Google+ Badge

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

CAMINHOS PERIGOSOS...

Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte.

Provérbios 14:12


Costumamos falar muito em Caminho...

Meu caminho, seu caminho, nosso caminho, o caminho deles...

Jesus falou em caminho estreito e caminho largo...

Na iniciação costumamos chamar a mesma de....Caminho...

Portanto podemos dizer que nem todo caminho é bom, nem todo caminho é de luz, nem todo caminho leva ao mesmo destino, por mais que certos espiritualistas insistam em dizer o oposto.

Uma coisa é você afirmar que todas as coisas que você enfrenta na vida, todas as decisões que toma podem te levar a um caminho bom ou ruim, mas que mesmo o ruim acaba servindo de experiência e crescimentos a você. Mas daqui afere-se que você tomará estas experiências para a partir de então tomar o caminho correto e crescer em conhecimento e sabedoria não que se continuar no caminho do erro dará no mesmo lugar que aquele que trilha o caminho de luz.

Por isto Cristo nos fala de dois caminhos...

Todos os caminhos escolhidos pelos humanos em suas vidas vão dar em um ou em outro.

O caminho estreito é o caminho da iniciação...O CAMINHO que realmente nos leva para um maior contato com o Eu maior e consequentemente Deus.

O outro é o caminho largo que conduz à perdição, nele estão todas as escolhas erradas e equivocadas que fazemos em todos os setores de nossas vidas e que quando são constantemente insistidas levam a alma para o Caos no Divino e não para a Ordem.

Deus é um só neste sentido, TUDO leva a Deus, mas o caminho largo leva a Dissociação em Deus, a perca da identidade do EU SOU para o Caos, os elementos caóticos no sagrado, um retorno inconsciente ao divino. Isto para o Cristo é o que ele chama de PERDIÇÃO pois neste ato a alma perde sua identidade divina consciente, O EU SOU, e amalgama-se aos elementos originais da criação.
Já o caminho estreito leva a alma a PLENA IDENTIFICAÇÃO COM DEUS.
Neste sentido ele se torna UM com o divino em si, ele não se perde, não deixa de existir ou de perceber-se existente mas passa a ter a consciência plena de TODA A EXISTÊNCIA em si.

Portanto não são todos os caminhos que levam à união com o divino mas todos os caminhos terminam sim em Deus quer como a visão de SHIVA o destruidor quer como a visão de SHIVA o recriador. Na primeira a alma renitente deixar de SER na segunda a alma penitente se torna UNA em SHIVA..

Cada momento de nossos dias estamos escolhendo nosso ir e vir.

Nossas escolhas!

Eis o que define os nossos caminhos!

Vivemos em um mundo onde certos estereótipos, certos arquétipos, acenam para luz ou para as trevas.

Entretanto mesmo tais estereótipos não sinalizam se um caminho é bom ou ruim.

As trevas em si não tem nada de ruim...

As trevas são o útero onde nasce a luz.

Quando falamos em mago da luz e mago das trevas entretanto estamos falando de escolhas!

Pessoas que escolhem usar as energias divinas mesmo as mais escuras e sombrias em prol do bem ou do mal.

Uma pessoa que lida tanto com a figura da ordem quanto com a figura caótica da divindade com o propósito de fazer o bem no mundo é um mago de luz!

Uma pessoa que vive dentro de uma religião dita de luz mas pratica o mal através de pensamentos, palavras e ações é trevosa!

Existe portanto trevas no sentido de caos e energia divina não ordenada e luz no sentido de energia divina ordenada.

Existe por outro lado em contexto moral e espiritual trevas no sentido de pessoas que abraçam o caos como forma de vida e implementam o caos no mundo destruindo tudo e todos e consequentemente praticam o mal e pessoas que diante da energia caótica a transmuta e trabalha em prol da ordem fazendo o bem no mundo.

Portanto tanto a energia caótica, quanto a energia ordenada nascem em Deus e são divinas mas uma quando usada de foma natural sem transmutação destrói o praticante e conspurca tudo o que ele toca pois é dirigida pelo desejo e escolhas egoístas deste e a mesma energia quando na mão de alguém com intenções corretas se torna em energia progressivamente ordenada. As trevas se tornam assim tão úteis quanto a luz para a construção do reino divino na mão de quem saber usar as energias.

Por isto uma das imagens que mais confunde os espiritualistas conservadores é a do mago evocando demônios e entidades caóticas para seus trabalhos. E mesmo assim este continuar sendo dito da luz.

A diferença contudo deste mago do outro é que ele subjuga tais entidades como Paulo fez com a entidade que falava pela boca de uma jovem elogiando-o para um fim que eleva a luz no mundo. Tais entidades se manifestam como prisioneiras do mago e seus decretos enquanto no caso oposto o mago é um serviçal de tais entidades, um canal delas.

Não é preciso dizer que isto é brincar com fogo, a pessoa para lidar com o caos tem que ser em si o mais plenamente possível a consciência do EU SOU sob pena de ao invés de tornar-se um ordenador se tornar um servo, um escravo destas forças.

Evocar o caos para criar mais luz enfim não é trabalho de quem quer mas de quem pode!

Jesus em seus quarenta dias no deserto lidou cara a cara com aquilo que foi definido como Diabo, a personificação bíblica do caos e das trevas, e toda a forma dele agir é a atitude de um mago da luz com esta entidade.

Não entro aqui no mérito de ser ou não uma entidade factual, nem que as entidades caóticas em si o sejam mas tais personificações acenam para um mundo onde o caos se torna atraente para uns e outros a ponto de SE PERDEREM para o mesmo e deixarem de ser UM com o divino em si, com sua plena consciência divina.

Os caminhos perigosos portanto começam dentro de nós. Nas nossas intenções, nas nossas escolhas pois segundo o que pensamos, falamos e fazemos assim será nosso destino.

Não sou defensor nem da danação eterna nem da salvação plena.

Entendo que para nós filhos e filhas de Deus é dado a escolha se queremos o caminho estreito que conduz a salvação ou unidade com Deus ou àquele que conduz à perdição ou a perca da identidade de Ser no caos original.

Porque?

Porque não acredito em um Deus que puna eternamente seu filhos enquanto outros gozam de ventura eterna nem muito menos em um Deus que os obrigue mais cedo ou tarde a aceitá-lo ou seja; é uma outra forma de determinismo a meu ver.

Deus e liberdade e amor...

Assim nele há escolhas conscientes que nos levam para a unidade com Ele ou à dissolução final nele si isto for de nosso agrado...

Deus tanto é a Fonte de toda a luz e toda a ordem onde unificados nela seremos SEMPRE E PERENEMENTE DEUS EM AÇÃO quanto é o caos onde aqueles que não quiserem tal união se perderão para suas consciências e se fundirão aos elementos caóticos ou não ordenados e como nada se perde na divino um dia servirão de energia para que criações e criações de vida em Deus nasçam em meio as trevas.

E ASSIM O DIVINO SEMPRE É E SEMPRE SERÁ NO FIM DAS CONTAS mas a alma consciente só poderá ou não ser se abraçar o caminho que conduz a unicidade no DIVINO, do contrário nada se perderá, tudo se transformará, mas sua consciência de Ser estará perdida no caos de onde novas criações surgirão através das ordenações dos deuses e deusas criativos unificados na LUZ.

OM TAT SAT

Valter Taliesin

Vídeos sagrados

Nabuco de Verdi

Dueto de amor de Akhenatem de Glass

Aria da Rainha da noite de Mozart em A flauta mágica

Abertura de Fidelio de Beethoven

Abertura de Tanhauser de Wagner

Aria de Bach
 Fonte Youtube








 FONTE DE IMAGENS GOOGLE

Nenhum comentário:

Postar um comentário