Google+ Badge

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

LILITH/ADÃO & EVA...O mistério do masculino/feminino do Jardim Secreto...


Nesta série de textos sobre estes mistérios de nossas origens, as quais analisamos através  do mito bíblico do Jardim do Éden percebemos dois pontos interessantes que devem ser considerados sobre os principais protagonistas de nossa História:

EXISTEM DOIS RELATOS DA CRIAÇÃO DO CASAL PRIMORDIAL NO GÊNESIS...


I.O relato original
E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.
E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.
¶ E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento.
E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento; e assim foi.


Gênesis 1:26-30

II. O segundo relato
E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.
Havendo, pois, o Senhor Deus formado da terra todo o animal do campo, e toda a ave dos céus, os trouxe a Adão, para este ver como lhes chamaria; e tudo o que Adão chamou a toda a alma vivente, isso foi o seu nome.
E Adão pôs os nomes a todo o gado, e às aves dos céus, e a todo o animal do campo; mas para o homem não se achava ajudadora idônea.
¶ Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar;
E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão.
E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada.
Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.
E ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se envergonhavam.


Gênesis 2:18-25

Percebam as diferenças gritantes em ambos os relatos...

1. No primeiro homem em mulher são criados ao mesmo tempo, no segundo Adão é criado primeiro e somente ele recebe a ordem de não comer da árvore do conhecimento do bem e do mal, só depois Eva é retirada de sua costela.

2. No primeiro o texto diz: MACHO E FÊMEA, HOMEM E MULHER OS CRIOU no segundo É CRIADO O MACHO e depois a FÊMEA é retirada dele.

3.No primeiro o homem e a mulher são feitos como imagem e semelhança de Deus o que infere-se que a palavra FAÇAMOS pode estar associada ao divino masculino e feminino em Deus e não à trindade cristã(completamente masculina diga-se de passagem pois até o Espírito Santo é tratado como ELE) como creem os fundamentalistas ou a uma miríades de deuses e deusas criadores como creem os politeístas pois logo após ao FAÇAMOS À NOSSA IMAGEM, CONFORME NOSSA SEMELHANÇA apareceu justamente a descrição desta criação como MACHO E FÊMEA. 

Os fundamentalistas preferem associar esta imagem e semelhança ao domínio do homem sobre a natureza mas a repetição do contexto, imagem e semelhança no mesmo verso infere exclusivamente sobre o fato de homem e mulher serem criados conjuntos como imagem divina. Já no segundo relato nada se fala de imagem divina, o homem é meramente um produto da terra, um boneco animado e depois de criado um ser que se mostra aparentemente solitário e sem parceira sexual...dai advém um sono e neste Deus separa ou tira dele uma mulher.

4. O primeiro texto foca na capacidade sexual de reprodução dos humanos desde sempre ou seja; o sexo não surge com queda nenhuma mas como UMA BENÇÃO divina sobre o humano original. O segundo também enfoca o conteúdo sexual quando enfoca a palavra IDÔNEA ou seja; COMPATÍVEL sexualmente para com ele procriar e com ele interagir, portanto novamente vemos que o conteúdo sexual nada tem a ver com a queda.

5. No primeiro o homem e a mulher recebem senhorio sobre toda a terra e seres da terra como administradores da criação divina. No segundo somente o homem recebe este senhorio, ele dá nome a todos os animais e somente depois Deus percebe que ele precisa de alguém que o ajude. Portanto a princípio parece que a preocupação divina é com a solidão do homem em administrar o jardim e nem tanto com o lado afetivo. Isto só se revela no decorrer do relato.

6. Homem e Mulher no relato original, junto com os animais eram todos vegetarianos, não havia outro alimento que não vegetais no Éden. O segundo texto prefere enfocar que os humanos estavam nus e não se envergonhavam ou seja; a questão sexual era algo natural, tão natural que não havia cobiça e muito menos pudor. Mais uma prova de que não é o sexo o resultado da queda.

Nesta breve análise dos dois textos podemos entender coisas diversas.

1. O HOMEM PODE TER SIDO HERMAFRODITA ORIGINALMENTE E UM RELATO COMPLEMENTA O OUTRO OU SEJA, O PRIMEIRO FALA DE UM SER HERMAFRODITA, MACHO E FÊMEA E O SEGUNDO DESCREVE COMO SE DEU A SEPARAÇÃO DO SEXOS.

2. O PRIMEIRO É UM RELATO DA CRIAÇÃO E O SEGUNDO OUTRO. O PRIMEIRO UM RELATO MAIS DIGAMOS, DEMOCRÁTICO ONDE HOMEM E MULHER SÃO CRIADOS EM PARIDADE DE CONDIÇÕES E O SEGUNDO UM RELATO MAIS PATRIARCAL, ONDE A MULHER É A AJUDADORA, VEIO DEPOIS DO HOMEM, POR UMA NECESSIDADE DE COMPANHIA DESTE.

Estas diferenças fez com que ao longo dos séculos os estudiosos se debruçassem em cima destes textos(geralmente tendo-os como literais) e estas nítidas diferenças eram sempre explicadas como complementares até que a a alta crítica bíblica na virada do século 19 aventou a hipótese de na verdade estarmos diante  de dois relatos diversos da criação do homem: o eloísta, o primeiro e o javista o segundo.

Já entre a comunidade judaica estas disparidades foram conciliadas com o mito de LILITH.

Nesta versão os dois relatos da criação são conciliados introduzindo uma primeira mulher para Adão...LILITH...criados em paridade de igualdade ambos usufruíam do paraíso quando um querela sobre A POSIÇÃO no ato sexual fez com que o casal se desentendesse e Lilith abandonasse o marido. Ela queria que houvesse revezamento sobre quem ficava por cima na hora H...parece algo tolo, mas o que temos aqui na forma de mito é uma descrição do embate entre matriarcalismo e patriarcalismo. Lilith é a grande Mãe Negra dos mitos posteriores, a Mãe Original, a senhora absoluta das religiões ligadas ao matriarcado, enquanto Adão é o grande patrono do patriarcado, o Pai original. Com a separação do casal original Deus então teria criado uma outra mulher, agora do corpo de Adão para que esta lhe fosse submissa. 

Lilith no mito como simbolo do matriarcado, grande rival do patriarcado cuja religião judaica encampava com afinco se tornou neste num grande ser demoníaco, um súcubo(a relação teria portanto sido através dos sonos de Adão), rainha da noite e dos seres elementais, os quais teria tido neste conluio ilícito que teve com Adão já como demônio, e dos mais insistentes, o mito de que ela teria sido o primeiro vampiro, mãe de todos os demais...

Por fim um outro mito termina dizendo que ao assumir para si a figura da grande Mãe original dos elementais e dos seres da noite, inimiga do patriarcalismo ela se torna consorte de LÚCIFER o grande querubim rebelde, rejeitando de vez seu antigo marido por outro mais atinente com seu temperamento, hoje reinando como rainha suprema dos infernos.

Neste contexto a Serpente do paraíso nada mais é que...LILITH...

É obviamente uma visão patriarcalista, machista e completamente adversa de Lilith e sinceramente não é um dos meus favoritos mas pelo menos explica de alguma forma este aparente disparate entre os dois relatos bíblicos.

Para mim a figura de Lilith é mais a figura feminina no hermafrodita original. 

Naquele ser macho e fêmea, criado à imagem divina Adão e Lilith representam o masculino e feminino nele. Com a separação dos sexos O ADAM KADMON original e andrógino se torna dois, Lilith separa-se de Adão e torna-se Eva...mas diferente da compreensão literal do mito não vejo isto como uma submissão ou subserviência da mulher mas sim uma simples explicação de como um ser hermafrodita tornou-se um ser separado em dois sexos.

Mas estamos falando de mitos e os mitos atraem para si diversas interpretações, assim quer estejamos diante de dois casais originais, de um casal original apenas com dois relatos diversos sobre sua criação, ou de um ser hermafrodita que se torna em dois o fato é que este é um dos mais fascinantes mitos criativos que temos, uma adaptação inclusive, de tradições ainda mais antigas, sumérias e os elementos: simbólico, metafórico, figurado, analógico e espiritual são muito mais importantes e salutares do que qualquer necessidade de que o mesmo seja literal. aliás a literalidade aqui mais desmerece que merece o mito.

Adão e Eva e porque não? Lilith, como pais da humanidade ou de todas as raças diversas dos humanos mas tão pensantes quanto estes, quer diabólicos ou não são registros da busca humana por compreensão de onde viemos, para onde vamos, o que somos, porque somos e finalmente...o que faremos com tudo isto.



Uma busca que não cessa nunca e são por fim uma realidade interna de cada ser humano.

Mesmo separados em sexo diverso o homem tem em si a energia feminina e a mulher tem em si a energia masculina e a própria atração que sentimos por certas pessoas explica em nós qual a energia mais preponderante.

Aparentemente em um homem deveria vigorar mais o elemento masculino que o feminino e na mulher o oposto mas analisando a história humana vemos que isto não é regra. Existem exceções e estas são cada vez mais gritantes e salutares.

E nem falo aqui de homossexualismo, falo de homens que demonstram ter uma energia intuitiva por exemplo, bem mais aflorada que mulheres e de mulheres com um lado racional bem mais potente que o de homens. Ou seja; certas qualidades internas mais atinentes a um dos sexos parece fortemente vivo em certas pessoas que são do sexo oposto.

Penso comigo que a visão divina é que um dia estas qualidades internas atinjam um equilíbrio tanto no homem quanto na mulher...que tanto um quanto o outro tenham acesso ilimitado tanto as qualidades de um quanto de outro.

Ai teremos uma unificação interna dos sexos bem diferentes do hermafrodita original que era mais sexualizado externamente ou seja; seu hermafroditismo era visível, externo, sua androginia era algo mais palpável. Teremos uma unificação espiritual desta energias em nós e verdadeiramente seremos como nosso Pai/Mãe dos céus.

Assim cumprir-se á o que disse o Cristo: 

'NO CÉU NÃO SE CASA NEM SE DÁ EM CASAMENTO MAS TODOS SERÃO COMO OS ANJOS'.

NÃO SIGNIFICA A MEU VER QUE NÃO HAVERÁ UNIÕES ENTRE PARES NOS CÉUS, SIGNIFICA QUE TÃO SOMENTE O COMPROMISSO DO CASAMENTO, DO PAPEL PASSADO, DO SENHORIO DO MARIDO SOBRE A MULHER NÃO EXISTIRÁ E QUE TANTO DENTRO DE NÓS QUANTO FORA, SEREMOS PLENAMENTE ENERGIAS DIVINAS INDIFERENCIADAS COMO TEREMOS UNIÕES INDIFERENCIADAS COM ALMAS SINTÔNICAS À NÓS E NÃO COMPROMISSADAS CONOSCO.

Enfim, estamos diante do mistério sagrado do divino em nós morante, e este como Deus e como Deusa.

Om Shanti Shanti Shanti

Valter Taliesin

VÍDEOS SAGRADOS

SARAH BRIGHTMAN - EDEN

FAUN - SATYROS

PHIL THORNTON - LOTUS DANCE

PAUL HORN - RAGA KERWANI

LAURA ALLAN -  WATERFALL

CARLOS NAKAI - SANCTUARY

FONTE YOUTUBE





FONTE DE IMAGENS GOOGLE

Nenhum comentário:

Postar um comentário