Google+ Badge

sábado, 21 de dezembro de 2013

AMOR E PAIXÃO...O Desejo em prol da felicidade






Eu me esmero em ser seu melhor amigo, confidente, e amante...
Dou-te tempo para me confidenciar seus segredos, abrir seu coração...
Sendo assim não me impeças de penetrar-te a alma, quanto mais fundo melhor...
Sim eu sei, temos medo da entrega plena, não sou diferente...
Mas descortinar sua alma me é uma eterna fonte de prazer.
Não sei quantas vidas vivi consigo ou quantas mais viverei...
Mas temos esta vida agora e quero fazer meu melhor nela.
Quero ser pleno contigo, entregue, totalmente voltado a si.
Isto não é egoismo já que sendo melhor para mim e para si sou melhor para o mundo e vice e versa.
Esta troca cura o mundo pois permite que nosso melhor saia para fora e extraia do mundo tambem o seu melhor.
O caminho esta diante de nós basta trilharmos, seguros de si, seguros de nós , seguros da vida e sobretudo seguros de Deus em nós.
Esta segurança nos trará a firmeza de caráter necessária para enfrentarmos os grandes embates da vida.
E certos embates requerem todo o amor que a alma puder manifestar dia a dia...
Sei que te amo, te quero e tu me dizes o mesmo...
Entretanto será no dia a dia, nos momentos do porvir que esta realidade se efetivará em práticas de vida.
Então tudo começa sem medos, sem desculpas, sem travas passadas , só a certeza de que somos nós um só mais nada ou melhor mais tudo...DEUS EM NÓS E E ATRAVÉS DE NÓS.
Esta em nossas mãos!
Alexandre(Valter)


SOLIDÃO...

Afinal o que é ser só?

A maior parte de minha vida passei só se pensar no contexto
relacionamento amoroso.

Minha primeira namorada veio só com 23 anos, depois dela tive mais umas 3 e entre elas LONGOS espaços de anos nos quais deixava pouco a pouco o cheiro da pele, o gosto da boca, a lembrança dos olhos perder-se devagar nas brumas do tempo.

Entretanto em NENHUM deste hiatos, destes momentos entre um e outro relacionamento, que NUNCA foram menores que 2 anos eu NUNCA me senti só.

Sempre me senti como me refazendo me recriando de novo para mais uma nova aventura.

Nunca fui de sair por ai em cata de sexo fácil, de diversão por diversão!

Assim sendo estes anos foram com certeza celibatários!

Anos dedicados a introversão, à busca de si mesmo e do divino em outros tipos de amores como o familiar, o fraterno, o espiritual.

E no entanto sou estranhamente um homem QUENTE....sim...MUITO quente!

Gosto demais de sexo mas... DO SEXO! Do sexo com quem amo, com quem quero fazer de verdade!

Sexo para mim é comunhão intensa, verdadeira e legítima!

NÃO TEM GRAÇA COM QUALQUER UMA!

Tem que ser com ela, a mulher que amo e ponto!

Talvez soe um alienígena para muitos ou nem tanto, acredito que
tem muita gente assim, que gosta de sexo mas... DO SEXO, não de qualquer
sexo...

Assim estes momentos de introversão, de solidão mas que chamo SOLITUDE são momentos em que nos reconstruimos, nos reformatamos
para darmos e recebermos prazer de uma nova pessoa que amemos e nos ame!

E quando o encontro é definitivo ou seja; entre duas almas que a MUITO se destinaram sabe-se Deus por quais motivos a se encontrarem e construirem uma História realmente sagrada aqui na terra, então o encontro e o sexo se tornam DIVINOS...TÂNTRICOS...verdadeiros canais de luz no mundo.

É isto!

Alexandre
 (Valter)

Sobre o travesseiro deixo um ramo de rosa vermelha...
O vermelho da paixão que foi e que promete ser ainda mais...

O vermelho dos lábios de Afrodite afogada em delírios de puro
êxtase e pura entrega que vi e senti em ti esta noite.

Olhando a Rosa e Você ali percebo que nada me faz falta,
tudo se completa e se fecha em um círculo de luz que
sobe espiralante, iluminando e iluminante...

Te quero, te desejo, te amo...te tenho...isto me basta...

O mundo lá fora não para de girar, gira e volteia em torno
do sol e trás consigo o passar dos dias que vem e vão.

Ah! meu bem como é bom ser também seu bem!

Sou um ser humano que funciona com trocas, com interações,
com vibrações, com energias que vem e vão.

Gosto de partilhar, de entregar e de receber...

Tenho medo de absolutismos mas não de entrega, de partilha...

No absolutismo as pessoas tentam se dominar, na entrega e na
partilha as pessoas simplesmente querem sintonizar-se, amar-se...

Fica ali ao lado de si a rosa vermelha para quando acordares
lembrares que em cada pétala dela tem um beijo meu...

Alexandre(Valter)

A tarde é madrasta
Faz com que as almas dos humanos
recolham-se melancólicas, ainda mais
quando toca à alma a sonata da saudade.
E se domingo for o show esta completo.
Quando duas almas se amam e estão distantes
cada minuto, cada dia é relevante.
Cada hora é odisséia!

A musica mais perfeita que a natureza já fez
é a do amanhecer...
Nela parecem estar embutidas todas as certezas,
todos os desejos, todas as vontades de coisas novas,
de coisas que se iniciam.
Promessas parecem mais fortes e verdadeiras quando
feitas ao amanhecer.
Talvez por isto as melhores missas e cultos sejam na alvorada.

O coração canta quanto nasce o dia cheio de expectativa
e sonhos...
Mas quando a noite chega e os embates do dia tudo devoram
ele se recolhe tímido, retraído querendo mais fugir para os
mundos oníricos do que encarar a noite cálida e calma que
envolve qual um útero toda a terra.
E neste momento quem não resiste sai pelos bares, botecos
e boates da vida tentando parecer alegre numa óde fútil e
inútil de drinks, fumaça, drogas, danças e sexo sem fim como
se isto afastasse o vazio que o fim do dia deixa em suas almas.

Happy Hour chamam!

Esta mais para 'Horror Hour' tal o vazio que no fundo estas
vidas ostentam!

Não sou contra diversão, longe disto, até vou em uma ou outra,
mas falo aqui da ilusão, da fuga, do sentimento de que aquilo
esta de fato e de direito substituindo o sonho que se despedaça,
o casamento que ruiu, o filho ou filha que se foi, o rombo na conta, as dívidas, a dor de cabeça crônica, o vazio de Deus nas vidas.

Antigamente os Happy Hour dos humanos eram em torno das fogueiras,
ali relembravam experiências do dia e do passado, ali lembravam as gestas antigas, as histórias dos ancestrais, ali contavam os mitos dos mundos além do mundo, ali construiam um cenário sagrado para que o sono da noite fosse realmente revigorador, com almas que se levantavam embevecidas pelas históricas contadas, as danças rituais executadas, os
alimentos comunais partilhados e de mansinho os casais de enamorados
iam se retirando para fazerem seu amor na privacidade do som de suas
almas enquanto as almas solitárias iam dormir revigoradas sonhando com
um novo dia onde de repente tudo podia ser diferente.

Enfim isto era realmente HAPPY HOUR!

Alexandre(Valter)

O PRAZER SENSUAL E O GOZO ESPIRITUAL
Na busca por novos horizontes de vida os seres humanos tem encontrado diante de si uma encruzilhada.
Como aliar os prazeres sensoriais do corpo carnal e do manifesto com os anseios da alma e do espírito?
Seria realmente a sensualidade contrária a espiritualidade?
Diversas religiões e grupos tem se debruçado sobre esta questão e infelizmente DOIS EXTREMOS tem surgido disto.
O ASCETISMO TOTAL OU A PROMISCUIDADE ABSOLUTA como formas corretas de se encararem tal questão!
E isto não é novo há milhares de anos os buscadores da verdade se debruçam sobre estes temas.
Grupos que se separam do social para viverem entre si regras e formas de conduta que aparentam o viver ideal e sagrado, grupos que entendem que quanto mais o homem viver os prazeres da terra se desgastar na sensualidade mais próximos estará do criador já que todas as coisas a ele pertencem.
O primeiro grupo chegou a extremos estranhos que até alijou a criação do criador supremo preferindo ver no lugar dele um demiurgo decaído e ele lá em cima nas esferas espirituais totalmente alheio ao processo da materialização.
O outro numa antítese total vê o próprio material, a própria sensualização como o criador.
São extremos que se combatem e que geraram diversas ramificações maiores ou menores em grau de intolerância umas com as outras.
Mas estará ai nestes extremos a verdade?
Sinceramente creio que não!
Buda nos ensinou o caminho do meio, Jesus pregou o equilíbrio e mais nos advertiu que nos prazeres sensoriais da vida quando vividos adequadamente ESTA a união com o sagrado tanto quanto para quem sente dentro de si a necessidade de isolar-se nos desertos da vida.
A questão portanto NÃO É de lugar e de atitude mas de ESTADO interior!
Um acesta sincero e um hedonista equilibrado , tanto um quanto o outro podem vivenciar Deus dentro de suas concepções desde que haja equilíbrio de visões e de prioridades entre ambos.
Para o acesta a prioridade não deveria estar no ascetismo em si mas no momentos de enlevo que sente na solidão com Deus...
Para o hedonista não deveria estar nos prazeres em si mas no estado de agradecimento interior que sente e percebe quando participa dos prazeres da vida.
Deus não é tudo e todos mas ESTA em tudo e todos!
DEUS PORTANTO É UM ESTADO DE SER!
Quando estamos no ponto certo, na posição correta do sagrado estamos no ESTADO DE SER DIVINO...o estado do humano perfeito...quer acesta quer hedonista desde que o equilíbrio seja uma realidade dentro de nós.
Alexandre(Valter)

Bocas que se tocam
Pensamentos que navegam de
um ao outro
Emoções que deixam as pernas bambas,
as mãos trementes o coração acelerado,
descompassado diria.

Um toque, dois toques, na testa, no rosto,
entre os olhos,
Ah! um beijo entre os olhos, coisa magnífica!
Um leve tocar na orelha, um sussurro e o mundo
parece explodir em cores e sons.
Serão sinos?

Mãos que se sentem, se viciam em um ir e vir
nos corpos quentes, calientes, desejosos.
Um fluir de um rio que misteriosamente vem e
vai, vem e vai, num compasso/descompasso
que não se explica, não se fala, não se diz,
só se sente pura e simplesmente.

Olhos nos olhos, quatro olhos e um foco só,
Duas mentes e um turbilhão de pensamentos,
dois corações e uma voracidade de sentimentos
e emoções mas quandos os quatro olhos se tocam...
E como se toda a linguagem universal se torna-se
una, sagrada, integrada, unificada.

E dai aquele beijo,
E dai o abrir-se qual uma flor,
E então o forte e intenso penetrar de vida, de êxtase
em idas e vindas, entradas e saidas, mexer-se,
remexe-ser....
Um minuto, cinco, quinze, meia hora...uma hora...
até mais...tudo vai do poder intenso dos dois corpos
e da união imensa das duas almas.

E por fim um fiat de lux intenso...
Sagrado, vivo, luminoso,
Dizem 'pequena morte', ma digo intensa vida...
Vivida e vivenciada num único e portentoso
momento onde todas as dores do mundo deixam
de ser e toda a felicidade do mundo sorri para os
dois entes amados.

Depois o lânguido deixar-se deitar um no outro,
Um sobre o outro, ao lado do outro, o toque leve
de carícias gratas e agradecidas por mais um momento
de encontro, de descoberta, pois isto nunca termina
nunca chega ao fim e isto é o bom e bem da coisa toda.
Sempre temos um pouquinho a descobrir não só nestes
deliciosos momentos mas em cada momento da vida.

Alexandre(Valter)


Vídeos

TANTRA MUSIC







Fonte de Youtube







Fonte de imagens Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário