Google+ Badge

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

PALAS ATENA...E o banquete da Sabedoria, Verdade e Justiça...

PALAS ATENA

Nascida segundo o mais famoso e conhecido mito da cabeça de Zeus após este ter comido literalmente sua mãe Métis( a prudência, temperança) engravidada por ele(isto aqui é lenda, é mito, é metáfora, é figura...é para ser levado neste tom, fujam da literalidade sim!?) Atena enfim nasce do próprio pai quando Prometeu e Hefesto abrem a cabeça do deus.


Zeus estava com medo pois Gaia a Mãe suprema havia profetizado que duas crianças iriam nascer do ventre de Métis e ambas seriam; uma igual a Zeus em poder e força e a outra seria senhor de homens e deuses. Temendo perder o trono Zeus faz com Métis aquilo que seu próprio pai Cronos antes fizera com ele e com os irmãos...mas o tiro saiu pela culatra...ou não, como bem pudemos ver pelo desenrolar da lenda...

Ao nascerem da cabeça do deus não nascem duas crianças mas o potencial das duas em uma; Palas(que deveria ter sido o filho) e Atena(a filha), a deusa da Sabedoria, Verdade, Justiça, Artes, Civilização e da guerra justa. E melhor para o pai ...TOTALMENTE FIEL A ELE!

Estamos como disse, falando de lendas e mitos que tentam explicar o surgimento das coisas no mundo. Fugir da literalidade aqui é tremendamente salutar. 

Lido no natural e assimilado no literal Zeus é um monstro de egoísmo  assim como o pai Cronos e antes dele o avô Urano. 

O que basicamente a figura e a metáfora diz é que ao devorar a própria mulher Métis a deusa da prudência e da temperança Zeus evita sim que duas divindades iguais a si e com potencial para superá-lo possam vir ao mundo mas ao fazê-lo é Zeus quem dá à luz a estas duas entidades agora reunidas em uma figura só Palas Atena, mas submissas e aliadas a si. 


A metáfora portanto é que ao alimentar-se da prudência e da temperança Zeus se torna um monarca melhor, uma divindade melhor e dá à luz um mundo supostamente melhor, um mundo onde a sabedoria, a verdade, a justiça, as artes, a construção de grandes civilizações e até a guerra estão subordinadas à prudência, a temperança.

Zeus assim através da filha e não como rival dela passa a governar o mundo de forma mais plena e efetiva e sua primeira mulher agora é una consigo, parte de si, dois de seus atributos.


O texto portanto fala da evolução do deus sobretudo...de novos conceitos aliados a sua majestade e usa de uma lenda até certo ponto escabrosa para penetrar nisto...a antropofagia.


Por fala nisto, mas longe de justificar isto, a razão da maioria das antropofagias das culturas passadas era exatamente tomar posse do poder e das virtudes do morto como grande guerreiro. 


Vimos no texto passado que Atena era arquirrival de Poseidon o deus dos mares e oceanos e senhor do segundo mundo(terra).


Na verdade o que temos aqui é uma ingerência do deus dos céus(Zeus) o primeiro mundo no reino do irmão a terra, o segundo mundo e seu desejo de influenciar as civilizações deste mundo.


Estamos de fato diante do desejo de Zeus tornar-se absoluto já que escapando do destino de ter dois filhos contrários a si, ao engolir a mãe deles nasce-lhe uma filha totalmente devotada ainda que tão poderosa quanto ele e uma filha que vai ajudá-lo tentar conquistar os reinos dos irmãos Poseidon e Hades e unir tudo sob o controle soberano de Zeus.


Não consegue isto plenamente mas não restam dúvidas que Atena passa a ser na terra praticamente tão importante quanto Poseidon o senhor do segundo mundo.


Um dos casos mais gritantes da rivalidade dos dois versa sobre a guerra entre Tróia protegida de Poseidon e os Aqueus protegidos de Atena. Com a aparente derrota grega estes deixam um tributo na forma de um cavalo, o símbolo supremo de Poseidon para os troianos com os resultados que tão bem conhecemos.


Aliás esta guerra é uma prova contumaz da luta encarniçada das duas divindades pelo controle do segundo mundo e de serem os patronos civilizadores do mesmo.


A derrota de Tróia é a derrota de Poseidon frente Atena assim como antes a derrota de Atlântida a cidade fundada por ele frente aos mesmos gregos de Atena foi mais marcante e demolidora ainda seguindo-se finalmente ao afundamento da mesma...


Poseidon contudo não se rende e na Odisséia inferniza a vida do protegido de Atena e principal arquiteto da destruição de Tróia, Ulisses quase impedindo que este regresse à sua terra só conseguindo fazê-lo 10 anos depois da grande guerra. 


Finalmente Atena dá o cheque mate em Poseidon.

Outra lenda que mostra novamente o embate entre os dois deuses e mais uma vitória de Atena sobre o tio é a lenda de Teseu , Ariadne, Minos e o Minotauro...A esposa de Minos, Pasifae apaixona-se por um touro(outro grande símbolo de Poseidon)por castigo de Afrodite, por ter o marido que recebeu o touro de Poseidon para vencer os irmãos pelo domínio de Creta, se recusado diante da beleza deste cumprir sua parte no trato oferecendo o mesmo em sacrifício ao deus.


Interessante vermos aqui nesta lenda novamente Poseidon o senhor dos mares e do segundo mundo e Afrodite a deusa da beleza e do amor como aliados contra Atena a deusa da Sabedoria e da civilização.

Afrodite é o amor e a beleza selvagem, pura, única, selvagem, incivilizada, indomada, sedutora, portanto nada mais natural que esteja ao lado do deus dos mares uma força da natureza e da sexualidade...fora que segundo o mito, a guerra começa exatamente porque Hera e Atena enciumadas por Paris escolher Afrodite como a mais bela resolvem destruir Tróia.

Assim enquanto Poseidon tem a seu favor a deusa do amor puro, natural e selvagem Atena tem a deusa do casamento, do sexo matrimonial, do lar...percebem como a separação de rivais e poderes não é nada aleatória no mito e no fundo tudo tem um sentido?

Se fossemos analisar por dois mitos mais recentes Poseidon e Afrodite seriam o paganismo natural que perde frente ao cristianismo teológico(Atena e Hera) o controle do mundo espiritual e cultural da civilização ocidental e do médio oriente.

Novamente os gregos de Atena estão no páreo contra protegidos de Poseidon, mais especificamente Teseu rei da cidade onde ela era patrona, Atenas, mata o minotauro, filho de Pasifae com o touro, vence Minos e Creta e volta para Grécia deixando Ariadne desolada.


Mais uma vez vemos que na guerra entre os dois deuses civilizadores pelo domínio das civilizações do mundo Atena leva a melhor ou seja; os gregos sobre Creta.




3 míticas e grandes civilizações com destinos catastróficos semelhantes (Atlântida engolida depois da derrota para os gregos pelo mar - cerca de 8500 AC a se levar a contagem de 9000 anos de Platão na literalidade) Creta destruída depois da derrota para Teseu pela explosão de Santorini(em torno de 1500 AC) e Tróia destruída pelos aqueus gregos(em torno 1250 AC) nascidas ou protegidas por Poseidon caem diante dos gregos de Atena. E por tabela o beneficiado de tudo é com certeza Zeus a quem Atena era fiel.


Diante disto Poseidon com o tempo, de um dos 3 grandes senhores do universo em paridade com os irmãos passa tanto ele quanto o irmão Hades a serem subordinados ao irmão - Hades enfeitiçado pela beleza de outra filha de Zeus, Coré, a Graça, a qual se torna Perséfone rainha infernal passando metade do tempo com o rei dos infernos e outra metade com a mãe Deméter deusa da terra(e de quebra com o amante Dioniso) - Hades profundamente apaixonado e enfeitiçado torna consorte de seu reino à Perséfone tal o amor que lhe devota...em suma; Zeus vencera de novo através de outra filha...

Hades só cede Coré por 6 meses porque com a greve de Deméter a deusa da terra esta se vê ameaçada de extinção...por trás dos bastidores Zeus mexe os pauzinhos e quando bem menos se espera se torna senhor de todos os 3 mundos com os irmãos reinando sobre estes sob sua tutela e tendo duas filhas prestimosas e fiéis ao pai ao lado deles...vigilantes.

No fundo o que o mito nos fala é da vitória das qualidades internas, da divindade interior nos humanos suplantando as forças naturais e infernais, superando os poderes que nos cercam através do poder interior transformador dos humanos.


Atena(Sabedoria) e Coré(Graça) se tornam senhoras dos dois mundos em nome do Pai o soberano dos céus mas em comum 'acordo' com os senhores das forças naturais(Poseidon)do segundo mundo e infernais(Hades)do terceiro mundo após 'conquistá-los' quer pelas vitórias em batalhas quer pela sedução. E de certa forma também se tornam senhoras do primeiro mundo pois se Atena é una com o pai e Coré sua filha amada ambas tem mais influência no mundo dos céus que qualquer dos outros deuses...vale salientar que nos seis meses fora dos infernos como disse, Coré vive com seu amante nos céus de Zeus...Dioniso o deus dos mistérios, do ocultismo e dos grandes segredos e filho dileto do grande deus.


Palas Atena portanto é uma deusa extremamente moderna pois todo o conceito de civilização como conhecemos atualmente advém dos gregos, principalmente a democracia.



Entretanto apesar de todo este simbolismo de estarmos diante do triunfo dos poderes internos do homem dominando a natureza, o afastamento contínuo deste homem de seu eu maior, torna estes dons, estes talentos, esta evolução algo como uma faca de dois gumes...veremos isto...

Segundo a Bíblia a primeira cidade foi fundada pelo marcado Caim. 


Seu nome sugestivo era Enoch que parece ter naqueles tempos significado algo como alto iniciado como os títulos de papa, hierofante, faraó etc...mais recentes. Já que tanto um descendente de Caim quanto um de Set tinham este nomes e parecem ter sido vitais para ambas as genealogias me parece isto bem plausível. 

Aliás; alguns aventam a hipótese de ambos serem um só, e o texto apontar para uma miscigenação entre as duas genealogias. 

Também e dito que Enoch e Hermes trismegistus são o mesmo ser.

Seja como for a cidade, a civilização parece um processo irreverssível que pouco a pouco foi tomando conta da história dos humanos.


Poseidon no mito grego quer ligado a Creta, Tróia e mais especificamente a Atlântida é o primeiro grande deus civilizador, a sobrinha Atena surge mais que rival, como uma materialização viva do próprio conceito em si de civilização, artes etc...aliás; na mesma Bíblia diz-se que as artes surgiram também com os descendentes do marcado Caim o que me leva a questionar...se este não tivesse se tornado o que se tornou segundo o mito seriamos o que somos hoje?


Sim, pois metaforicamente Caim representa o agricultor que alijado dos bens da terra tem que construir para si nova forma de vida...


Caim mitologicamente é o construtor de cidades, o símbolo do homem urbano em detrimento de seu antigo estado agrário.



O que depreendemos disto?


Parece que as primeiras civilizações representadas por Poseidon, Lemúria, Atlântida, Abel, Set etc...eram civilizações de intensa ligação do homem com o mundo dos ideais e estreita ligação com a natureza, onde o meio ambiente era ADAPTADO para a vida e não reorganizado para tanto.


Caim, seu filho Enoch, sua cidade e Atena parecem simbolizar um novo contexto de civilização onde o homem desenvolve habilidades, artes, talentos para influir no meio ambiente, as cidades não são agora mais organizadas obedecendo as leis naturais do espaço mas começam a transformar o espaço para que este se adapte aos humanos e não o oposto como dantes.

E como bem sabemos Atena e Caim venceram Poseidon e Set neste sentido!


Nossa civilização a partir de então privilegia a construção de suas cidades reorganizando o espaço natural e não privilegiando a harmonia com o mesmo como fez por exemplo Poseidon, se analisarmos acuradamente a lenda da construção de Atlântida por este.


Perdemos ou ganhamos com a 'vitória' de Atena?



Talvez o futuro nos diga!


A construção e organização do ambiente conforme planejamento e arquiteturas externas e alienígenas ao ambiente não me parece em si errada como simbolizam Caim e Atena, mas o ABUSO desta forma de construção, deste tipo de civilização que se coloca acima do natural é que me parece errôneo!


Talvez o ideal teria sido como foi nos infernos entre Coré e Hades uma união mais fraterna entre Poseidon e Atena e dai teríamos uma civilização que coloca todas as sua qualidades e talentos em execução mas sem agredir o meio ambiente...Atena poderia ter deixado assim de ser a eterna virgem e se tornado esposa do grande deus dos mares e juntos teriam feito maravilhas no mundo!


Sua 'vitória' sobre o tio como vemos no estado em que esta nossa civilização atual acabou sendo uma vitória de Pirro e de seu trono nas profundezas onde foi relegado após perder o controle da civilização da superfície para a sobrinha o grande deus deve ver tudo com um sorrizinho irônico no canto dos lábios só esperando sua hora de levantar o poder dos ventos e dos mares e mandar tudo isto para o beleléu e dai tanto ele quanto a grande Atena se unirão finalmente para recriarem um novo mundo com um conceito verdadeiramente sagrado de civilização onde os dons internos dos humanos simbolizados por Atena se unificarão aos dons naturais do mundo em que vivemos simbolizados por Poseidon.


E FINALMENTE TUDO SE FARÁ...NOVO!!!



Amor e Luz


Valter Taliesin


Vídeos


DIANE ARKENSTONE


Tranceshift


The Secret Garden


Aquaria


Sanctuary








Fonte de imagens Google


Nenhum comentário:

Postar um comentário