Google+ Badge

domingo, 15 de dezembro de 2013

ÁRTEMIS...E a nova Mulher Universal

ÁRTEMIS

DIANA

Qual o nome favorito que você gosta de usar para a grande deusa da lua, da natureza, noite e do feminino libertário?

Ártemis como Lua é irmã de Apolo o Sol, mas os dois não reinam isolados sobre estes dois grandes astros da natureza.

Apolo na verdade é a luz solar, o brilho intenso do sol, que transita de leste a oeste todos os dias. Dioniso é o mistério e os ocultos segredos do sol e Hélios o grande deus solar por excelência ...

Se tivéssemos que comparar aos mistérios egípcios Apolo seria semelhante a Hórus, enquanto este dirige a barca solar, Apolo guia os carros do sol; Dioniso uma figura semelhante a Osíris e Amon como o oculto o abscondido e Hélios uma espécie de Aton e de Rá.

Ártemis por sua vez divide a primazia lunar com Selene e Hecate no mito grego.

ELAS FORMAM A DEUSA TRÍPLICE!

Ártemis é a jovem, Selene a mulher e Hecate a anciã!

Como jovem Ártemis simboliza a virgindade pura, a mulher intocada, tanto no corpo, quanto no coração e na alma....uma virgindade absoluta onde nenhum homem conquistou-lhe nem o afeto quiça o corpo. 
É um ser plenamente livre, plenamente senhora de si, no alvor da vida, com toda a beleza e sedução próprias desta idade, encanta mas ao mesmo tempo assusta eventuais candidatos.

Conta-se que um caçador ousou ver Ártemis tomar banho em um lago sem que a deusa tivesse ciência disto, quando percebeu o que acontecera esta o caçou por toda a floresta e o fim deste foi extremamente trágico.

Ártemis portanto é a mulher que não admite ser objeto do homem(nenhuma melância, ou frutas sugestivas se encaixam aqui com certeza), não admite que este se ache no direito de fazer o que bem entenda com ela sem que ela o permita. 

Se ela quisesse ser observada pelo caçador por exemplo, este poderia se deleitar a vontade que nada lhe aconteceria, mas por fazer algo que afrontou a vontade de privacidade da deusa pagou um preço caro.

O mito pode parecer duro para alguns mas revela na metáfora verdades incontestes.

Como deusa da luz crescente Ártemis é o símbolo da evolução da mulher, desta se descobrindo... descobrindo seu corpo, sua sensualidade, seus atributos... nesta fase a privacidade é essencial para que a mulher possa se permitir brincar com seu corpo, admirar-se, sonhar, se relacionar consigo mesma e seus desejos sem que o bicho homem entre no jogo propriamente dito.

O preocupante caso de mulheres cada vez mais jovens, meninas ainda, estarem não se descobrindo sensuais mas fazendo sexo em si, na lata, nem bem saem dos cueiros, mostra que este rito de iniciação onde por algum tempo a mulher se descobre, se admira, percebe suas potencialidades e os desejos de sua alma e corpo estão perdendo espaço pelo puro... 'vai lá e faz nega pois todo mundo já fez'!

Diante disto não é de se admirar quando entrevistadas a maioria de tais mulheres relatam sua primeira vez quer como algo doloroso ou sem importância nenhuma pois parece que transar logo, assim que se menstrua( e em alguns casos mais absurdos ainda até antes) se tornou 'dever' obrigação', o próprio rito de passagem em si, e não o descobrir-se mulher primeiro.

Sendo assim estamos diante de uma ilusão de liberdade feminina efêmera...

A mulher escapou do jugo do pai escolher seu marido, do marido dominar-lhe o corpo e desejos para cair no domínio do grupo, da moda, do fazer por fazer, do medo de ser a única virgem do pedaço. 

Isto não é liberdade é a mesma escravidão com cara nova!

Ártemis nos ensina a verdadeira liberdade feminina, uma mulher que se descobre, que se vê plena e depois, ai sim, se permite ser mais que isto; torna-se Selene a mulher no ponto máximo de sua grandeza e sexualidade, a mulher que ama e é amada, que usa sua sensualidade para conquistar, que é mãe, irmã, parceira, companheira até que então torna-se Hecate a sabia anciã que tem diante si agora um novo papel a cumprir na sociedade o da matriarca!

Hoje estas etapas não existem mais!

As Ártemis e as Hecates todas querem ser Selenes!

Tanto garotas de 12 e até menos anos como senhoras de 70 e tanto anos querem ser Selene, querem perpetuar o sexo pelo sexo, o desejo pelo desejo... as mais jovens com homens cada vez mais velhos e as mais velhas com homens cada vez mais jovens...

Não é uma crítica mas uma constatação pura e simples!

Quando há amor não existe esta questão da idade, concordo plenamente, mas quando algo vira MODA, quando todas as garotinhas tem que 'dar' e de preferência para 'tios' mais velhos para ter 'experiência' ou quando senhoras porque as amigas de plantão tem seus garotões acham que também tem que ter os seus...padronizou, banalizou....perdeu o sentido de verdadeira liberdade e de verdadeiro sentimento!

Ártemis ainda como senhora da natureza nos fala do lado selvagem, natural, puro da mulher.

Ártemis derramava seu brilho na noite, portanto tem um pouco de Nix em si a deusa da noite mas não era só isto, Ártemis era a senhora das florestas, dos animais noturnos e diurnos, dos seres que infestavam bosques, vales, e montanhas. 
Estes eram os grandes adoradores da grande deusa.

Ártemis por fim era a bruxa suprema ,a senhora da magia e dos sortilégios!

Na época dos apóstolos havia um dos mais importantes santuários pagãos do mundo localizado na próspera e poderosa Éfeso, uma das mais importantes cidades do império romano de então localizada na Ásia menor. De origem grega tinha esta em DIANA o nome romano de Ártemis, a grande patrona da cidade e uma das deidades mais cultuadas do império. Os discípulos do Cristo passaram sérios apuros nas mãos de seus adoradores que entendiam que a pregação cristã estava tirando do templo de Diana o lucro devido.

Sem entrar na moral ou não da história ou seja; de serem ou não os cristãos rivais da deusa o fato é que tanto no templo de YHVH do monoteísmo quanto no templo da grande Diana dos Efésios o vil metal parece ser a tônica das religiões deste mundo. Um Cristo pagão com um chicote como o Cristo judeu o fez também seria bem vindo em Éfeso!

Como livre, leve e solta por excelência Ártemis me parece o melhor exemplo e protótipo da mulher atual,. aliás; ela e Atena.

Talvez uma junção do mito das duas grandes deusas seja a síntese da mulher moderna, claro, sem desprezar uma terceira nesta trindade...Afrodite!

Estas 3 grandes deusas podem conviver absolutamente bem numa mulher integralmente resolvida que sabe primeiro viver sua infância e adolescência e só se entregar por desejo  ou amor no momento e hora certos. Que se sinta preparada para isto sem que pai, irmão, namorado , marido , ou a amiguinha 'liberada' de plantão lhe dê as cartas. Depois torna-se na mulher que estuda, que trabalha, que cresce, que atua, que não é sub serviente mas pareada ao homem e que dentro de si quando quer se manifestar é pura magia, é puro tesão, é pura sensualidade e sexualidade plenamente resolvidas.

Claro, falamos do que entendemos no mito mas com certeza cada pessoa vivencia seus próprios processo e não existe uma cartilha determinada de como ser feliz o que existe  é  o bom senso de percebermos que algo esta errado quando fazemos as coisas quer porque  os outros mandam ou porque a turma faz e percebemos o momento de NÓS fazermos as coisas que queremos fazer ASSUMINDO responsabilidades pelas mesmas.

O número preocupante de adolescentes entre 11 e 15 anos grávidas em plena era da camisinha, anticoncepcionais e pilulas do dia seguinte não me deixam mentir!

Precisamos portanto de muitas Ártemis para salvar nossa civilização da banalização e do caos total!

Mulheres livres, leves e soltas, senhoras de si que quando percebem  sua hora se entregam a quem querem se entregar e por sentimentos que valham realmente a pena e que sejam frutíferas e depois sagradas ajudando a sociedade a se recriar e se reformatar continuamente!

Amor e Luz

Valter Taliesin

Vídeos sagrados

SARAH BRIGHTMAN

La Luna

Eden

Fleurs du mal

Deliver me


Fonte Youtube








Fonte Google imagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário