Google+ Badge

terça-feira, 28 de junho de 2011

A IMPORTÂNCIA DO MITO NA HISTÓRIA HUMANA

Sempre gostei de mitologia!

Analisando o que sou hoje não tenho duvidas em afirmar que mais de 90% do homem que sou,da visão de mundo que tenho,esta alicerçado e intimamente ligado ao mundo mitológico!


Não a visão fantasiosa ou crédula mas o contexto iniciático,construido em cima das analogias, das simbologias,das figuras deste mundo maravilhoso!


E neste caudal mitólogico,a grega(que encontra simbiose na romana),a nórdica(que se amalgama com a germânica),a celta e a hebraica exercem um fascínio impares,uma atuação poderosa do despertar dos deuses e heróis interiores desde tenra infância nesta pessoa que vos escreve.


As façanhas de heróis como os bíblicos: Enoch,Noé,Abraão,Isaac,Jacó,José,Moisés, Josué,Gideão,Sansão,Samuel,Davi,Salomão,Elias,Daniel,João Batista,Jesus Cristo,Paulo; os gregos:Orfeu, Héracles, Teseu,Jasão,Perseu,Áquiles,Ulisses,Heitor,Páris,Agamênon,Leônidas,Péricles,Príamo,Ajax,
Diomedes,Filipe,Alexandre,Ptolomeu; os nórdicos:Beowulf,Ragnar,Sigurd,Weyland,Hagbard; 
os celtas: Arthur Pendragon,Merlin,Morgana,Guineverre, Mordred,Lancelot,Gawaine,Tristão Isolda,Uther,Viviane,Ilgraine,Nimuhê,Percival,Galahad,Bedovar,Kay,Cú-Chulainn,
Finn MacCool,Manannam Mac Hur etc...me traziam um regalo tal que nem de longe os comezinhos dramas da tv diária ou até os heróis dos filmes hollywoodianos(apesar de gostar de muitos diga-se)se quer roçavam...


Apenas na literatura e obras como Duna de Frank Herbert e seus... Paul Atreides,Leto II, Duncan Idaho e Gurney Halleck encontrei paralelos comparativos!


O olhar embabascado diante dos versos homéricos e das maravilhas da Toráh, A mente inquiritiva diante dos relatos de Hesíodo,os textos herméticos dos profetas,os textos sóbrios e profundos dos filósofos sobre o mundo divino e os relatos inspirados da vida do Cristo e do início da Igreja...se complementavam com as histórias fantásticas sobre Camelot,os grandes celtas e os senhores de Asgard,Hell e Valhalla montando um mosaico variado e misteriosamente sintônico.


As gestas dos Divinos diante dos Humanos...as proezas de Humanos fenômenais diante dos olhares prescientes dos Divinos altamente iniciáticos e transformadores como:
O sacrifício de Prometeu o deus benigno amigo dos humanos;a beleza fascinante de Helena e a mais mítica das guerras humano/divinas...Tróia;a fome do Minotauro e o heroismo de Teseu e Ariadne contra o monstro de Minos;os trabalhos iniciáticos e libertadores de Héracles;o amor e devoção de Perseu por Andrômeda;Jasão e seus argonautas nos mares bravios do mundo;Ulisses e sua odisséia repleta de magia,aventura e proezas;os hinos órficos falando dos segredos desvelados pelo grande Orfeu;os mistérios de Delfos,Delos e Elêusis;a onipotência e senhorio do majestoso Zeus;a imponência e galardia do grandioso Poseidon;a glória e os mistérios do magnífico Apolo;o brilho e a sacralidade da misteriosa Ártemis;a graça e a beleza erótica e envolvente da iniqualável Afrodite;a sabedoria e poder guerreiro da soberba Atená; os segredos e terrores do inclemente Hades senhor da morte e da escuridão;a melancôlia da docê Coré a deusa da Primavera e seu dramático romance com Dioniso culminando em seu rapto por Hades tornando-a este sua consorte(Perséfone)senhora dos infernos e da escuridão;o sofrimento de Deméter a sagrada mãe Terra produtiva por sua filha Coré/Perséfone e seu pacto com Zeus e Hades para que a deusa fosse metade dela(Coré...Primavera/Verão) e metade de Hades(Perséfone...Outono/Inverno)tornando-a assim deusa das estações;a luz do grande salvador Dioniso o deus dos ritos ocultos,dos segredos iniciáticos,da morte sacrificial e das libações da alegria... amante da deusa das estações e ente amado pela deusa Terra e pelo senhor do Céu;as iniciações de Hermes o 3 vezes grande,seu conhecimento e suas mensagens divinas;a ira da divina Hera e seu zelo pelo amor matrimonial, materno e familiar;os confrontos do furioso Ares o deus da guerra total pelo amor de Afrodite a deusa do amor com Hefestos o ardente senhor da forja,da criatividade e do fogo;Pan o grande deus da natureza que em seu sentido mais transcendente é o próprio universo manifesto;o fulgurante Eros, o filho amado de Afrodite(em algumas versões da lenda ele é anterior a esta e um dos deuses criadores do Universo) e amante supremo,ligado a sensualidade,a libído,ao desejo sexual;a grandeza de Gaia a mãe Terra suprema e Urano o Pai céu por excelência;as intrigas dos grandiosos Réia outra hipóstase da sagrada Terra e Cronos o senhor do Tempo e da era dourada;as onividentes Môiras e os destinos universaiso poderio dos Titãs;a guerra universal entre olimpianos e titãs;a lenda de Atlântida etc... fazem da mitologia grega um dos mais belos, profundos e significativos mananciais mitológicos da humanidade.


Também a mitica dos gigantescos, brilhantes e poderosíssimos deuses nórdicos como o grande e todo-poderoso Odin,o majestoso trovejante Thor,o astucioso Loki,a bela e soberba Sif,o brilhante Balder,a sagrada Freya,o onisciente Heimdall,o supremo guerreiro Tyr,a tenebrosa Hella; as histórias dos embates entre os deuses e os gigantes do gelo de Ymir,entre os deuses e os trolls,as histórias altamente simbólicas de Odin e Yggdrasill a árvore da vida,as gestas de Thor,Mjolnnir o martelo do deus do trovão,os corvos de Odin, a morte altamente figurativa de Balder o deus sol,as maquinações e trapaças de Loki o deus da ilusão, Heimdall e sua onisciência e eterna vigília,as  Nornes e o destino implacável,Asgard e sua glória,o reino sombrio de Hell, Valhalla o paraiso viking e por fim a serpente de Midgard(Terra) e o grande Ragnarok(equivalente ao Armagedon cristão)final trouxeram-me profundos insights sobre a vida, o ser humano e o inefável além de nós e mas também em nõs!


As lendas sobre os luminosos Tuatha Dé Dannan como: Lugh o brilhante, a toda-poderosa Morrighan, a deusa tríplice(virgem,mãe,anciã), Cernunnos o senhor da naureza e os não menos importantes  e significativos... Dagda,Epona,Belenus,Tarani,Sucellus traziam e trazem um sentido de plenitude de simbiose com a Natureza que poucos referênciais existem de comparação.


Estas 3 mitologias confrontam e de certa forma no meu interior complementam os relatos da criação bíblicos;O Éden de Adão e Eva;a morte de Abel por Caim;O mundo ante-diluviano com seus patriarcas longevos,as gerações de Seth e Caim e os filhos de Deus(anjos?) que cairam dos céus e encantaram as mulheres humanas gerando seus gigantescos filhotes( o que se assemelha ALÉM da casualidade com os mitos pagãos e o consórcio carnal entre deus,deusas e humanos);Noé sua familia e o dilúvio;a Torre de Babel;a saga dos patriarcas... Abraão,Isaac,Jacó,José,Judá e seus irmãos bem como os colaterais...Ló,Ismael,Esaú e os filhos de Quetura;Sodoma e Gomorra;Moisés e o Êxodo;Josué e as batalhas de conquista de Canaã;os embates lendários de Sansão(que tem similaridade muito grande com Thor,Héracles e Gilgamesh) e sua paixão por Dalila(mulher fatal da mesma categoria que as deusas Lilith,Ishtar e Afrodite e heroinas como Helena e Morgana);Gideão,Débora e as guerras dos juízes;a história fabulosa de Davi(um herói ao melhor estilo Teseu,Jasão,Perseu,Ulisses,Áquiles,Arthur,Cu-Culhainn,Beowulf) e seus heróis(os argonautas gregos, os cavaleiros de camelot,os cavaleiros de Carlos Magno encontram similaridade nos grupos de heróis de Davi), seus amores intensos(incluso o mais famoso e proibido com Bath-Shebbá),seus grandes acertos e terríveis defeitos, seu drama com seu filho favorito Absalom(tipo de tragédia aliás futuramente usada a exaustão pelo grande Shakespeare)e sua amizade fraternal inigualável com Jônatas filho do rival Saul;a grandeza do reino de Salomão sua mitica sabedoria e o mistério de sua relação com a enigmática Rainha de Sabáh(a era dourada do reino israelita encontra paralelo em outra eras douradas de outros povos como Hiperbórea,Lemúria,Atlântida,Império Rama,Reinado de Ramsés II,Tróia,Creta,Camelot etc...);Elias, Eliseu(similaridade vemos nos grandes magos de outras religiões como Merlin,Orfeu, Pitágoras,Zoroastro) e suas proezas proféticas;as história de Daniel e amigos na Babilônia; Esther e seu rei persa... culminando na mitica sagrada do Cristo(o Salvador do mundo é um dos arquétipos universais por excelência estando presente em todas as grandes religiões humanas com traços MUITO semelhantes entre eles como Osíris,Hórus,Dioniso,Mitra,Krishna etc... )e tudo que veio e advêio Dele!


 Enfim; relatos soberbos, inspirativos, inspiradores, de um mundo que tão distante, contudo se faz tão presente,por serem nossos berços civilizadores.


Conforme fui crescendo outras mitologias,de outros povos também foram assimiladas na mistura...a mitica dos egípcios,dos hindus,dos sumérios,dos cananitas,dos maias/aztecas/incas, das tribos americanas,dos persas...e assim cada vez mais pude sentir o poder que estas histórias tem e trazem consigo para aqueles que se dispõem a ver e sentir dentro de si todo o poder e revelação destes grandes mistérios da alma, do humano e do divino.


Pensar o mundo mitologicamente é ser iniciado em um manancial profundo de significados,de conceitos,que poderiam e muito mudar nossa visão de mundo!


Ao tornarmos os deuses meras lendas ou pior; demônios de nosso passado,perdemos o volume fantástico de informações sobre a própria forma que nossos ancestrais viam a vida e seu lugar nela!


Devemos resgatar os deuses e as deusas, os heróis e as heroínas,as poderosas histórias destes,devemos resgatar dentro de nós estas figuras que no fundo são o nosso próprio sonho de grandeza, de beleza e soberania paradoxalmente de Luz e de Trevas!


Devemos reverenciá-los como hipostases do que no fundo somos e fazemos! 


Tanto é verdade que até nossos defeitos, nossos ancestrais relacionavam com eles!


Até mesmo o YHVH dos hebreus e visto e sentido de forma antropomórfica na Toráh se a mesma for lida apenas literalmente!


Jesus Cristo então é considerado a própria encarnação da Deidade!


Desta forma nestas similaridades mitológicas,nestes mistérios profundos da alma humana poderiamos hoje nos dias atuais encontrarmos a cura para todos os pré-conceitos, todas as divisões,todas as irracionalidade cumulativas e seculares...claro; se houvesse não só olhos para ver mas ouvidos para ouvir e corações para sentir nos mesmos tais mananciais!


No estudo das religiões comparadas consagrado principalmente por figuras de proa da espiritualidade dos ultimos 200 anos como:Goethe,William Blake,Eliphas Lévi,Helena Blavatsky,Henry Olcott,Annie Besant,Charles Leadbewater,Ramakrishna,Rudolf Steiner,W.W.Westcott,Paul Brunton,Alice Bailey,Dion Fortune,Henrique José de Souza,Krishnamurti,Yogananda,Aurobindo,Sai Baba e porque não? Até as ainda  mais controversas(pois muitas das citadas já o são) e algumas até ditas do lado 'trevoso' da força como; Albert Pike,Aleister Crowley,L.MacGregor Mathers,L.Ron Hubbard,Jack Parsons,Kenneth Grant,Gerald Gardner,Osho,Samael Aun Weor,Austin O. Spare  dentre outros, encontramos o sentido de todas as dores humanas, de toda a separatividade entre Espírito e Matéria, de toda luz , de toda treva,de toda força , de toda a fraqueza, de toda virtude e de todo o pecado que nos fazem criaturas tão magníficamente trágicas.


E aprendendo com nossa histórias miticas poderemos quem sabe, entender o porque sempre fazemos por caminharmos o caminho da separatividade e não o da unidade.


Mas claro, desde que se tenha vontade para tanto!


Afinal para adentrar o mundo dos mitos da humanidade há que se despojar de toda idéia pré-concebida e embutida na mente e abrir-se corajosamente para insights que fatalmente virão do mundo como disse Platão....DAS IDÉIAS...DOS ARQUÉTIPOS e que poderão abalar todas as nossas estruturas 'confortáveis', mesquinhas,pequenas,limitadas,preconceituosas e exclusivistas!!!


Abraços e muito amor e sabedoria a todos...


Pax e Lux


Valter Holítico

Nenhum comentário:

Postar um comentário