Google+ Badge

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

CONTRASTES...



Vivemos em um mundo onde o contraste é uma constante...

Em si a comparação e a diferenciação nada tem de erradas mas quando falamos em contrastes no que se refere a vida isto implica basicamente em divisarmos diferenças entre estilos, condições etc...de vida e quando observamos bem as tais percebemos nitidamente que tais contrastes trazem a dor da divisão, a dor do preconceito, a dor da violência entre nós.

Vamos analisar alguns dos mais comuns... 



1.SEXUAL

Nascemos já como homens ou mulheres ou houve algum tempo onde existiu um hermafrodita original? Como dá a entender os primeiros versos de Gênesis(e não que homem veio antes da mulher como entendem os literalistas mas que O Adão macho e a Eva Fêmea estavam contidos no ADÃO original e a metáfora da mulher saindo de sua costela nada mais é do que os dois sexos se separando de um em dois entes diferentes).

Difícil de fato sabermos se é o social ou este o maior dos contrastes.

Primeiro a situação entre homem e mulher e agora também do terceiro grupo. 
O contraste portanto deixa de ser meramente de gênero e passa a ser sexual.

Durante eras o mundo viu-se dominado pelo mais feroz patriarcado hoje podemos dizer que o mundo esta dividido entre regiões altamente patriarcais e outras onde a igualdade dos sexos teve avanços tremendos restando ainda muito por fazer mas em meio a avanços evidentes.

Todavia com os direitos de homossexuais em voga a questão deixou de ser meramente entre homem e mulher e passou a envolver a forma como as pessoas se relacionam sexual e afetivamente.

O contraste portanto é entre a ainda dominante cultura heterossexual patriarcal versus uma cultura multi sexual sem gênero ou seja; nem hétero, nem homo, nem bi, nem matriarcal, nem patriarcal.

Pouco a pouco portanto a discussão deixa de ser entre os opostos que se complementam, masculino e feminino e passa a ser bem mais sutil, bem mais diversificada, envolvendo as diversas formas de se relacionar sexual e afetivamente dentre destes dois gêneros básicos.


2. SOCIAL

Provavelmente este seja o mais comum de todos. 

Em todas as sociedades existem diferenças sociais entre seus membros que quando pesada revelam contrastes muito fortes de um para outro.

Ricos e pobres é hoje em dia o mais forte dos contrastes sociais mas já houve tempo em que nobres e plebeus era o contraste mais forte.

A pessoa que nascesse em uma ou outra destas classes morria nelas. 

Com o tempo um tipo de plebeu começou a se destacar e a enriquecer pelo comércio e tornaram-se num terceiro grupo os burgueses este grupo é que foi o responsável progressivamente com o passar do séculos na quebra de paradigma entre nobres e plebeus já que muitos burgueses tornaram-se imensamente ricos dai títulos de nobreza começaram a lhes ser concedidos. O primeiro movimento portanto foi de tentativa de perpetuação do status quo, a classe dominante, os nobres tentam se manter no ápice da cadeia tentando assimilar os burgueses. 

Mas progressivamente junto com o burguês vem a noção diferenciada de governo onde nobreza deixa de ser um referencial interessante, os burgos ou cidades se tornam progressivamente auto governáveis e com o tempo repúblicas começam a pipocar mundo afora.

Fortalecesse assim o contraste entre ricos e pobres e não mais entre nobres e plebeus. Raros são os países hoje onde existem realezas e nobrezas e mesmo nos tais o conceito de ser nobre tem mais a ver com méritos e conquistas tanto financeiras quanto em outros campos do que com nascimento APESAR deste fator ainda contar MUITO só que agora envolvendo mais o conceito de riqueza que o de nobreza mais especificamente.

O contraste entre riqueza e pobreza portanto continua mais forte do que nunca...

Pessoas ricas e pessoas pobres dentro de países ricos ou países pobres.

Países ricos e países pobres.

Culturas ricas e cultura pobres.

Civilizações ricas e civilizações pobres.



3. RELIGIOSO

A religião esta conosco a tanto tempo que não sabemos se o primeiro humano ciente já olhou o mundo no entorno de si com olhares religiosos ou não.

Quando surgiu a primeira fagulha do crer?

Segundo o mais famoso dos livros religiosos, a Bíblia o ato da religiosidade em si nasce com Enos dando a entender pela palavra 'invocar', que foi ali que algum tipo de ritual religioso nasceu de fato. Mas antes disto já se fala que os primeiros filhos do homem e da mulher original Caim e Abel cultuavam a Deus com oferendas e mesmo antes quando diz que Deus criou o homem do pó da terra(Adão) e depois o separou em macho e fêmea(Adão e Eva) vemos que existe conceitualmente e implicativamente uma necessidade de que haja relacionamento entre homem e divindade portanto entende-se que pelo menos no sentido de perceber Deus isto esta conosco desde o primeiro momento que respiramos.

O primeiro contraste surge quando os humanos são separados em dois grupos sexuais. Portanto o sexual é por ordem o primeiro dos contrastes seguido logo em seguida pelo religioso, Caim versus Abel e depois pelo social, Filhos de Deus/Set, filhas do homens/Caim, se entendermos tais termos míticos como referentes como muitos interpretam, às duas raças míticas advindas do homem original e não a entidades de fora da terra quando se refere a filhos de Deus. Cria-se portanto miticamente dois contextos sociais antagônicos contrastantes entrei si que originalmente não se misturavam mais com o tempo isto passa a ocorrer e como a análise é meramente social e espiritual e não racial(sempre focando numa vertente da interpretação de que os tais filhos de Deus são somente a geração de Set e não entidades alienígenas à raça humana) isto é visto como a degradação de toda a raça humana e ocasiona seu fim.

Entretanto penso que o social seja mais evidente e forte com o passar de eras porque implica em desigualdade que atinge indiferentemente homem ou mulher de x ou y religião ou orientação sexual!

Seja como for o contraste religioso miticamente só surge quando dois humanos começam a divergir da forma como entendem o sagrado e dai a diversidade torna-se cada vez mais quantificada e qualificada ou seja; diversos tipos de visão sobre o sagrado e cada qual se considerando melhor que a outra. 

O problema contudo estaria na quantificação ou na qualificação?

Na diversidade ou na unidade?

Houve uma sabedoria original que com o tempo passou a ser entendida por diversas metáforas religiosas diferentes mas que apontam conceitualmente para uma única verdade original ou existe uma única metáfora certa desta verdade original, autorizada em meio a diversas falsas e errôneas?

Esta é a grande questão da religiosidade humana no correr dos tempos!

4. RACIAL

O contexto racial como o conhecemos agora, mais focado na cor da pele é algo mais recente, do século 18 para cá. Antes o contexto racial focava-se mais em raças específicas que em cores específicas.

O indivíduo podia ser branco, mas se fosse de raça oposta já poderia ser visto como diferente.

Assim a língua, a cultura, a religião determinava mais o conceito de raça que a própria cor da pele.

Escravos havia de diversas raças e cores e não somente a raça negra. Com o advento da escravidão no novo mundo isto muda e a mancha da ignomínia da escravidão deixa de ser algo universal para ser algo praticamente inerente à raça negra.

Claro, isto é um erro absurdo, bastava perder-se uma guerra nos tempos antigos para povos inteiros serem escravizados independente da cor de sua pele.

Esta mancha, esta nódoa portanto é um dos maiores crimes da História Universal atingindo o contexto irmandade e o contexto fraternidade humanas como nenhum outro.



5. CULTURAL

As culturas são o resultado no espaço e tempo dos grupos de humanos que se relacionam entre si.

Primeiro temos um casal, depois uma família, depois grupos familiares aparentados e pouco a pouco um grupo maior mais distante por laços de sangue mas unidos por algo que chamamos de cultura.

A cultura advém já diz o nome de culto, de cultuar!

De certa forma o contraste cultura esta intrinsecamente ligado ao religioso basicamente porque as manifestações culturais geralmente espelham estas buscas dos povos. Claro, existem manifestações culturais que podem ser consideradas laicas, nada ligadas a religião em si mas O TERMO basicamente nasce do conceito religioso.

Entretanto culto também significa alguém preparado, conhecedor das coisas, um sábio e dai que é aqui que alguns podem por outro lado ver mais a percepção do contraste cultural que em outras áreas. Sendo assim culto originalmente não seria alguém instruído mas alguém perfeitamente conhecedor da cultura de seu povo.
Poderia ser uma pessoa iletrada mas que conhecesse a fundo as tradições de sua tribo por exemplo!

O contraste cultural pode ser visível dentro de um mesmo país e não somente entre países e países!

Mesmo países pequenos tem diversidade cultural!

Este termo envolve hoje em dia um campo vasto de manifestações implicando artes: cênicas, plásticas, literárias, musicais; os costumes etc...não necessariamente ligadas a cultos mas tendo ainda nestes seu maior foco inspirativo.



6. CIVILIZATÓRIO

As civilizações nascem com o tempo, com o lento passar das eras.

Geralmente este termo abrange não só um povo específico mas um grupo de países ou povos quer em algum momento dominados por um poder central(impérios como o sumério, o egípcio, o babilônico, o grego, o persa, o romano, o inglês etc...) ou por alguma cultura(vikings, renascença, descobrimento, iluminismo, vitorianismo, americanismo etc...)   ou ainda religião dominante(cristianismo, judaísmo, islamismo, hinduísmo, budismo etc...).

Atualmente duas macro civilizações dominam o mundo...

A OCIDENTAL E A ORIENTAL.

A Ocidental envolve basicamente a Europa e a América além de certas regiões da Oceania e a Oriental é um termo que abrange Ásia, Oriente médio e outras regiões da Oceania...a África fica também dividida como a Oceania ente estas duas grandes civilizações macros.

Entretanto ultimamente temos visto um movimento constante destas duas mega civilizações para se auto influenciarem, países orientais como Coréia, Japão e até a grande China tem sido fortemente influenciados pelo ocidente e este cada vez mais sofre influencia do Oriente atualmente em especial pela migração de povos destas regiões.

Mais que um choque de civilizações o que estamos vendo é um misto de choque e fusão, uma briga, uma queda de braço entre uma e outra  coisa. Portanto vejo mais que choque de civilizações um choque entre o desejo de fusão e o desejo de permanecer-se original.

Contudo dentro destas duas macro civilizações vemos outras pequenas que são em algum momento o carro chefe, o motor das mesmas.

A civilização ocidental primeiro foi regida pela religião, o cristianismo e depois por movimentos culturais como a renascença, os descobrimentos, o iluminismo, vitorianismo e agora o americanismo.

Dentro da cultura cristã ocidental a certo ponto houve o nascimento de duas civilizações antagônicas, a católica permanecendo com a visão cristã antiga dominante e que se 'renova' com a contra reforma e a protestante que nasce no século XVI e se expande poderosamente a partir do XVIII...se analisado num passado mais longínquo o cristianismo em seu apogeu de poder chegou a dominar o mundo antigo ou seja; a civilização ocidental e boa parte da oriental até o surgimento do Islã(uns 300 anos, entre o concílio de Niceia em 325 DC até as conquistas de boa parte da região pelo islã), mesmo com a queda do agora império romano cristão(quase 150 anos pós concílio) do ocidente, ficando só o oriental que passa a chamar-se Bizâncio,  as nações surgidas dele eram nações que adotaram a religião e cultura aderente a esta como suas mesclando-as às suas tradições, e vem daqui  a primeira cisão no cristianismo entre ocidente e oriente uns 300 ou 400 anos antes do protestantismo e quando este encontrava contra si a forte rivalidade do islamismo. Portanto a forte diferenciação doutrinal entre um e outro e principalmente política já que o oriente nunca aceitou a primazia do bispo de Roma com conforto foi o primeiro grande motivador de cisão.

A posterior, do protestantismo surge nas mesmas bases e diria até mais radicais pois as Igrejas protestantes rompem mais profundamente com as tradições e doutrinas católicas que a Igreja oriental e pouco a pouco vários ramos derivados das mesmas criam uma miríade de diversidade de igrejas que continua a se expandir até os dias atuais. 

Na oriental primeiro vimos o poder do hinduísmo e depois progressivamente budismo e islamismo. 
Se formos realmente justos diríamos que o ocidente foi conquistado por uma visão oriental ou de médio oriente e que se tornou a visão espiritual ocidental da vida esquecendo muitos suas raízes orientais, mas que se fundiu à forma de governo romana, à filosofia e cultura gregas e com o passar do tempo às tradições das tribos bárbaras que iam conquistando vastas regiões do império mas assimilando e sendo assimilados no processo. Portanto neste processo o próprio culto formado em torno do rabi da Galileia ganhou fortes influências de outras visões a ponto de a partir do terceiro século DC pouco restar do judaísmo original dos antigos discípulos.

O cristianismo em sua essência é de raiz judaica e o judaísmo é uma religião do médio oriente tanto quanto o Islã, mas o cristianismo ganhou características próprias no ocidente ao fundir em si outras tradições(como visto não só gregas e romanas mas celtas por exemplo)e tornar-se algo diferenciado do seu nascedouro.

No oriente percebemos o mesmo tipo de situação, o budismo de certa forma um ramo do hinduísmo se torna progressivamente uma religião diferente ao retirar muitos dos conceitos das deidades de si e digamos, depurar em si os conceitos espirituais. Com o espalhar deste por povos da região houve a assimilação natural com outras tradições como o xintoísmo, o taoismo o confucionismo etc...quando chega o islamismo este progressivamente conquista regiões em sua expansão tanto de cristãos quanto de budistas e hinduístas e no processo diversas pequenas civilizações dominam a visão deste através de califados x ou y e depois dos turcos seljúcidas. Em essência a mesma religião mas com culturas diferentes atuando através dela, criando novos focos civilizatórios o que fatalmente cria tanto assimilação quanto choques.

Bem, creio que estas 6 visões sobre o contraste revela um pouco do que quis dizer sobre o assunto.

Mas com certeza há muito mais a ser dito não só sobre as 6 mas sobre outros tipos de contrastes.

Paz e Luz

Valter Taliesin

VÍDEOS SAGRADOS

ABBA

I HAVE A DREAM


DANCING QUEEN



MAMMA MIA

CHIQUITITA

FERNANDO

SUPER TROUPER

GIMME! GIMME! GIMME!

THE WINNER TAKES IT ALL
FONTE YOUTUBE










FONTE DE IMAGENS GOOGLE

Nenhum comentário:

Postar um comentário