Google+ Badge

sábado, 13 de fevereiro de 2016

O GLORIOSO E PERDIDO REINO DE ATLANTIS/ATLÂNTIDA...POEMA EM PROSA E VERSO....

O TEXTO ABAIXO FOI PUBLICADO AQUI NO BLOG, A UM ANO ATRÁS COMO PARTE DE ENXERTOS COM DIVERSOS ASSUNTOS. ACHEI SALUTAR CRIAR COM ELE, POIS VI QUE MERECE, UM POST SÓ SEU...COM TÍTULO ATINENTE E TUDO...ESPERO QUE GOSTEM...TAMBÉM COLOCAREI ANTES DELE, PEQUENOS VERSOS SOBRE O TEMA OS QUAIS RECEBI AGORA POR INSPIRAÇÃO...
PAZ E BEM
VALTER LUDWIG TALIESIN

O Oceano se abriu num lugar tão profundo
e tua imagem refletiu acima nos céus que de
nuvens brancas coroava-se.
No azul límpido do céu, qual um painel de televisor
desfilou então imagens de outrora, de outras épocas;
de um mundo distante que no entanto se faz tão presente,
tão aqui, tão agora.
Um mundo que insiste em bater à porta de nossos corações,
um mundo que não deixa que nossas mentes divaguem outra
coisa que não...UM DIA EU FUI...
E então ali, naquela tela imensa, paragens outrora primaveris,
de eterna então existência; vales, rios, lagos, ribeiros, montanhas,
planícies de um verdor e cores tão variadas, luxuriantes de vida;
algumas velhas conhecidas, outras de enigmáticas fauces que 
revelam a grande variedade de feras fantásticas que enchiam
vossas florestas. E no entanto tudo isto fluía e refluía com a vida
humana de então de forma tão harmônica, como se magia houvesse
no ar, mas o que havia era um sentido e senso de comunicação
perfeitos entre o mais consciente, aquele que se definia como
"administrador do reino" , com as formas de vida que coordenava.
Quando o fim chegou, tudo começou com o sinal, quando
o primeiro entre as feras matou o primeiro entre os humanos.
Ali se percebeu que algo se cindirá e que a harmonia perene
deixara de ser...e passo a passo aquele mundo caiu no 
esquecimento das eras...até agora...quando aos céus revelam
as imagens gloriosas images de outrora, refletidas do mais profundo
lugar do imenso Oceano de Atlas.

Poema composto agora 13/02/2016 às 14 e 03 hs...como entrada para o texto antigo composto em 13/02/2015...e que vem logo a seguir...gratidão...paz profunda....


Nas mais profundas cavidades solitárias de certas almas humanas esta a lembrança de um ideal...um ideal que se cristalizou na imagem de uma cidade, de uma ilha sagrada, de um povo nobre e de uma portentosa civilização...e contudo de um fim trágico à soberba final deste povo...ao não discernir dos tempos e das estações que fazem com que pessoas e povos se reciclem, se recriem e se refaçam para o porvir...
Atlantis...
Mais que um nome, uma senha secreta para o interior de alguns de nós que sentem que seus pés um dia lá estiveram e no qual suas almas evocam toda a saudade dolorida dos sonhos destroçados pela própria sandice humana...
O ideal materializado ruiu, naufragou na voracidade do oceano de onde outrora o grande patrono emergiu para soerguer-lhe para a glória.
Poseidon é a grande metáfora dos grandes deuses civilizadores...senhores dos oceanos profundos, dos mares celestes que descendo cá conosco criaram entre nós um povo com a semente dos próprios deuses dentro de si.
SIM!
Todos os humanos são deuses em potencial, mas o que Poseidon fez foi apressar um processo natural coma autorização da Lei Maior para que aqui se cumprisse os mais poderosos prognósticos e previsões das grandes hierarquias.
Mas Luz e Trevas nunca descansam em sua batalha renhida pelas almas humanas, e chegou o dia em que os serviçais das trevas deram um cheque mate no coração da mais bela de todas as grandes civilizações já surgidas na Terra, um povo que alçou voo ao espaço, colonizou a Lua e outros planetas se tornando a senhora do sistema solar, para depois descobrir dentro de si mesma a semente daninha do próprio fim.
Caindo o centro de poder tudo ruiu ao redor como um castelo de cartas, e nada sobrou na Terra e nos céus que a prova longínqua de que algo um dia ...glorioso e vasto governou as estrelas mais próximas de nós....
E o pai criador quando este Fim chegou nada pode fazer a não ser derramar lágrimas sentidas em forma de imensas vagas que tudo engolfou e sepultou para sempre de olhares profanos...ali, onde um dia esteve, mistérios até hoje acontecem, coisas estranhas que desafiam a lógica, restos de um passado que insiste em dizer...AQUI ESTIVE!...Virá um dia contudo em que ela sera redescoberta, muitos a verão e perceberão que nossa aventura é mais antiga do que supomos e mais; que o ideal de Atlantis, não o que se tornou no fim, mas o que foi durante milhares de anos de albor, é um plano semente, piloto, dentro de cada coração que verdadeiramente vibra e pulsa com a luz e mais; a própria civilização que surgirá...como foi com Atlantis em relação a Lemúria e esta à Hiperbórea será ainda mais gloriosa e sagrada do que tudo o que já brotou deste solo... e Gaia/Cibele novamente cantará em uníssono com os filhos e filhas de seu ventre e com os filhos e filhas das estrelas que aqui estarão novamente sem nenhum tipo de estorvo e ocultamento...
E tudo se fará...NOVO!
Mas o arquétipo do passado glorioso atlante será o alicerce deste novo alvorecer, como o foi para si o de Lemúria e como foi para esta o de Hiperbórea e sabe-se lá os bons deuses mais quais outras para quais outras...
Paz e Bem
Valter ludwig Taliesin Taliesin

VÍDEOS SAGRADOS

Patrick Benhardt - Atlantis Angelis

David Arkenstone -  The Spirit of Atlantis - Below the ocean

Donna - Voices from Atlantis

Atlantis - 

Derek & Brandon Fiechter - Los City of Atlantis

Songs of Atlantis

Atlantis Healing Temple Meditation







Nenhum comentário:

Postar um comentário