Google+ Badge

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

AS CANÇÕES DE UM AMOR


O AMOR PODE COMEÇAR, CRIAR RAÍZES, CRESCER E FRUTIFICAR DE DIVERSAS FORMAS.

OS TEXTOS ABAIXO RELATAM COMO DUAS ALMAS, DOIS CORAÇÕES, DUAS PERSONALIDADES SE ENCONTRARAM, SE SENTIRAM ATRAÍDOS DESDE O INÍCIO, MAS VIRAM O AMOR CRESCER PRIMEIRO COMO UMA LINDA PLANTA CHAMADA AMIZADE, MAS NÃO PAROU POR AI... DEPOIS FOI PROGRESSIVAMENTE SE TORNANDO OUTRAS COISAS, SE COLORINDO COM AS CORES DA ATRAÇÃO MAIS FORTE, DO DESEJO, DA PAIXÃO, DOS SONHOS LÚDICOS, MAS SEMPRE ALICERÇADOS EM ALGO MAIS SAGRADO, MAIS FIRME, UMA ENERGIA PURA DE AMOR, DE RESPEITO, DE SINTONIA, DE EMPATIA, DE SACRALIDADE, ONDE POUCO A POUCO AS SIMILARIDADES SE TORNARAM UMA VERDADEIRA SINFONIA E AS DIFERENÇAS ESCADAS EVOLUTIVAS, DEGRAUS DE ASCENSÃO QUE AJUDAM OS DOIS A SEREM MAIS E MELHORES...

CLARO, AINDA HÁ MUITO A PERCORRER, PERIGOS TREMENDOS SEMPRE HÁ NO CAMINHO....EXISTEM AQUELES E AQUELAS QUE SE APROXIMAM COM AMORES FALSOS SUGERINDO QUE SUA FORMA DE AMAR VALE MAIS A PENA QUE O QUE OS DOIS TEM, EXISTEM AS LEMBRANÇAS DE AMORES PASSADOS QUE PODEM AINDA CRIAR DORES QUE NÃO SÃO DESEJADAS, EXISTEM VERDADEIROS VAMPIROS ASTRAIS EM FORMA DE GENTE QUE ASSEDIAM AMBOS E TENTAM MINAR O QUE É TÃO BELO E SAGRADO, EXISTEM OS INIMIGOS DA LUZ ENCAPADOS ATRÁS DE TODOS ESTES POBRES ILUDIDOS POR MAIA QUE TENTAM FAZER SEMPRE QUE A INFELICIDADE SEJA PRIMAZ NAQUILO EM QUE ENXERGAM A FELICIDADE, POIS ESTA LHES FERE OS BRIOS TREVOSOS..
.EXISTE ENFIM AS PRÓPRIAS FRAQUEZAS E FRAGILIDADES DE AMBOS QUE SE NÃO FOREM BEM ADMINISTRADAS PODEM SER TREMENDOS EMPECILHOS. MAS ACIMA DE QUALQUER COISA ESTA O AMOR E O RESPEITO QUE AMBOS DESFRUTAM UM PELO OUTRO, O DESEJO DE SER E FAZER FELIZ, O AMOR QUE DEPOSITAM PELAS CRIANÇAS SAGRADAS QUE ESTÃO COM ELES E AS PESSOAS DE LUZ QUE LHES RODEIAM E SOBRETUDO DEUS QUE NADA DEIXA FALTAR ÀQUELES QUE SE ENTREGAM AO SEU SENHORIO E DIREÇÃO.

ASSIM SENDO, CONFIANDO NESTA LUZ, SEGUIMOS AMBOS...SOFIA E VALTER,,,

O QUE VIRÁ DEPOIS, BEM; SE FORMOS SINCEROS E ÍNTEGROS UM COM O OUTRO, COM O DIVINO EM NÓS, COMO TEMOS SIDO ATÉ AGORA DEUS ESTARÁ SEMPRE CONOSCO FAZENDO O MELHOR PARA NÓS...O RESTO...BEM, O RESTO NÃO PASSA DISTO... RESTO, MAIS NADA...

OM NAMAIAH SHYVAIAH!

MARANATA! ORA VEM SENHOR JESUS!

VALTER TALIESIN




Nossos caminhos são agora um só caminho, nossas almas, uma só alma.
Cantarão para nós os mesmos pássaros, e os mesmos anjos desdobrarão sobre nós as invisíveis asas. Temos agora por espelho os nossos olhos; o teu riso dirá a minha alegria, e o teu pranto, a minha tristeza. Se eu fechar os olhos, tu estarás presente; se eu adormecer, serás o meu sonho; e serás, ao despertar, o sol que desponta.
Nossos mapas serão iguais, e traçaremos juntos os mesmos roteiros
que conduzam às fontes escondidas e aos tesouros ocultos.
Na mesma página do Evangelho encontraremos o Cristo, partiremos na ceia o mesmo pão; meus amigos serão os teus amigos, perdoaremos com iguais palavras aqueles que nos invejam.
Será nossa leitura à luz da mesma lâmpada, aqueceremos as mãos ao mesmo fogo e veremos em silêncio desabrochar no jardim a primeira rosa da Primavera. Iremos depois nos descobrindo nos filhos que crescem, e não mais saberemos distinguir em cada um os meus traços e os teus, o meu e o teu gesto, e então nos tornaremos parecidos. E nem o mundo nem a guerra nem a morte, nada mais poderá separar-nos, pois seremos mais que nunca, em cada filho, uma só carne e um só coração.
Que o homem não separe o que Deus uniu. Que o tempo não destrua a aliança que nos prende, nem os amores, o amor.
Que eu não tenha outro repouso que o teu peito, outro amparo que a tua mão, outro alimento que o teu sorriso. E, quando eu fechar os olhos para a grande noite, sejam tuas as mãos que hão de fechá-los. E, quando os abrir para a visão de Deus, possa contemplar-te como o caminho que me levou, dia após dia, à fonte de todo amor.
Nossos caminhos são agora um só caminho, nossas almas, uma só alma. Já não preciso estender a mão para alcançar-te, já não precisas falar para que eu te escute...
 — com Valter Taliesin.


Sempre soube que amor é planta. Mas vim descobrir, já na flor dos anos, que a amizade também é planta; estranha planta que pode nascer ao longe, e alimentar-se de sonhos, de palavras, mas também de silêncios e delírios. Que vive no entre dito, no entrevisto, no imaginado; na subtileza do que se supõe descoberto. Na espera, na familiaridade da semelhança, na estranheza das confissões, na riqueza da discordância.
E floresce com pistilos de ansiedade vermelha, e se derrama em gotas de orvalho e fragilidade, e se revela aos poucos, temerosa como uma virgem; porque o coração é terra bravia, e a alma quebrada, na solidão construiu sua fortaleza.
Mas a vida me trouxe presentes, risos de ouro, mensagens de incenso, e histórias de mirra; e olhos sinceros, e contactos secretos, que se constroem no espanto de ver-se reflectida em afectos alheios. E imagino uma estrela que brilha, quase do outro lado do mundo, quase ao alcance das mãos.
Por todas essas maravilhas, me ajoelho ante a planta que brota de minhas entranhas, plena de sumo e verde e encantamento; e agradeço as promessas simples, de vegetal esplendor. E tremo, porque me sei na presença do sagrado; e temo, pois meu coração se abre, vibrante e exposto como a flor das manhãs.
Depois encontro tuas palavras, e meu peito se enchem de seiva nova, e o riso se faz cascada para lavar a alma e as vestes, e o caminho se faz companhia. E uma lágrima foge, e rola, se torna alívio e consolo; porque sei, que apesar das águas e lembranças que nos separam, tu, entendes.
 — comValter Taliesin.

A beleza do desnudar-se pudico, meio sem jeito mas com muita graça e no entanto repleto de desejo de olhar mais profundamente e de ser olhada mais profundamente... vou descobrindo a cada releitura deste teu texto(e de todos os outros na verdade)...é um prazer relê-lo, tentar descobri-lo mais um pouco. Não são palavras fáceis, a princípio até despertam alguns questionamentos, mas depois percebe-se uma sutileza toda própria, toda sua, toda rodeada e decorada com este teu jeitinho de ser tão teu, tão especial, tão SOFIA que aprendi amar e respeitar com toda minha inteireza de Ser. Percebe-se um fio de ouro, dourado, que liga termos como amor e amizade...percebe-se que da amizade sincera pode surgir o amor mais inesquecível, tremendo, intenso e sagrado que se tenha notícia e que ligue duas almas. Percebe-se um escrevinhar de novas fórmulas, percebe-se o código, o sagrado código e a secreta chave com a qual uma alma e só ela, tem acesso a outra alma... Este teu jeito absolutamente pessoal e intransferível de ser o Ser e que por estas sagradas sintonias e mistérios do sagrado se parece tanto com o meu o qual fez até com que certas 'criaturas alienígenas' lessem coisas minhas como se fossem suas e vice e versa rs...isto me faz cada vez mais navegante intrépido de teu mar de mistério e pura luz e amor...I LOVE YOU MINHA SOFIA!     

Reflexões de Valter sobre o texto de Sofia acima...


O amor não conhece fronteiras, mares, empecilhos ou impedimentos...

O amor é como um farol sinalizando de alma para alma...de destino para destino...

Existe amizade entre duas almas que se amam?

Claro, com certeza, mas existe mais; existe desejo, existe paixão, vontade de estar junto, cumplicidade, sintonia, companheirismo para criar um mundo, um universo juntos, como Deus e Deusa do mesmo...

Existe aquele toque especial que torna a vida do outro diferente, significativa e de certa forma destacada das outras vidas que amamos também e nos rodeiam, não que amemos menos os filhos, as filhas, os pais, os familiares... NÃO, mas sabemos que de forma misteriosa e sagrada, como se fosse um outro eu nosso(todos nós humanos somos UM enquanto essência divina mas falo aqui do eu perceptivo, consciente e individual), somente aquela alma tem o código, a chave que acessa o recesso mais profundo do nosso coração da qual todas as demais são afluentes não o rio principal...o rio principal ...é ela...

Como entender um amor e um sentimento assim?

Não precisamos, basta a nós VIVERMOS o mesmo dia a dia, sentirmos esta alma amada, sagrada, tão nossa e nós tão dela que nem podemos imaginar como que um dia quisemos ser de outra(o) e nem imaginamos querer outra(o) pessoa que não seja ela... é um entregar-se inteiro, sempre e cada dia mais.

O amor assim abarca uma aventura no bom sentido(este termo, aventura, passou a ter má fama depois que os pilantras de plantão começaram a empregá-lo para suas escapadelas da vida digna mas originalmente vem do latim "ad venture", e significa literalmente 'o que vem pela frente'... é enfim o mistério que o divino reserva para as almas sagradas e corajosas...), a aventura de um navegante do mundo misterioso de Nárnia, ou de um desbravador da terra média vencendo as tentações dos anéis sedutores, símbolos do inferior ilusório que querem prender a alma aos relacionamentos efêmeros, ou ainda de um Ulisses retornando para sua Penélope não importando que tudo e todos venham contra si por 10 longos anos de vicissitudes e tentações além dos 10 da longa guerra de Troia, e por fim de uma Maria Madalena, a qual enquanto todos fogem atemorizados diante do túmulo vazio espera chorosa à porta da tumba de seu amor, sozinha, numa solidão/solitude sem definição possível em termos alfabético/linguísticos, até que seja a primeira a vê-lo como ele REALMENTE É, antes de qualquer um.
E porque isto? Porque ela tinha o código secreto, a chave personal do amado que nenhum outro tinha, de acesso àquele lugar onde era só dele e por um caminho misterioso tornou-se só dela também e vice e versa. Ainda que num sentido mais lato, abstrato, inclusivo e divino tudo e todos fossem realmente UM Nele, ela todavia se tornará numa outra extensão personalizada dele mesmo e ele dela.
Assim ela ali, diante de seu amor com aparência física diferente, de outra esfera do Ser, agora com um semblante glorificado, ela se percebe detentora da chave como nenhum(a) outro(a) quando ele lhe chama naquele tom peculiar e que só a ela chamava e se dirigia...MARIA...e tremendo de amor ela responde carinhosamente do jeito que somente a ele e a mais ninguém se diria com seu apaixonado e entregue...' Raboni'...pronto, ele abriu aquele lugar secreto nela que só ele conhecia e ela adentrou também aquele lugar secreto nele que só ela entendia e as escamas caíram dos olhos e ela o viu face a face...no sentido mais profundo de tal termo(existe um livro dito apócrifo - ou dois, pois Pistis Sofia é um deles, sendo o evangelho de Maria Madalena se não me engano o outro - que deixa bem claro isto, esta percepção única que Jesus tinha de Madalena e ela tinha dele e de sua obra e que ninguém mais conseguia captar ou partilhar e isto independente de terem ou não sido marido e mulher de fato e de direito)...

Assim é este mundo fantástico e soberano do amor entre duas almas realmente sintônicas entre si!

Valter
 — com Sofia De Melo Volante.

OS ENCONTROS, A PAIXÃO E PRINCIPALMENTE O AMOR SEMPRE TEM TRILHAS SONORAS QUE EVOCAM NAS DUAS ALMAS O MELHOR DE SI MESMAS. ESTAS SÃO APENAS ALGUMAS DA GRANDE QUANTIDADE DE MUSICA QUE NOS TOCAM, TALVEZ AS QUE MAIS POSTAMOS UM AO OUTRO POR MOMENTOS ESPECÍFICOS QUE VIVÍAMOS. NÃO SEI SE SÃO OS MELHORES OU NÃO MAS CALAM FUNDO EM NÓS...

SARAH BRIGHTMAN DELIEVE ME


FOREIGNER - I WANT TO KNOW WHAT LOVE IS


CHRISTINA PERRI  - THOUSAND YEARS - TEMA DE TWILIGHT


PIANO BALAD - TWILIGHT EDWARD E BELA

ANNIE LENNOX - INTO THE WEST

PEDRO ABRUNHOSA - ILUMINA-ME


BEYONCE -HALO - TWILIGHT

DANITY KANE- STAY WITH ME - TWILIGHT

SARAH BRIGHTMAN E MUVRINI ´ TU QUIERES VOLVER


LOREENA MCKENNITT - DANTES PRAYE'S


OLIVER SHANTI - WOKANTONKA



ALAN JACKSON - LIVING ON LOVE


LESIEM - FIDES


THOMAS BERGESEN - REMEMBER ME


ERA - DONT' YOU FORGET ABOUT ME


FONTE YOUTUBE






FONTE GOOGLE IMAGENS

Nenhum comentário:

Postar um comentário