Google+ Badge

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

CASAIS DIVINOS: ADÃO E EVA









Fonte : Google Imagens




Sem ressentimentos ...sem excessivos medos...
Olhamos um para o outro e percebemos o quanto nos amávamos...
Ela e Eu dois seres sem iguais perdidos em meio a um novo ambiente...
Hostil e amedrontador, sentíamos e sabíamos que as coisas não seriam mais como antes.
Nossas vozes não seriam mais ouvidas e obedecidas pela criação.
Sentíamos o cheiro do reverso por onde caminhávamos...
Terra, Vento, Água,o Fogo que queimava acima,as Árvores que balançavam, os bichos que agora nos olhavam por entre as folhagens, sentíamos em todos, em tudo, uma raiva, um brilho revoltoso nos olhos como se tivéssemos traído(e depois percebi que tínhamos)todos eles.
Foi ali que choramos....sentados na beira de um precipício que se estendia para baixo para um vale majestoso entendemos pela primeira vez o que tínhamos perdido. 


Olhamos para cima e percebemos que estávamos na metade do caminho entre o topo da montanha onde estava Gan Éden e o caminho que nos levaria sempre para baixo para dentro daquele vale imenso e assustador.


O resto da descida foi feita em um silêncio profundo e desolador...


Ao chegarmos embaixo finalmente olhamos para cima mais uma vez e prometemos a nós mesmos que tudo faríamos para voltarmos de novo...


Olhei e vi aos pés do monte uma enorme caverna iluminada por uma luz sobrenatural, já era noitinha e percebi que precisaríamos entrar ali se quiséssemos ter esperança de vermos um outro dia...


Peguei-a pelas mãos, a mulher que percebi amar mais que qualquer outra coisa, inclusive a paz idílica de Éden e adentramos o local.


O brilho misterioso descobrimos vinha de pedras brilhantes encrustadas nas paredes; em pé um homem nos esperava, silencioso nos direcionou a sentarmos e pô-se a nos ensinar como tornar luminoso e abrasivo um pedaço de madeira, disse que o brilho das pedras brilhantes não era natural mas o reflexo daquilo que designou como fogo e que vinha de um monte de madeira abrasiva que queimava no centro da caverna.


Vimos que sobre o monte de madeira, fumegante, queimava uma cuia contento um caldo espesso com um cheiro delicioso, nos incentivou a comermos aquele guisado, pois como ele disse, nossos corpos não estavam materiais da forma como estavam em Gan Éden, mas misteriosamente mais materializados que então e os alimentos que comíamos em Éden de nada valeria para nós na nossa atual condição; e assim  passou um tempo considerável nos ensinando várias coisas que precisaríamos ter e fazer no dia a dia se quiséssemos sobreviver.


Ao terminar levantou-se calado, olhou demoradamente para cada um de nós despediu-se e foi saindo.....perguntamos-lhe o nome ele disse meu nome é...(e aqui fico em silêncio pois seu verdadeiro nome é mistério), mas as gerações futuras me conhecerão por Uriel o arcanjo do fogo celeste, ou Lúcifer o Fogo Divino ou ainda Prometeu aquele que trouxe o fogo aos homens...


Alguns dirão que eu sou um amigo da humanidade, A Estrela da manhã, e que por isto fui exilado e expulso dos céus, outros dirão que sou seu maior inimigo e um rival de Deus,O Satan a mesma serpente que supostamente enganou vocês, outros de que tudo o que faço , faço com interesses escusos,outros me confundirão com todas as artimanhas negras possíveis da mente doentia dos que se afastam da luz, outros verão em mim uma espécie de salvador do mundo...Jesus Cristo,Krishna,Rama ou algo do gênero...vocês não fazem ideia do quanto de nomes vão me dar e do quanto vão inventar sobre mim...e falando isto sorriu o sorriso mais doce e triste que penso hoje alguém poderia dar.


Mas quem é você então perguntou minha mulher?


Ele olhando-a carinhosamente respondeu....EU SOU A ESPERANÇA!


Dizendo isto saiu para o negror da noite e nunca mais o vimos desde então apesar de outros emissários que entendemos celestes terem nos vindo visitar  vez ou outra.


Eva até hoje fala dele, percebi que secretamente ela ficou algo enfeitiçada por ele, e com razão; era um soberbo espécime de homem, mas não no sentido de que quisesse algo carnal com ele, vi mais um misto de devoção, de necessidade de apegar-se a alguém visivelmente superior à nós e mesmo aos demais celestes que virava e mexia nos visitavam.


Acho que esta palavra...Esperança, deve ter algum efeito mágico por si só, pois percebi que foi ela que mais mexeu com minha mulher, pois sempre que ela evoca as lembranças do momento doloroso de nossa expulsão lembra da promessa de que dela, viria aquele que esmagaria a cabeça de nosso rival e sua descendência e alude que isto lhe faz lembrar e muito a palavra do homem misterioso da caverna de nosso primeiro dia fora de Gan Éden.


Percebo aliás que é esta palavra....ESPERANÇA... que nos faz levantarmos todos os dias com confiança e encararmos uma realidade tão adversa e tão distante de nossas origens.


Uma realidade que vamos desconstruindo e construindo segundo cada pensamento, palavra e ação nossos, uma realidade que esperamos(e aqui esta a esperança de novo) possamos um dia domar.


Hoje temos dois filhos sobre os ombros dos quais depositamos toda esta esperança, cada um deles nasceu com uma irmã, na verdade Eva teve os quatro ao mesmo tempo um nasceu depois do outro segurando um o pezinho do outro; o primeiro chamou-se Q'aiin e sua irmã saiu em seguida, o segundo Ab' El e sua irmã logo após...Eva já esta grávida de novo e planejamos chamar este outro filho se macho for de Seth....espero que também venha com uma irmã para que não se sinta solitário entre nós.


Vocês que lerem estes registros desta caverna que se tornou nosso lar saibam que agora estamos bem, não sabemos o que nos reserva o futuro mas por causa daquele homem misterioso, daquele dia  e de tudo o que ele nos ensinou hoje enxergamos os desafios de cabeça erguida, algo queima em nossos corações e percebo que foi sua palavra mágica que ficou gravada em fogo sagrado dentro de nós...ESPERANÇA, ela nos alimenta, nos desperta, nos faz cumprir nossas obrigações, nos faz caminhar nos estreitos caminhos deste mundo...


Outro dia Q'aiin chegou esbaforido dizendo que viu uma enorme tribo de pessoas quase semelhantes a nós nas planícies para lá do grande vale...


Eu e Eva rimos pois sabemos que isto é impossível já que somos os primeiros humanos do mundo, mas mesmo assim fomos dar uma olhada... 


Qual não foi nosso assombro quando vimos que ele tinha razão, entretanto este novos humanos tinham semelhanças mas diferenças enormes em relação a nós, eles eram mais atarracados, não tinham a elegância de nosso corpo, nem muito menos nossa altura monumental(Eva tem mais de 3 metros e eu 3,50)andamos eretos plenamente,eles um pouco encurvados, se muito o maior entre eles deve ter uns 2 metros ...entretanto são de constituição forte, percebemos na hora que podiam mover grandes pedras, seus braços pareciam toras de tão grossos que eram, suas cabeças bem avantajadas, a testa bem proeminente, os cabelos eram um emaranhado onde deveriam viver todos os insetos do mundo, peles rudes cobriam-lhes o corpo(nós também usávamos peles mas aprendêramos com nossos visitantes celestes a transformá-las em artigos de beleza além de utilidade e lavá-las cotidianamente para não cheirar mau, untando-as com óleos aromáticos que também aprendêramos a fazer.


Quando nos viram começaram a grunhir entre si, não pronunciavam frases articuladas como nós, mas sons guturais de uma intensidade inquietantes, um grupo deles se aproximou mais decidido traziam enorme clavas de madeiras nas mãos ameaçadoramente, os outros ficaram distantes nos olhando.


Levantei-me confiante e quando viram meu tamanho e toda minha majestade divina recuaram assustados, meu tamanho descomunal, meu corpo perfeito, minhas armas de fina ourivesaria, meus cabelos longos, oleados e penteados, minha barba, basta e magnífica, tudo isto deve ter soado para eles como algo maior e muito poderoso, ao meu lado Ab'EL e Q'aiin ambos com 15 anos mas maiores já que qualquer um deles tomaram seus lugares a minha direita e esquerda, Eva segurou meus braços mas também não se sentia intimidada pois seu toque transmitia um calor reconfortante intenso...e ali naquele dia e daquela forma nos revelamos aos autóctones daquele mundo selvagem com os novos senhores daquele reino, descidos dos céus(afinal a montanha sagrada, o Monte Meru onde no topo estava Gan  Éden perdia-se nas nuvens mundo acima.


Vieram pouco a pouco e depositaram suas clavas sob nossos pés e inclinaram-se ante nós, para eles eramos tão deuses e tão celestes, quanto o eram os celestes que nos visitavam em relação a nós.


Então soberanamente nós 6 (nossas filhas também estavam conosco) caminhamos entre eles e tentamos interagir com aquele que entendemos ser seu chefe.


Estabelecemos com eles assim um contato duradouro não entre iguais pois percebemos que a vantagem de sermos vistos por eles como deuses era determinante para nosso futuro como espécie,mas um contato que permitia que eles vivessem em nosso entorno nos protegendo e nos dando oferendas enquanto nós pouco a pouco lhes ensinávamos os rudimentos mais comezinhos da civilização que aprendíamos com os celestes.


Por isso muito me entristeceu saber que Q'aiin nosso primogênito não só lhes ensinava estes rudimentos como frequentava suas mulheres também...eles não tinham aquilo que convencionamos chamar de casal....uma mulher podia ser de quantos homem quisesse e idem um homem, fora que também se relacionavam homem com homem, mulher com mulher o que muito me assustou pois percebi que na falta de motivação espiritual o sexo era o centro da vida daqueles pessoas.


Tudo era para eles justificativa para orgias e mais orgias sexuais...


Q'ainn me dizia que suas intenções eram nobres pois ao frequentar suas mulheres ele esperava que a prole que delas nascessem fossem mais próximas a nossa espécie e assim uma civilização superior pudesse se formar entre eles....mas o fato é que percebia desde cedo uma propensão em meu filho mais velho de ir contra ou de questionar as ordens dos celestiais(não, não me esqueci que eu e Eva também não eramos santos mas aquilo foi só uma vez entendem? mas Q'aiin, bem Q'aiin era outra coisa)....e uma das coisas que ele mais os recriminava era o fato de não nos terem dito que existiam seres muito semelhantes a nós vivendo naquele mundo fora de Gan Éden.


5 anos depois que travamos contato com estes homens que chamávamos de filhos da terra(enquanto a nós mesmos nos referíamos como filhos de Elohim)Q'aiin atraiu a desgraça sobre nossa família.


Ele e Ab'El exerciam suas funções instrutivas junto as filhos da terra quando uma mulher se aproximou e lhe pediu(pouco a pouco ensináramos  a se comunicarem através da linguagem, ainda que bem rudimentar) que invocasse o deus maior(pois tínhamos lhes ensinado sobre a existência de Elohim)par a cura de seu filho...Ab'EL diferente de Q'aiin tinha uma índole mais contemplativa e serena,, desde cedo percebemos que era diferente até de nós mesmos, havia em torno dele uma aura de poder, de segurança espiritual que nem mesmo eu e Eva tínhamos.


Ab'El não pensou duas vezes, estendeu suas mãos com confiança e invocou o poder de Elohim sobre aquela criança, dizem os presentes e isto é motivo de assombro até hoje, que viram uma luz muito forte,sair das mãos de Ab'El e que esta luz envolveu todo o corpo infante que desfalecido que estava pôs-se a chorar movimentando-se as mãos e os pezinhos.


Q'aiin observava de longe e enquanto todos ficaram estupefatos e admirados com o acontecido , seus olhos brilhavam com um brilho estranho e indefinido que ninguém na hora conseguiu decifrar.


Naquela mesma noite meus filhos terminaram seus afazeres diários com uma oferenda a Elohim. Como era de nosso hábito, Ab'El ofereceu leite puríssimo de seus rebanhos misturado com o mais puro mel de carvalho sobre o altar, Q'aiin queimou ervas de suas plantações misturadas ao mesmo mel ...pouco a pouco o leite derramado por Ab'El foi sugado pelas pedras do altar e subiu um cheiro delicioso de néctar  divino aos nosso narizes, enquanto a fumaça subia em direção a Gar Éden...já as ervas de Q'aiin ficaram misteriosamente intactas(o que nunca acontecera antes com ele) sem se queimarem ,tão verdes quanto tinham sido recolhidas.


Não sabíamos então mas a misteriosa mudança que acontecera no coração de Q'aiin quando virá Ab'El curar a criança tinha sido a responsável pela rejeição de sua oferta ante Elohim.


Mas meu filho não entendera assim, entendera que estava sendo preterido por Elohim pura e simplesmente em relação a Ab'El, primeiro por dar a este um poder(ele não entendia que este tipo de poder não se recebe se conquista)que ele Q'aiin não tinha e agora por aceitar sua oferenda e rejeitar a sua.


Q'aiin, não era de hoje tinha suas diferenças com Ab'EL. Quando determinamos que sua irmã a que nascera apegada a seu pé,casaria com Ab'El e que ele casaria com a irmã que saíra apegada ao pé do irmão ele dentro de si não aceitou pois sabíamos que seu desejo por sua irmã mais próxima era evidente.


Na verdade Q'aiin alimentava o desejo de ficar com as duas....seu apetite sexual estava ficando tão ou mais voraz do que os selvagens que tentávamos civilizar.


Mas se ele ficasse com as duas com quem ficaria Ab'El?


Agora depois do sacrifício rejeitado ele começava a encontrar uma resposta para esta questão.


Já tínhamos celebrado o casamento de cada um deles com suas respectivas irmãs eleitas(aliás; um dos celestiais que nos visitavam o fez) e nenhum deles ou delas, eram mais virgens, inclusive suas esposas esperavam filhos, mas Q'aiin que já tinha para si a irmã que nascera apegada a Ab' El não esquecia sua irmã favorita. 


E foi ai que tramou a ignomínia pela qual ficaria célebre nos milênios que viriam.


Uma tarde ele e Ab'El voltavam de ensinarem ao filhos da terra, quando Q'aiin atacou-lhe com uma clava emprestada dos filhos da terra.
Dentro de si o plano estava armado, matar o irmão como se este tivesse sido morto por um filho da terra, casar-se com a irmã enlutada e ficar com as duas irmãs para si.
Tudo funcionou como queria até que um, na sua visão intrometido celestial, apareceu e nos contou o que de fato sucederá...


Eva chorava desconsoladamente....eu fiquei mudo, suas duas irmãs choravam como a mãe, Q'aiin apenas nos olhava com um olhar indefinido...escutamos quando ele disse ao celestial que este lhe destruíra a vida e olhando para Seth que tinha então 5 anos disse, qualquer um que se propuser vingar-se de mim fará isto com facilidade.


O celestial moveu suas mãos e vimos um símbolo estranho surgir entre os olhos de Q'aiin e então lhe disse este sera um sinal de sua proteção, nenhum homem deverá matar-te fora de seu tempo, quem lidará com você será Elohim, mais ninguém, você assiná-la agora com covardia o instinto assassino e invejoso que demonstrara anteriormente além da incontinência sexual que já lhe era notória.
Você é uma decepção para os seus e para si mesmo, e trará sobre si de onde nem pensa vir o mal que tanto teme.


Fomos dormir naquela noite contristados e abatidos, no outro dia acordamos e não vimos mais Q'aiin; ele fora embora e nenhuma de suas mulheres levará consigo(não por não tentar; alta madrugada ele tentara convencer suas irmãs a partirem com ele mas elas negaram veementemente ameaçando-lhe com as mais duras maldições se tentasse levá-las a força)foi-se sozinho. Depois ouvi dizer que pegou dos selvagens 4 mulheres dais quais mais gostava e com as quais já tinha inclusive prole e com mais um grupo de jovens aventureiros e tão inconsequentes quanto eles partiu  liderando-os rumo ao longínquo leste, onde com o tempo encontrou outras tribos selvagens e construiu uma cidade onde reinava como se fosse o deus de todos.


Nunca mais o vi, mas sabia por meio de um ou outro selvagem que mantinham contado com sua cidade a quantas ia meu filho nefasto.


Hoje o tempo passou.... vários filhos e filhas tivemos eu e Eva. Seth assumiu a maioria de minha funções como patriarca Ele se casou com as duas irmãs mais velhas que ficaram sem companheiros para que as mesmas não se sentissem repudiadas e também com uma mais nova que de fato era seu grande amor, não sei se Elohim aprova isto, nenhum celestial nos questionou a respeito, mas até acho uma boa ideia se bem que eu mesmo só tive e sei que terei para sempre apenas Eva.


Os outros meus filhos seguiram o exemplo do irmão... preferimos assim ou seja; que o macho  tenha várias fêmeas para saber quem é filho de quem pois em meio aos filhos da terra, isto é impossível já que eles não se casam apenas se relacionam e mesmo as mulheres que são seletivas e tem poucos machos não dá para saber dos filhos que ela tem quem é pai de quem.


Para nós não, é importante para a sobrevivência dos filhos de Elohim saber quem foi pai e mãe de quem....


Fora que eu sempre fui assim, nunca gostei de repartir o poder que deus me deu com liberalidade com a mulher...acho que isto mais complica que ajuda....Lilith tentou isto comigo e agora nem sei por onde anda, as vezes vejo-a até hoje velho que sou, em meus sonhos,(percebo que ela seria o único ser neste mundo que me relacionaria sexualmente além de Eva) mas Lilith era senhora de si demais,vi dizer que ela esta vivendo maritalmente com um celestial rebelde, o mesmo segundo dizem induziu Eva a trair seus votos de não comer do fruto sagrado,tem gente  que pensa que este fruto é uma fruta de verdade, não é, Eva na verdade foi induzida a penetrar em segredos espirituais que ainda não estávamos preparados para entrar, e que tinham sidos estabelecidos para graus superiores de iniciações em Gan Éden. Só poderíamos acessá-los  no tempo e momento certos; com a desobediência dela e o pavor de saber que poderia ficar sem ela preferi ficar com minha mulher e também acessei tais conhecimentos por livre e espontânea vontade, de certa forma eu fui bem mais acintoso contra Elohim que Eva pois esta ainda se desculpa dizendo que foi seduzida pelo celestial renegado(ele também, dizem, foi expulso de Gan Éden conosco e parece que tinha secretamente a seu favor uma boa quantidade de outros celestiais com ele....as vezes me pergunto se o homem da caverna não seria ele mesmo e que talvez por isto Eva tenha se sentido tão estranha naquele dia...nossa quebra de voto com Elohim e tudo o que veio depois, parece que fez surgir entre os celestiais uma cisão única nunca antes existida, e isto tudo parece ter a ver com a condução da evolução terrestre, com as formas divergentes que ambos os grupos de celestiais viam a mesma),assim eu nem isto tenho para me desculpar fiz porque quis, porque amei mais Eva e sua companhia que Elohim e suas ordens.


Hoje pressinto que vou morrer logo, logo, e um celestial já me confidenciou que Eva morrerá junto comigo, ambos morreremos dormindo, não sabemos direito o que é isto, como se dá, afinal até agora só Ab'El dos filhos de Elohim passou por esta etapa de nossa lida.


Espero que não doa, odeio dor, uma vez quebrei a perna e foi uma dor atroz, até curar-me (foi um celestial que o fez) sofri como um cachorro na boca de um Leão, dor é tudo o que há de mais ruim nesta existência que temos, talvez se ela não existisse tudo seria mais suportável, tanto a dor na cabeça que faz com que os problemas se tornem como agulhas afiadas penetrando em nossos pensamentos, quanto as emoções e desejos descontrolados que penetram nossos corações terminando com as dores físicas... quer as que surgem por  machucaduras externas quanto as que são resultados da velhice....sim a velhice....hoje não me sinto um filho de Elohim ,um deus encarnado, mas tão filho da terra quanto qualquer um deles, dos selvagens, afinal qual minha vantagem? Viver quase mil anos enquanto eles não chegam a uma centena?


E dai?


Sofro agora as dores que eles sofrem quando também estão prestes a morrer!


Termino aqui os meus relatos, não estarei vivo para registrar os feitos de Seth e de seus irmãos, não estarei vivo para saber se Q'ainn encontrará o fim prognosticado pelo celestial ou não, nem sei se quero isto, toda a raiva e mágoa contra meu filho primogênito a muito morreu dentro de mim.


Quando morrer não sei se irei para algum lugar ou se tudo termina ....nenhum celestial ainda me disse nada, tenho esperanças que alguém o diga,mas desconfio que sim ou seja; vou para algum lugar... lembro agora uma coisa que Prometeu, Uriel ou Lúcifer ou seja lá como ele se chamava me disse quando apareceu para mim naquele dia em que me ensinou a fazer  fogo...ele disse esse fogo aqui é mera metáfora do fogo que cada um de vocês(nós) traz dentro de si. Dentro de cada um de vocês, disse ele, brilha uma chama interna que veio de Elohim e queima como este fogo que eu fiz, com a vantagem que NUNCA se extingue , ora se nunca se extingue então creio que ao morrer, este corpo velho pode até perecer mas esta centelha sagrada vai permanecer viva, com todas as experiências de quem eu, Adão fui e com certeza ainda serei...PARA TODO O SEMPRE...aos que lerem este livro no futuro....saibam que eu vivi apesar de tudo uma boa vida....


Até a próxima vida!!!






Comentário...


Adão e Eva são o casal oficial eleitos como os pais da humanidade na Bíblia...


Tudo gira em torno deles e de suas supostas ações naquele fatídico dia em que comeram o fruto do conhecimento.


Optei por contar a história deles em forma de conto porque entendo que tudo o que já foi dito sobre eles é de conhecimento comum de todos e basta uma boa olhada em livros e textos sobre os tais para se estudar o que pensa a teologia oficial e extra o ficial sobre os mesmos.


É claro que meu texto tem uma ou outra coisa retirada dos apócrifos, da Bíblia etc...mas no seu contexto geral é pura imaginação e criação minha.


Portanto não tem nenhuma intenção de se ser 'a verdade' nem regra de fé para ninguém.


É o puro desejo de exercitar a imaginação sobre um dos temas mais nebulosos sobre a nossa humanidade que é a origem dos gêneros humanos na terra; o que seriam o homo sapiens(os filhos de Elohim do meu texto)?,os Neanderthais(os filhos da terra)?, se de fato interagiram e  porque? E se na criação do sapiens houve de fato como muitos creem interferência externa na evolução da vida inteligente na terra?


Seja como for espero que pelo menos a título de recreação vocês tenham gostado do texto.




Textos para pesquisa a quem interessar....


Sobre Adão e Eva


http://pt.wikipedia.org/wiki/Ad%C3%A3o_e_Eva


Gênesis da Bíblia capítulos 01-04.


Apócrifos...O primeiro e o segundo livro de Adão e Eva e a Caverna dos tesouros...




Sobre o Monte Meru ou Sumeru(Suméria?)


O monte mítico...


http://www.blog.om.pro.br/?p=173


http://pt.wikipedia.org/wiki/Vaisravana


Na África existe uma montanha real com este nome....(os sumérios eram conhecidos como povo da cabeça preta,provavelmente devido a cor de seus cabelos mas... será que a origem dos sumérios estaria na Africa negra? mais especificamente neste monte ou em suas imediações? Como hoje sabemos que o sapiens começou sua jornada na África isto soa bem tentador...)


http://pt.wikipedia.org/wiki/Monte_Meru




Sobre Gan Éden


http://pt.wikipedia.org/wiki/Jardim_do_%C3%89den




Sobre Prometeu


http://pt.wikipedia.org/wiki/Prometeu




Sobre Uriel e os celestiais rebeldes


O apócrifo O livro de Enoch ...




Sobre Lúcifer


http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%BAcifer


O livro Os pilares de Tubalcaim e a tradição luciferiana de Nigel Jackson e Andrew Howard.




Sobre Elohim


http://pt.wikipedia.org/wiki/Elohim






Vídeo maravilhoso...Peter Gabriel e Sinéad O'Connor cantam BLOOD OF EDEN


Fonte: Youtube


Abraços...


Pax e Lux




VALTER TALIESIN











Nenhum comentário:

Postar um comentário