Google+ Badge

sexta-feira, 24 de abril de 2015

A VERDADEIRA RIQUEZA...


Poema da Riqueza
Riqueza é tu acordar todos os dias e sentir comunhão com o sagrado.
Riqueza é tu neste acordar sentir saúde, força e vigor para o caminhar.
Riqueza é, independente do que encontres no caminho sentir que sois, que neste Ser há poder para muito mais.
Riqueza é saber discernir entre o certo e o errado, o bem e o mal.
Riqueza é fartura, e fartura no sentido de que estais pleno, não que estais cheio, cansado, farto da vida.
Riqueza é abrir caminhos entre as diversas opções da vida e saber discernir os momentos apropriados para fazer ou não fazer.
Riqueza é ter e vibrar luz em todas as ocasiões da vida, mesmo as mais difíceis, é ter dentro de si para dar quando tudo e todos falharem.
Riqueza é prometer e cumprir o que prometeste porque há e sobeja dentro de si dons e talentos para ajudar.
Riqueza é sim ser próspero, e prosperidade é tudo em que botares tua mão ir avante, tudo o que botares a mão, crescer, multiplicar, expandir.
Riqueza é saber discernir o momento de ir ou de ficar, expandir ou poupar, abrir ou fechar.
Riqueza é intuição para perceber momentos, e nestes momentos saber fazer o que é melhor para si, em todos estes momentos de sua vida.
Riqueza é abundância, e abundância é sentimento de administração e não de posse...saber administrar os bens que recebemos de Deus, da vida, em nosso benefício, de nossos entes queridos e de todas as pessoas que pudermos alcançar.
Riqueza é jamais desistir de ser e fazer felicidades, é suplantar dificuldades, é aprender com os erros, é transmutar negativismo em positivismo e este em tudo o que Deus tem preparado para aqueles que sabem Ser e neste ser fazer o que é magnético para atrair para si o melhor da vida.
Riqueza é um estado de Ser enfim, mais que ter ou fazer. E um ser consciente de que nada é impossível quando estamos no ponto certo que é o centro de nossas vidas...DEUS.

Valter Taliesin 


Dizem que somente loucos rasgam dinheiro...

Bem, o que seria rasgar dinheiro?


Será que quando compramos um monte de coisas fúteis e inúteis, só pelo prazer de mostrar que podemos comprar, que podemos ter, não estamos como o dito louco, rasgando dinheiro?


Por outro lado qual a linha que separa o muquiranas do pródigo?


O "nosso" dinheiro é um termo que define posse, status, condição social, acesso a certos lugares restritos, aquisição de certos bens de consumo que o vulgo só ouve falar, um dito "padrão" de vida que nos torna aos olhos de quem vê "elite", bons planos de saúde, viagens com regularidade pelo nosso país e por todo o mundo, casa dos sonhos, enfim; uma vida de grife...


ISTO!


Nos tornamos grifados!


Nossa imagem se torna associada a produtos de consumo, a lugares da moda, a ambientes seletivos, onde nos olham parece que escrito esta nas nossas testas...pertence a x grupo. 
Alguns inclusive, de tão identificados que ficam, tornam-se verdadeiros propagandistas de produtos e estilo de vida, onde a imagem que forjam é tudo, mais até do que eles mesmos, do que são realmente como pessoas. 

Desta forma vemos péssimos pais serem vendidos como exemplo de excelência, péssimos maridos como virtuosos, péssimos filhos como grande corações, péssimos cidadãos como modelos de conduta a seguir etc...
Nada parece ser impossível, nem o céu parece ser limite para pessoas grifadas!


O problema entretanto é que tais pessoas se veem praticamente obrigadas a viverem este tipo de vida ainda que não a queria, ainda que dela tente se libertar.


Foi por isto que Cristo chamou as riquezas de Mamon...


Mamon era o deus das riquezas e portanto quem a ela se apegava era um escravo de Mamon. Mamon dava tudo o que a pessoa queria mas o preço que cobrava era caro...consciência e alma!


Alma e consciência se tornavam "grifadas" pertence a Mamon!


Jesus não pregava contra as posses em si mas contra este sentimento de "grife" que domina quem se aproxima das riquezas! Por isto ele diz que era difícil um rico libertar-se dela, porque como uma verdadeira marca da besta Mamon o marcava, o "grifava", e a partir dali sua vida girava em torno daquilo, todos os prazeres, todas as diversões, todas as aquisições deixavam de ser necessárias e passavam a ser ostensivas!


Como uma vida assim pode dar lugar ao sagrado?


Dois extremos assustadores afastam o homem do divino em si; a riqueza extrema e a pobreza endêmica!
Nestes dois extremos moram todos os fantasmas sociais que assolam a humanidade desde que o mundo é mundo!


Não sei quem foi o primeiro dito "magnata"(nem o primeiro pobre) mas seja ele quem foi, parece ter estabelecido um padrão que colou em praticamente todo mundo que adquire posses, MESMO, que não queiram!
É como se o simples fato de ter dinheiro o obriga a grifar-se!


Vivemos em um mundo em que existe calça de rico e calça de pobre, sapato de rico e sapato de pobre, bolsa de rica e bolsa de pobre, casa de rico e casa de pobre, carro de rico e carro de pobre, avião de rico e avião de mais rico ainda, moto de rico e moto de pobre, escola de rico e escola de pobre, emprego de rico e emprego de pobre, hospital de rico e hospital de pobre, plano de saúde de rico e plano de saúde de pobre(quando tem), motel de rico e motel de pobre, e piadas das piadas...bolsa família de rico e bolsa família de pobre! 
SIM!!! Existem ricos que mamam nas tetas governamentais, alimentam seus impérios em verdadeiras orgias monetárias, no que a meu ver, não há diferença nenhuma de certas pessoas que aproveitando a "boa vontade" governamental dana a ter filho um atrás do outro só para receber o benefício do dinheiro fácil! 
Isto não e uma crítica direta a governo a ou b até porque clientelismo de rico e assistencialismo desbragado para pobre não é patrimônio de um único "pai do povo" ou "mãe", é algo nocivo que vem de eras!
Usar-se a miséria alheia para se perpetuar no poder e fortalecer-se aliando-se e deixando os poderosos sugarem a riqueza da nação é algo que existe desde que o mítico Caim construiu uma cidade e a chamou de Enoque, nome de seu filho.


Percebam aquilo que falo, o problema é ancestral, endêmico e atinge TODA pessoa que se torna rica. É como se ao ascender de padrão todo um conjunto de regras de "rico ser" fosse enfiada goela abaixo!


A maioria contudo gosta, se sente prazerosa, é bom ser elite, é bom ser centro das atenções, mas há uma minoria que gostaria de ganhar seu dinheiro, adquirir seus bens, sem que com isto fossem taxados disto e daquilo. Estes geralmente quando chegam neste patamar e querem manter hábitos antigos, estilo de vida de outros níveis são taxados de excêntricos, para usar um termo bem brando. E dai, porque não se enquadram na grife começam pouco a pouco a serem boicotados pelo establishment. Se reagem, exigindo terem seu direito de ser o que são respeitados, são silenciosamente mas ostensivamente rejeitados pelos demais, até que se enquadrem, se tornem grife, se não, termos como brega, esquisito, diferenciado, estranho, serão os menos contundentes para si que receberão.

Veja bem, existe etiqueta e existe grife!


Nem toda etiqueta é grife!


Etiquetar uma pessoa é um ato mais tenebroso ainda pois se na grife supostamente estamos realçando a pessoa no simples etiquetar estamos simplesmente definindo-a como x ou y e muitas vezes pejorativamente.
Todos nós em maior ou menos grau caímos neste pecado, raros, muito raros mesmo são os que não caem, poucos os que resistem, seleto são os que caem pouco...a grande maioria de nós nos entregamos a este esporte, de etiquetar pessoas com gosto, MUITO gosto!


Repito, etiqueta não é grife...você diz, fulano é um pobre... você o etiquetou mas com certeza não o tornou de grife!


Etiquetas surgiram para valorizar marcas, mas no processo desvalorizam outras coisas, assim nem todas as etiquetas são de grife, nem todas as etiquetas são consideradas de "alto" padrão!


Viver em um mundo assim, usufruir dos bens que a natureza nos dá e também do que produzimos sem nos deixarmos contagiar pelo vírus de Mamon e suas grifes diabólicas é um dos maiores desafios que enfrentamos, tão grande que Cristo disse que era mais fácil um camelo passar pelo fundo da agulha( e as definições do que ele quis dizer com este ditado de sua época suscita debates até hoje, sobre "o que" seria tal fundo de agulha)do que um rico entrar no reino dos céus! E dai seus discípulos que também não estavam imunes às grifes disseram...


- Se é assim então, poucos se salvam...

Mas Cristo para corrigir-lhes a visão turvada por Mamon lhes diz: 

- Mas o que é impossível ao homem é possível para Deus!

O que ele quis dizer com isto?

 
E ele fala isto logo depois de convidar um rico a vender tudo o que tinha e lhe seguir!


Primeiro...

Ele sabia que aquela pessoa que lhe chegou toda solícita dizendo que queria segui-lo jamais teria o desprendimento para tanto, assim Cristo vai em sua ferida, no ponto nevrálgico que demonstrava que sua dedicação ao Caminho era condicional; suas riquezas.

Não sei se o rapaz tivesse realmente dito..." esta bem vou vender", se Cristo deixaria isto acontecer, talvez fosse um teste iniciático, como muitos outros que tenho certeza, ele aplicava em quem chegava perto dele, como este jovem, bajulando-o, querendo louvores para si, pelo bem que faziam e querendo ser reconhecidos como grandes espiritualistas pelo mero fazer e nada pelo ser.


Segundo...

Esta questão entre fazer e ser é salutar!

Hoje em dia vemos biliardários doando de suas riquezas para obras de caridade, para institutos disto e daquilo e nem percebemos que ISTO TAMBÉM É UMA GRIFE..

.
O mundo adora incensar pessoas que dão milhões, e muitas coisas, para igrejas, templos,  ongs etc...geralmente estas pessoas se tornam verdadeiras grifes de "boas ricas"...


Nos tempos de Jesus, um destes um dia deu enorme quantia de oferta e depois veio uma viúva e deu uma simples moedinha. Jesus que conhecia corações louvou a viúva não por ser pobre, mas porque dentro de si se desprendeu da ÚNICA coisa que tinha para ofertar enquanto aquele outro deu do que lhe sobrava!
Será que algum destes bilionários de hoje em dia, que dão do que lhes sobeja, encarariam um...


"Vai vende tudo quanto tem e me segue", como o jovem?

Veja, ninguém critica quem dá, longe disto, e ninguém exige que se dê tudo o que tem, repito, Jesus faz isto com o jovem porque enxerga nele auto apreciação demais e piedade de menos, não porque achava que isto era o certo a se fazer.


Terceiro...

Da mesma forma, a questão não é dar seja muito ou pouco, mesmo aquela viúva, se desse aquele "tudo que possuía' mas o fizesse com a motivação errada seria digna de censura como o que deu muito, e o que deu muito se o fizesse na atitude interior correta seria digno de louvor! O problema esta portanto dentro!
É dentro que rejeitamos as grifes!

É dentro que escolhemos sermos o Ser e não sermos o que temos!


É dentro que ao adquirirmos riquezas e bens materiais aprendemos a separar o joio do trigo, o que é certo do errado, enfim, é um tremendo aprendizado, como disse o Cristo: o impossível ao humano se torna possível para quem permite que o Deus em si morante assuma o controle de sua vida, de seus bens, não se submetendo à grife alguma.


Quem é verdadeiramente rico não esta grifado, não esta também etiquetado, ainda que o mundo insista em fazer uma ou outra coisa com ele!


A pessoa que é realmente rica, é absolutamente livre, do dinheiro, do poder do dinheiro, do poder das grifes, não se localiza aqui ou lá, é o que é, e dane-se o mundo!


Pois Mamon em verdade é um usurpador, nunca foi, nem vai ser realmente o deus da riqueza, no fundo é simplesmente o demônio da cobiça, da ganância, da ostentação!


O verdadeiro Deus da riqueza é ADONAI, o nome divino do Senhor da Terra, e dentro de cada um de  nós brilha uma fagulha Dele, um raio de luz que enobrece nossas vidas e faz com que elas adquiram sentido real e verdadeiro.


Quarto...

O verdadeiro rico é desprendido, o verdadeiro rico não se sente obrigado nem a dar nem muito menos a reter, ele simplesmente SABE o que deve fazer para que a riqueza que trás dentro de si circule e atinja quem Deus quer . Ele vive para o divino espírito de ADONAI dentro de si, para suas diretrizes, e percebe o momento de dizer sim e não, de fazer ou não fazer, de ter e não ter, de ir ou voltar, e principalmente... 

SENDO em tudo o que faz...

DEUS EM AÇÃO!

Assim concluo:

RIQUEZA É BENÇÃO... ETIQUETA É PRECONCEITO... E GRIFE É CONVENÇÃO! 

Não despreze as riquezas, despreze o apego a elas, despreze o que querem que tu sejas só porque és rico, despreze o desprezo que os de grife sentem ao etiquetar os outros de menos calibre(segundo eles), despreze tudo o que te faça escravo de definições!


Seja o seu melhor, não se orgulhe de ser errado, isto é ridículo!


Procure sempre seu aperfeiçoamento, mas não se culpe, não se vitimize, não se demonize no processo...
Siga seu caminho em paz, usufruindo dos bens da vida sem apego, sem neuras, apenas sendo, sendo intensamente tudo de bom que sentes dentro de si e se escorregar, perdoe-se, levante-se e vá em frente...

Tudo dará certo!


Em Amor e Luz!
Valter Taliesin...
Paz e Bem!



VÍDEOS SAGRADOS

MARTIN HURSKENS

You Raise me Up


 Ave Maria


Una furtiva lagrima

Nessum Dorma

Nostro Mondo Amato

Nella Fantasia

Il Divo Mama

Funiculi Funicolào

Fonte Youtube













Fonte de imagens Google


Nenhum comentário:

Postar um comentário