Google+ Badge

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

CRISTO/EMANUEL...A RADIANTE E BRILHANTE ESTRELA DO ORIENTE...



Espero que gostem destes 4 textos sobre a figura do Cristo Emanuel que fiz. Acompanham as belas interpretações natalinas dos THE PIANO GUYS.


3 reis magos porque o mistério
do Um da manjedoura se revela
primeiro na dualidade do Casal,
nascente entre e através deles.
Depois triplamente os 3 que
revelam o Grande Mistério e
por fim como os pastores, 
em número indefinido mas
sempre crescente,
e naqueles humildes animais
que simbolizam em si toda
a manifestação da Vida...

Feliz Natal 

Valter Ludwig Taliesin



EMANUEL...
Deus emanado...
Amor que se derrama
como gotas de orvalho matinal,
rega corações ressequidos,
descobre caminhos encobertos,
desfaz amarras ancestrais,
liberta de fingimentos escusos;
EMANUEL...
Deus conosco...
Deus dos dias,
Deus em carna humana;
Deus como humanidade.
Criança das estrelas.
EMANUEL...
Quem realmente te conhece
se conhece, pois em verdade
sois o veio divino que se abriu
como o Lótus das Eras DENTRO
de cada coração humano que ouviu
A Voz do Silencio e percebeu-se uno
com a própria divindade.
EMANUEL...
Como um canto doce e melancólico de noites
frias de Dezembro ao norte ou de quentes
e vibrantes cantatas ao sul...
Derrama-se sorrateiro e sem alarde tocando
de fato quem se percebe, não religioso,
nem isto nem aquilo; mas simplesmente
vasto, infinito, livre e leve para abarcar em si
e através de si toda a crença no Bem humana
independente de quem começou o que pois
o Mistério divino sempre foi UM Só, sempre
pois a emanação do mistério é OM.
EMANUEL...
Cristo...Miguel...Jesus...Yeshua...
Pantocrator...Krishna, Hórus,
Mitra, Dioniso, Lug, Balder,
Quetzalcoatl, Kukulkan, Viracocha,
e me perderia em dizer o quanto
e quantas foram AS SAÍDAS...
desde a Origem do mundo das
personificações vivas deste grande
mistério que sempre foi o Brado
do mais profundo para os humanos dizendo:
EM VERDADE EU ESTOU E SEMPRE ESTIVE:
AQUI...DENTRO DE TI!
FELIZ NATAL!



Como um toque, sem palavras
Ele chegou em uma noite;
Sua Estrela refulgiu no Oriente
e em seu brilho era como se dissesse;
Eu sou o Portal para o verdadeiro
mundo, para a verdadeira humanidade,
para a fraternidade, para a liberdade,
para a igualdade que nasce, não em
paridade de nascimentos mas em
paridade de oportunidades...
pois afinal, o símbolo do nascimento
em manjedoura, rodeado de reis ou
pastores nada mais é que o desejo
 universal desta verdadeira paridade 
que enxerga Deus em todos os seres,
e que vê um Salvador do mundo quer no
palácio onde o mito diz, nasceu Gautama,
quer na caverna dos animais onde o
mesmo localiza Jesus.
Em verdade, tanto um lugar quanto o 
outro simbolizam o coração humano:
quer recheado das glórias deste mundo,
ou do que se considera mais baixo,
o mesmo pode vir a ser contudo o berço
do mais Alto entre todas as altitudes.
Soberbo e galante o mito envolve
e revela os mais profundos anseios dos
humanos, que encontram em si,
pureza e nobreza de espírito entre
as sedas dos tronos reais ou entre 
as cavas de alimentos dos mais humildes
seres da natureza pois em verdade o que
é divino transcende lugares e condições.
O condicionamento é uma conceituação
vaidosa, passageira e que não tem nenhum
bem em si a não ser de que em seu seio
o doce canto do mistério pode um dia aflorar
sem aviso, sem nenhum tipo de alarde a não
ser para quem tem olhos para ver; como magos
reais ou pastores campesinos que sonham como
UM, o sonho cristalino de um mundo vasto, rico, 
infinitamente melhor do que o próprio sonho.
Esta aqui mais uma vez a globalidade do mistério
em envolver de novo as realezas humanas;
os magos reis, e as pequenezas dos mesmos
humanos; os pastores dos campos deste mundo.
Tanto em uns quanto em outros, o mistério
se revelou nos corações muito antes que
qualquer brilho externo pudesse de fato denunciá-lo:
EI-LO AQUI!
FELIZ NATAL!
Valter Ludwig Taliesin



O Rio da Revelação das Eras
chegou num ponto culminante
dos dias, em meio aos montes
da Judeia.
Ali, entre pequenos riachos,
e altares naturais da Mãe natureza,
nasce um sorriso de esperança
e uma voz de libertação.
As pedras não lavradas da 
caverna entre os montes
se torna um berço da própria
humanidade e na divindade do
abscondido traz ao mundo um
fruto do apelo humano por mais
luz, paz, amor, felicidade.
Cada criança que nasce no mundo
tem plenamente em si um potencial
messiânico, traz em si a semente do
divino, a potência do Real...mas raras
são as crianças que crescem e vão,
pouco a pouco, dia a dia, momento a
momento, segundo a segundo, se
percebendo este divino em meio as
limalhas dos atritos das armas das guerras
dos egos exacerbados e que se perderam,
distantes deste encontro com o divino em si.
Dai que vez ou outra, um hierarca maior
aqui precisa vir, encarnar e dizer com sua
vida, como os humanos devem descobrir
o divino em si, como devem luzir esta luz
que brilha com tanta grandeza, como
uma Estrela gigante mas que não se deixa
mostrar no mundo de cá enquanto as almas
não se fizerem dignas de ostentá-la.
A Estrela só brilha sobre quem merece,
e só se faz por merecer quem, como 
o Cristo, nasce onde precisa nascer, sem
se preocupar com o que lhe rodeia, se
fixando em absoluta e plenamente...Ser,
integralmente a Luz que brilha em si.
Não é porque Ele era o Grande Hierarca
que era melhor mas por se fazer melhor
ao SER, tornou-se o Grande Hierarca
que vei o cá nascer para exemplificar
como SER este melhor...todos nós...
cá na Terra e daqui para mais além.
O Emanuel é assim um mistério contínuo
dentro de cada coração que acorda
para sua unidade com Deus.

Feliz Natal!

Valter Ludwig Taliesin






Um comentário: