Google+ Badge

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

POESIA...Uma viagem ao centro do Ser...



Meditando em conceitos sagrados através da palavra:

POESIA


P

Pensamento...Palavra...Poder...

A poesia nos trás o pensamento, aquilo que brota e nasce dentro da consciência e que se auto define, que define coisas e pessoas, que se cientifica.
O que veio primeiro?
Pensamento ou Consciência?
Ou estamos diante de um sinônimo?
A humanidade se inquire a séculos e séculos...
Este é o primeiro e original:
' O que veio primeiro?
O ovo ou a galinha?
Alguns petulantes dizem que já se conseguiram responder esta questão.
Não, não conseguiram pois esta questão implica em sobretudo aceitar-se ou não um tipo de manifestação de vida ou outra na falta de CERTEZAS de como a vida se processa e se manifesta.
Foi um ovinho original que se formou e de dentro dele saiu um pintinho?
Ou foi um pintinho que surgiu evolutivamente de outras formas de vida?
A resposta realmente existe mas ao bel prazer da corrente de conhecimento querida de cada um.
Mesmo na ciência a questão de se primeiro formou-se um ovo e dele saiu um ser mutante estilo galinha ou se houve uma mutação externa que originou uma galinha que depois botou um ovo conforme sua linhagem permanece em aberto.
Seja como for, voltando ao Pensamento podemos entendê-lo a princípio como a constatação da consciência, a forma como esta se percebe...EU SOU...neste sentido Deus ou o que entendemos por divindade foi a primeira entidade consciente...Dele ou a partir dele vieram a surgir diversas outras consciências, sempre com raiz nele, em sua constituição EU SOU e consequentemente o que teríamos de fato é uma ÚNICA consciência que se propaga infinitamente sem perder nada de sua essência mas ganhando em proporcionalidade de indivíduos auto conscientes que usam desta essência como bem lhe aprouver.
Do Pensamento original surge o som original a Palavra.
É dito que pela Palavra os mundos foram criados.
Não basta o Pensamento original mas há que se ter a ação original.
A primeira coisa é querer, isto tem a ver com a liberdade no Ser de escolher o que quer manifestar e isto obviamente manifesta-se primeiro pelo pensamento e a seguir através das palavras.
As palavras dão forma sonora ao que pensamos.
Algumas pessoas bem sensitivas captam os pensamentos uma das outras mas geralmente a forma de comunicação, de sabermos o que alguém realmente pensa sobre isto ou aquilo é esta pessoa falando.
Sem a fala, sem o som, sem as palavras não há comunicação e não há manifestação.
O som é comparado ao Espírito Santo, mas a Palavra é comparada ao Logos e o Logos ao Pensamento e o Pensamento à Consciência, ao Eu Sou...
As palavras portanto são a expressão verbal do pensamento como este é da consciência e aqui eu já me decidi por qual corrente optar ou seja; para mim a consciência vem antes do pensamento, este seria portanto uma prova do consciente, do Eu sou e as palavras uma prova do pensar deste Eu Sou e o som uma prova da manifestação das palavras.
E aqui podemos então falar de Poder.
O Poder do Eu Sou, o Poder do Pensamento, o Poder da Palavra.
Neste caso o som que cria e recria, o Espírito divino que paira sobre as águas primais com suas asas abertas e o único som ouvido vem através de um único e sagrado bater de suas asas míticas criando naquele instante o som que cria todas as coisas.
Estamos portanto falando de poder, de manifestação poderosa da vida em e além de nós.
O Poder nunca foi e nem é algo maligno, inebriante, é legitimamente um dos maiores atributos da divindade em e além de nós. Exercer o poder atuante, divino em nós e além de nós é nosso DIREITO nato e nosso DEVER sagrado como entidades conscientes, pensantes, que se comunicam e que atuam no mundo. Entretanto como somos muitos ou seja; múltiplas individualidade de uma única manifestação original de vida devemos exercê-lo com liberdade e responsabilidade compreendendo as implicações do egoísmo ao usá-lo.


O

Ovo...Obra...Observador/Observação...

Dizem que de um ovo energético original tudo veio a ser.
A ciência hoje fala da pequena bola de energia original que explodiu dando origem a tudo e todos.
A mitologia contudo SEMPRE falou deste ovo original, deste ponto focal de energia de onde vieram todas as coisas. Deste ponto comum onde tudo surgiu. O ovo original, da Mãe original que nada mais é que o imenso espaço sem forma, sem cor e sem  luz. no seu ventre, dentro de si surge o Ovo cósmico radiante e brilhante, o Filho da Mãe e do Pai misteriosos ocultos nas densas trevas primordiais, sem forma e sem manifestação expressa.
Após o explodir da vida através do ovo original vem a Obra. a criação de tudo e todos de forma tão inteligentemente feita que é impossível não especularmos se houve um projeto por trás de tudo isto ou pelo menos uma mente tão tremendamente complexa e infinita que tudo manifestou já como uma obra perfeitamente sincrônica.
A Grande Obra e o Grande Arquiteto do Universo são epítetos que atestam estas crença de que algo, ou alguém há por trás de toda a manifestação de vida que é sua Consciência, seu Pensamento, sua Palavra, seu Som ou seu Poder criativo original, seu Ovo primordial de onde brota para criar tudo e todos.
Neste sentido seria o grande Observador original que Observa as energias universais e neste ato exerce sua influência criando todas as coisas. Algo bem quântico eu diria.
O grande Observador é o protótipo e a origem de todas as formas de observação advindas depois. De todas as entidades que tem ciência de si e criam coisas.


E

Energia...Elemental/Elemento...Elevação...

A  Energia original se divide em diversos e inumeráveis ramos ou espectros de si mesma enchendo o espaço outrora vazio com cores, coisas brilhantes e materiais gradativamente mais densas que vão formando corpos e mais corpos. Primeiros de pura luz e depois da mais grossa materialidade.
Primeiro surge o Elemental, a entidade que esta no centro da formatação das coisas. Na espiritualidade entendemos este como um ser auto consciente que age e interage no seu meio criativo com as energias divinas ali presentes dando forma e vida a mundos constituídos dos Elementos que se manifestam desde os mais básicos e invisíveis aos olhos humanos até aos mais densos.
Talvez os mais famosos elementais sejam os anjos e todas as gradações entre eles.
Não sabemos se podemos chamar todas as hierarquias genericamente de anjos ou se estes sejam apenas uma hierarquias em meio a infindáveis hierarquias. O certo ou o crido é que estejamos em um mundo onde por traz de cada elemento constitutivo da natureza esteja um elemental que o anima.
Neste processo o humano contata estas hierarquias e mais que isto, a própria Fonte através da Elevação.
Elevar-se não é alçar-se aos céus mas penetrar na onda de energia do Ser contatado.
Não existe um em cima e um embaixo neste processo mas um adentrar, um aprofundar-se no mundo em questão e ali contatar o Ser que reina naquela esfera.
E o maior grau de elevação é quando sentimos Deus em nós e nos permitimos a partir de então vivermos em seu mundo, em sua esfera de ação direta.


S

Som...Sentidos...Sentimentos...

Como disse, o som é o que propaga a palavra e a torna audível.
Através do som ouvimos, percebemos o que esta sendo dito, o que esta sendo feito, o que esta acontecendo ao nosso redor.
Descobrimos através do som se estamos ouvindo o bater de um martelo, o serrar de uma serralheria, o voar de um pássaro, o latir de um cão, o barulho do mar, o andar de uma pessoa, um coração batendo descompassado, enfim, percebemos o mundo como notas musicais.
O som nos fala da música das esferas que podem soar dissonante para quem não tem 'olhos para ver e ouvidos para ouvir' mas todo este 'barulho' em torno de nós transmite som, podemos claro, desqualificar o som mas não torná-lo um não som. Quando em meditação dizemos que cessamos com todo o som, com todo o pensamento mas na verdade estamos isto sim penetrando no mais puro e perfeito dos sons...O SOM ORIGINAL... perceptível apenas quando os sons periféricos deixam de serem ouvidos ou percebidos.
Neste ponto podemos falar dos Sentidos, daquilo que sente a vida, o mundo em si e ao redor de si. Daquilo que nos atesta vivos e atuantes neste viver. Daquilo que nos faz perceptivos em nossos mundos de ação.
No ato da meditação é dito também que deixamos os sentidos de lado. Bem, isto em termos. Deixamos os sentidos EXTERNOS de lado. O que fica é o maior de todos os sensos de sentido...O SER...neste ponto deixamos de ser absolutamente todas as coisas reativas e nos percebemos na única coisa ATIVA...no EU SOU...alguns entendem que podemos ir além disto e penetrarmos no NÃO SER naquilo que seria o ventre negro original anterior à luz do ovo primordial que explode em vida. Bem, não pactuo deste pensamento. Para mim o grande propósito do Não Ser é Ser e portanto cada um de nós fagulhas deste Ser original se plenificam neste Ser deixando de ser os efeitos e passando a Ser a pura causa.
E aqui falamos dos Sentimentos. O Sentir, o senso de Ser, de estar, de permanecer, de ficar. O sentimento que evoca em nós o divino morante e presente que tudo forma e cria.
Os sentimentos só são descontrolados quando vistos, olhados, percebidos e vivenciados de forma periférica. Quando sentimos com o Coração Interior tudo muda de figura e passamos a vivenciar O Amor divino em sua plenitude e completitude.
Assim Ser, sentimentos, sensações e sentidos passam a cooperar como se um fosse extensão do outro, para o bem nosso e do mundo ao nosso redor.


I

Inteligência...Integridade...Indivíduo...

A Inteligência original é outro designativo para o Ser de onde tudo proveio. Define a mesma sua função básica como criador e formatador de todas as formas de vida.
A inteligência original portanto é uma consequência do Pensador e do Pensamento original que ordena todas as formas de vida a partir de si mesma.
Nisto esta sua Integridade.
Ela é plena em si mesma, perfeita, completa, integral, sagrada.
Nós manifestações desta Inteligência original só seremos íntegros quando nos entendermos UNOS com ela. Não antes disto. Toda e qualquer integralidade humana advém de duas coisas: reconhecer sua humanidade ou seja; sua participação neste mundo de limitações e materialidade e sua divindade intrínseca ou aquilo que verdadeiramente o anima. A integridade de Deus portanto é ser o SER pleno de onde tudo provém. A nossa é nos identificarmos no ser interior com este SER pleno que é Deus e manifestarmos através de nossa humanidade esta relação sagrada.
Nisto esta a individualidade...o processo de individualização dos muitos em diferenciados que se unificam na essência...Cada entidade pensante do universo ou melhor consciente é em maior ou menor grau um ente individual, mesmo os animais ditos inferiores tem personalidades diferenciadas ainda que pertencentes a uma resposta que entendemos única de expressão de vida. Quem tem animais de estimação sabe disto. Sabe que cada um dos cães ou gatos que tiveram no correr dos anos apesar das enormes semelhanças no geral, como espécie, tinham contudo cada um certos tiques, certas coisas que mostravam que tinham personalidades diversificadas nesta aparente unidade de gênero. Quanto mais consciente é um ser mais individual ele se torna entretanto o grande plano é fantástico!
 É que quanto mais nos tornamos individuais nos percebamos unitivos com todas as coisas e a partir dai partir para uma manifestação unitiva CONSCIENTE com todas as formas de vida. Assim como Deus o faz: DOANDO-SE LIBERALMENTE A QUE QUISER...
ISTO É A VERDADEIRA IMAGO DEI EM AÇÃO.


A

Amor...Ação...Atividade...

O amor é dito essência de Deus.
É Deus em ação.
Tudo o que existe seria na verdade um grande, um imenso êxtase de prazer, de amor, da misteriosa divindade antes de tudo existir. Divindade seria uma forma de se referir ao que não podemos de fato nomear.
O ovo primordial, a pequena bola de luz é o resultado deste grande êxtase, O Filho e sua expansão energética... sua irmã gêmea, a Filha.
O amor portanto é o centro da manifestação divina e o centro da manifestação de todas as formas de vida.
No amor esta não o estático mas a verdadeira Ação.
Amor sem ação é como comida sem tempero.
O amor verdadeiro se manifesta mesmo na aparente inércia. Ele é sentido, visto, de uma forma absolutamente interiores.
A ação quando motivada no e do amor  traz em si o potencial para gerar vidas, para construir mundos, para elevar almas.
Dai que nossas Atividades no mundo se tornam sagradas.
Atividades é o incessante agir, é a ação tomando diversas nuances e facetas.
Agimos porque estamos vivos, e mais; agimos consciente ou inconscientemente dependendo do grau de nossa evolução e de nosso contato interior com o divino e a ciência plena em nós.
As atividades portanto definem o grau de conhecimento que temos do que move todas as coisas e o quanto esta ação é importante para que a vida siga seu curso tanto evolutivo quanto interativo, pois esta diversidade toda de sentir e de agir devem no fim cooperar para que o que nos une seja sobreposto ao que nos separa.
ISTO É AMOR EM AÇÃO!

POESIA...

Nesta palavra pudemos viajar por toda a manifestação de vida até aquele centro onde o Todo e Tudo tem sua origem e sua expressão de Ser.

OM NAMAH SHIVAYA

Valter Taliesin


VÍDEOS SAGRADOS

DONOVAN - COLORS

JONI MITCHELL - BLUE

BOB DYLAN - BLOWING IN THE WIND

JOAN BAEZ - DIAMONDS AND RUST

THE DOORS - THE END

RENAISSANCE - CARPET OF THE SUN

FONTE YOUTUBE




FONTE DE IMAGENS GOOGLE

Nenhum comentário:

Postar um comentário