Google+ Badge

sábado, 12 de dezembro de 2015

NUMEROLOGIA ESOTÉRICA: 7...A DANÇA DOS 7 VÉUS...


O Sete é o mais famoso dos números.

Estudiosos se debatem qual o maior dos numerais...3, 6 e 9 para alguns, mas a grande maioria tem no 7 sua preferência.

OS 7 VÉUS DE ISIS

Maya...Maria...Mater Réia...Isis...

A grande Deusa dos Mistérios, a Senhora de toda a Natureza, tem este mundo envolto em 7 véus.

Os 7 véus ocultam do humano comum os mundos superiores e desvelar um a um estes véus, como um Noivo faz com sua Noiva na noite nupcial, é o eufemismo esotérico para o penetrar do iniciado nos arcanos da grande Deusa.

O 7 é assim o expandir para "fora de si" da divindade...

Veja, isto é um termo que tenta explicitar o que realmente não pode ser dito. Em absoluto, NADA esta realmente "fora" de Deus. Mas a titulo de compreensão do Mistério, aquele que esta mais distante, esta ele, e não Deus, se não fizer por vez descobrir em si o centro do Mistério consciencialmente;  a sua percepção é que esta "fora"de Deus, longe deste.

O 7 é o número da plenitude da completitude.

O 7 revela a inteireza do Ser.

Diferente do que pensam muitos o 7 não revela perfeição enquanto inerrância mas a totalidade do que algo simboliza. O Dragão do Mal do Apocalipse - e não existe maior tradição numérica setenária do que a Bíblia e em especial este livro - tem 7 cabeças e sete diademas sobre as mesmas...portanto aqui obviamente não se fala de perfeição enquanto inerrância mas se pudéssemos usar este termo então diríamos que este Dragão é a "perfeição absoluta da ilusão, da deturpação, do dissociativo, do Mal"...em suma; ele é a plenitude, a completitude deste ser como arquétipo da Mal universal. E isto se ratifica ainda mais quando vemos que ele tem 10 chifres, pois 10 é outro numeral de completude pois é o Tudo do Todo...a expansão do 1. Se no 10 a completude é vista em termos quantitativos, de expansão do 1, no 7 ela é vista como qualitativa, a essência das coisas, e dai a plenitude estar associada ao 7. Se os 10 chifres do Dragão focam a extensão universal de seu reino, as 7 cabeças mostram sua Essência, o que esta por trás deste domínio.


Os 7 véus poderiam então ser compreendidos também como as barreiras dimensionais que separam os tais 7 céus, ou 7 dimensões do Ser...

Nós humanos encarnados neste e em outros planetas tão físicos quanto o nosso estamos no que se entende, como densidade mais acentuada na matéria...Aqui a tecitura do véu de Isis assume contornos densos, fortes, que nublam os sentidos mais interiores dos humanos. O terceiro Olho por exemplo, é raramente desperto nesta dimensão. Estranho afiançarmos isto já que segundo consta, estamos em um universo tridimensional, ou seja; na terceira dimensão...só que esta terceira dimensão acaba por ser a mais material de todas porque é mais ESPACIAL e CONCRETA que as demais. As duas anteriores enfocam mais os mundos microcósmicos e as quatro posteriores aquilo que convencionou-se dizer supra-mundos. Eufemisticamente o que vem antes caracteriza o Inferno dos Mitos e o que vem depois o Céu...os 3 mundos dos mitos antigos acabam se coadunando com os 7 céus dos mesmos, sendo a primeira e segunda dimensões o infra-mundo, a terceira o mundo e da quarta até a sétima o supra-mundo.

E por falar nestes 3 mundos dos mitos antigos - não confundir com a interpretação dos 4 mundos cabalísticos pois estes enfocam os conceitos filosóficos dos mundos enquanto os 3 mundos dos antigos eram mais descritivos dos estados dos encarnados na terra e dos desencarnados que iam ou para mundos inferiores ou superiores - podemos fazer uma correlação com o próprio ser humano.

Somos seres trinitários e setenários!

Somos Corpo, Alma e Espírito enquanto elementos básicos que, como os 3 mundos dos antigos acenavam para o Corpo como nosso infra-mundo, a Alma como o verdadeiro mundo e o Espírito como o supra-mundo...e assim como o infra mundo dos mitos engloba duas dimensões o infra-mundo humano envolve o corpo físico e etérico; o mundo envolve o corpo astral e mental inferior,  o supra-mundo envolve o mental superior, átmico, búdico e crístico; uma pequena diferença comparativa aqui é vermos que o plano mental esta presente em dois reinos no humano. Na Alma isto acontece porque ela é um elemento do mundo divino encarnado nos mundos inferiores; é uma verdadeira ponte entre os corpos humanos se relacionando com os inferiores e com os superiores. O mistério que vemos expresso entre os 3 mundos e os 7 céus é o mesmo entre os 3 corpos básicos humanos e os 7 corpos descritivos dos reinos neste humano.


O véu de Isis é uma realidade interna também dos humanos!

Uma Alma, segundo algumas versões do mito, quando encarna-se não vem direto para o mundo humano mas exterioriza-se primeiro no reino mineral, depois vegetal, depois animal e só então no hominal. Segundo estas teorias espirituais a ascensão é algo que procede desde o mais denso dos materiais(o mineral)deste mundo tridimensional porque em tudo esta a chama divina!

Se assim for, transitamos desde o primeiro céu até ao sétimo(descendente e depois ascendente)...vivenciamos plenamente os 3 mundos e suas 7 expressões e não somente conceitualmente pois enquanto percepção os reinos mineral e vegetal atuam nas primeira e segunda dimensões apesar de estarem na terceira...talvez o mais correto seria dizer também que os humanos ESTÃO na terceira dimensão e não que são de terceira dimensão pois temos a percepção do tempo que é a quarta dimensão, navegamos consciencialmente neste Rio; coisa que até onde sabemos aos animais não é facultado...um ESTAR contudo na quarta dimensão implicaria a ausência do sentido de tempo como Rio que passa e uma constatação dele mais como Oceano perene...fora isto temos a percepção na grande maioria de nós, ainda que não apreendida e assimilada a contento, de Deus, ou seja; das realidades superiores ao próprio Tempo...realidades tão enigmáticas e supernas que o exteriorizam como perene para quem o transcendeu como passageiro...

Os sete céus, as sete dimensões do ser são expressões do próprio Deus, individualizadas nas figuras dos 7 Espíritos ante o trono...enquanto os 4 Querubins simbolizam os 4 mundos cabalísticos - os 3 mundos míticos aqui citados se inserem nos mundos de criação, formação e ação...sendo o de emanação o próprio divino em Si...poderíamos conjecturar que o mundo da criação corresponderia ao dos supra-mundos, o de formação ao mundo e o da ação ao infra-mundo...Dai o eufemismo que "o Inferno é aqui" NESTE sentido faz todo o sentido...pois assim como vimos que minerais e vegetais apesar de estarem na terceira dimensão para nós humanos e para os animais é como se estivessem consciencialmente na primeira e na segunda podemos dizer que para o ser humano que vive somente para os prazeres mundanos e carnais, para a percepção dos 5 sentidos somente, é como se estivesse na terceira dimensão mas consciencialmente pertencesse ao infra-mundo. PERCEPÇÃO é a chave portanto que abre caminho para os mundos superiores...depois disto advém o ESTAR nestes mundos, assimilá-los e partir para novos e rasantes voos mais ousados -... os 7 Espíritos ante o trono simbolizam os 7 super-universos, as sete grandes dimensões do Ser; ascendente e descendente, onde de forma graduada as entidades vivenciam o grande "filme" da Vida.


Vejam só; NESTE momento evolutivo da Terra temos aqui 3 tipos de humanos;

1. Os que apesar de viver na terceira dimensão e ter percepção temporal da quarta, tem consciência infra-humana, bruta, fechada para os padrões e mundos superiores...

2. Os que tem percepção basicamente da terceira dimensão em que estão, além da temporal e insights de outras mais superiores...

3. E os que transcenderam; já assimilaram em si as infra-humanas(infra-mundo), assimilaram também as humanas(mundo) e agora, mesmo caminhando e vivendo entre os humanos já ESTÃO, não só perceptivamente mas ativamente em diversos estágios supra-humanos(supra-mundos)da quarta em diante...eles não colocarão cornetas e buzinas tonitroantes ante si como fazem os pequenos profetas e com mais assiduidade os falsos, anunciando suas "grandezas" etc... mas pelo fruto, para quem tem olhos para ver...serão conhecidos.

Creio que deu para termos uma ideia do que o sete significa...Deus é Um...este um manifesta-se primariamente como Um Casal..Pai/Mãe...deste manifesta-se o Filho formando então uma trindade - e esta trindade pode ser tanto vista numa interpretativa visão da própria essência divina além das conceituações - AIN, AIN SOPH, AIN SOPH AUR - quanto na Filha(Chokmah, Binah, Tiphareth...sendo aqui a Filha Malkuth), a Árvore da Vida, como expressões designativas do divino revelado, formando o quaternário universal...em seguida o 5 se expande revelando todas as humanidades encarnadas nos diverso mundos do Ser e o potencial de ascensão nelas e delas quando tem que ascender desde o mais distante ao mais central dos Mistérios conceituais...o seis manifesta-se então revelando a inter-relação entre todas as coisas e o fio amoroso que as liga e por fim o sete manifesta o espaço conceitual, tanto quantitativo quando qualitativo onde todo este grande drama se exterioriza.

Muito mais poderíamos dizer mas ficamos aqui, encerrando com um pouco de aplicação deste numeral no mapa dos nativos.


O grande símbolo esotérico do 7 é a estrela de sete pontas ou Septagrama ou então um Hexagrama com um  ponto no centro...sendo este o ponto de origem da manifestação da energia divina simbolizada pela grande estrela! O nativo do sete então parece esta rodeado por todo o mistério de relação do seis com intenso poder evocativo e invocativo em si, da síntese em e através de si.

As pessoas sete são tidas como extremamente intuitivas, profundamente psíquicas, intensamente espirituais, grandes pensadoras, com inclinações evidentes para o oculto e o esotérico, e muito reservadas em seu viver. Enfim; podem ser celebridades porque não se pode esconder uma lampada debaixo da cama como disse o Cristo, se quisermos iluminar um ambiente; e ao fazermos isto fatalmente a lampada também aparece. Não porque façam tudo para aparecer.

Grandes líderes espirituais e sociais nascem com 7 bem evidentes em suas vidas. Grandes filósofos e pensadores são sete natos. Obviamente que não é por isto que tais pessoas não tenham outros números importantes no mapa, mas um sete pleno se realça sobre todos os demais aderentes.

Mais uma vez, a posição onde se encontra o 7 no mapa do nativo definirá como este sete se expressa; de que forma ele se exterioriza nas suas ações, quando este é um bom manifestante do mesmo. O oposto também seria verdadeiro(ou dito melhor; a exteriorização da "mentira" que é toda deturpação) ou seja; a não manifestação correta do sete, revela o buraco consciencial de quem o tem no mapa e não o exterioriza a contento.

É isto...




Amor e Luz

Valter Ludwig Taliesin

Paz e Bem

VÍDEOS SAGRADOS

MUSICA DE FLAUTA










Nenhum comentário:

Postar um comentário