Google+ Badge

domingo, 8 de dezembro de 2013

O DEUS DO TROVÃO, TEMPESTADES, RAIOS E RELÂMPAGOS...O grande mito do herói supremo e do pai sagrado.

SÃO 3 TEXTOS SOBRE O DEUS DAS TEMPESTADES, DO TROVÃO, DOS RAIOS E RELÂMPAGOS...UMA ENTIDADE QUE NOS FALA DO PAI ORIGINAL, O GERADOR DA VIDA E O SENHOR DA JUSTIÇA SAGRADA SOBRE A SOCIEDADE HUMANA!
VALTER TALIESIN



DEUS DO TROVÃO
Eu sou o som da tempestade que ruge poderosa levando embora todas as impurezas que conspurcaram o solo da terra.
Eu sou o som do vento sobre o mar revolto que enlouquece marujos e faz com que promessas depois descumpridas sejam ditas pelas bocas mais blasfemas.
Eu sou o raio cintilante que corta rapidamente o céu criando um caminho luminoso até a terra revelando o poder da natureza a petrificados humanos isolados em seus lugares de refúgio.
Eu sou o relâmpago que refulge de uma a outra extremidade do céu como um facho de nova realidade numa tela enegrecida por um emaranhado confuso e amedrontador de nuvens densas e carregadas.
Eu sou o trovão que canta e cindi o mundo dos sentidos humanos ao meio revelando almas corajosas onde antes só havia placidez e almas covardes onde antes havia bravata e aparências.
Eu sou o som sibilante e tonitroante que acorda o mundo para as verdades tanto interiores quanto exteriores.
Eu sou a destruição do velho e carcomido necessária para preparar o caminho de plantio para um novo mundo.
Eu não sou punição eu sou sagração de uma nova vida!
Eu sou o grito de alerta de corações oprimidos pelas agruras da vida e que oram a Deus clamando por libertação e ajuda.
Eu sou a voz dos desvalidos, dos oprimidos, dos que estão embaixo dos pés dos poderosos deste mundo.
Eu sou a voz que clama no silêncio da indiferença e quiescência criminosa num revolteio de elementos que devasta e abre caminhos insuspeitos para refazerem-se as humanidades.
Eu sou a voz IRA DIVINA que devasta a coragem do dominador e realça a coragem do dominado.
Eu sou o bramido das águas ancestrais em torno e acima dos mundos, de todas as esferas de ser que descortina os horizontes além das vidas limitadas e corriqueiras da matéria.
Eu sou a pura expressão do poder e da força divinos !
Eu sou o ilimitado raio de luz que saiu do centro do coração de Ain Soph a Mãe da vida para criar todos os mundos da grande árvore da vida, a sagrada Yggdrasill, minha devotada irmã e onde a manifestação do Senhor do conhecimento e dominador dos mundos meditou até compreender todos os segredos do secreto e que por esta entrega tornou-se meu pai na esfera dos 9 mundos, encarnando em si e através de si toda luz manifesta no mundo.
Eu sou o avatar da destruição e da reconstrução o Shiva , o Thor, o Zeus das tradições ...o YHVH do mistério supremo!
EU SOU O DEUS DO TROVÃO, A VOZ DO CRIADOR PARA UM MUNDO QUE JAZ ADORMECIDO E ENTORPECIDO POR SUA PRÓPRIA SURDEZ!
EU SOU O QUE EU SOU!
Valter Taliesin


DEUS DAS TEMPESTADES!

O uivo dos ventos chega aos meus ouvidos como se estourassem os tímpanos tal é o poder da voz das águas que descem dos céus e das nuvens revoltas e iradas, como se soubessem da imensidão de sujeira que esta grudada em torno da terra.

As trevas abissais parecem advir de um outro mundo, sim advém de um outro mundo, o mundo das divindades esquecidas, dos mitos que passaram, das lendas que se foram arrastadas pelos fanatismos e exclusivismos absurdos e absolutos ...histórias que amedrontavam crianças e impunham respeitos nos ouvintes de outrora.

Do meio das trevas uma voz ruge e de seu rugir descem as águas que parecem confundir-se com a massa amorfa e fétida, represadas pelas energias desqualificadas da humanidade.

Houve um tempo que tais águas e o Deus que elas evocam desceram com tal impeto sobre os céus da terra que dizem, um dilúvio universal de pena e contrição destruiu toda a civilização de então...os humanos foram renovados, uma nova era começou e o carma coletivo foi purificado pelas águas que mais que torrenciais, eram puras energias de transformação.

As mãos do Deus da tempestade estendeu-se sobre o mundo de então e imponentes cidades, templos suntuosos, e um povo que de há muito houverá esquecido o que era o amor genuíno, verdadeiro e real deixou de existir.

Enlil, Yahveh, Set, Thor, Shiva, Teshub, Baal, Zeus... o senhor das tempestades tem recebido tantos nomes em tantas tradições mundo afora e em algumas nem é senhor mas senhora...mas o poder, a força, a majestade a todos traz um senso de respeito, de reverência ao sagrado que no fundo brota de dentro, do lugar secreto dos humanos que reconhecem no poder externo a emanação do que esta dentro dos humanos.

Esta sintonia entre o senhor dentro e o senhor fora é a perfeita sincronia entre conceito e manifestação...

O conceito é o sagrado que trazemos embrionário dentro de nós querendo expressar-se integralmente, a manifestação é este sagrado em nós, ao redor de nós, presente em cada esfera do ser e do agir, esta interação entre humano e natural, que cria os carmas e interações coletivas da humanidade e do ambiente em torno de si.

No fundo o grande senhor das tempestades é o dispenseiro do carma coletivo humano.

Um grande reflexo do próprio juiz interno em cada um de nós.

Um juiz sim severo, mas um juiz que sobretudo esta interessando no bem maior de cada humano e de cada ser vivo.

Cada expressão externa dos nossos deuses mais queridos ou temidos são expressões manifestas do senso interno de amor e justiça que trazemos dentro de nós.

E assim nos aproximamos de mais uma era onde o julgamento parece inevitável e poucos percebem que o senhor da justiça é uma face tão legítima quanto a do senhor do amor do divino e estas na sua mais alta expressão estão exatamente dentro enquanto manifestação do ser acima dos conceitos.

Um dentro que é como um ninho de luz, gestor de novas divindades individuais e criativas que fazem do mistério da vida um mistério da consciência do EU SOU.

Amor e Luz

Valter Taliesin



DEUS DOS RAIOS E RELÂMPAGOS

O prateado azulado de raios e relâmpagos revelam aos olhos dos humanos o grande contexto/confronto criativo que acontece nas altas esferas da interação universal.

Nada se perde mas tudo se renova e se recria nos mundos onde a força e o poder místico do sagrado se manifestam.

Zeus olímpico, Thor asgardiano e o Yahveh das nuvens, trovões, raios e relâmpagos tempestuosos do antigo povo hebreu são até hoje para nós ocidentais os grandes arquétipos dos senhores soberanos dos céus.

São imagens veladas do G.A.D.U., figuras extremamente poderosas ainda que imperfeitas do grande mistérios que é o divino no mundo.

São reflexos externos do grande mistério criativo que estas manifestações evocam.

Os raios e relâmpagos quais espermatozóides sagrados penetram nos grandes oceanos e mares, agitam suas profundezas e depois derramam sua energia em forma de chuva sobre a terra virgem e novas vidas nascem de toda esta interação.

Novas vidas que povoam a terra, que são filhos e filhas de tudo isto que lhes permeia, fisicamente falando, mas que trazem dentro si uma chama e fagulha de divindade a qual lhes permitem ver além do véu o sagrado e o divino operando atrás do aparente natural.

E assim o mistério da vida se renova e se transforma!

O mistério da vida nos traz um senso de pertencer a um mundo maior e mais profundo do que a vã filosofia humanista admite.

Nos percebemos mentes e corações partícipes de algo além das esferas das explicações comuns...

Algo puro e intrínsecamente...sagrado.

Amor e Luz

Valter Taliesin



Vídeos sagrados

PENDRAGON

Passion

Shane

As good as gold

Breaking the spell

This green and pleasant land

The Masquerade

Indigo

Fonte Youtube






Fonte de imagens Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário