Google+ Badge

sábado, 7 de dezembro de 2013

A VERDADEIRA FELICIDADE



"TRILHE O CAMINHO QUE NÃO EXISTE SIGA SUA VERDADEIRA FELICIDADE"
Joseph Campbell



Campbell foi um dos maiores sábios que este mundo já viu.

Sua grandeza de espírito, alma, coração e mente são atestados por todos que primaram de seu contato, de suas aulas, de suas palestras e de seus livros.

Eu particularmente tenho nele um dos meus grandes mestres, um daqueles que no limiar de um novo tempo para minha vida em fins da década de 80 e  década de  90 entre 1987 à 1999 exatos 12 anos foi um dos que me ajudaram a descobrir um novo mundo e melhor ainda; um novo ser. 

Vou tentar listar aqui os 12 grandes mestres(como os 12 anos) que mais me influenciaram neste novo humano que EU SOU e que continua em transformação ainda hoje. Foram eles que me fizeram perder o medo do desconhecido( abaixo do meu Eu maior e de Cristo Jesus é claro) de me arriscar, de dizer não a segurança, as vezes, profissional, espiritual, religiosa, sentimental e até física e me arriscar em caminhos novos que se tornaram com o tempo extremamente gratificantes e construtores de uma nova personalidade.

Esta relação e numeração não é por ordem de importância...

1. JOSEPH CAMPBELL
2. HELENA BLAVATSKY
3. RUDOLF STEINER
4. FRITJOF CAPRA
5. STANISLAF GROF
6. PAULO COELHO
7. ADHEMAR RAMOS
8. ALICE BAILEY
9. PARAMAHANSA YOGANANDA
10. HENRIQUE JOSÉ DE SOUZA
11. HERMAN HESSE
12. FRANK HERBERT

Outros e outras também tiveram sua importância mas colocá-los aqui seria impraticável assim creio que estes 12 que mais se destacaram sintetizam bem os demais e suas influência.

Fico pensando se não me arriscasse, se não me jogasse o que seria de mim.

Talvez seria um burocrata da vida, cheio de grana, casado com uma mulher que não amasse mais, com uma amante temperamental, numa religião que nada mais tivesse a ver comigo e tentando em fotos todo sorridente mostrar uma felicidade que NO FUNDO...não existe!

Não me arrependo mais de nada!

Já me arrependi, e descobri que foi errado me arrepender pois o que me trouxe a vida de crescimento e evolução nestes anos foi exatamente tudo o que me aconteceu tanto do bom quanto do ruim que fiz... poucos, muito poucos seres humanos realmente tiveram  a chance que eu tivesse de se auto conhecer como eu tive.

Esta frase é muito maior, mas este é o miolo central, o cerne de onde Campbell tira toda a sua definição de felicidade e de vida plena.

TRILHE O CAMINHO QUE NÃO EXISTE...

O Caminho é o caminho da iniciação.

Ele não existe enquanto realidade vivencial da pessoa mas sim em probabilidade, em potencialidade .

O caminho da iniciação não foca meramente o espiritual mas TODA a vivenciação da alma em todos os setores da vida. A diferença dele dos demais caminhos é que a alma vivencia absolutamente tudo da perspectiva do Eu Maior, da evolução ascendente, espiralada, do enfoque do sagrado em absolutamente tudo desde suas noções sobre espiritualidade até a forma como amarra um sapato.

Viver a vida como um caminho sagrado é a mais bela e gratificante experiência que um ser humano tem ou terá em toda sua vida.

Desta posição na vida, com esta ótica sagrada você olha e vê todas as coisas como salutares, qualquer experiência por mais simples que seja ganha cores e importância. Seus relacionamentos deixam de ser pautados por mero egoismo e passam a ser vivenciados plenamente, com coração e alma.

Tudo se torna mesmo as experiências mais difíceis meios de se chegar a um fim, e qual seria este fim?

SUA ASCENSÃO!

SIGA SUA VERDADEIRA FELICIDADE...

O que é a verdadeira felicidade segundo Campbell?

É o caminho com um coração!

O caminho com uma alma!

A escolha feita segundo o olhar interior da alma onde esta se relaciona intrinsecamente com o Eu maior e atua no coração de forma livre , leve e solta influenciado e não sendo influenciada pela personalidade é a verdadeira felicidade a que Campbell se refere.

Não é nenhum estado utópico e inalterável mas um estado onde as escolhas são feitas a partir do centro do ser este sim imutável, utópico e sagrado e de onde emanam energias que conseguem nos fazer ver sempre além do véu o melhor para nós; as melhores escolhas, os melhores encontros, os melhores relacionamentos, as melhores opções.

Seguir sua verdadeira felicidade é nem sempre lucrar aos olhos do mundo mas ficar em paz com suas consciência e seguro de que fizeste TODO os eu melhor em qualquer situação, independente dos resultados que advieram dela.

A questão para um(a) iniciado(a) não é se as coisas vão ou não vão dar certo mas se ele/ela fazem  ou não o seu melhor no processo. Dar ou não certo tem mais a ver com resultados e um(a) verdadeiro(a) iniciado(a) da vida não foca nos resultados mas no caminho em si, na forma como o trilha pois os resultados quer bons ou ruins serão o que serão, o mais importante é SERMOS O QUE SOMOS não sermos o que o resultado determina que seremos.

Se algo foi sensorialmente considerado ruim pode ser que no futuro você descubra que aquele ruim momentâneo foi na verdade o que te livrou de algo 'bom' mas que para ti seria totalmente descartável num futuro mais à frente.

Liberte-se portanto da visão de resultados e foque-se na visão do caminho, da realização dia a dia do Ser em si.

Esta é sua verdadeira felicidade.

E talvez arrisque dizer que esta verdadeira felicidade mais cedo ou mais tarde poderá te levar aos resultados que serão reflexo destas escolhas sagradas. Resultados que você considere SIM muito bons para si. Mas repito, não se apegue só a eles, olhe além do véu e veja sempre a estrada dourada acenando para si novas e sagradas experiências do Ser.



AMOR E LUZ

Valter Taliesin

Vídeos sagrados

WOLFGANG AMADEUS MOZART

Piano concerto número 21

A Little night music

Lacrimosa

Die Zauberflöte

Rondo alla turca

Requiem

Sinfonia número 25

Ave verum corpus

A flauta mágica - abertura

Fonte Youtube





Fonte de imagens Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário