Google+ Badge

domingo, 27 de fevereiro de 2011

As feridas curam-se no Silêncio

Frase profunda não?

Pois então, eram os idos de 1988, mais especificamente o mês de Junho e eu estava em frangalhos interiormente...havia acabado um relacionamento com uma mulher a qual investira todas as esperanças e expectativas de um futuro luminoso...e pior; ela terminará tudo(partira dela rs) na semana do dia dos namorados no Brasil...

Hoje passados mais de 23 anos toda a situação parece patética e em alguns momentos até cômica mais que trágica(e reconheço que muito deste patético e deste cômico eu fui o protagonista hehehe)mas naquela época era algo do estilo....MEU MUNDO CAIU...!

Não é fácil você investir e transferir seus sonhos e felicidade para as mãos de outrém....

VOCÊ SE ESQUECE QUE O(A) OUTRO(A) TAMBÉM TEM SEUS SONHOS E SUAS EXPECTATIVAS e de repente pode ser que elas(es) não batam nem um pouco com os(as )seus(suas)!

Enfim; voltando a minha tragédia grega particular....comi o pão que o 'Caramulião' amassou naqueles dias...

Sofri,chinguei, chorei,fiz papel de tolo, corri atrás,engordei, me descabelei(literalmente, foi a partir dai que começei a perder cabelo e um especialista dermatologista consultado foi categórico em dizer que isto estava associado a fatores psicológicos já que os testes dermatológicos deram todos negativos),fiz cenas patéticas de ciúmes usando outras garotas as quais não estava nem um pouco interessado no sentido sério do termo(esta é a parte não engraçada da História td até hj, já que 'usar' um outro ser humano é ERRADO seja qual for o motivo se este não tiver ciência que esta sendo 'usado' ) enfim, gastei todo o meu repertório de dramalhão e NDA!

A garota estava irremovível em sua decisão!

Bem, foi quando fiz amizade com uma garota especial e maravilhosa do lugar em que trabalhava na época(Banco Itaú)aliás; agora percebo que naquele período VÁRIAS mulheres fantásticas a PROVIDÊNCIA colocou em meu caminho e crêio que cada uma delas tem uma parcela de 'culpa' santa no processo de cura pelo qual eu passei a partir de então...

Mas esta garota , Cristina(chamarei-a de angolana para diferenciar de outra Cristina que lá havia e também se tornou muito próxima a mim,a angolana havia escapado na década anterior com a familia de Angola... devido a guerra civil... por ser branca e de ascendência lusitana a vida dela e dos seus correu sério risco) , foi uma amiga especial e particularmente abençoada e abençoadora que entrou na minha vida então...não tivemos nada além de uma amizade forte, intensa e verdadeira mas foi este tipo de relacionamento que me ajudou no processo...

É interessante como cada uma destas mulheres especiais que apareceram naquele período ficaram marcadas de modo indelével em meu coração...

Havia a outra Cristina,a Rejane,a Luci, a Marizete, a Ana,a Celinha e mais 6 garotas que hoje não me recordo o nome mas não consigo esquecer suas fisionomias e tudo o que fizeram de bom por mim naquele período; umas como confidentes outras, como amigas e algumas despertando algo mais que mostravam que eu ainda era uma carta BEM dentro deste baralho as vezes 'insano' e 'indecifrável' do amor...

Tinha uma que nunca chegamos nos falar pelo fato de sermos ambos tímidos mas que nos olhavamos constantemente; parecia haver uma atraçao,uma cumplicidade entre os dois mas devido ao fato de só nos vermos na hora em que o onibus do Itaú fazia o percurso ida e volta e pela timidez evidente dos dois(e um pouco também porque a outra estava muito forte  ainda dentro de mim)nunca nos falamos...mas como é estranho você se lembrar nitidamente da imagem de uma pessoa que você nunca trocou um A mas você recorda o semblante como se fosse ontem...

Outro fato interessante deste processo é que anteriormente ao rompimento de meu relacionamento eu tinha amigas mulheres mas os amigos homens eram muito mais....tanto os que vieram da infância e colegial, quanto outros da religião que frequentava(os da faculdade vieram depois do processo) na época... enfim;era um cara como outro qualquer; com uma quantidade de amigos homens de farras e folguedos de mocidade, poucas amigas mulheres e a mulher que supostamente achava ser a da minha vida , que amava e fazia planos de casar pensando que também era amado...

Entretanto neste período de dor, de separação, misteriosamente as coisas se inverteram; os amigos homens sumiram(a exceção de 3...Joaquim,Abraão e Daniel) depois de me aconselharem td tipo de coisa 'de macho' para fazer para me vingar da cuja e que eu relutantemente lutei para não fazer(à exceção daquilo que já citei lá em cima e que abandonei rapidinho por que me causava um mau lascado) e as mulheres começaram a aparecer em maior número, parecia que eu era um chamariz para o sexo feminino, não sei se é o natural instinto maternal da mulher que parece direcioná-las para os 'carentes' de afeto da vida rs, ou se meu sex appeal ficou mais evidente ou se(o mais provável) que o Divino tenha visto o quanto eu precisava daquilo naquele  momento e pôs estas criaturas fantásticas no meu caminho.....

Com elas eu ria, chorava, brincava, debatia temas filosóficos, ou falavamos de abobrinhas mesmo, confidenciavamos nossas dores(sim o processo todo me fez mais flexível e atencioso para a dor de outrém) e assim os dias, meses e dois anos se passaram...

Voltando a frase do titulo, foi a angolana que me deu num destes dias em que estava mais 'atacado' pela deprê um marca livro que continha esta simples frase embaixo de um motivo floral...ela não disse nda a não ser ...Valter , isto é para você... e me olhou com aqueles olhos misteriosos e aquele olhar cúmplice que ela tinha com aqueles que gostava...

Também não falei nda mas o impacto da frase dentro de mim repercute até hoje!

Afirmo taxativamente que foi a partir dali que começei realmente a me curar....foi um tratamento de choque rápido, silencioso mas decisivo...

Pouco a pouco nos dias que vieram depois fui sentindo uma paz, um senso de direção, de propósito, de lucidez que havia de há muito deixado de sentir dentro de mim....

Reparem que é uma frase curta mas reparem também quanto tem de verdade nela...

O Silêncio aqui não é o mero fechar de boca, ou a ausência de som ao redor....mas o Silêncio DA PRESENÇA....aquela presença interna , sagrada, de nosso EU MAIOR que tudo sabe e tudo conhece pois é Centelha é partícula da FONTE de toda Ciência e Bem!

Esta Presença inquestionável que esta em cada humano tem um modo peculiar de se comunicar conosco....NO SILÊNCIO...somente quando silenciamos nossos desejos, nosso medos, nossas inquirições, nossas certezas, nossas razões, nossos isso ou nossos aquilo e PRINCIPALMENTE qdo paramos de ver a culpa de td em tds e não a vemos TAMBÉM em nós mesmos ...Dai então,ouvimos sua voz nítida e clara...e o Silêncio tornasse o verdadeiro marulhar do oceano trazendo até nós a musica das esferas e nos curando integralmente das chagas que o egoismo nosso e de outrém fez à nós....

As feridas....sejam elas quais forem curam-se no SILÊNCIO da Presença do Divino em e além de nós ,quem já teve esta experiência como eu tive sempre que se encontra numa situação de risco lembra-se deste detalhe e procura tentar de novo ouvir a ÚNICA VOZ que realmente vale a pena e paradoxalmente se manifesta...SILENCIOSAMENTE!

Pax e Lux

Valter




4 comentários:

  1. Primeiramente quero aplaudir a coragem de declarar em público sua dor...

    até porque ainda me parece estranho um homem sofrer por amor... é o velha e mesma "crença" de que "homem não chora" tantas vezes repetidas que acabamos acreditando que seja assim mesmo ...

    e em segundo lugar essa verdade que é no silêncio que as dores e mazelas se curam... é necessário chorar um cadinho... depois se calar...

    "Porque o espaço do espírito,
    o meio onde ele pode abrir as asas,
    é o silêncio." diz Exupéry em Cidadela...

    ResponderExcluir
  2. Pois é Rita....eu tb achava que não chorava rs....mas a vida me deu uma lição e tanto....hj entretanto as atitudes acabam sendo mais equilibradas já que o tempo e a experiência são salutares.

    ResponderExcluir
  3. Homem chora sim...por amor, pela falta do amor, e por qualquer situação que possa deslocar o eixo do equilibrio desarmonizando a alma. Ou então o homem não seria humano.Aí seria desastroso e muito cruel. Mas o SILENCIO E O TEMPO reajeitam todas as peças mentais e nesse reajuste, acabamos por descobrir, que quando choramos fomos muito mais imbecis do que infelizes.

    ResponderExcluir