Google+ Badge

sábado, 14 de dezembro de 2013

HERMES...Três vezes Grande...

HERMES

O mensageiro dos deuses, o patrono do comércio, o profeta dos deuses para os humanos, o deus do conhecimento.


HERMES TRISMEGISTUS


O 3 vezes grande...rei, profeta, juiz...o grande civilizador da humanidade...o deus da filosofia e da teologia.


THOT/HERMES



O 3 vezes grande revelando-se os mistérios que unificam as grandes religiões...o deus da lua, o deus da sabedoria e do conhecimento, o escriba dos deuses, o senhor dos construtores, o conselheiro e grão vizir dos deuses.


Hermes como disse no meu primeiro texto sobre Poseidon faz com este e Palas Atena a trindade de deuses olímpicos dentre os meus 12 favoritos que mais gosto e me identifico ainda.


Dentre todas as figuras divinas do panteão ele é a mais próxima, a mais interessante para nós humanos. 


Era também um deus civilizador mas bem diferente das figuras de Poseidon construtor de cidades e de Atena a protetora das artes,leis e criadora de civilizações...


Hermes era o deus do conhecimento, da sabedoria secundando Atena e dos mistérios fazendo uma trindade interessante com Dioniso e Apolo. Tornou-se o patrono e o deus favorito dos filósofos quando entendido como mesclado a outras duas figuras míticas do conhecimento universal...o Enoch bíblico e o Thot egípcio.


Nesta versão Hermes nos últimos 2 mil  e 500 anos superou gradativamente os grandes deuses gregos como deidade favorita da elite cultural dos povos; egípcios, gregos e romanos, e sua famosa tábua esmeralda é um dos mais importantes ícones do esoterismo e ocultismo mundial. 


Se escrito realmente pela figura humana(ou divina como queiram) que em torno de 5000 mil anos ou mais se tornou conhecida como Hermes ou se por seguidores ou até por neo platônicos posteriores a Cristo não o sabemos mas o compêndio de conhecimento e sabedoria Corpus Hermeticum é uma das bases da busca espiritual de milhares de iniciados a milhares de anos. 


No Corpus Hermeticum temos o diálogo iniciático perfeito entre mestre e discípulo; Pimandro e Hermes...Deus e Homem. 


Neste texto Hermes é claramente um grande iniciado que se diviniza, não uma força da natureza que se manifesta como humano.


Pimandro por sua vez parece ser na verdade o eu maior do grande iniciado, o ser por trás do ser e a cada revelação vamos percebendo a relação do homem Hermes com o deus Pimandro e com toda a criação universal.


Hermes é isto...revela os mistérios da emanência, imanência e transcendência do sagrado em e além de nós!


Tão importante é a figura do grande trismegistus para o saber universal que mesmo hoje as religiões fundamentalistas usam termos da mitologia do deus para definirem por exemplo, a melhor forma de entender-se um texto teológico,sobre o divino, o sagrado...


HERMENÊUTICA!!!


Não deixa portanto de ser irônico que a religião que deu cabo dos cultos pagãos no ocidente e médio oriente, principalmente greco/romanos em cujos tais Hermes era uma figura das mais proeminentes hoje use um termo absolutamente ligado ao deus para definir algo de vital para sua religião...


A BOA COMPREENSÃO, INTERPRETAÇÃO E EXPOSIÇÃO DOS TEXTOS BÍBLICOS...


Enfim; se Hermes era na verdade um demônio no pior uso do termo como aventam os mais radicais defensores desta religião temos um caso interessante de um demônio maligno e infernal ajudando os cultores fundamentalistas a entenderem seu livro sacro para melhor adorarem a Deus e se livrarem do inferno.


Outro termo consagrado, este ligado ao esoterismo é HERMETISMO que envolve e compreende todas as práticas ocultistas possíveis da chamada alta magia ou magia teúrgica, em alta novamente atualmente desde que em meados do século 19 grupos de praticantes puseram-se abertamente a revivescer os cultos antigos.


Progressivamente também a figura de Hermes se tornou associada a outros dois grandes deuses do conhecimento e da sabedoria com muitos crendo serem eles o mesmo deus...o sumério Ningishzida que seria o protótipo mais antigo conhecido deste deus civilizador e os americanos Kukulkan/Quetzalcoal/Viracocha deidade civilizadora e principal das culturas, maia/azteca/inca as 3 grandes civilizações antigas do continente americano.


No contexto nórdico a figura mais próxima de Hermes seria Loki que diferente do vilão astuto da Marvel é mais um deus da sabedoria, conhecimento, magia e sortilégios(ainda que realmente um grande pregador de peças nos demais deuses)que outra coisa.


A se crer em tudo isto Hermes pode ter sido a mais importante figura da História universal quer sendo humano divinizado ou um deus encarnado pois seria em última instância um deus como Prometeu pois se este doou simbolicamente o fogo aos humanos(um aforismo para entender-se o despertar da centelha divina ) Hermes tira o homem da barbárie e faz com que ele saiba usar este mesmo fogo(centelha) para tornar-se o que de fato é...um deus em evolução.


Como se não bastasse Hermes também era entendido como um PSICOPOMPO entre a alma e os mundos infernais dos mortos. 

Claro que este termo revela um Hermes que era mais que isto que já seria também significa a ponte de ligação entre iniciado(ele)  e discípulos para os reinos interiores.

A palavra Psicopompo é uma junção de duas palavras gregas interessantes psyque, a alma e pombo que significa guia.

Não deixa de ser interessante que a figura do guia, do revelador da verdade cristão o Espirito Santo seja um...POMBO...seria mera coincidência entre figura de pássaro e o termo grego? Ou mais uma ligação interessante entre o Hermes pagão e uma figura cristã?


Estamos vivendo em um mundo em que o conceito de iniciação espiritual por parte das grandes religiões se tornou tão anacrônico, tão sem uso que boa parte da liderança espiritual destas nem sabe o que isto significa.


Sim, como disse temos muitos grupos alternativos que nos últimos 200 anos foram criados no ocidente tentando reviver a iniciação espiritual, o despertar do homem interior segundo supostas tradições herdadas dos antigos mas a grosso modo a grande maioria das religiões estão distantes disto e aqueles fora de tais círculos então ou de qualquer outro circulo espiritual nem se fala.


Estamos vivendo em uma sociedade onde a 'iniciação' é feita através dos games, das redes sociais, da TV, das festas de 'arromba', da diversão pela pura diversão onde até o ensino oficial se tornou tão pejorativamente fraco e insubstancial que a meritocracia se tornou palavrão.


Na iniciação sagrada, como dizia o Cristo...MUITOS ERAM CHAMADOS mas poucos os escolhidos, e não somente no contexto espiritual mas geral da vida, os melhores, os mais aptos, os mais bem preparados, os mais bem sensíveis e intuitivos eram separados para serem a elite dominante tanto espiritual quanto cultural dos povos antigos enquanto os demais ocupavam funções conforme o que conseguiram alcançar nos graus iniciáticos.


Cada um tinha seu lugar e cada um o desempenhava da melhor forma...este era o verdadeiro sistema de castas que depois se degenerou naquela coisa hedionda de um grupo se achar melhor e mais abençoado que o outro.


As separações eram através da INICIAÇÃO E O INICIADO SABIA QUE ENQUANTO ELE MANTIVESSE, O AMOR, O RESPEITO, A INTEGRIDADE, A BOA COMPREENSÃO DA DIVERSIDADE E O SENTIDO DE SERVIR A COMUNIDADE QUE OS 'DE CIMA' DEVERIAM TER COM 'OS DEBAIXO' tudo funcionaria plenamente.


Exatamente por isto o ritual iniciático do cristo em lavar os pés dos discípulos...ali ele exemplifica o que na verdade significa alcançar os graus supremos da iniciação...TORNAR-SE UM SERVIDOR dos demais...o maior no reino dos céus, no caminho iniciático, é na verdade o servidor do menor ou daquele que não alcançou graus mais elevados pois sua missão é ajudar gradativamente na ascensão destes.


Não é que o Cristo rejeite sua posição de avatar, de figura de proa da evolução universal digno de reverência e respeito e aconselhe a cada grande iniciado fazer isto mas sim que o grande iniciado NUNCA deve deixar o posto, a posição, a glória subir-lhe a cabeça como fizeram os brâmanes na Índia com o tempo a ponto de criarem um abismo de orgulho de castas tão imenso que deturpou completamente o conceito.  


A figura de Hermes ou algo do gênero como o próprio Espirito Santo cristão poderiam fazer este papel proficientemente, se grupos fossem criados para o estudo não de somente de livros sacros externos como se tornaram a maioria de seminários mas e principalmente de vivenciação com o homem interior.


Hermes mesmo com o aparente fim do paganismo sobreviveu de certa forma nos termos consagrados da teologia, na figura do Espírito Santo veladamente e na alma dos filósofos de todos os tempos como um patrono do conhecimento, da sabedoria e do contato com o sagrado em si.


Que assim seja, que Hermes reviva, ainda que em conceito, e que os iniciados desta era consigam reverter o mau que se avizinha sobre esta civilização cada vez mais morta para a verdadeira vida.


Amor e Luz


Valter Taliesin


Vídeos


ANUGAMA


Shamanic Dream


Chakra journey


Sweetness of the Earth


Healing


Fonte Youtube











Fonte de imagens Google

Nenhum comentário:

Postar um comentário