Google+ Badge

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

O REI SAGRADO DE AVALON

'E ELE ESTARÁ ESPERANDO O SAGRADO SINAL....
E ELE SAIRÁ PARA MAIS UMA VEZ DEFENDER OS SEUS...
TODOS OS FILHOS DA BRETANHA....TODOS OS FILHOS DE MORRIGAN...
SUA ESPADA SAGRADA DE NOVO SERÁ EMPUNHADA E ELE SAIRÁ...
E NADA LHE IMPEDIRÁ O CAMINHO POIS A JUSTIÇA DIVINA LHE GUIARÁ NESTE CAMINHO...
TODOS OS BARDOS CANTARÃO NOVOS CANTOS E TESTIFICARÃO OS FEITOS QUE SERÃO FEITOS PELO REI DE REIS...
O GRANDE REI DORME E DESCANSA NA ILHA  SAGRADA ESPERANDO APENAS O SINAL DE SUA HORA SOAR...
ENTÃO ELE SAIRÁ...E AI DE QUEM TENTAR LHE IMPEDIR O CAMINHAR...
ARTHUR  RENASCERÁ MAIS UMA VEZ COMO VEZES SEM CONTA RENASCEU
E NOVAMENTE OS CAVALEIROS DO PODER ESTARÃO DE PÉ CAVALGANDO AO LADO DO GRANDE PENDRAGON'...

    VALTER TALIESIN

 

A promessa de retorno do rei sagrado nunca foi um privilégio do cristianismo.

Aliás como bem expôs uma vez um expoente cristão...'Aquilo que entendemos hoje por cristianismo já era antigo, velho no passado remoto e faz parte da sabedoria ancestral...'

Segundo o livro de Miqueias 05.02 as saídas do rei sagrado são antigas,
dando a entender que ou houve MUITAS encarnações desta entidade ou que suas origens, de sua mítica, são antigas na sabedoria ancestral dos povos.

Existe hoje em dia uma forte corrente que defende serem os bretões, os celtas nada mais que uma antiga ramificação de israelitas, talvez benjamitas...conhecidos como os gálatas que teriam  povoado originalmente a arcádia grega e de lá se disseminado pelo continente.

Se houver algum fundo de verdade nisto, toda a mítica céltica e de Avalon, do rei que retorna terão uma explicação razoável no rei messiânico hebreu.

Mas como dissemos, o rei sagrado é MUITO anterior a isto e provavelmente tem suas origens nos primeiros reis sacerdotes das culturas arcaicas.

No caso celta por ter uma cultura originalmente matriarcal este rei estaria associado e muito a vegetação, ao homem verde, a Cernunnos o  Deus consorte da Deusa, que nasce, morre e renasce em cada estação. Portanto estaríamos diante de um mistério ligado a natureza e não a uma tradição herdada de um povo x ou y  a não ser que entendamos que todos os povos na verdade tenham uma ORIGEM COMUM para todos os seus mitos.

E a própria Bíblia parece sinalizar isto quando falando da SEMENTE DA MULHER(um eufemismo para Mãe, Mulher primordial, Deusa)que esmagaria a cabeça da Serpente depois que esta tivesse ferido seu calcanhar(Gênesis 03.15) ou seja; estamos ou não diante do mistério do Deus que nasce, morre e renasce?

O rei sagrado de Avalon assim nada  mais é que uma antiga e longa tradição ancestral sobre esta entidade que nasce, morre e renasce para a cura da terra e do povo e que estava disseminada em todo mundo antigo, em lendas como de Osíris, Mitra, Dioniso, Tammuz, Quetzalcoatl e tantos outros....

Dai que a encenação da morte do velho rei e sua substituição pelo novo(Saul e Davi reviveram de certa forma este ritual bem como Salomão e Jeroboão na bíblia se bem que por motivos morais e religiosos) passou à certa altura da cultura celta a ser efetivamente literal assim como a imolação de guerreiros ao sol na cultura  maia teve o mesmo destino de representar a imolação do deus ancestral e a própria crucificação de Cristo e a futura imolação de mártires em nome deste não deixa de certa forma seguir o mesmo caminho.

Arthur é o grande protótipo do rei de Avalon por excelência...

E se estudarmos as lendas sobre ele veremos que na verdade ele era uma SÍNTESE do velho e do novo...

Arthur incorpora em sua mítica, em sua pessoa, tanto a velha tradição druídica de Avalon quanto o nascente cristianismo de Jerusalém...

Nele e em sua figura, Cristo e Cernunnos são conciliados, a Grande Mãe e a Grande Virgem se tornam uma só e o mundo renasce e revigora-se para um novo círculo ascendente.

Erra tanto quem tenta vê-lo como puramente pagão ou puramente cristão ....

Arthur é o resultado de duas culturas que se fundem e criam uma nova...

Ele é tanto o rei sagrado de Avalon das grandes sacerdotisas quanto o defensor do crucificado dos altos padres que dividem com elas o monte sagrado.

Por ocasião de sua morte e da aparente derrota da utopia sagrada de Camelot e da távola redonda há um cisão entre os dois mundos e a Avalon das druidesas e a ilha dos padres se separam no espaço em dimensões diferentes representado pelas brumas que envolvem a ilha da magia que se perde deixando no mundo tridimensional apenas a mensagem do crucificado.

Uma cena pungente desta imagem do mundo antigo que se perde no esquecimento  mas neste caso por não querer sintetizar-se com o novo é na versão do mito exposta na primorosa série MERLIM do Hallmark estrelada por Sam Neill, nela vê-se claramente que Arthur representaria esta síntese entre as duas tradições se não fosse a renitência de Mab(Miranda Richardson soberba tanto como Mab como também como sua irmã a senhora do lago) a rainha das fadas em aceitar isto à revelia inclusive de seu pupilo Merlim que luta para que esta síntese aconteça.

Na verdade é como se o paladino de Avalon cedesse terreno para uma hipóstase de rei sagrado e morto maior do que a si mesmo...o Jesus dos cristãos...

Cristo enquanto mito  do rei que deve morrer para renascer é o mais poderoso e permanente deste conceito.

Todavia a história de Arthur segundo a mítica ainda não terminou.

Assim como Cristo irá retornar ou pelo menos espera-se, assim como Krishna renasce quando a balança entre justiça e injustiça começa a ficar em desequilíbrio assim será com o grande rei que dorme e descansa das refregas com Mordred a encarnação da Serpente para o contexto de  Camelot...

Quando seu povo precisar dele reza a lenda, ele retornará e sairá com seus cavaleiros também retornados para guerrear novamente contra a serpente do mal encarnada,

É a eterna luta entre Bem e Mal reencenada mais uma vez. Todavia a grande maioria dos mitos atestam que haverá UM DIA em que o Bem finalmente vencerá, que o rei sagrado sairá vencedor finalmente e a utopia sagrada será estabelecida numa terra restaurada e renovada. 

Obviamente Arthur não foi o único rei sagrado de Avalon assim como Cristo não é o único rei messias judeu(para os cristãos bem dito pois para os judeus isto não procede) houve outros messias antes dele, cada rei ungido da casa de Davi o primeiro e até hoje maior dos reis sagrados israelitas e tão mítico quanto o Arthur bretão.

Mas assim como Davi para os judeus e Cristo para os cristãos , Arthur apesar de não ser o único rei sagrado de Avalon é sua hipóstase e protótipo perfeitos e esta aqui, bem nisto sua perenidade e imortalidade.

Arthur retornar pode ter uma série de significados simbólicos bem mais profundos que o mero ressurgir do corpo antigo do rei do passado.

Talvez o rei sagrado de Avalon retorne na FIGURA de cada pessoa, de cada líder que se predisponha a ser o que ele foi com tanto sucesso apesar da sua tragédia final....

Que o rei sagrado retorne , mesmo que em metáfora, para curar um mundo, uma humanidade que beira sua maior catástrofe é um anelo de cada servidor da luz que entende que este rei sagrado pode de fato estar em POTENCIA dentro de cada um de nós...

Neste sentido cada um de nós pode ser o rei que ressurge das cinzas como a fênix sagrada!

É isto....

Abraços

Paz e Luz

VALTER TALIESIN

VÍDEO SAGRADO...
   
REI ARTHUR 


EXCALIBUR


A MORTE DE ARTHUR


FONTE YOUTUBE














                FONTE GOOGLE IMAGENS



Nenhum comentário:

Postar um comentário