Google+ Badge

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

ARES...O Senhor da Fúria e o Deus da Guerra

ARES

MARTE

A IRA DIVINA

Ares é um daqueles 'furiosos divinos' que são terríveis mas necessários na atual conjuntura de fatos que vivemos no mundo...

Era por motivos óbvios o deus favorito do império romano pagão!

A humanidade desgarrada, desorientada e fora da graça divina enreda-se em carma sobre carma negativo.

Perde-se nas brumas no tempo, provavelmente simbolizado mitologicamente pelo assassinato de Abel por Caim o momento em que o deus da fúria, da ira divina e da guerra nasceu ou se manifestou entre os humanos.

De lá para cá a guerra não nos deixou mais!

A violência não nos abandonou mais!

Mas a culpa é do deus da guerra?

A culpa são desta entidades que velam por cumprir o carma negativo na terra?

NÃO!

Se Ares existe, mesmo que seja como um mito, como uma metáfora de ira divina, fúria sagrada e dos débitos humanos sobre suas cabeças existe para que tentemos explicar a própria violência que domina nossas almas.

Violência que viola nossas liberdades, que nos escravizam sob o machado imenso não de Ares o senhor da guerra mas de nosso ego monstruoso a origem real do furioso deus!

São nossos egos monstruosos, devoradores de todas as coisas boas que vibramos que deram origem a Ares.

Filho do deus do céu, dos raios e trovões Zeus e da deusa do casamento e do lar, Hera porque Ares simboliza o que simboliza?

Porque no mito o casamento das duas deidades era em si uma guerra constante!

Ares nasce como um resultado do ódio matrimonial entre Zeus e Hera!

A guerra nasce dentro de nós em primeiro lugar e em nossos lares em segundo lugar!

Os exércitos são formados por seres humanos, pais, mães, filhos, filhas, maridos, esposas e não por robôs sem nenhum tipo de emoção.

O mesmo ser que ama, que se dedica ao próximo pode simplesmente estourar os miolos do mesmo dependendo das circunstâncias e do que permite manifestar-se em si.

Diziam que Ares representava a guerra total, a visceralidade marcial em plena força e Atena a guerra organizada, geralmente por defesa não ataque. E que sempre a segunda ganhava do primeiro.

Entretanto estamos vivendo dias tenebrosos onde a tal 'guerra organizada', justa' de Atena tem perdido espaço para a fúria insana de Ares e seus discípulos e adoradores.

Os adoradores de Ares infelizmente como dizia Cazuza estão no poder(meus heróis - os discípulos de Atena- morreram de overdose....meus inimigos - os discípulos de Ares - estão no poder),

Neste contexto Ares é um deus mais tenebroso que o próprio Hades o deus da morte e dos infernos.

Se Afrodite a deusa do amor foi sua amante Eris(a discórdia) sua irmã era sua companheira...de Afrodite nasceram Phobos e Deimos....o terror e o medo...

Interessante isto não?

O amor une-se a guerra, e o resultado disto é o medo e o terror.

O amor aqui é a paixão insana, a luxúria pura e selvagem que unindo-se à guerra furiosa dos sentidos gera o medo e o terror na vida dos amantes. 

O amor e o ódio são na verdade as faces da mesma moeda quando olhados da perspectiva do ego somente. Pois estamos falando de um amor meramente carnal, luxurioso, sensorial.

A guerra portanto começa dentro de nós dentro de nossos sentidos e torna-se o devorador de humanos porque antes devorou aquilo que temos de mais sagrado a paz interior e o genuíno amor sagrado.

Ares esta aqui, mais vivo e solto e pior; poderoso do que nunca!

Esta na hora dos humanos brecá-lo definitivamente!

Amor e Luz

Valter Taliesin


Vídeos sagrados

HANS ZIMMER






Fonte Youtube






Fonte Youtube

Nenhum comentário:

Postar um comentário