Google+ Badge

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

UMA NOVA HUMANIDADE - ASCENSÃO PLANETÁRIA...














A prioridade agora é a idade nova.
Não a novidade dos anos nas peles,
nas carnes...mas a prior...a primeira
idade, a principal idade. A idade que
se destaca entre tantas outras.
A nova era, o novo éon, o novo tempo.
Prioridade nos fala do que colocamos
à frente de: pessoas, coisas, sentimentos,
desejos, emoções, conquistas etc...
Mas se separarmos a palavra em duas
veremos basicamente que ela fala da
idade principal...prior e idade...
O prior de um convento é o primeiro
frade, o principal irmão, o cuidador dos
demais, o grande responsável por tudo.
E exatamente por isto, supõe-se deva
ser o principal, o que lidera, o destaque.
O prior é aquele que esta à frente,
que leva avante os demais rumo à meta.
Assim quando falamos em prioridade
falamos de tudo o que colocamos na
frente; que destacamos frente aos outros.
A idade atual, é prior exatamente porque
de tão sintética, de tão avassaladoramente
transformadora ela assume o leme de nossa
evolução daqui para diante com impeto nunca
dantes visto. E por ser de síntese seguida
à maior das transições já vista ela ficará para
sempre como um memorial eterno da grande
vitória do gênero humano sobre as forças da
dissolução, do caos e do furor destrutivo.
Assim é...foi...e será!
Valter Ludwig Taliesin

Dos escombros dos conceitos de civilização se erguerá o vivenciar do humanismo sagrado...um humanismo que prima em ver o divino dentro dos humanos; a Grande Ação Inicial, a Única Realidade em meio a todas as holografias...
Mesmo os humanos mais calibrados dizem..."não existe nenhuma realidade...tudo é holográfico"...
Mas já a milhares de anos os que verdadeiramente dizem conhecer sem contudo Saber pois que isto é sempre uma aventura no Ser, afirmam o segundo sem desprezar o primeiro dizendo:
"DO IRREAL CONDUZE-ME AO REAL..."
Que tudo seja holografia, irrealidade e ilusão se entende e se depreende mas em relação ao Único Real, não que o Real não exista...
Com relação ao Centro de toda a Vida pois ali nada é holográfico mas um SER CONSTANTE que somente as palavras simples do grande mantra acima consegue desanuviar um fio do Manto do Eterno!
Tudo é irreal e holográfico em diversos níveis do vir a ser da manifestação da Consciência Única através de miríades de individualidades ...entretanto esta Consciência é o puro Ser...o puro conceito de Ser que só conseguimos abarcar através dos véus de maia...das holografias...da ilusão...
Mas para alguns até mesmo esta Consciência seria a última das maias...
e que somente no NÃO SER estaria a libertação da irrealidade.
O fato é que quando falamos já deixamos algo de fora...
Quando sentimos algo se perde...
Quando pensamos algo não vem junto...
Talvez tanto quem nega a Consciência como Realidade como quem a afirma estejam paradoxalmente certos e errados ao mesmo tempo...
Isto é o mais gritantemente saboroso nesta História toda...A Vida em verdade é um paradoxo que segundo todas as concepções...NÃO DEVERIA SER...mas...misteriosamente...É...
Valter Ludwig Taliesin

Feliz do homem e da mulher que "se achar" neste instante portentoso de nossa evolução.
Achar-se não é encontrar apenas e tão somente o "ponto G" do prazer sensorial mas descobrir em si o que te realiza como entidade humano/sagrada/divina...
Como entidade humana entra tudo; inclusive este tão propalado sensorial...este tal "prazer" que domina os sentidos da atual geração de hedonistas. Mas vai muito além...e engloba todas as coisas que tem a ver com o físico, com o ego e com a alma que se realiza através disto.
Veja bem...REALIZA-SE E NÃO ESCRAVIZA-SE!
Uma mente dominada apenas pelo senso de prazer físico, carnal, sensorial é uma mente e um coração escravo...sim, coração também; pois toda a emoção, todo desejo, todo o sentimento se submete ao chicote da mente irrefreada e também cativa do meramente carnal e sensível.
Temos que ir mais além e realizar-se humanamente de forma mais profunda, de forma mais aguda...nos pontos onde percebemos que carecemos exatamente de mais humanidade.
Por outro lado realizar-se como sagrado é comunhão...é entrega...é interação plena ao objetivo da vida. É ver-se e ver todas as coisas e pessoas como "especialidades na unidade"...percebemos assim a importância de cada um e do todo.
Por fim realizar o divino em si é realizar-se em Deus...É sentir Deus presente e comandante passo a passo de todo o seu viver até o ponto em  que simplesmente tu sejas Deus(a) vivendo em pele de mulher ou homem.
É o sagrado em seu ponto culminante e o humano em sua mais profunda aventura!
É o Cristo nascente entre os humanos!
É a Felicidade em forma humana caminhando pela Terra!

Namastê!

Valter Ludwig Taliesin

O tempo fugidio...pequeno grão da margem do Rio do Tempo que corre, ou gota que escorre da vasta cachoeira ou queda d'água no circuito deste Rio...imensas gotas fugidias em desabalada queda, como que perdendo-se em meio ao rebuliço de suas irmãs.
Ah! Tememos tanto por perder ou perder-se em tais momentos...
Tememos tanto que fiquemos cativos de horas que se foram, amores que findaram, louros que amareleceram, belezas que murcharam...quer dizer; alguns de nós, pois há os que se tornam cativos destas coisas e tentam pela via errada tornar perene o que deixou de ser sem perceber que perene é o que deveria ter crescido em si de evolutivo com cada experiência.
Tanto um quanto o outro sofrem dores atrozes no Rio do Tempo mas quem nele fica estático pior ainda; estático não é sinônimo de viver no presente...ao contrário; é a ilusão de que se tem o que já não é de há muito e o que REALMENTE se tem, daquilo que se foi...esquecido esta em algum canto da lembrança e da perdida madureza.
Mais feliz portanto é quem singrando este Rio não perde-se nas margens como grãos que ficam nem muito menos se envolve no torvelinho borbulhante da cascata mas passa por tudo isto e sai lá do outro lado...firme e forte...indo e fluindo...levando cada momento dentro de si, cada experiência como lição, cada prazer como boa lembrança e cada vitória como sinalização de novos desafios e novas etapas a percorrer...mas sem stress...sem pressa...sabendo que tudo tem seu tempo e sua hora e cada hora que foi fica como conhecimento que é poder adquirido, cada hora que estamos passando cresce como uma sinfonia que estamos a reger e cada momento que virá assoma no horizonte como grandes oportunidades de Ser...coisas novas, descobertas incríveis em nós como possíveis!
Até que finalmente desaguemos no Oceano e então sejamos plenos e vastos como nenhuma palavra possa definir...

Valter Ludwig Taliesin

O Grande Falcão Celeste já alçou voo...
A Idade de Hórus chega com força.
Na Terra os Shemsu-Hor assumem posição.
Os filhos e filhas do Grande Falcão, 
do Sol em aladas e douradas Asas.
O OLHO ONIVIDENTE DE HÓRUS!
O Falcão Solar que envolve o mundo em
potente e vasto abraço...
RÁ-HORAKHTY...O Senhor dos dois horizontes...
das duas terras, dos dois reinos, do nascente, 
do poente e dos entremeios...
Aquele que conduz a grande barca da vida...
O Senhor que faz o Caminho para Órion
a Terra de Osíris, o Sol Oculto e abscondido.
O Filho da Deusa, o esposo de sua hipóstase;
mais amada...Isis e Hathor.
O Grande companheiro e irmão de Thoth,
o grande arquiteto universal.
A face fulgurante do brilhante Aton,
a revelação mais perfeita do velado Amon.
O Senhor do ovo germinante da vida o
qual deposita nos seios de Hathor.
No decorrer dos tempos a face de Hórus tomou
múltiplas formas em regiões e religiões.
Lug, Bel, Apolo, Surya, Indra, etc...e coroa-se o
mito enfim, no ponto culminante dos tempos:
Cristo Jesus!...Ali, naquele instante sublime
dos humanos... todo o mito ganhou textura,
cor, força e vida na figura de um Filho do Homem!
E nada mais foi como fora antes!
Somente a cegueira do fanatismo e do exclusivismo
não vê nos mitos do primeiro(Hórus) a potente luz
da revelação do segundo(Cristo)...somente a cegueira
mortal do velho homem que ainda perdura em almas
que se dizem novas, não vê que "o desejado das 
nações" só seria isto; ..."o desejado das nações" se
cumprisse em si o poder do mito vivo, pulsante e
vibrante, legado à cada tradição pela sabedoria das
idades; da vinda daquela Luz que refulge toda a luz!
Ou melhor dizendo: TODOS os prismas multicor da Luz!
E mais ainda trará o porvir; trará o desabrochar,
o raiar finalmente da idade de Hórus...
A Era dos Fortes e resolutos; dos nascidos
da água e do espírito para uma nova era.

Valter Ludwig Taliesin

O furor imperioso... e quando se fala em império imagina-se um reino inflado pelo desejo de expansão; um crescimento anormal, quantitativo do que deveria ser um constante crescer qualitativo...em verdade deixou de a muito de ser reino e virou uma anomalia...por isto que fala-se em reino de Deus ou dos Céus e império do Mal...pois o Bem não impera mas reina...o Bem cresce em si e de si PARA os outros e é uma unidade de todas as suas células que dele fazem parte por vontade e escolha e não de nada nem de ninguém por conquista...o reino atrai o império domina...o reino encanta o império escraviza...o reino deixa ser o império impõe padrão...

O Mal como não tem vida em si mas é um desvirtuamento da energia do Bem precisa vampirizar, sorver, imperar, tornar-se uma singularidade negativa e não permite que haja em si outras singularidades... é portanto uma singular anomalia...assim, os dois crescem realmente; mas o Bem cresce de si para si abarcando tudo e todos ou seja; o OUTRO, de dentro para fora, do dom e talento de cada um para o todo...DOANDO, INTERAGINDO, RELACIONANDO... enquanto o Mal vem de fora(dai porque um singular anômalo) para dentro; INVASIVO, SOBREPONDO-SE, SUFOCANDO...tentando anular com a ilusão o que mora no mais profundo ser de tudo e de todos os que infecta...
Isto...o Bem toca...o Mal infecta...ambos agem; mas um é a criação em forma de ação o outro é a destruição em forma de reação, uma reação aos cumulativos e danosos calos carmáticos negativos dos que escolhem cindir ao invés de unir...e então a nuvem devoradora cresce e se espalha!
Entretanto falamos de energia divina, ainda que dissociada, ainda que anômala, e portanto...num paradoxal jogo de xadrez...no fim o Mal sem querer, até porque nega o que Deus é...AMOR...acaba por servir ao Grande Propósito e o Grande Plano por fim surge lustroso...radiante...no fim de tudo e o império finda finalmente num solução patético, rendido ao mais forte...enfim, ao único realmente forte...ao reino...a corôa suplanta o louro exatamente porque não se ufana em conquistas mas em auréola de constante glória!
Neste momento como disse de início, de "furor imperioso", quando a maré danosa do império parece tudo sufocar, NESTE MOMENTO o reino esta pouco a pouco a surgir dentro de cada coração humano  que não dobrou seus joelhos para o medo e para a nivelação por baixo do fazer ao invés de ser...

SOHAM!

Valter Ludwig Taliesin


Das necessidades da atual humanidade...
Das necessidades de todas as humanidades...
Humanidades que vem e que vão...
grupos humanos que descobertos são nos
escombros nos espaços entre os tempos...
Como fósseis de um tempo que nunca
pareceria ser um dia achado.
Grupos humanos tão diversos...
Grupos humanos tão UM só.
Vira e mexe uma página da antiga História
dos humanos vem à tona...um novo achado!
Grita a Ciência, um novo grupo encontrado
sem relação com nenhum outro a não ser...
o fato de serem...humanos...diversos mas...
humanos...diversa e plenamente...humanos...
Até os "hobbits" de Tolkien dizem, foram "achados"...
E a tal terra média e sua diversidade não
parece mais tão "carochinha"...homens, hobbits,
anões, elfos, ogros mas essencialmente...
HUMANOS...quer nas altíssimas esferas de luz
onde transita Gandalf e reina Galadriel...
ou nos baixios onde decai um Golum e imperam
o coração conquistado pelo medo de Saruman
e o prazer pelo mal de Sauron e...ainda assim...
HUMANOS!!!
Blavatsky e seus grupos humanos tão diversos
e no entanto tão ligados em essência não parecem
mais viagens de "charuto de ervas possantes"
da Mãe da teosofia moderna e um dos seres humanos
mais fascinantes já vistos.
Sitchin, Daniken, Charroux, Berlitz e seus deuses
do espaço, suas civilizações ultra avançadas do
remoto passado...os fantasmas de hiperbóreos,
lemurianos, atlantes, ramas, thuleanos e cia
conseguem finalmente se fazer ouvir...
O despertar dos mágicos(magos) de Pauwells e Bergier,
ainda que tardio parece agora...irrevogável...
Da Lua, de Marte, de Plutão e até, do misterioso
dizem, astro tri milenarmente periódico, Nibiru,
chegam notícias alvissareiras e alarmantes...
Pois é amigas e amigos...
Esta é a época!
E muitos escolhemos estar aqui!
Esta é a época que a grande maioria precisava
aqui estar!
Esta é a época mais emocionante e terrificante
de todos os tempos; para deixar estes outros
tempos tão célebres e distantes como adendos
nas futuras notas existenciais, tal o poder de
síntese que ela comporta!
Então, não reclame!
Abra o coração, respire e agradeça este "momentum"
absolutamente único entre todos os únicos que
já tivemos!

SOHAM!

Valter Ludwig Taliesin


VÍDEOS SAGRADOS

KRISHNA DAS - THE GREATEST HITS OF THE KALI YUGA



JAI UTTAL - OM NAMAH SHIVAYA



OLIVER SHANTI - RAINBOW WAY

ANUGAMA - SWEETNESS OF THE EARTH



DAVID ARKENSTONE - FLOATING/STAR DROPS



FONTE YOUTUBE




FONTE DE IMAGENS GOOGLE

Nenhum comentário:

Postar um comentário