Google+ Badge

terça-feira, 8 de maio de 2012

REI ARTHUR... O PENDRAGON

Ele foi o mais famoso dos reis...


Legendário, mítico,sagrado....


Seu nome figura nos anais das mais exaltadas odes celtas e do mundo moderno.


ARTHUR...o grande Dragão vermelho ou a grande cabeça do Dragão... o Pendragon da Britânia, titulo concedido pelos druidas àqueles monarcas que entendiam merecê-lo(http://pt.wikipedia.org/wiki/Pendragon).


Olhando o mundo atual, observando os governantes que governam as nações do mundo é que percebemos o quanto o ideal personificado pela figura de Arthur é extremamente necessária para a psiquê humana.




O IDEAL DO REI SAGRADO


A figura do rei sagrado é uma das maiores ideologias e utopias da História universal.


Quase todas as grandes nações do mundo tem tais tradições e podemos conjecturar que isto é muito antigo, no mínimo da época dos reis/sacerdotes das cidades estados de 6 mil anos atrás.


Um destes grandes personagens reais e sagrados é o mítico Melchizedeck da Bíblia que era tanto rei quanto sacerdote.


Outras duas figuras bíblicas que encarnam poderosamente este conceito são Davi e seu filho Salomão. Ambos tão famosos e legendários quanto Arthur.


O faraó egípcio, talvez não um específico( ainda que figuras como Akhenaton,Tutâncamon,os Tutmés, Hatshepsut  e sobretudo Ramsés II sejam extraordinárias e mereçam todo o destaque possível) mas a figura do faraó em si, seja ele quem for, era o monarca que mais exemplificava esta junção de rei e sacerdote a ponto de serem considerados descendentes diretos do grande Deus Hórus.


Este é um assunto fascinante e convido os amigos a pesquisá-lo com mais tempo e profundidade se não em livros caso seja complicado comprá-los... na internet...


Vejam os sites abaixo...


http://bruxaria.net/noticias/o-mito-do-rei-sagrado/


http://www.dicio.com.br/messias/


http://cultura.culturamix.com/historia/rei-arthur-e-os-cavaleiros-da-tavola-redonda


http://www.historia.ufes.br/sites/www.historia.ufes.br/files/Ana_Penha_Gabrecht.pdf


Jesus Cristo obviamente contém em si o ideário deste rei sagrado e necessário para que o mundo funcione a contento.


Isto é o mais relevante na figura do rei sagrado....


A NECESSIDADE QUE O MUNDO TEM DE GOVERNANTES SAGRADOS...


Mesmo que olhemos o mundo com olhares democráticos nossas expectativas de fato são aristocráticas...


Esperamos que nossos governantes estejam acima da média, do vulgo, da massa quando falamos de coisas como: capacitação administrativa, idoneidade,bagagem cultural,carisma etc....todavia,não olhamos hoje em dia para o berço enquanto ser filho de...ou ter sangue azul, ou ser isto ou aquilo(pelo menos aqui no Brasil onde elegemos um membro da classe operária logo em seguida a um membro da elite cultural como presidente do país e agora uma mulher a primeira presidente e uma membra da luta armada revolucionária o que seria impensável uns 25 anos atrás...) mas ainda olhamos para um diferencial interno que demonstre ser o(a) nosso(a) escolhido(a) ...MELHOR QUE OS(AS) OUTROS(AS) inclusive muitas vezes nós mesmos...


A tal ponto que queremos ver nele(a) muitas vezes qualidades morais que nem nós mesmos temos ou manifestamos a contento.


Não tenho dúvidas que este anelo sempre esteve dentro do humano, das sociedades humanas, mesmo daqueles que não escolhiam seus governantes em eras remotas.


O rei era o protetor, o cuidador, a ligação dos humanos com o divino, e por isso esperava-se dele muitos mais do que um humano comum, a ponto de muitos como os faraós serem divinizados.


Exatamente por isto um mau rei era uma verdadeira praga para um povo...




ARTHUR: REAL OU FICTÍCIO


Até hoje as discussões são acaloradas se Arthur foi uma pessoa ou um personagem lendário.


Estudiosos se debruçam sobre as lendas do grande rei a procura de qualquer indício que demonstre factualmente ter o mesmo existido e o que ele foi de fato e em qual época viveu.


Até o momento as tendências são que ele foi de fato uma pessoa real, de certa envergadura política e social mas não necessariamente um rei que teria vivido entre meados do século 5 e 6 ou seja; não se tem uma data certa num período de 100 anos!


A ideia é de que em torno de uma pessoa real foram tecidas diversas lendas e costuradas toda uma mitologia sobre realeza sagrada que espelham a expectativa universal nossa sobre os governantes.


Estas mesmas discussões sobre realidade e lenda são elevadas a graus ainda mais superlativos quando a figura analisada chama-se JESUS  DE NAZARÉ...que além de considerado um herdeiro de reino sagrado é hoje o Deus reconhecido de mais da metade dos humanos da terra.


Figuras como Merlim, Morgana, Guinevere, Lancelot, Viviane , Mordred, Parsifal ,Galahad, Gawaine,Uther, Ilgraine, Nimuhê etc... e temas como ....Santo Graal; a poderosa, mítica,mágica e famosa Excalibur;Camelot; a tavola redonda etc...presentes na mítica arturiana também são contestados como existentes ou não pelo menos da forma como as histórias os apresentam.


Seja como for a figura do Pendragon surge no horizonte atual como o farol no fim do túnel para um mundo onde a figura do rei ou do governante esta cada vez mais gasta e deteriorada.


Basta vermos as reações populares UNIVERSAIS e não só espanholas às extravagâncias  da família real espanhola tão faladas nos últimos tempos e a sempre recorrente monarquia britânica para entendermos isto.


E principalmente com o desencanto com os governantes eleitos.


Até um tempo atrás quando a grande maioria dos governos eram absolutistas, nada democráticos, a eleição do governante parecia ser a panaceia para todos os males do mundo.


Descobrimos que não é, e pior; descobrimos que nossas expectativas sobre a aura dos  governantes, eleitos ou hereditários...continuam as mesmas....de alguém acima da média humana necessária para conduzir as nações...


É O NOSSO COMPLEXO UNIVERSAL E ETERNO DE MESSIAS...


De algo ou alguém que seja eleito por nós ou pelos deuses para solucionar todas as questões que nos cutucam e nos afligem...


Este ideal, este símbolo em si não vejo como mau mas quando se torna uma milenar muleta para uma humanidade que não assume sua própria condução de vida me parece nocivo.


Porque?


Já respondemos...


Colocamos em figuras humanas tão falhas quanto nós expectativas sobre humanas de perfeição num contexto social evolutivo dual no qual isto definitivamente não se aplica.


Expectativas maravilhosas, legítimas, mas que precisariam ser vivenciadas por CADA UM DE NÓS primeiro e não impostas sobre quem quer que seja incluso quem nos governa.


E se entendemos que não podemos vivenciá-las dai tornamo-as como disse.... sobre humanas(pelo menos em nosso atual estágio evolutivo) e seria no mínimo injusto esperar que outra pessoa por mais capacitada que seja nunca falhe...


Arthur por mais sagrado que era  falhou...


Davi e Salomão idem...


Arthur falhou quando se deitou com Morgana(nas versões em que o coito entre irmãos não é um estratagema de Morgana ou de Viviane mas um desejo físico consumado entre um homem e uma mulher) e depois não procurou reconhecer o filho posteriormente e mais ainda, quando 
percebeu o que o filho tinha se tornado e deixou-o livre para agir, falhou quando não percebeu o que se passava entre Guinevere e Lancelot e o peso que isto teria em seu reino,falhou quando não conseguiu fazer a síntese entre a Ávalon da magia druídica que se perdia nas brumas do tempo com o Cristo emergente.


Talvez esta seja a graça, a mítica, a aura do rei sagrado; não é a perfeição....não é a inerrância... mas a capacidade de mesmo errando querer acertar....de mesmo errando se arrepender e voltar atrás...de mesmo errando modificar sua conduta e ser de novo o que se espera dele, de vibrar em si uma aura e um poder tal que mesmo depois que morre e mesmo sabendo todos de suas falhas e virtudes contudo ainda se diga dele como se dizia de Davi....'nunca houve um rei como ele , que andou conforme o coração de Deus'... e que sua caminhada se tornou um aferidor de medida sobre reis bons ou ruins quando se dizia destes....'andou nos caminhos do Senhor como seu pai Davi'(I Reis 15. 03,11)!


Rei cristão, rei pagão, as duas coisas, até hoje não sabemos o que foi Arthur...


Entretanto o mito perdura inclusive a certeza profética de que ele retornará de seu descanso em Ávalon quando a Bretanha(tanto a francesa quanto e principalmente a grã bretanha) precisarem dele.


Pois este eterno retorno do rei sagrado para salvar seu povo é uma outra coisa muito recorrente em sua mítica...que o digam Jesus e Davi e seus prognosticados retornos e reinos futuros...


Um homem, um mito, uma história fascinante que até hoje nos encanta e desperta em nós o nosso melhor, as nossas melhores coisas, assim é Arthur....o eterno rei sagrado...






OM TAT SAT...




Mais sites interessantes sobre o tema...


http://pt.wikipedia.org/wiki/Rei_Artur


http://pt.wikipedia.org/wiki/Avalon


http://www.templodeavalon.com/modules/mastop_publish/?tac=Rei_Arthur


http://www.eusouluz.iet.pro.br/reiarthur.htm


http://listasliterarias.blogspot.com.br/2010/11/10-livros-sobre-o-rei-arthur-publicados.html


















          Fonte Google imagens


          Um vídeo interessante...
          Rei Arthur um dos mais famosos filmes sobre o grande rei...



          Fonte Youtube


          Abraços

          Paz e Luz


          VALTER TALIESIN




            Fonte Google imagens ...Filme
               Excalibur de John Boorman a grande obra prima do cinema  sobre Arthur...








































































Nenhum comentário:

Postar um comentário