Google+ Badge

sexta-feira, 18 de abril de 2014

TRADIÇÕES E CONTRADIÇÕES...


Que o absurdo não seja o empecilho...
Que o improvável não seja o que iniba...
Que o imponderável não te assuste...
Que o impossível não te feche portas...

Alexandre


Verdade...quando amamos então isto se torna uma arte diante de nossos desafios, das coisas que temos que ajeitar na vida, mas SEMPRE deve não digo sobrar que isto é indelicado, até ofensivo...mas SEPARARMOS como algo sagrado um tempo no tempo para Deus e para aquela pessoa que juramos amar mais que tudo nesta vida...Claro, tanto Deus quanto ela estão conosco todos os minutos da vida mas este ato de SEPARAÇÃO no tempo e espaço de minutos, quiça hora para Deus e para a pessoa amada só vocês e mais nada, é alimento para manter-se dois egos sadios, livres de neuras, de frivolidades, de fragilidades, de medos, de receios e melhor ainda; alimentados e floridos quer pelo contato com Deus de forma singular quer pelo contato de um com o outro em carinho, cumplicidade, brincadeiras, sonhos partilhados, coragem renovada e muito mais.

Valter

Escrever toda minha história de vida num texto extenso? 
Poderia...
Numa biografia sintética? 
Poderia...
Num romance? 
Poderia...
Num conto?
Poderia...
Em um poema?
Poderia...
Em uma só frase?
Poderia...
Em uma só linha?
Poderia...
Numa só palavra?
Poderia...
Em uma só letra?
Poderia...
Em um ponto?
...Poderia...
O que faz uma história ser inteligível não é tanto os meios que se usa ou a quantidade do que se usa para contá-la mas sim a qualidade do contador da história e a qualidade do ouvinte da mesma...e se ambos estiverem na mesma sintonia um simples olhar interior - o ponto de que falei, o olho que tudo vê de um para o outro, revelará quer numa letra sagrada, numa palavra divina, numa linha mágica, numa frase imaginativa, num poema encantado, num conto inspirado, num romance profundo, numa pequena biografia elucidativa, numa gigantesca e enorme biografia por volumes dissecante e criteriosa...o mistério do Ser...
Seria sempre a mesma história mas cada leitor na medida em que o texto se torna-se mais hermético e menos discursivo e interpretativo deveria ter mais e mais contato com minha alma para entendê-la como a vivi e o que percebi neste viver a partir do ponto do Ser manifesto em cada um de nós...
E assim é com cada um de nós, por isto quem realmente tem sensibilidade interior valoriza mais as pessoas que conseguem senti-las nas entre linhas, nas entre palavras, nos pequenos sinais do que nos grandes discursos que fazemos por melhores, mais sinceros e inspirados que eles sejam e graças a Deus no meu caso são.

Alexandre




NEFILINS

Eles levantaram seu olhos
Levantaram para o imenso
céu azul que sobre
eles formava e moldava um
imenso toldo na verdade de
múltiplas cores e interações
consequentemente nada igual
ao que se vê hoje.

Eles de repente viram seus
pais, aqueles caros entes que
no oculto lhes assessoravam e
às suas belas e ditosas mães
serem lançados com um grande
estrondo de alturas imensas.

Não eram entes alados que caiam
mas imensas e gigantescas arcas
Imensas e gigantescas construções
As quais eram conhecidas pelos
filhos e filhas de Eva e Adão como
Vimanas que despencavam das
alturas e só era perceptível que
eram de seus pais pelos símbolos
heráldicos nelas impressos.

Símbolos que nos dias em que viriam
se tornariam lendários como símbolos
de nobres casas, de reinos, de impérios,
que viriam dominar os humanos e as
lendas dos descendentes do sangue azul
dos deuses seria uma das mais constantes
entre todos os humanos.

Eles que agora levantavam seus olhos e viam
das alturas sublimes, com seus imensos tamanhos,
a queda de seus pais das alturas celestes eram
só a ponta de lança, os primeiros dentre muitos
filhos e filhas dos deuses que os humanos viriam
caminhar sobre a terra e como toda experiência
que é digna do nome as primeiras não foram em
todos os sentidos felizes, a começar do tamanho
deste tamanho monstruoso e deste olho saliente
entre os dois olhos em muitos deles.

Havia pelo mundo todo relatos de gigantes que
haviam enlouquecido e depois de exterminarem
com todos os grandes carnívoros agora estavam
se voltando para devorarem os próprios humanos.
Em verdade sabiam os que olhavam neste instante
o grande espetáculo da queda dos deuses que isto
era uma metáfora, o 'devorar' dos humanos dos quais
eram réus era simplesmente o fato de terem se
estabelecido pelo avantajar e força tanto de corpo
quanto de mentes como senhores de grandes e poderosos
reinos e porque os humanos se tornaram seus vassalos,
criaturas sujeitas as suas vontades e caprichos.
Nenhum Nefilim, filhos de deuses que se preste era dado
consumir carne humana, isto era ridículo.

A última grande nave fez um estrondo tremendo
ao cair no Hermon e imediatamente no céu um
brilhante cintilante mescla de azul, dourado e violeta
se fez ver e as naves do grande hierarca Micael
nos céus foram vistas, ficaram volteando, indo e vindo
observando o que se dava na superfície, percebendo
o estado caótico das forças de Shemjaza e Azazel
os grandes deuses tidos por líderes rebeldes.

Mas seus filhos não sabiam o contexto desta rebeldia
Nem sabiam se seus pais eram heróis e vilões só sabiam
que depois de 120 anos terrestres de guerras estelares
as quais, principalmente em torno do planeta se deram,
seus pais pareciam ter perdido a disputa divina.

Perceberam então que céleres seus pais os chamavam
e pouco depois enviavam por todos mundo emissários
para convocarem seus partidários, principalmente as mães
de seus filhos até o Hermon de todas as partes do mundo,
claro nem todos puderam vir mas aparelhos de comunicação
ditos mágicos foram usados para falar com os distantes e
ordens urgentes e específicas foram dadas para que todos
pudessem ouvir e entender.

Os vencedores da guerra planejavam uma grande limpeza
étnica no mundo e eles apesar de terem perdido o que chamavam
de grande batalha nos céus não perderiam de fato a guerra.
E foi assim que muitos dos que são conhecidos como Nefilins
e muitos humanos favoráveis aos caídos conhecidos como
raça de Caim entraram em enormes cavernas subterrâneas
a começar no Hermon; mas também nos Himalaias, nos Andes,
nas montanhas Kun Lun, nos Urais, naquilo que veio a ser
conhecido como Grand Canyon, o Olimpo, os Pirineus...

Os grandes caídos contudo usaram portais construídos
nas linhas de poder da terra e se materializaram em outras
dimensões quando o grande dilúvio caiu sobre toda a terra.
E as águas prevaleceram de tal forma e modo que nada se via
a não ser trovões, relâmpagos, imenso tufões, águas revoltas
e pasmem, entre tudo aquilo uma imensa arca, uma gigantesca
nave protegida por algo que diríamos não ser deste mundo pairando
calma serena e tranquila sobre todo o caos que lhe rodeava.
Ela não singrava os mares e sinceramente, não tinha nada do que
as futuras lendas diziam ser de sua feitura, mas eram materiais
dos deuses o que se via ante os olhos, material dos céus.

Toda a raça de Caim que não conseguiu escapar( a grande maioria)
tidos pelos celestes como aliados dos rebeldes, uma terça parte de
Nefilins que não ouviram seus pais, e grande parte dos próprios
filhos de Set os aliados dos celestes pereceram na grande conflagração.

O tempo passou e contudo mais e mais são constantes as lendas de
uma raça intra terrestres de seres altamente evoluídos, belos, orgulhosos
e da existência entre eles de imensos gigantes os quais poderiam tomar o
poder na superfície a qualquer hora mas não o fazem por causa de uma
antiga trégua de uma guerra suprema passada, de um tratado
mais velho que a mais velha carta e pergaminho que diz, 'daqui não
ultrapassarás' pois eles sabem que no dia em que o fizerem os céus
queimarão em fogo vivo novamente.

Depois do grande dilúvio mesmo a raça de Set que desceram da imensa
nave sagrada construíram ela também suas cidades subterrâneas,
intra terrestres que hoje é difícil sabermos se cidades e mundos como
Agartha e Shambhalla fazem parte de um ou outro grupo.

Dizem que uma nova guerra entre deuses se avizinha e desta vez a sorte
será definitivamente lançada e os dois partidos que indiretamente a
milhares e milhares de anos influenciam nossas civilizações encontrarão
definitivamente seus destinos...
mesmo os portais pelos quais os deuses rebeldes escaparam serão assediados,
nada escapará à fúria dos celestiais e o que sair disto, do resultado desta
guerra definirá o futuro que teremos na terra.

A maioria dos humanos como não poderia deixar de ser já que somos
descendentes de Set dizem que a razão esta com os celestiais mas alguns
entre nós(infiltrados caimítas dizem)juram que as intenções destes
celestiais não são nada virtuosas e solidárias mas que no fundo o que
fizeram foi impedir que desde aqueles tempos a terra tivesse uma alta
civilização e que a mestiçagem entre deuses e humanos criassem uma
civilização ímpar neste setor do universo.

Obviamente que assim como nós com os nossos,
eles rezam pela cartilha de seus pais,
dos deuses caídos que lhes ditam normas e forma de conduta nas
civilizações interiores das quais fazem parte e vez ou outra se manifestam
na superfície...entretanto os humanos não precisam se preocupar com
verdades ou mentiras ditas por um ou outro lado pois a ligação e
filiação às duas correntes se dá por VIBRAÇÃO interna...

Se existe alguma coisa como predestinação talvez seja isto, um desejo
e uma vontade irresistíveis de aceitarmos um ou outro postulado sobre
quem somos? De onde viemos? E para onde vamos?

Qual é a explicação que mais toca seu coração?

O que cala mais fundo em si?

A mensagem dos celestes?

A mensagem dos rebeldes caídos?

Com quem você entende estar a razão do grande conflito evolutivo?

Quem você acha que verdadeiramente estava a favor de nossa espécie?

Dependendo do que responda você no íntimo já fez sua escolha!

Até quando você diz não ter feito escolha nenhuma pois não acredita
em nada disto!

Pois ficar em cima do muro(acendendo vela para um ou outro lado)
ou não acreditar não são formas de sair
deste rolo, só formas de participar dele com...OLHOS VENDADOS!

Paz e Luz

Valter


A FERIDA HUMANA

Há um rebuliço estranho de almas que se entrechocam
De corações que pulsam descompassados,
De mentes que se ferem, que se escoam...

Há uma ferida aberta no centro, no cerne de nossa humanidade...

Uma ferida que fede, que gangrena a milhares de anos
e cada vez que olhamos parece estar pior, mais azulada,
arroxeada.

Neste cenário vemos debruçados sobre ela todos os tipos
de 'especialistas', de curandeiros, de médicos, de tanta
gente com tanta coisa para dizer, mas se repararmos bem
no meio do peito de cada uma delas, a MESMA ferida
que se vê no centro virtual do que chamamos coletividade
humana esta a mesma ainda mais saliente dentro de cada dito
'curador' da humanidade como se dissesse, me cure aqui
primeiro, me cure aqui primeiro...

Sim, um grande curador só poder curar o outro se perceber-se
participante da mesma dor deste, da mesma ferida que sangra
e pulsa enferma pedindo cura.

Todavia um verdadeiro curador curado, é como o Cristo...
Traz as chagas da doença que corrói o mundo
agora cicatrizadas em si, mas ali presentes, como um lembre-te
de que SABE do que fala, entende do que diz, participa ou
participou desta roda gira mundo que todos participam.

Que tipo de curador você é ou acha que é?

Daquele(a) que se acha um(a)iluminado(a) mas vive fazendo
as mesmas 'desiluminações' dos que supostamente
queres ajudar?

Ou daquele(a) que sabe ainda ter a chaga pulsante e
dolorida em si mas no pouco ou muito que podes
fazer fazes tua parte com toda disposição, vontade e fé
sabendo que o que operas em ti é maior que tua fraqueza?

E por fim, daquele(a) que se curou, encontrou em si
o ponto de mutação e transmutou as energias
e agora com autoridade de quem sabe por experiência
atua no mundo vibrando luz curativa onde passas?

Quem sois?

Antes que se apresse, a resposta é entre você
e seu eu maior, o divino em si tá?

Paz profunda...

Valter

'Fui deixado a ver navios'...

Esta frase irônica mas de extremo desconforto pois infere uma situação de abandono supõe que originalmente surgiu diante das despedidas das almas amantes, ou melhor, daquela alma amante, que perdia a batalha do coração da outra para um outra, diante da partida desta nas águas turbulentas do mar...

Ou ainda da espera sem fim de almas amantes por promessas de chegada que nunca se concretizavam...

Várias são as obras literárias, os filmes de drama que enfocam amantes olhando inconsoláveis a chegada e partidas de naus como se este mero olhar fosse poderoso o suficiente para materializar um momento, quer do passado ou nunca acontecido, onde a imagem da pessoa amada surgisse diante de seus olhos agora para ficar...para sempre.

A mulher do tenente francês é uma destas obras e Titanic de certa forma analisando a história da Rose mais velha vai pelo mesmo caminho.

Ninguém gosta de ser 'deixado a ver navios' por mais paradisíaca que seja a imagem, por mais belo que seja o porto, por mais majestosa que seja a nau...
ser deixado a ver navios é um grande problema!

Mesmo no caso de Penélope que por 20 anos olhava o mar esperançosa cada nau que passava para ver se via no horizonte seu amado Ulisses, tenhamos em mente que ela não sabia se ele retornaria, nem se a amava ainda, ou se estava vivo...mas como o fio do tapete que ela tecia de dia e desfazia de noite, assim ela sentia que o fio que os ligava estava firme e forte portanto sabia que ele não só a amava como retornaria um dia.

É um dos casos de ser deixado a ver navios em que tudo termina em final feliz.

Com o tempo o termo passou a significar toda e qualquer espera mais ou menos longa em que alguém fique por outra pessoa(ou por qualquer outra coisa que dependa de outras pessoas)...literal ou figuradamente...

E geralmente o significado não é muito bom...

Ficar a ver navios...

Problema...

Valter

Tem muita goiabada achando que é trufa
E muito queijo comum pensando que é Roquefort...

Calma gente, queijo com goiabada dá um bom Romeu e Julieta, 
é gostoso mas NÃO É cozinha internacional de alta gastronomia!
Então não coloquem na etiqueta preço que não vale...

Tem gente assim no mundo espiritual(da espiritualidade)...

Tem boas qualidades, de um bom queijo,
Tem consistência e sabor de uma boa goiabada cascão...
Se juntar os dois dá uma boa e saborosa modinha caipira...

MAS...

Para por ai...

Aquela coisa de cada um com sua quantidade de talentos
quiça qualidade da parábola do Mestre Supremo não é a toa...

Uma pessoa por mais espiritualizada que seja, se esta
por livre escolha ou por força maior restrita ao seu grupo
de doutrinação espiritual(seja ele qual for)
e querer aventurar-se em seara alheia,
abarcar o mundo com os braços e, como dizia Raulzito...'ter
aquela velha opinião formada sobre tudo' é como uma boa
goiabada cascão em dobradinha com um bom queijo posar
de trufa e de queijo roquefort...

NESTE CASO a grife, a etiqueta é mais abrangente,
envolve outras coisas, outros processos, envolve um
consenso de grandeza universal, envolve experimentos
mundiais em diversos pontos do globo para conseguir
o mais excelente deles, ainda que o verdadeiro roquefort
esteja na região da França e as melhores trufas na Europa.

Um doutrinador sectário é assim; um bom queijo com
goiabada. Faz o melhor de si e dá prazer para seu grupo
querido e para aqueles que perdidos na vida andam à
caça de quem lhes ajude mas NUNCA...pode se meter
a comentar doutrinas alheias, crenças alheias, as profundidades
de doutrinas alienígenas a si sem cometer o pecado da
vaidade e do preconceito.

Um doutrinador sectário, um queijo e goiabada,
não pode QUERER ser uma trufa ou um roquefort.
Tem que SE TORNAR um(a) por processo de transmutação,
tem que deixar as amarras do seu grupinho querido
e se abrir ao mundo espiritual dizendo; eis-me aqui,
me ajude a ver com outros olhos coisas que vejo sempre
da mesmas forma.

Tem que deixar de ver O LIVRO como o único autorizado
e inspirado por Deus para ver NO LIVRO autorizações e
inspirações divinas que lhe alcem além e mais profundamente
do que a mera letra que mata ou a espiritualidade que só
autoriza seu grupo a dizer...Senhor Senhor!

Para ser trufa e roquefort meu amiguinho queijo
minha amiguinha goiabada, não basta ser o gostosão,
a gostosona, o bambambam na sua terrinha tens que ser
PLANETÁRIO, UNIVERSAL, DIMENSIONAL, MULTI DIMENSIONAL,
ALÉM DE LIMITES, SUBSTANTIVOS E ADJETIVOS!
De valor realmente incalculável!

Tens que perder o medo da danação eterna ao fixar-se
em nomes e doutrinas...

Tens que perder o medo de outros nomes e de outras doutrinas...

Tens que arriscar PERDER-SE DE VEZ se quiseres a pérola de valor
incalculável que esta na na mais oculta ostra do mais profundo oceano.

Tens que somar, multiplicar, não diminuir ou dividir.

Sem isto óh! goiabada, óh! queijo...fique na sua...
cuide de seu rebanho e não se meta onde seu bedelho não alcança!

Serás MUITO melhor recompensado pelo Pai/Mãe da vida do que
se quiseres ser o que nuncas serás se não quiseres pagar o
preço da renuncia de toda a certeza cega pela incerteza vidente e consciente
de ser-se puramente UNO com o divino sem saber onde isto vai dar e como!

Só pelo grande prazer de SER somente...nada mais!

Valter

Em tempo:

Este texto surgiu da seguinte constatação que fiz e comentei em post aqui...mas poderia ser o oposto(um doutrinador espírita falando de ressurreição) que valeria do mesmo jeito pois falar da seara alheia preconcebidamente é um despautério..há que se renunciar a toda doutrina e dogma( ainda que a titulo de 'segurança' psíquica a tenhamos dentro de nós para nosso usufruto pessoal)e procurar entender o mundo com o olhar dos outros.

EU ESTOU PROCURANDO FAZER ISTO!
FÁCIL NÃO É, E PASMEM! NEM FICA-SE PERDIDO...
FICA-SE NA VERDADE CONSCIENTE DE UM FIO DE OURO QUE UNE TODAS AS DOUTRINAS E RELIGIÕES POIS NO MEIO DA DISPARIDADE SE ENXERGA A UNIDADE...

Vamos ao post que fez surgir o texto...

"Um pastor evangélico avivalista, de visão fundamentalista avisa em sua página que vai falar sobre reencarnação...bem, alguém dúvida...
O que falará?
Como falará?
Porque falará?
Eu que já FUI um deles sei o que, como e porque...portanto..
Dispenso!
Bom proveito!"


VÍDEOS SAGRADOS









FONTE YOUTUBE





FONTE DE IMAGENS GOOGLE


Nenhum comentário:

Postar um comentário