Google+ Badge

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

OS 7 ELEMENTOS MÍTICOS NA MAIOR DAS HISTÓRIAS DO MITO CRÍSTICO...




Anjos proclamam!!!

Pastores reverenciam!!!

Magos exaltam!!!

3 Elementos míticos costumeiros em outras hipóstases divinas, de outros grandes avatares, aparecem nas cenas do presépio!

Ah! Mas não nos esqueçamos de mais duas!

Animais!!!

E claro!

A SAGRADA FAMÍLIA!!!

O elemento essencial de toda esta trama!

JESUS...MARIA...JOSÉ...

No alto de toda esta cena mítica um símbolo Daquele que nasce!

A Estrela de Belém!

Embaixo como um útero que ao mesmo tempo recebe e expõe ao mundo o Ente!

Uma Gruta, uma caverna, uma estrebaria nas cercanias de Belém!

7 elementos então temos ao todo!


I. OS ANJOS...

Com seu canto glorioso entidades multidimensionais anunciam a estupefatos pastores que a grande entidade sagrada esperada a gerações por sua nação nasceu em Belém, a cidade natal da mais famosa dinastia da História. Aquele que se tornará na coroa e na síntese de toda esta dinastia e mais atrás naquele que se torna na realização da promessa de SEMENTE DA MULHER...um elemento mítico arcaico que cada religião do mundo expressará com um nome diferente: RAMA, OSÍRIS, KRISHNA, HÓRUS, MITRA, DIONISO, QUETZALCOATL, HÉRACLES, TAMMUZ, BALDER, VIRACOCHA...

Todos nascentes daquele mito original A SEMENTE DA MULHER!!!

Muitos entendem, e interpretam tal entidade como uma SEQUÊNCIA de entidades avatáricas que culminam agora NESTA, suprema e definitiva para o contexto de resgate humano pois a próxima O AVATAR DE SÍNTESE já será o avatar coletivo da humanidade redimida!

Se analisarmos bem o texto de Miqueias bíblico mais o texto ancestral que por eras deve ter passado de geração em geração em todas as religiões dão margem a tal interpretação:

E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

Gênesis 3:15-16


E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.

Miquéias 5:2-3


A inimizade perene entre as duas sementes, os trevosos Ravanas, Herodes, Seths, etc...contra a semente da mulher parece ter passado de geração em geração, por todas as linhagens humanas, em todas as nações e povos...

A Entidade, como é dito em Miqueias vem desde as eras da eternidade passada, um elemento mítico, crístico, encarnando na matéria perenemente, salvando-a, curando-a como uma série de avatares cíclicos, das chagas da Queda até culminar no último ato do drama...

JESUS DE NAZARÉ...ou CRISTO...FILHO DO HOMEM...FILHO DE DEUS...títulos nobiliárquicos que mostram a junção de humano e divino nesta manifestação sagrada.

Nas palavras do canto dos anjos um pouco mais do mistério desta entidade ou destas entidades encarnantes desde a aurora dos tempos, nascidas do centro do Eterno para curar o mundo que tragicamente se afasta deste centro por alienação auto imposta ...SAÍDAS sagradas que em cada era toma um nome diferente:

E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.
E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:
Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.
E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.
E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo:
Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.

Lucas 2:9-14


CRISTO O SENHOR...

CRISTO...KRISHNA...YESEUS...MITRA...OSÍRIS...DIONISO...QUETZALCOATL...

Toda uma sequência de saídas do centro do mistério do eterno e entradas no centro do drama humano se completam finalmente nesta pequena figura deitada em um pequena manjedoura, elemento usado para alimentar animais...coberta de palha...uma cena tocante com certeza...quem criou tal cenário é um mestre supremo da escrita e das emoções humanas...ou seria um cenário realmente veraz e real?

Mesmo aqueles que se revoltam contra ela o fazem porque em algum momento de suas vidas as tristezas e dores deste mundo tiraram-lhe toda a MAGIA deste momento. Perderam o senso do místico, do mito,  e olhando em torno de si, da crueza dos dias e da vida, criaram um sentimento de aversão crescente à tanta singeleza, simplicidade e paz cósmica. Claro, para isto muito cooperou a religião ou religiões que se criaram em torno e a partir deste mito, pois a ampla maioria se tornou excrecências e não manifestações do poder simples e sublime da manjedoura e do Ente nela.


II. OS PASTORES...

Deitados talvez na relva, ainda no princípio do outono(se tomarmos as conclusões de Kepler sobre a estrela e de Werner Keller em a Bíblia tinha razão... a data de 3 de Outubro, Yom Kippur naquele ano 7 AC é a grande data para este nascimento) uma temperatura amena circunda-lhes.

Nada indica que será uma noite diferente das demais.

Uns dormem , outros conversam, uma boa fogueira os anima pois não há calor excessivo e um bom fogo sempre é bom nestas ocasiões.

Em volta pastam os rebanhos...seriam ovelhas provavelmente, outro elemento mítico que além dos próprios pastores iriam fazer parte da História Daquele que acabava de nascer...ELE O PASTOR, O SUPREMO PASTOR DOS REBANHOS DAS OVELHAS DO DIVINO...

De repente os céus se abrem, o eterno derrama uma fagulha de si mesmo no espaço/tempo e eles veem um anjo, uma augusta figura que lhes fala de novas que no entanto são tremendamente antigas...de uma Saída e de uma Entrada que se repete a tanto, mas tanto tempo, que se tornou mais lenda que realidade na mente de muitos...

O PROMETIDO NASCEU MAIS UMA VEZ!

E desta vez o drama encontrará um ponto de decisão, de mutação suprema que preparará o mundo para o grande avatar coletivo que virá futuramente...um avatar nascido de toda esta sequência de saídas e entradas no contexto divino/humano do elemento crístico até o ponto síntese em que se encontram os pastores agora. O momento onde o grande avatar despertará de vez no elemento humano de pessoas como eles, pastores, que simbolizam o crístico ponto de luz que no futuro desencadeará na grande civilização iluminada que será conhecida como: O AVATAR DE SÍNTESE... pois será definitivamente a união de toda a humanidade redimida com o divino em si mesma.

¶ Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.

Lucas 2:8-9


E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos fez saber.
E foram apressadamente, e acharam Maria, e José, e o menino deitado na manjedoura.
E, vendo-o, divulgaram a palavra que acerca do menino lhes fora dita;
E todos os que a ouviram se maravilharam do que os pastores lhes diziam.
Mas Maria guardava todas estas coisas, conferindo-as em seu coração.
E voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes havia sido dito.

Lucas 2:15-20


Os primeiros pastores, os primeiros anunciantes, os primeiros mensageiros humanos da Grande e Magna Presença do Cristo Cósmico na figura e encarnação de uma criança, de um homem como todos nós.

Naquele momento os pastores das montanhas de Belém se tornam no símbolo máximo de todos os pastores que virão, de todos os líderes espirituais, de todos os mensageiros do sagrado futuros. Claro, muitos deles INDIGNOS do nome, do título que ostentam....mas não sejamos injustos; MUITOS passaram no crivo e no teste e se tornaram grandes disseminadores da luz no mundo!


III. OS MAGOS...

3!!!

Este é o número síntese encontrado para estas figuras enigmáticas...alguns pensam haver muito mais e que o 3 é uma arbitrariedade para que o mito ganhe mais conotação emblemática, para que o mito contenha em si mais poder de sintetizar o sagrado. Neste 3 muitos veem um símbolo, uma figura da própria manifestação trina do divino...Pai...Mãe...Filho...assim como a própria família que eles visitam transmitem o mesmo mistério.

E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém,
Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo.
E o rei Herodes, ouvindo isto, perturbou-se, e toda Jerusalém com ele.
E, congregados todos os príncipes dos sacerdotes, e os escribas do povo, perguntou-lhes onde havia de nascer o Cristo.
E eles lhe disseram: Em Belém de Judéia; porque assim está escrito pelo profeta:
E tu, Belém, terra de Judá,De modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá;porque de ti sairá o Guia que há de apascentar o meu povo Israel.
Então Herodes, chamando secretamente os magos, inquiriu exatamente deles acerca do tempo em que a estrela lhes aparecera.
E, enviando-os a Belém, disse: Ide, e perguntai diligentemente pelo menino e, quando o achardes, participai-mo, para que também eu vá e o adore.
¶ E, tendo eles ouvido o rei, partiram; e eis que a estrela, que tinham visto no oriente, ia adiante deles, até que, chegando, se deteve sobre o lugar onde estava o menino.
E, vendo eles a estrela, regoziram-se muito com grande alegria.
E, entrando na casa, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra.
E, sendo por divina revelação avisados num sonho para que não voltassem para junto de Herodes, partiram para a sua terra por outro caminho.

Mateus 2:1-12


Vieram do oriente... alguns interpretam aqui que vieram muito além do oriente que a mais antiga tradição imagina...pensam no contexto budista, do reconhecimento da encarnação de um Buda quando nasce, de um Dalai Lama, feito por aqueles que sabem discernir os sinais do nascimento de tais entidades...assim imaginam que vieram da Índia, ou da China ou mais especificamente do Tibete...

Mas a tradição antiga não vai tão longe e as 3 enigmáticas figuras ganham contornos principalmente da figura de um Persa( Melquior), um Egípcio(Baltasar), e um Babilônico(Gaspar)...outros veem nas figuras pelo menos outras três nacionalidades: etíope, árabe ou um hindu...

Seja como for, fazem parte de um antigo grupo de sábios que desafiam o tempo, de uma confraria que sabe ler nas natureza, o grande livro divino por excelência... o tempo e as estações, o forjar de mitos, o nascimento de deuses, de grandes mestres, de grandes avatares e é olhando um conjunto, uma conjunção especial de estrelas que forma um brilhante sinal nos céus e sabendo pelos estudos tanto do natural quanto dos livros das tradições o que isto simboliza que eles percebem que algo estranho se manifestou no mundo, algo a tanto tempo esperado, algo que ciclicamente vem e agora esta de novo entre nós. E desta vez em sua potência máxima...

O CRISTO CÓSMICO!

Segundo Kepler em torno do ano 7 AC por 3 vezes o planeta JÚPITER simbolo da realeza e o planeta SATURNO simbolo do povo hebreu estiveram conjuntos em Peixes...29 de maio, 3 de outubro e 4 de dezembro...

Os magos no Oriente viram o primeiro evento, perceberam o que estava acontecendo mas devem ter entendido por alguma forma que ainda não era o nascimento em si, mas um sinal dele então não se moveram, mas quando viram o sinal no dia 3 e sabendo que aquele era o dia do SABHATT SUPREMO dos hebreus, o Yom Kippur naquele ano, entenderam que o mistério tinha se realizado na terra, então se puseram a caminho chegando 2 meses depois, quando uma nova conjunção lhes indicou precisamente o local para onde deveriam ir. Nesta ocasião não estava mais a criança em uma manjedoura, portanto o encontro de magos e pastores em adoração ao infante é uma junção posterior no mito.

Vejam:

E, entrando na casa, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra.

Mateus 2:11


Foi em uma casa, não em uma gruta, em um estabulo, muito menos em uma manjedoura que encontraram a criança, que deveria ter então uns 2 meses de idade...ali entregaram seus presentes. Cada um dos quais emblemáticos de uma verdade sobre a essência do ser nascente e de sua missão entre nós...

1. OURO...

Simbolo da realeza, do objetivo supremo da operação alquímica ou melhor dizendo; resultado, o simbolo máximo da transmutação e transformação pessoal e espiritual dos humanos.

2. INCENSO...

Simbolo da divindade, do elemento eterno que penetra o tempo, do elemento infinito que adentra o espaço, do elemento de multi esferas do ser que se condensa em um ponto específico cuja fragrância, sutilidade e cheiro simboliza plenamente.

3. MIRRA...

Símbolo do doloroso entre a alegria...a mirra, elemento usado futuramente no preparo do corpo morto, daquele que então estava entrando no mundo acenava para sua missão como um dos grandes avatares salvadores do mundo...entidades que se auto sacrificam em prol da humanidade, os bodhisattvas, que se auto imolam na carne para que A VIDA da humanidade se renove. No sentido pessoal TODOS nós somos nossos salvadores, sem nós, nossa decisão pessoal em SER não há salvação, mas em sentido cósmico a descida do CRISTO CÓSMICO é o fator catalizador que permite que exista o elemento de POSSIBILIDADE de mudança entre os humanos. Quando o Cristo Cósmico desce e encarna o mistério na matéria, como que por osmose todo ser ciente pode fazer o mesmo dentro de si.

A salvação portanto tem dois protagonistas...O CRISTO CÓSMICO E O CRISTO INTERNO...sem o trabalho específico de cada um deles não há salvação e NA ESSÊNCIA ambos são UM SÓ mistério.

Por ultimo vale salientar que estes magos são entendidos como pertencentes a uma confraria de sábios que teriam sua sede nas montanhas da Pérsia. Portanto o oriente de que vieram seria este. Outros já imaginam que cada um veio de sua pátria específica e se juntaram perto de Jerusalém...


IV. ANIMAIS...

Entre os animais, em uma estrebaria, deitado em uma manjedoura, envolto em panos, encontram os pastores(não os magos) o Rebento Cósmico que acabara de nascer.

Nos apócrifos é dito que as parteiras(ou parteira) quando foram ajudar no nascimento, não foi preciso pois uma luz intensa brilhou a partir do ventre materno de MARIA e progressivamente a criança se materializa fora. Naquele momento dizem, toda a natureza ao redor parou, houve como que um silencio cósmico, todos os animais quedaram-se em silencio e toda a luz que sairá dela formou-se em uma nuvem de glória em torno do local. Assim, além da conjunção planetária celeste temos em terra, refletida em torno da gruta a mesma luminescência do sagrado simbolizando o momento supremo!

A Natureza portanto além dos anjos, depois daquele momento de silencio cósmico explode em luz, em louvores pela grandiosidade do evento...

V. A SAGRADA FAMÍLIA

No centro de todo o drama estão eles!

Sem eles não haveria mistério, não haveria encarne, não haveria manifestação...

JESUS...MARIA...JOSÉ...

Sem Jesus não haveria descenso do Cristo Cósmico, não haveria encarne do Logos, não haveria a Palavra se traduzindo em corpo.

Sem Maria não haveria útero sagrado e propício...o cristianismo evangélico gosta de ver apenas uma mulher comum em Maria apesar de íntegra, o catolicismo a enaltece mas quem de fato vê o óbvio?

Para que o Deus nascesse, como em todos os grandes mitos nascentes da Verdade única, a Deusa tem que lhe dar a luz...Maria é, assim como o Cristo do Logos, a encarnação de Sophia, da Sabedoria, a face feminina do sagrado(no mito ela encarna a figura da Sabedoria maior enquanto Madalena o da menor) que também se manifesta na Terra, a Glória, a Shekinah divina que desce em forma de Pomba, envolve o ventre de Maria a mulher íntegra, na luz do sagrado divino feminino pois somente em um ventre ungido assim pode o Cristo Cósmico vir à Terra.

Sem José não haveria absolutamente nada...seja ele o pai natural ou não de Jesus, seja ele mero hospedeiro e guardião, a figura dele é também essencial ao drama. Sem a figura daquele homem não haveria sagrada família, não haveria nascimento, talvez Maria até morta fosse como 'pecadora', caso realmente José nada tenha a ver com aquele fruto. Quer José seja o pai natural, quer entidades de outra esfera do Ser tenham feito nela uma inseminação artificial, quer algum ente divino em forma hipostática tenha gerado nela aquela criança como faziam os deuses dos mitos pagãos, ou quer realmente estejamos diante de um nascimento supra natural e sem nenhuma conotação que envolva sêmen seja este humano ou extra humano, o fato é que José é essencial no mito.

No futuro muitos reconhecerão nele uma figura de alta estirpe hierárquica tanto quanto Maria e o ente que dela nasce. Um ser de envergadura para o momento máximo do drama cósmico.

E, tendo eles se retirado, eis que o anjo do Senhor apareceu a José num sonho, dizendo: Levanta-te, e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga; porque Herodes há de procurar o menino para o matar.
E, levantando-se ele, tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito.
E esteve lá, até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor pelo profeta, que diz: Do Egito chamei o meu Filho.

Mateus 2:13-15


VI. A ESTRELA DE BELÉM...

Como vimos, segundo Kepler e outros estudiosos que estudaram o fenômeno, em torno do ano 7 AC os planetas Júpiter e Saturno se conjugam plenamente por 3 vezes no signo de Peixes...29 de Maio...3 de Outubro e 4 de Dezembro!

Vimos que Júpiter no mundo antigo ou Zeus, era o símbolo máximo da realeza divina!

Enquanto o Sol simbolizava a própria divindade, Júpiter simbolizava o Rei Supremo, o Rei perfeito, como que uma hipóstase do Sol...Brihaspati é o guru perfeito, o rei perfeito no mito, era o elemento Júpiter na mitologia hindu.

Saturno era não só o símbolo da nação hebraica mas do próprio YHVH e mais, Saturno é o longo rio do tempo, o tempo que simboliza o encarne, a manifestação da entidade divina no espaço, também era uma lembrança da idade de ouro, do momento mágico e magistral do mundo eterno, quando não havia queda e não havia espaço definido, nem o próprio tempo em si. Em outras palavras, ele simboliza o tempo mas em essência é um elemento atemporal...contém em si o germe da eternidade.

Outros já veem na 'mobilidade' da estrela algum outro tipo de coisa....Dai surgiram ideias de que a mesma fosse um anjo, um ovni, um cometa etc...

Não acho que haja dificuldade em ver-se uma conjunção de eventos num simbolo único.

Podemos ter tido em contexto cósmico um sinal digamos, maior desta estrela na conjunção dos dois planetas, entretanto cá na Terra, mais especificamente sobre a gruta brilharam os anjos, brilhou a luz do momento do evento e depois, quando os magos buscam a direção, nada impede que algo ou alguma coisa os tenha dirigido até lá. Talvez a estrela de Belém seja isto, uma sucessão de sinais, de eventos brilhantes, tanto cósmicos quanto terrestres que culminaram num símbolo mágico de um momento mágico e divino único.

E, tendo eles ouvido o rei, partiram; e eis que a estrela, que tinham visto no oriente, ia adiante deles, até que, chegando, se deteve sobre o lugar onde estava o menino.

Mateus 2:9


Mas aqui diz que a MESMA estrela que viram no Oriente ia adiante deles, portanto aferimos que quando viram a conjunção no dia 3 e tiveram absoluta certeza do nascimento da criança... partiram e chegaram em torno da terceira e última conjunção, a do dia 4...ai é dito que esta mesma estrela ia adiante dele, como que se, se movesse, e quando chegou até a casa pairou ou parou sobre ela.

Das 3 uma...

1. O mover e o pairar são figuras de linguagem textual que querem demonstrar que eles não perderam um instante seu foco de visão da estelar conjunção...

2. Que de alguma forma que não entendemos a conjunção pairava com mais força sobre aquele lugar específico da Terra e que ao mover-se ou seja ao moverem-se os magos a mesma parecia se mover.

3. Um outro elemento luminoso além da conjunção aparece no mito guiando os magos..este elemento contata-os tanto lá em sua terra, quanto guia-os na terra de Israel até a casa do menino.

Hoje no cume das árvores natalinas ela é um elemento de destaque no símbolo que une eras e eras de tradições religiosas sincretizadas agora na figura de Jesus Cristo.

VII. A GRUTA EM BELÉM...

Mais que a casa, o elemento mítico de lugar mais poderoso é... A GRUTA EM BELÉM..

Como Messias da estirpe de Davi o nascimento em Belém era essencial, era vital...alguns até acham que nem lá o Cristo nasceu mas é posto no mito como tendo nascido lá porque esta era a visão da tradição.

Outros entendem que de fato lá ele nasceu e da forma como é relatado ou seja; um casal cujas raízes estavam ali, voltam por meio de um ato ou decreto governamental para se recadastrarem. Isto obviamente não seria incomum, resta saber se de fato tenha acontecido naquele tempo algo assim. Segundo os estudiosos houve um mas mais à frente ou seja; interpretam que o evento posterior é refletido no nascimento de Cristo como tendo sido em seu tempo para justificar a locomoção do casal.

Por fim, há os que entendem que simplesmente Maria e José mudaram-se para Belém e pronto, e lá o Cristo nasceu e enquanto construíam sua casa moraram em uma caverna da região que antes servirá de estábulo.

Belém portanto geograficamente é essencial no mito do messias hebreu mas A GRUTA é essencial no mito do salvador universal.

A caverna ou a gruta é o simbolo do útero da própria mãe Terra...Zeus nasceu por exemplo, em uma caverna em Creta de Réia, a deusa da Terra. Maria, a face da Deusa no nosso mito dá à luz DENTRO do ventre de Réia ao novo Zeus...à nova imagem do divino encarnado.

Sem a gruta no mito não teríamos portanto o LOCAL mítico de onde surge o elemento crístico e divino. Assim o ctônico(Gruta) e o urânico(Cristo) manifestam-se unindo os deuses celestes e infernais...do céu e da terra.

ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU...

Como dirá a futura oração que o Cristo recitará e que tem origem na própria onda da revelação  Dele mesmo, nos mitos antigos de diversas religiões, como bem podemos ver no axioma hermético.

O CÉU E A TERRA SE UNEM PARA QUE O SER SEJA GERADO EM PERFEITA UNIDADE HUMANA E DIVINA, EM PERFEITA MANIFESTAÇÃO ENTRE MATÉRIA E ESPÍRITO...PARA QUE HAJA ENFIM O PONTO REAL DE MUTAÇÃO PARA UMA NOVA ERA E UMA NOVA ESTIRPE DE SERES NA EVOLUÇÃO HUMANA...QUEM ACEITA O CRISTO COMO A ENCARNAÇÃO VIVA DO CRISTO CÓSMICO ACEITA EM SIM MESMO O ELEMENTO CRÍSTICO E GERA A PARTIR DE SI MESMO ESTE NOVO HUMANO, ESTA NOVA HUMANIDADE QUE CHEGARÁ AO PONTO DE CULMINÂNCIA QUANDO A MASSA CRÍTICA DESTES ELEMENTOS ATINGIREM SEU PONTO CRÍTICO E MÁXIMO E ENTÃO UM NOVO PONTO DE MUTAÇÃO SE FARÁ, E O CRISTO CÓSMICO ENCARNARÁ EM UMA NOVA FACETA...NÃO MAIS PERSONALÍSTICA MAS COLETIVA...

O AVATAR DE SÍNTESE!!!

O ÚLTIMO E DEFINITIVO AVATAR DESTA RONDA EVOLUTIVA HUMANA, DAI, O QUE VIER DEPOIS É UM MISTÉRIO INSONDÁVEL NO OCEANO PROFUNDO DA DIVINDADE NA QUAL IREMOS ADENTRAR!

Em Amor e Em Luz Crísticos...

Valter Taliesin

FELIZ NATAL!!!


VÍDEOS  SAGRADOS


Over A Thousand People Came Together To Break a Record And Bring This Moving Christmas Hymn To Life


Loreena Mckennitt - The bells of Christmas

Josh Groban "O Holy Night"

Sarah Brightman - Pie Jesu



Veni Veni Emanuel - Gregoriano


Andrea Bocelli - Best Christmans songs - completo

Celtic Woman A Christmans celebration - completo

FONTE YOUTUBE






FONTE DE IMAGENS GOOGLE

Nenhum comentário:

Postar um comentário