Google+ Badge

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

AS MÁSCARAS DE DEUS

Este é um dos títulos mais felizes que já vi darem para uma obra literária...

Um trabalho primoroso e exaustivo do grande Joseph Campbell que abarcou  3 ou 4 grandes volumes(eu  sabia de 3...primitiva,oriental e ocidental mas parece que saiu um posterior intitulado mitologia criativa) onde ele faz um apanhado o mais minucioso e substancioso possível do fenômeno do sagrado em todas as culturas humanas de todos os tempos.

Porque máscaras de Deus?

Campbell faz uma analogia com o antigo teatro grego quando atores usavam máscaras para encarnar diversos personagens para penetrar nos mistérios divinos de sua cultura.

As máscaras aqui nada tem a ver com falsidade, nem mesmo com disfarce mas REPRESENTAÇÃO....

Campbell encara cada faceta de Deus vivenciada pelas religiões como uma representação deste sagrado, desta entidade que nomeamos Deus mas que na verdade recebeu ao longo de eras diversos nomes e razões de ser.

As máscaras de Deus são assim aquilo que usualmente entendemos por MANIFESTAÇÕES...REVELAÇÕES de sua sagrada entidade na História humana ou na vida pessoal de cada buscador.

Deus por mais que uma religião tente nivelá-lo NUNCA será o mesmo na compreensão de todas as pessoas mesmo de um mesmo grupo religioso ou familiar. 

Para ser sincero nem será o mesmo para uma mesma pessoa ao longo de toda a sua vida...

A grandeza da revelação e da manifestação é que  ela se renova a cada contato, a cada olhar que damos rumo ao infinito....

NÃO CONFUNDAMOS, DEUS EM ESSÊNCIA NUNCA MUDA...

MAS DEUS REVELADO, MANIFESTADO CRESCE E SE MULTIPLICA NA MEDIDA EM QUE AS PESSOAS CRESCEM NO CONHECIMENTO DENTRO DE SUA ETERNIDADE E INFINITUDE APESAR DE SUA IMUTABILIDADE...

A IMUTABILIDADE DE DEUS É UM ATRIBUTO QUE TEM A VER SOMENTE COM ELE E SOMENTE ELE ENTENDE E COMPREENDE O MESMO....SUA INFINITUDE APESAR DE NÃO HAVER PARÂMETROS COMPARATIVOS HUMANOS PARA A MESMA CONTUDO PODE SER VIVENCIADA NAQUILO QUE CHAMAMOS DE EVOLUÇÃO...

Cada vez que crescemos na graça e no conhecimento de Deus crescemos dentro do oceano de sua infinitude e conhecemos mais uma faceta dele, uma manifestação, uma máscara...

Dai que se entendermos a multiplicidade de deuses e deusas dos povos por este prisma deixaremos de ver erro em sua compreensão e veremos apenas a compreensão humana interagindo com o Infinito e vendo nesta interação as diversas nuances e facetas Dele.

O erro nunca esteve no paganismo mas em QUALQUER RELIGIÃO, seja pagã ou não que tentou impor SEU SAGRADO sobre a outra ou evocou este sagrado com a máscara da morte, do horror e dos sacrifícios sangrentos, inclusive humano....e disto a meu ver não escapa nem a mais famosa e monoteísta de todas... a judaico/cristã que são absolutamente alicerçadas em sacrifícios de sangue; sejam dos animais sacrificiais  seja o do Cristo crucificado. 

As máscaras de Deus foram usadas como metáforas do invisível, do indescritível, do misterioso.

Humanos falíveis captam coisas incompreensíveis e criam tradições em cima delas e nem sempre todas elas primam pelo bem comum ou pelo bem universal.

Além  do que certas forças naturais também foram metaforizadas como facetas deste invisível e seus efeitos eram muito presentes nas vidas dos homens.

Nem toda visão divina portanto advém do além  ou do aquém mas muito do 'aqui mesmo', das forças naturais poderosas e inexplicáveis então para os humanos que sentiam seus efeitos em suas vidas diárias.

Interessante percebermos que as máscaras, as facetas do divino vão à medida que os povos evoluem assumindo conotações cada vez mais estilizadas e etéricas em detrimento da crueza anterior.

Alguns, principalmente os fundamentalistas entendem que houve uma DETURPAÇÃO de uma visão ou revelação original de uma Deidade pessoal já como uma manifestação bem estilizada e avançada do que  entendem como sagrado e que com a corrupção humana esta revelação original de Deus se degradou.

Já os evolucionistas entendem que de fato o que houve foi uma evolução da visão sobre o sagrado desde o animismo mais puro até as formas mais evoluídas de ver-se o sagrado.

Seja como for as máscaras de Deus é o melhor conceito que já vi até hoje para explicar esta multiplicidade da unidade original na mente e no coração dos humanos.

Uma metáfora do sagrado que ainda causa infelizmente MUITA cisão entre nós....

Pois infelizmente a diversidade é algo que ainda capengamos para compreender e a unicidade só nos mais avançados dos humanos encontra o pouso correto e a compreensão mais amorosa e dignificante de Deus em toda esta diversidade.

Abraços...

Paz e Luz

VALTER TALIESIN


OM TAT SAT


Vídeo sagrado  


 Professor indicando o livro As Máscaras de Deus de Campbell...



Vídeo editado da entrevista de Joseph Campbell o grande mitólogo ao jornalista  Bill Moyers que originou o famoso programa e depois livro..  O PODER DO MITO...falando sobre As máscaras de Deus...

Fonte Youtube















              FONTE GOOGLE IMAGENS





2 comentários:

  1. Bom demais. Gostei muito mesmo. Tava faltando algo assim para dissolver as ideias separatistas, fanáticas e enclausurantes.
    A esse respeito, veja-se também A Doutrina Secreta de Blavatsky que demonstra a unidade de todas os caminhos religiosos originais pela decodificação de seu simbolismo. E também o trabalho de Jung sobre arquétipos e simbolismo das religiões.
    Valeu mesmo esse post. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo(a) gratidão....Tenho uma grande afinidade com os escritores que citaste eles também fazem parte de meu cabedal...e com razão; sem Jung, sem Ferguson, sem Capra(o Fritjof), sem Hesse, sem Blavatsky, sem Bailey,sem Reich, sem Steiner, sem Crowley,sem Besant, sem Mathers, sem Yogananda, sem Aurobindo, sem Osho, sem Olcott, sem Westcott e tantos outros e outras pioneiros sagrado incluso ai o grande William Blake dificilmente teríamos um painel tão mais inclusivo espiritualmente quanto temos hoje APESAR da onda fundamentalista de TODAS as ordens que ameaçam engolfar o mundo....Abraços de luz prezado(a).....

      Excluir