Google+ Badge

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

A ESCADA DE JACÓ...Um Mito do Descenso e Ascensão das Almas e Energias Divinas Internas e Externas...




A ESCADA DE JACÓ...
 
Muitos imaginam uma escada de Jacó em linha vertical e com degraus retangulares frontais mas podemos imaginar outra coisa.
 
Podemos neste momento visualizar uma escada enorme, espiralada, que ia da terra e chegava até os céus, ou ao lugar onde ele viu  O Senhor.
 
Porque espiralada minha imagem sobre a famosa escada?
 
Porque estamos diante de uma imagem eterna...
 
Uma imagem que evoca um mergulho na matéria ao mesmo instante que uma ascensão aos céus!
 
A imagem espiralada evoca também o sentido de dimensões, como se cada onda simboliza-se um mundo do ser, uma dimensão do ser.
 
A escada vertical frontal traduz mais a imagem de algo direto e reto, de cima abaixo, sem intermediários...mas perceba que a escada de Jacó é REPLETA de intermediários, de intermediações...Por ela sobem e descem os Anjos de Deus.
 
Talvez quem sabe, ele não tenha visto miríades e miríades de criaturas angélicas mas sim, quem sabe; ele viu os 72 nomes divinos, os 72 anjos que traduzem com perfeição os atributos da manifestação divina no mundo. O fluxo do constante ir e vir destes denota claramente uma atitude intercessora, de ponte, de ligação entre o que esta embaixo e o que esta em cima e vice e versa.
 
Assim a escada espiralada mostrará com mais clareza que cada degrau é uma estação, uma dimensão espacial. cada vez mais densa no descendente ou sutil no ascendente, onde uma entidade angélica exerce domínio mas em que todas as demais também transitam passando para cima e para baixo, evocando as almas humanas para buscarem a Deus e invocando o poder do nome divino em favor destas almas humanas.
 


Jacó dormia com a cabeça descansando sobre uma pedra.
 
Suas atitudes anteriores apesar de questionáveis refletiam uma busca, uma sede, uma fome pelo sagrado que raras vezes foram vistas em personalidades humanas. A dicotomia luz e trevas nele era bem forte, mas com um grande preponderância da luz sobre as trevas...ou seja; ele tinha em si capacidade de transmutar suas trevas em luz!
 
Pelo senso de julgamento comum ele seria a pessoa menos indicada para ter a experiência que teria aquela noite.
 
Pelo julgamento humano ele era um usurpador, um enganador, um embusteiro...e de fato o era, mas somente o sagrado, o divino dentro dele podia ver além deste véu de maya. Somente o divino, o sagrado nele podiam ver ISRAEL...o príncipe de Deus...o principé que lutaria com Deus e prevaleceria...
 
Ninguém conseguia ver isto, nem mesmo o grande patriarca Isaque, nem o maior dos maiorais... Abraham, avô dele deve ter visto, no período em que ainda viveu com os netos a semente, o germe do gigante dentro dele. Somente Àquele que ele viu e enxergou naquele sonho, no topo da escada...
 
Apesar de ter comprado o direito de primogenitura do irmão com um guisado de lentilhas e ludibriado este e o pai quando Isaque resolveu dar a benção patriarcal para seu filho mais velho e querido(que era um reconhecimento paterno de que aquele filho herdava TUDO o que era dele e mais, herdava algo único; a promessa divina de ser o canal de luz crística para o mundo), mesmo assim havia algo nele que não havia no irmão. Um senso de sagrado, de fome e sede pelo mundo do espírito que faltava a Esaú. este era um típico homem secular. Sem nenhum apelo ou interesse pelas coisas espirituais.
 
Sendo assim mesmo errando Jacó era infinitamente mais certo do que seu irmão. Só não sabia esperar o tempo e o agir das hierarquias espirituais a seu favor, ou seja; era mestre em colocar o carro adiante dos bois. Entretanto, no caso da benção temos que lhe dar um desconto pois a mãe, Rebecca, teve muito mais influência nos acontecimentos do que ele.
 
Rebecca via que Esaú era um homem secular, um homem formado para ser líder de homens mas jamais de PONTE entre estes e o sagrado. Apesar do amor preferencial de ambos os pais por filhos distintos a justificativa de Rebecca para amar mais Jacó do que Esaú era muito mais lucida diante da espiritualidade que a de Isaque. Isaque amava Esaú pelos mimos que este lhe fazia, pelas bajulações...Rebecca amava mais Jacó porque via neste o que o pai não via...Assim sendo, dos humanos, o único que via o que só Deus via em Jacó, apesar de seus defeitos, de sua timidez, de sua falta de jeito com os outros, era Rebecca sua mãe.
 
Ela via naquele filho desajeitado, muito menos viril que o irmão, muito menos popular e carismático aquilo que se exigia de um grande hierarca da luz na terra.
 
A FÉ VIVA E VERDADEIRA DELE NO SAGRADO, NO DIVINO!!!
 


Fé esta que suplantava suas fraquezas e falhas...
 
Depois de conseguir da forma como conseguiu, usurpar tudo do irmão, ele partiu a conselho da mãe para as terras da família dela... da Palestina para a região que hoje é a Síria, pois Esaú se consolava dizendo a todos que esperava apenas a morte do pai para despachar atrás deste para o reino dos mortos o irmão. E foi entre estes dois mundos, num local deveras especial, que ele teve este sonho.
 
Ao acordar do sonho, maravilhado, Jacó reconhece que apesar de seus erros Deus viu o profundo de seu coração e sabe que não morrerá, que não perecerá na viagem, que sua fuga não o fará perder tudo o que de forma tão questionável obtivera, mas será protegido e guiado - fazendo aqui um adendo, este misto de ilícito e lícito na feitura dos grandes gigantes espirituais podemos ver nas histórias sobre Merlim e Arthur por exemplo, da forma questionável como foram gerados e até algumas de suas atitudes para fazerem prevalecer a visão de mundo que havia em seus corações... para construir Camelot na terra, tanto a luz das nobres atitudes, quanto o exemplo  do esterco das grandes falhas foram usados de material construtivo provando que apesar de grandes, os gigantes espirituais são perfeitos em outro sentido, que não a inerrância...claro depois o débito é cobrado, mas AINDA assim... A Obra é feita - O texto não fala de caravanas, dá a entender que ele estava absolutamente só. Pode ser que sim, pode ser que não, não sabemos; a solidão pode ser mais um recurso literário, dramático, do que foi uma realidade factual. Realmente é difícil imaginarmos naqueles tempos alguém empreendendo uma viagem daquele porte absolutamente só. Mas seja como for, ele teve este sonho e entendeu perfeitamente o significado dele.
 
Externamente ele percebeu que ali era um lugar diferente depois do sonho...ele se levanta, pega a pedra que lhe serviu de travesseiro, deixa-a ereta, como um menir, consagra-a com unção de óleo e chama aquele lugar de BETEL...ou Casa de Deus...pois ali ele viu anjos ou mensageiros divinos vindo até a Terra e indo desta até os céus.
 
Internamente ele percebe que aquela escada é uma realidade dentro dele, da manifestação divina dentro dele, que cada anjo é mais que um ser que sobe e desce uma escada mas energias divinas que lhe animam o Ser. Ele percebe  assim que ele próprio é a escada divina, que ele próprio é a descida da energia divina e a subida de suas orações, meditações e intercessões para Deus movimentando toda a engrenagem interna de dons, talentos e mistérios ocultos em si...
 
Supra naturalmente ele percebe um mundo, um universo, uma criação completamente vasta, grandiosa e acima de adjetivos onde cada anjo agora é uma face divina, uma revelação do Senhor e cada degrau um mundo de manifestação. 
 
Por qualquer leitura que se faça, quer sejam almas encarnando e desencarnando na espiral da vida estes anjos num nível mais próximo de nós o que confere com a leitura externa da escada; quer sejam estes as energias divinas, de kundalini dentro dele, indo de chakra em chakra na grande espiritual da vida interna, ou por fim; quer sejam entidades supra humanas, cada uma revelando uma face divina, um anjo, uma palavra sagrada de mundos muito além de nossa compreensão, o que ele tem diante dele é uma leitura de mistérios profundos da vida na Terra, no interior humano e dos mundos extra físicos.
 

Num simples sonho, diante de uma simples escada, ele é iniciado automaticamente num nível acima até do que seu próprio pai Isaque, que era um homem bem mais comum e simples do que ele, tanto é que lhe faltou visão para discernir quem era quem dos filhos, um homem piedoso mas muito distante da envergadura  espiritual e mística do pai, Abraham e de seu filho, Jacó. Este ao contrário, chega perto das experiências de seu avô Abraham com o sagrado.
 
De todos os 15 grande patriarcas...Abraham, Isaque, Jacó e seus filhos José e seus irmãos...Jacó alcança um grau de revelação que somente Abraham e depois José teriam do sagrado...e mais à frente figuras como Jó(possível contemporâneo dele ou de seu avô Abraham), Moisés, Josué, Samuel, Davi, Salomão, Elias, Eliseu, Jeremias, Isaías, Ezequiel, Daniel, João Batista e finalmente Jesus.
 
Ele então parte ciente e consciente de que tudo dará certo e de que a semente existente dentro dele finalmente germinou e os dias que virão serão de crescimento, de forjamento do gigante espiritual que ele deve ser(e de purgamento também das falhas que teve diga-se, nas mãos do tio Labão), e que culminará na grande iniciação dele conhecida como LUTA COM DEUS, quando de seu retorno para tomar posse do que lhe era de direito...um termo humano que define pobremente o que de fato se deu entre Jacó e o divino em si, quando sai fisicamente ferido na coxa mas completamente transmutado espiritualmente em...ISRAEL...o príncipe divino!
 
Em um nível de compreensão cabalístico a escada de Jacó e a Árvore da vida são um único e o mesmo mistério visto por simbologias diferentes. Mas na essência é uma única coisa.
 
O Senhor no topo da escada por exemplo, nada mais é do que Kether a coroa da Árvore da vida...o Um que se torna em dois e os dois que se tornam miríades. É também o chakra superior ou coronário internamente falando e externamente o mais alto dos hierarcas sobre a Terra. Ou seja. o mistério cobre tanto o mundo supra natural, quanto o interno, quanto o externo da hierarquia terrestre de luz.
 
A escada de Jacó...um mito perene de descenso e ascensão que até hoje traz novos e significativos insights àquele que tem olhos para ver e ouvidos para ouvir.
 
AMÉM AMÉM AMÉM !!!
 
Valter Taliesin





VÍDEOS SAGRADOS

LED ZEPPELIN - STAIRWAY TO HEAVEN




PINK FLOYD - DARK SIDE OF THE MOON


DEEP PURPLE - CHILD IN TIME


BEATLES - ACROSS THE UNIVERSE


DAVID BOWIE - STARMAN


ELTON JOHN - ROCKET MAN

DONOVAN - ATLANTIS



MICHAEL JACKSON - EARTH SONG


FONTE YOUTUBE













FONTE DE IMAGENS GOOGLE

Nenhum comentário:

Postar um comentário