Google+ Badge

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

A REINVENÇÃO DA HUMANIDADE...








Imagem...Imaginação....

Da imaginação divina nasce a imagem de todas as coisas...

Na imagem de todas as coisas nasce os opostos, dos opostos - o sentido aqui é de complementação contudo não de oposição....dois que se completam e se complementam - nascem as inúmeras individualidades com um deles em manifestação e outro em potência...

O ser humano carrega dentro de si o universo que o carrega por dentro...uma relação simbiótica que vai desde nosso estado material mais denso até o estado espiritual mais sutil pois esta relação é completa em si mesma...


A consciência neste cenário é o campo de energia que A Mente manifesta e que atuando no ser humano e através dele vai de conquista em conquista alçando voos para profundezas hoje nem sonhadas(expansão) ou quando atrofiada se fecha no ponto em que esta(estagnação)...e por fim quando esta se lança à destruição, amando o caos e preferindo o Fim como um contexto mais sagrado do que a Vida(retração)...

SIM!

Pois tem quem ame mais a Morte e a destruição da consciência de Si(se isto possível for claro) do que a Vida unitiva!

Valter Ludwig Taliesin

A beleza do luar...
Do luar que envolve e encanta...
Do luar que parece colocar toda
emoção no lugar...
Do luar bálsamo prateado sobre
feridas vivas que pouco a pouco
vão a cicatrizar...
Ah! A beleza do luar!
Luar tão cheia de imagens...
Luar como Deusa a brincar;
festiva, linda, iluminada, entrando
e saindo dos corações amantes
e com varinha de condão, qual fada
mais que madrinha fazendo filhas
da Mãe filhos e filhas pegar...e deles o
mundo se enche de choro infante e
risadas deliciosas e sagradas no ar!
Amor e Vida...
Amor e novas vidas...
Tudo sob a luz testemunha do luar...
Luar que leva o(a) viajante aventureiro(a)
e o(a) conduz pelos mares da vida para
portos seguros de estada e acena que um
dia haverá um porto seguro de fim de jornada!
Meio luar, novo luar, luar minguante, luar cheio
de luz como se a Deusa mostrasse em seu rosto
um sorriso que faz pequeno ou grande...conforme
o momento e as fases que ela tem!
Luar e Lua...Lua e Luar...
Dos seres da noite amiga,
Dos seres do dia um beijo disfarçado do Sol...
Se eu pudesse um dia pedir uma coisa...
pediria que nunca deixasse o Amor...de Amar!
Mas isto nem digo pois seria como se Deus(a)
não mais tivesse e isto..cá comigo...NUNCA HAVERÁ!

Valter Ludwig Taliesin 

Favos de mel...

Mel que desce e escorre pela boca...
Mel que adoça os lábios...estoura
em sentidos múltiplos quando penetra
o corpo em ondas brilhante douradas.

Favos de mel...

Mel que alegrando também alimenta...
Mel nascido e manifesto de um ser
vital para nossa sobrevivência e
emblemático para nossa História
oculta universal...
A pequena mas essencial..ABELHA!

Favos de mel...

Mel que é símbolo da própria Palavra Viva!
Palavra do Criador para todas as emanações
conscientes em diversos graus que...EU SOU!

Favos de mel...

Favos que são vasos, pequenos vasos de cera
das abelhas de divina imagem...criando o mais
doce e sublime dos cenários...e a melhor das
das tradições simbolistas onde humano e divino
são o puro êxtase supremo das iniciações...
Como UM só!

Favos de mel...

Que como uma imensa teia se estende de geométricas formas...
Como pequenos círculos levemente quadriculados...
UM circulo, 4 lados...Uma divindade Universal...

Favos de mel...

Aqui e agora...preservar a vida das abelhas tornou-se uma
real mensagem de que estamos de fato compromissados
com a vida...tão enigmaticamente ligada a estas douradas
e deliciosas teia destes essenciais seres...

Favos de mel...

Valter Ludwig Taliesin 


Alegrar-se é uma ação constante de afirmação da filiação divina.
Há um texto sacro que nos diz:
" PORQUE A ALEGRIA DO SENHOR É A VOSSA FORÇA!"
Esta é uma afirmação extremamente positiva sobre algo que é tratado e manifesto mais do que como uma sensação ou sentimento meramente humano.
A alegria aqui, neste contexto, é vista como um verdadeiro atributo divino.
Alegrar-se aqui é um verdadeiro Êxtase diante do sagrado.
Neste êxtase o devoto encontra forças, poder para seguir os dias!
A tristeza TEM SIM um lugar no nosso caminhar evolutivo!
As vezes o momento requer cuidado, fechar-se um pouco...introjetar-se...colocar-se dentro em recolhimento...deixar as lágrimas fluírem pois este chorar é como um derramar do coração ante Deus!
Mas por outro lado existe situações de nossas vidas que requerem afirmações positivas!
Momento em que somos convidados a sairmos ao mundo e manifestarmos nossa luz intensivamente!
E as vezes este convite sagrado vem em meio as nossas dores, às nossas pelejas diárias!
Quando há este convite do sagrado em nós, do divino que se manifesta, abrindo os portais do banquete sagrado...peca...literalmente, a alma que se isola, se ensimesma..recusa o convite e vai isolar-se em sua dor!
Esta percepção entre momentos de choro, tristeza e recolhimento como salutares para a alma se comunicar com o sagrado, e este; falando com a alma, esta sair de seu isolamento e vibrar a energia criativa, expansiva e regozijante em seu entorno de pura Alegria divina - e aqui já falamos com maiúscula pois a alegria deixou de ser uma mera reação humana ao bom da vida e encontrou um motivador além das reações; encontrou DEUS como motivador supremo de seu alegrar-se, portanto tornou-se um atributo Deste - torna-se assim a alma uma ministrante do puro êxtase sagrado...das ondas de verdadeiras e libertantes energias de contentamento!
Neste ponto, para a alma, pouco se lhe dá se sua situação externa mudou ou não...o fato é que mudando internamente...tornando-se regozijante, alegre...ela passa a vibrar com a sintonia da "Força divina" e diante desta Força não há tristeza que resista! E progressivamente isto irá influir no seu externo com certeza e o mundo se fará...NOVO!
Este é o recriar da Força da Alegria divina em nós!
Namastê!
Valter Ludwig Taliesin






O Céu que dentro em mim há manifesta; o Sol, a Lua, as Estrelas e todos os Astros que pode abarcar.
Este interno Céu, como um reflexo do que cá fora esta.
Ou seria em verdade o que trazemos dentro o original é este outro imagem?
Qual será o poder do nosso olhar?
Do nosso observar?
Poderá em verdade o que observamos ter a imagem que trazemos na alma?
E se assim for, há como uma ligação coletiva interna que, à exceção dos pequenos detalhes - digamos, que tenha que haver algo de particularidade em cada olhar - nos faz ver como um só, tudo e todas as coisas?
Ou estamos a fantasiar, e o que há cá fora sempre foi o que é, independente do nosso olhar?
Será que realmente tem certas coisas, certas cores, certos nuances, certo lugares que não estejamos preparados para olhar, ou estão nublados ao nosso olhar e por isto para nós são como se não fossem? Mas estão cá, dentro em nós...esperando só o momento de que sejam captados?
Até que ponto nossos olhos são mecanismos biológicos ou algo mais...como um canal de percepção da imagem das coisas e mais além ainda: sua essência?
A bela e a fera, sabemos por exemplo; é uma metáfora do olhar...do olhar da mulher que vai mais além e capta a essência do homem selvagem e brutal que a princípio teme, irá devorá-la; mas que então...pouco a pouco vai se revelando mais humano que os humanos que conhecera e finalmente seu olhar cativado e cativante, traduzindo o amor que nasce e cresce em ambos, revela a verdadeira face do amado!
Ou a princesa,  que conhecendo um girino mau sabe que encontrou o amor de sua vida e depois de idas e vindas, quando então beijando o sapo como se visse neste o mais belo dos seres, é nisto que se torna!
Não haverá em tais contos de fadas, uma metáfora, uma figura, um símbolo, uma analogia profunda com a capacidade que temos de; ao olhar criar mundos e ao mudar o nosso olhar recriá-los?
E se assim for, se tudo o que nos envolve é em realidade o reflexo do que captamos e processamos na alma, que simplesmente a construção de um humano melhor, uma humanidade fraterna, uma sociedade mais justa e um mundo renovado não será mera escolha de olhar? E então manifestar?
E aquele(a) que neste ir além desperta e desenvolve o terceiro olhar...aquele protótipo dos Ciclopes, que diz a Filosofia oculta, trazemos entre os olhos manifesto como embrião?
O que verá? até onde irá seu poder de percepção, discernimento e criação?
Os tempos atuais nos confronta mais do que quaisquer outros tempos com esta profunda questão...e conforme for nossas respostas estaremos cocriando o mundo que queremos para nós!

Valter Ludwig Taliesin


HUMANIDADE
Humano das idades...
Uma unidade...
Uma idade...
O humano que de um se faz infindáveis...o ADAM KADMON...A Imago Dei...Macho e Fêmea...de onde toda a vida procede porque é o grande arquétipo.
Geralmente quando pensamos em humanos, imaginamos apenas o contexto terrestre mas ADAM KADMON é multidimensional!
Em Adam Kadmon todas as coisas foram criadas; dai porque na frase: "Deus trouxe todos os animais para o homem nomeá-los"...em verdade o significado oculto é:
"DEUS DEU AO HOMEM OU ATRAVÉS DO HOMEM O PODER DE MANIFESTAR TODA A CRIAÇÃO...TODAS AS FORMAS DE VIDA: DO REINO MINERAL...VEGETAL...ANIMAL E HOMINAL...E EM ALGUMAS INTERPRETAÇÕES ATÉ MESMO AS FORÇAS ARCANGÉLICAS...
Nas energias tanto feminina quanto masculina - pois tanto o masculino.. "humano"... quanto o feminino ..."humanidade"...contém em si as chaves deste que é o maior dos mistérios criativos - estão contidos os segredos de todas as formas de vida.
O porque do Cristo ser nomeado por Paulo como o NOVO ADÃO em suas epístolas tem tudo a ver com este contexto multidimensional de Adam Kadmon...porque na figura do Cristo Cósmico o grande apóstolo via a renovação da vida em todas as esferas de manifestação do Ser e não somente o contexto usual de humano terrestre.
Em verdade como disse, podemos perceber no termo HUMANO o mesmo mistério desta manifestação da vida que no termo HUMANIDADE...
O singular nos aponta para a figura de Adam Kadmon; o humano das idades, o Um original de onde vieram todos; o Pai/Mãe manifesto como UM na primeira e única idade - HUMANO...UM ANO, o grande ano criativo - o eterno primeiro agora, onde Deus o manifestou de si mesmo...de sua Mente Criativa, pois assim como tudo nasce da Mente Criativa de Adam Kadmon como o grande arquétipo da vida o mesmo nasce como único arquétipo desta Vida na Mente Divina...naquele ponto inicial de onde a figura arquetípica de Kadmon se manifestou!
Ele é o projeto que depois projeta!
Como um programa que criado "um" pelo programador depois vai criando todas as interfaces ilimitadas da computação através dos códigos contidos em si e projetados pelo programador.
Assim, em nossa humanidade esta oculto o mistério da divindade...sempre presente naquilo que manifestou como...Vida!
Valter Ludwig Taliesin

Influímos nas decisões dos outros...mais ou menos...
Vivemos em uma sociedade interativa, e infelizmente para
muitos descaracterizada.
Uma coisa é tu receberes boas influências de um ou
de outro quando o próprio divino em ti e no outro
abre este caminho de comunicação. Outra bem diferente
é a dependência seguida do que o outro pensa, fala e
faz ou da presença física viciante de A ou de B!
Pior ainda quando a interatividade é nociva ou seja;
cria cisões e grupos rivais que se digladiam como se
fulano e sicrano tivessem razão!
Partidarismo geralmente traz isto; ideologia também;
e religião nem se fala!
Libertar-se de influência excessiva do outro, mesmo aquela
que entendemos como boa, mas que em excesso torna-se
tão prejudicial para nossa evolução quanto a má é o
grande passo para uma espiritualidade e um viver em
equilíbrio entre tuas escolhas e a interatividade.
NÃO SOMOS UMA ILHA!
Dizem que morremos sós, nem isto...se cada um dos
que falam isto pudessem ver a nuvem de testemunhas que,
invisíveis aos olhos dos encarnados observam os desencarnes,
inclusive em apoio ao bom combatente e em alguns casos:
revelando as duras penas que esperam o que praticou o mal,
mudariam rapidinho de posição...
É dito por exemplo, que o Anjo da Morte assume a feição do que a alma praticou quando do desencarne...se bem fez, um lindo anjo o envolve e abre-se um portal até seus entes mais queridos...se o mal praticou revela-se a face mais hedionda possível e o caminho se abre para o limbo onde terá que, nos portais do umbral sofrer suas desditas até poder sair dali; e até dizem...que os mais ferozes trevosos vão para círculos verdadeiramente infernais onde padecem de forma continua(mas não eterna como acreditam os fundamentalistas) seus infernos pessoais até o tempo de pena que lhes esta destinado...mas tudo é questão em debates ainda...há aqueles por exemplo, que defendem que existe uma fraternidade trevosa que recebe de braços abertos seus sequazes e que a mesma só será desfeita quando finalmente a fraternidade branca vencer o embate entre as duas(será que aqui caberia vice e versa? Questão aberta à discussão)! Ou seja; para estes, os que verdadeira e conscientemente optaram pelo mal, enquanto nosso mundo continuar cindido em dois consciencialmente, tem tanto amparo dos trevosos na passagem quanto os de luz tem da fraternidade branca...e os encarnes dos tais seria explicado pelo mesmo viés...
Enfim; seja como for, morremos sós porque nossa morte é só nossa assim como nascemos sós neste MESMO sentido...
MESMO GÊMEOS UNIVITELINOS são essencialmente sós
enquanto entidades que se encarnam...se não seriamos CONSCIÊNCIAS COLETIVAS, completamente descaracterizadas de vontade e escolha!
Entretanto Deus nos fez consciências individuais, conscientes de si mesmas e dos demais, mas COM POTENCIALIDADE para; em descobrindo o divino em Si tornarem-se consciências coletivas em relação AMOROSA, por livre escolha em ser...UM...não por obrigação ou falta de opção!
Valter Ludwig Taliesin

VÍDEOS SAGRADOS

AURIO CORRÁ - GAIVOTAS


GANDALF - IRIS


LAURA POWERS - SAILING HOME


MIKE ROWLAND - TITANIA


HOMEM DE BEM - MADANA MOHANA MURARI


FONTE YOUTUBE




FONTE DE IMAGENS GOOGLE

Nenhum comentário:

Postar um comentário