Google+ Badge

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

AMANDO SIMPLESMENTE

O AMOR É A ESSÊNCIA DE DEUS/DEUSA E SOMOS DEUSES E DEUSAS QUANDO AMAMOS...






Fonte: Google imagens


Ontem recebi um texto de uma amiga de internet(Melissa que tem se revelado uma pessoa de beleza e sensibilidade a toda prova) e após comentá-lo com alguém para mim muito especial(uma mulher realmente única) no messenger resolvi escrever minhas idéias aqui e partilhá-las com vocês...


Eis o texto..




"Os olhos, carregados de amor, passam primeiro por mim.
Me investigo, me acarinho, me visto de coragem, me cubro de ternuras.
Analiso o que há de melhor e pior em mim. Boto tristezas pra dormir, faço
faxinas de tirar todos os sentimentos do lugar, abro todos os cômodos do coração,
pra deixar só a leveza tomar espaço. Depois o outro. Depois, aquele que precisa de mim.
Porque se eu não o fizer, se eu não me tratar com respeito, eu não estarei pronta para ninguém.

É preciso um baita amor pela gente, sim, todo santo-dia, pra não desistir.
Num mundo em que a falta de sol toma conta, é tempo de voltar-se pra dentro
e trazer de lá uma luz qualquer."


Cris Carvalho







O que de fato define grau e quantidade quando o assunto é o amor?


Estabelecer um parâmetro universal para o amor é uma tolice sem tamanho!


Muitas vezes dizemos assim:


'Amo até que ela ou ele faça isto ou faça assado'...


Mas e quando nós fazemos o 'isto ou o assado' como nos comportamos?


Com o mesmo rigor de quando somos a 'vitima'?


Geralmente não!


Nossa sensibilidade de 'vítima' geralmente é extremamente aflorada nas nossas relações enquanto nosso rigor de 'parceiros' exerce o efeito oposto quando não somos a vidraça.


Eu costumo dizer que não suporto traição num relacionamento, e realmente acho que isto muda a essência do tal se neste não houver um relacionamento aberto, um acordo, entre  os dois que formam o casal sobre isto,o que deixaria o ato com outra conotação, pois é difícil para mim separar nestes casos friamente sexo de amor.


Entretanto já me testei e percebo que a recíproca é verdadeira ou seja; eu me sinto tremendamente incomodado com a hipótese de trair e não digo nem trair quando estou com a pessoa, a garota em questão, mas trair  meu próprio sentimento por ela...


Mesmo que eu não esteja com a pessoa, se ainda amo, não consigo me relacionar sexualmente com outra...


É como se traísse a mim mesmo,a meus sentimentos(entretanto seria possível amar duas pessoas ao mesmo tempo ou seja; encontrar um amor mesmo ainda amando a pessoa que nos rejeitou? Penso que sim, não quero ser tão Caxias a este respeito, mas na minha cabeça há que se dar prioridade então para o novo amor caso o antigo queira um retorno pois é aquela pessoa que esta ali com você que te cobriu de beijos, apoio e carinho e te conquistou enquanto a outra sabe-se Deus o que fazia)...


Talvez para a maioria das pessoas isto seja irrelevante pois se não estou mais com a pessoa isto não seria convencionalmente chamado como traição,mas o caso é que estou com o sentimento por ela presente...e para mim aqui mora o que broxa...


Ai alguém poderia me perguntar ...


E ela, será que tem estes mesmos pudores também...rs?


Bom,não sei...mas se ela sabe que eu a amo e resolve por livre escolha ter uma vida sexual ativa longe de mim é um direito dela, que não compete a mim questionar, mas com certeza isto será pesado na balança por mim caso num futuro a pessoa em questão queira voltar caso já tenhamos sido um casal ou se relacionar caso fosse só uma pretendente ou seja; eu não interfiro na vida dela estabelecendo meu padrão de 'qualidade' sobre o que ela faz distante dos meus olhos e dos meus sentimentos mas também me reservo no direito de se houver uma mudança de quadro, julgar pelos MEUS padrões se isto seria interessante ou não para mim, pois entenderei que ela passou até por cima do que sentia por mim ao se relacionar sexualmente com outro homem ou seja; ELA NÃO RESPEITOU NEM MESMO SEUS PRÓPRIOS SENTIMENTOS já que fez sexo com outro me amando,assim a questão será não eu mas ela, o que ela sente e violou...


Mas mesmo assim esta é uma questão a se deixar para um hipotético 'SE'... pois nossos corações muitas vezes agem bem diferente de nossa racionalidade....e comigo também isto é um fator a ser considerado...rs


Em tese sou assim, mas a pratica pode de repente trazer um outro quadro, outro contexto...o fato é que neste ponto é bom ter um parâmetro de inferência desde que ele não seja um ditador em nossas vidas regulando a mesma até contra nossa vontade maior...


Ele deve ser apenas um sinalizador, um ajudador não um senhor feudal de nossas vidas!


Dai volto no ponto inicial em que afirmei que estabelecer um parâmetro universal para o amor é tolice...


O que quis dizer com isto?


É que não posso julgar o grau de amor dos outros pelo meu parâmetro, mas posso estabelecer razoavelmente o que quero ou não de uma relação!


Não sou melhor que outros porque não consigo trair o sentimento que ainda mantenho com quem estive ou a lembrança de um amor que não se concretizou ou seja;com a pessoa que amo e não me correspondeu ou no que a pessoa já se foi ,por livre e espontânea vontade terminando a relação.


Mas por outro lado isto me traz um segurança pessoal muito grande quando inicio um novo relacionamento pois sei que o antigo definitivamente já era ou no mínimo deixou de ser prioritário em relação ao novo...


Mas será que pessoas que agem diferente amam menos ou mais?


Será possível se qualificar ou quantificar isto?


Este é um daqueles casos em que acho mais fácil definir negativamente do que positivamente ou seja; o que não é amor do que o que é...


Egoísmo por exemplo não é amor...nem  mesmo o famoso amor próprio, pois o aparente lucro que traz ao egoísta não faz dele uma pessoa melhor como realmente faz o amor próprio a pessoa que se ama como vimos no texto da Cris de Carvalho.


Violência não é amor...esmurrar a pessoa amada e dizer que é para o bem dela é realmente de um sadismo atroz...


Apanhar direto por outro lado e dizer que ama é passionalidade, é doença é masoquismo...


Fazer sexo com outras pessoas sob a desculpa de que se é livre  mesmo sabendo que a outra pessoa não quer isto(existem claro os casos patológicos de viciados em sexo que não devem ser desprezados mas dai, quem vai definir o rumo da relação é o lado são da mesma ou seja; se banca um parceiro ou parceira assim ou se procura um outro rumo para sua vida)e que não gosta de ter um parceiro ou uma parceira assim, e dizer ainda assim que a ama é um contra senso tremendo pois se existe amor de fato você respeita o outro(a).


Dizer que ama mas não confiar na pessoa amada é definitivamente um tiro no pé...


NÃO EXISTE AMOR DE FATO SEM CONFIANÇA!


Dizer que ama mas fazer da relação um campo de disputas para ver quem tem mais controle da mesma depõe no mínimo que existe uma compreensão falha do que implica amar...


E por ai se vai...


Numa relação amorosa só quem pode definir de fato os sentimentos são os envolvidos  nunca ninguém de fora...


Entretanto muitas vezes um olhar de fora pode trazer uma lucidez maior em situações onde os dois lados se encontram  como que inebriados pelo sentimento e este descontrolado.


Um conselheiro sentimental todavia apesar de necessário nos dias atuais mostra o quanto nós humanos estamos perdendo o controle sobre nossas próprias vidas...


Agora quanto aos amigos e amigas que geralmente querem 'ajudar'... bem, nem sempre estão certos ou errados mas quando uma ingerência externa é muito incisiva mereceria da pessoa em questão ou seja; do parceiro(a) que é assediado por este amigo ou amiga, olhar melhor se tanto empenho realmente é para o seu 'bem' pois diferente de um  profissional, de um conselheiro sentimental, outros sentimentos podem estar ditando esta ingerência como...


1.A pessoa querer que você se relacione com alguém específico do círculo de vocês e dai pintar o seu parceiro(a) com tintas não muito agradáveis superlativando os defeitos dele(a).


2.A pessoa 'amiga' simplesmente invejar sua felicidade...


3. Na verdade ela desejar você para ela pura e simplesmente...


4. As vezes realmente ela acha que quer o seu bem, mas desrespeita seu livre-arbítrio o que não é nada bom...


Aconselhar é uma coisa, interferir é outra...


Conselho você dá e entrega ao Universo e à pessoa a quem você aconselhou, as decisões a serem tomadas...


Interferência é você grudar que nem cola na pessoa e quando esta não ouve você aumentar seus assédios 'bem intencionados' e até chantageá-la com coisas como: 'se você realmente me considerasse amiga você me ouviria' etc...


Entretanto existem casos em que uma interferência de fato ainda que indesejada pela pessoa em questão pode ser crucial para salvar-se uma vida como nos casos de violência doméstica por exemplo....


Melhor perder uma amiga ou amigo que é vitima de agressões conjugais que com a ilusão de um dia mudar o parceiro(a) mantém a relação, denunciando casos assim aos orgãos competentes do que levar um trauma consciencial pelo resto da vida.


O amor assim surge infelizmente como a efígie que nos desafia nos dias atuais....DECIFRA-ME OU EU TE DEVORO...mas será que era para ser assim?


Onde, em que ponto das relações humanas o amor se tornou mais um enigma a ser solucionado do que algo a ser vivido e vivenciado com intensidade e prazer?


Veja bem, não é que de fato entendo que ele seja um enigma, uma efígie mas...


COMO NÓS HUMANOS PERDEMOS O REFERENCIAL DE NOSSOS SENTIMENTOS A TAL PONTO DE HOJE ALGO QUE ERA PARA SER TÃO NATURAL COMO RESPIRAR SE TORNAR NUMA VERDADEIRA TORTURA DOS SENTIDOS!?


Amar deveria ser tão simples como respirar...


Tão prazeroso, tão eficaz, tão necessário, tão vitalizante quanto...


Amar assim infelizmente se tornou numa verdadeira aventura com enormes perigos entre o início e o fim da jornada...


O que era para ser o item essencial  para a ascensão coletiva da humanidade se tornou em mais um elemento desagregador, não por si mesmo já que em essência ele nunca foi desagregador, mas por causa das fobias e loucuras humanas.


Nunca foi tão necessário na História humana que o verdadeiro e genuíno amor norteasse a vida da humanidade como agora...


EM TODOS OS SENTIDOS!




Que o amor flua poderosamente em todos os corações...






Vídeo legal sobre o assunto...espero que gostem...12 coisas para saber se esta amando


Fonte: Youtube




Abraços




Pax e Lux




VALTER TALIESIN




2 comentários: