Google+ Badge

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

POEMA: O CANTO DAS ERAS...


Houve um tempo que um homem valia por sua Palavra.
Ouve com o coração que tudo se esclarecerá.
Houve um tempo em que a Palavra dada valia mais do que o ouro.
Ouve com a alma e nada lhe será oculto.
Houve uma era dourada sobre a Terra em que os humanos viveram dias de sonhos.
Ouve com o Espírito pois Ele conhece as profundezas de Deus.
Houve um dia sobre a Terra, deuses e deusas de outras esferas que ensinaram para os humanos as grandezas do Eterno.
Ouve Oh! Consciência! O que lhe fala À Voz!
Houve em um tempo, mulheres sagradas que contataram os mais profundos mistérios divinos através de seus corpos e de suas almas.
Ouve Filha Sagrada da Grande Mãe o canto do Deus na Natureza que lhe rodeia e te envolve sedutoramente.
Houve em um tempo lá distante, homens valorosos, senhores do Poder e da Força os quais caminharam por este mundo e tornaram-se tão célebres que até hoje seus nomes são sussurrados nos mitos e nas iniciações.
Ouve Oh! Musa! Os Cantos dos Vates; repletos de poesia, poemas, gestas e profecias...e escreva e registre para posteriores eras o que aqui se descortina ante teus olhos!
Houve um momento dentro de um tempo longínquo e um grande momentum de luz neste momento, o qual inundou momento e tempo; em que as cortes celestes encontraram em um homem e uma mulher, em sua união sagrada, o maior dos portais para através dele criar maravilhas sobre toda a Terra.
Ouve e escutai almas diletas o que lhes diz o Senhor e a Senhora da Vida. Não fujais, não vos fecheis, não vos esqueças de que sois Luz e de que nesta Luz o mundo inteiro renasce mais vivo e sagrado.
Houve um tempo em que uma Espada significou Justiça porque só matava o que já estava morto e apegado ao degradado. Somente empunhavam-na homens honrados, justos e escolhidos por ela mesma.
Ouve grande Guerreiro da Luz! Levantai-me e me empunhai com valentia! Erguei-me sobre tua cabeça e invocai o Poder do Alto para que na Força recebais o necessário para todo o Mal desalojar da Terra!


Houve um tempo em que os Juízes da Terra eram os Sábios, os Governantes os Justos e os Profetas os idôneos.
Ouve coração rebelde! Tu que devoras o Povo das Estrelas! Teu fim se aproxima célere! E nada impedirá tua queda se não te arrependeres e mudares tuas toadas!
Houve um tempo no qual nem se sabia o que era tempo, onde humano e divino comungavam do mesmo corpo, no qual divinos e humanos em corpos se uniam entre si através do mais poderoso dos atos de amor e união que existe.
Ouve com o coração, o coração que te ama; deixa de lado teus medos e tuas desditas e perceba quando o Amor realmente esta a lhe chamar; escuta e vá!
Houve uma vez que cá vieste alma! que cá encarnaste, que te envolveste prazerosamente nesta esfera do Ser. Lembra-te de quem sois e do que estais cá a fazer. Deixa o medo que para nada aproveita; não permita que falhas te afastem do Caminho. Siga adiante privilegiando o Amor e a Fé dentro de ti que tudo se tornará claro como a Alva; pois sois Filha da Alva!
Ouve portanto dentro de ti esta Voz, que vem do Centro de teu Ser. Não deixes de ouvir alma! Permita que esta Voz te afaste das situações que envolvem qual teia de aranha tua vida num ir e vir nada constante de energias, que se tornam em ti e através de ti dissociativas. Agora é tua hora! Saia para fora do casulo e seja esta Nova Criatura! RENASÇA!!!

SOHAM! SOHAM! SOHAM!

Em Amor e Luz
Valter Ludwig Taliesin
Paz e Bem

Vídeos Sagrados
Musica Celta para meditação















Nenhum comentário:

Postar um comentário