torne glória de Deus em sua vida!

Assim o ser iluminado passa a atuar na sociedade de forma unitiva, amorosa, benéfica, abençoada pois não nega os opostos como acreditava Nietzsche mas sintetiza-os em si no recesso do Ser onde mora o EU SOU O QUE EU SOU em cada um de nós!



Fonte Google imagens



Agora um vídeo de luz para todos nós...ILUMINAÇÃO DIVINA...


Fonte Youtube

Abraços 

Pax e Lux

VALTER TALIESIN





 
 
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário